Pesquisar este blog

terça-feira, 10 de julho de 2018

Octávio Burnier - Disco infernal (MPB Contemporânea)

 Primeiro álbum solo, basicamente instrumental, foi lançado em 1979 pela Philips
Este álbum do cantor, compositor, arranjador, violonista e guitarrista Octavio Burnier foi enviado pelo amigo Laércio, a quem sou grato pela colaboração. O disco “Dança infernal – Música Popular Brasileira Contemporânea” foi lançado em 1979 pela Philips. Sobre o disco, Ivan Wrigg, autor de três faixas do LP em parceria com o artista, escreveu na contracapa que “Octavio se entrega ao instrumento vivendo cada acorde e cada variação, e dessa forma pode gravar o que gosta de fazer, com a liberdade de fazer o que quer. Aí, cabe ser lembrada a ousadia da Polygram de lançar esse disco basicamente instrumental, na faixa da MPB Contemporânea, ousadia essa que tem como arma o talento de um músico que sabe muito bem o que quer e que faz no meio dessa “Dança infernal” por uma fatia do mercado musical dessa terra de tantas raças, de tantas lutas e de tantos carnavais”.

Luiz Octavio Bonfá Burnier nasceu no Rio de Janeiro em 28 de julho de 1952. É sobrinho do violonista Luiz Bonfá, com quem aprendeu os primeiros acordes. Aos 15 anos já participava de movimentos musicais universitários. Nessa época conheceu Aldir Blanc, Gonzaguinha, e Ivan Lins. No final dos anos 1960 formou, junto com o também violinista Claudio Cartier, a dupla Burnier & Cartier e lançou em 1974 o seu primeiro álbum (na foto ao lado). Com o parceiro Mariozinho Rocha, compôs a canção "Clarear", gravada pelo grupo Roupa Nova em 1982. A canção foi tema da telenovela "Jogo da Vida", da Rede Globo. Formado em publicidade, adotou outros nomes artísticos. Em 1969, ao assinar com a Som Livre, usou o nome de Otavinho Bonfá. Em 1979, contratado da Polygram, se apresentava sob o nome de Octavio Burnier. Nos anos 1980, em carreira nos Estados Unidos, adotou o pseudônimo de Távio Bonfá. Em 1988, de volta ao Brasil, adotou o nome de Tavinho Bonfá. Desde 1998, trocou o “i” por “y”, resultando em Tavynho Bonfá. Confira:

01 - Aproximação 
(Octávio Burnier) 
02 - Beijo submerso 
(Octávio Burnier) 
03 - Por quase nada 
(Octávio Burnier - Ivan Wrigg) 
04 - Zanga aborígine 
(Octávio Burnier) 
05 - Dança infernal 
(Octávio Burnier - Ivan Wrigg)
06 - Dança de rua  
(Octávio Burnier - Ivan Wrigg) 
07 - Todos os meninos 
(Octávio Burnier) 
08 - Um dos meninos e sua mãe 
(Octávio Burnier) 
09 - Dança dos ventos 
(Octávio Burnier) 
10 - Biruta 
(Octávio Burnier) 
11 - Exercício matinal 
(Octávio Burnier - Claudio Cartier) 

COLABORAÇÃO: Laércio



3 comentários:


  1. https://www60.zippyshare.com/v/YbAOUI31/file.html

    ResponderExcluir
  2. De Octavio Burnier foram gravadas as músicas Dança infernal e Recreio (essa com a participação dele), por Zizi Possi no disco Pedaço de mim 1979, Moça do mar por Fafá de Belém no disco Banho de cheiro 1978 e No meio da roda e Cumplicidade no disco Essencial 1982.

    ResponderExcluir