Pesquisar este blog

sábado, 7 de julho de 2018

Carequinha com Altamiro Carrilho - Cantigas de roda

 Primeiro  álbum do palhaço  Carequinha  foi lançado no ano de 1959 
Encarte do disco apresenta os principais lançamentos da Copacabana 
Este é um álbum pra reviver os bons tempos de infância. “Cantigas de roda” é o nome do primeiro LP do palhaço Carequinha, lançado em 1959 pela Copacabana, com acompanhamento do Altamiro Carrilho, sua bandinha e coro infantil “Lar da Glória”, formado por crianças do bairro do Fonseca, em Niterói, no Rio de Janeiro. Segundo o texto impresso na contracapa do disco, enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço, alguns solos infantis são feitos por duas meninas, Regina e Magali, então estudantes do Colégio Hilário Ribeiro, de Niterói. O repertório, com 17 faixas, é integralmente de domínio público, e muitas são conhecidas até hoje, como “Atirei o pau no gato”, “Eu fui no Totoró” e “Terezinha de Jesus”. O disco fez sucesso, e abriu espaço para lançamento do segundo volume (na foto abaixo).

George Savalla Gomes, o Carequinha, completaria 103 anos no próximo dia 18, mas faleceu aos 90, em 5 de abril de 2006, no Rio de Janeiro. Foi o primeiro artista de circo a fazer sucesso na televisão. Ele foi pioneiro no Brasil a usar o formato de programas infantis de auditório, que até hoje fazem sucesso. Nasceu literalmente no circo. A mãe era trapezista e teve as contrações do parto pendurada no trapézio. Aos cinco anos, ele já fazia piruetas no circo da família, O Circo Savalla, e começou a trabalhar como palhaço no circo do avô. A ideia foi do padrasto, que fez a pintura que o artista usou durante toda a carreira.

Em 1938, estreou como cantor na Rádio Mayrink Veiga no Rio de Janeiro, no programa Picolino. Lançado em discos por Altamiro Carrilho, estreou com a marcha que fez toda gente pular no salão -  “Ela é fã da Emilinha/ Não sai do César de Alencar/ Grita o nome do Cauby, Cauby” – e foi campeão do carnaval de 1958. Gravou 26 discos, fez diversos filmes, e teve sua marca impressa em inúmeros produtos infantis. As músicas que mais se destacaram foram: "Sapo Cururu", "Marcha Soldado", "Escravos de Jó" e principalmente "O Bom Menino", que incentivava o bom comportamento infantil ("O bom menino não faz xixi na cama/ O bom menino não faz mal criação/ O bom menino respeita os mais velhos/ O bom menino não bate na irmãzinha/ Papai do Céu protege o bom menino/ Que obedece sempre, sempre a mamãezinha"). Seu último trabalho foi uma participação no seriado "Hoje é Dia de Maria", em 2005, na Rede Globo de Televisão, e foi enterrado com roupa de palhaço, pois segundo ele próprio, queria ir assim, para alegrar os mortos. Confira:

01 - Galope de abertura - Ciranda, Cirandinha
02 - Passa Passa Gavião
03 - Samba Lele
04 - A Rosa Juvenil
05 - Terezinha de Jesus
06 - Onde Estará a Margarida?
07 - Garibaldi Foi à Missa
08 - Pai Francisco
09 - Carneirinho, Carneirão
10 - Atirei Um Pau No Gato
11 - O Cravo Brigou Com a Rosa
12 - Eu Fui no Tororó
13 - Passarás, Não Passará
14 - Eu Entrei Na Roda
15 - Nesta Rua Tem Um Bosque
16 - Na Mão Direita
17 - De Marré, Marré, Marré

Todas as faixas são de domínio público

COLABORAÇÃO: Geraldo


3 comentários:


  1. https://www74.zippyshare.com/v/UmyNK4Oy/file.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mergulho na minha infância e em pensamento eis que surge a voz inconfundível do maior palhaço que conheci: sua majestade, Carequinha!

      Excluir
  2. sensacional! você teria o carequinha da série colagem (1977) e o amiguinho das crianças (1967)? abs

    ResponderExcluir