Pesquisar este blog

domingo, 6 de maio de 2018

Marlene Dietrich in Rio (LP ao vivo - 1959)

 Destaque do disco é a gravação em português do clássico "Luar do sertão"
Capa da reedição brasileira, na foto acima, é diferente da norte-americana
6 de maio de 1992. Foi nesse dia, há exatos 26 anos, que o mundo recebeu a notícia da morte de Marlene Dietrich em seu apartamento em Paris, aos 90 anos, de causas naturais. Mas a estrela vive para sempre, com seu estilo inconfundível, e na forma como desafiou os costumes de uma época. Reconhecida pelo estilo pessoal peculiar, foi a primeira mulher a usar calças publicamente nos anos 1920, e considerada uma das atrizes mais glamourosas dos anos 1930 e 40. Nos anos 1950 e começo dos 1960 a atriz, e também cantora, contratou o pianista e maestro Burt Bacharach para dirigir seus shows, segmento que passou a investir após reduzir suas atividades no cinema. Em 26 de julho de 1959, Marlene desembarcou no Brasil para apresentações em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde cantou no Golden Room do Copacabana Palace, e gravou este álbum ao vivo, postado hoje em sua homenagem.

Muito simpática, Dietrich encontrou-se com vários artistas, como Angela Maria (na foto ao lado) e também com o presidente Juscelino Kubitschek, no Palácio Laranjeiras. Foi ovacionada e chegou a cantar a música "Luar do sertão", de Catulo da Paixão Cearense, em português com seu forte sotaque germânico. Ela aprendeu a cantá-la com Cauby Peixoto. Em sua biografia, “50 anos da voz e do mito”, de Rodrigo Faour, o intérprete de “Conceição” conta que a artista pretendia cantar alguma música brasileira em sua excursão pelo País, e chegou às suas mãos a bela melodia de “Luar do sertão”. Cauby, que na época investia carreira nos Estados Unidos, foi procurado para ensiná-la. “Fui levado ao apartamento dela na Park Avenue, lá mesmo, em Nova York, para ensiná-la a cantar a música. Fui com um violonista e comecei. Dei a letra para ela. Conforme eu cantava e ela ia decorando a melodia: “Não há oh gente oh não/Luar como esse do sertão”, lembra Cauby.

O resultado pode ser conferido neste LP, gravado, lançado e relançado no Brasil e em vários outros países. Famosa por suas pernas deslumbrantes, voz profunda e olhar mortiço, Dietrich atuou em filmes mudos nos anos 1920 e virou estrela do cinema sonoro a partir de 1930 com o alemão “O anjo azul” , que a credenciou a filmar em Hollywood. Dentre as películas, destaque para “Marrocos” (1930) e “O expresso de Shangai” (1932). Foi nessa época, que ela abandonou a Alemanha, onde nasceu em 27 de dezembro de 1901, denunciou o nazismo, e naturalizou-se americana, sendo taxada de “traidora” pelos fãs de Hitler. Quando a Segunda Guerra Mundial eclodiu, cantou para as tropas aliadas em diversos pontos do teatro de guerra ao lado de outros artistas, como sua amiga Carmen Miranda. Participou de mais de 50 filmes. O último, em 1978, foi ”Apenas um gigolô”, de David Hemmings, atuando com David Bowie e cantando a canção-título, "Just a gigolo", três anos após deixar de se apresentar depois de uma queda durante um show em Sydney, na Austrália, quando fraturou o fêmur. Felizmente, o Brasil teve a oportunidade de vê-la, aos 58 anos, mas em plena forma, como mostra este LP. Confira:

01 - Look Me Over Closely
(Gilkyson)
02 - You're The Cream In My Coffee
(De Sylva - Brown - Henderson)
03 - My Blue Heaven
(Whiting - Donaldson)
04 - The Boys In The Backroom
(Loesser - Hollander)
05 - Das Lied Ist Aus
(W. Reisch - Robinson - Stolz)
06 - Je Tire Ma Reverance
(P. Bastia)
07 - Allright, Okay, You Win
(S. Wyche - M. Watts)
08 - Makin Whoopee!
(G. Kahn - Donaldson)
09 - I've Grown Accustomed To Her Face
(Loewe - Lerner)
10 - One For My Baby (And One More For The Road)
(Mercer - Arlen)
11 - Maybe I'll Come Back
(H. Jeffrey - C.L. Cooke)
12 - Luar Do Sertão
(Catulo da Paixão Cearense)

Musical supervision by Burt Bacharach


4 comentários:


  1. http://minhateca.com.br/sintoniamusikal/1726+-+DITRICH,1323865242.rar(archive)

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Novo link:

      https://www.4shared.com/rar/_glqHB50gm/1726_-_DITRICH.html?

      Excluir
  2. Boa tarde Chico , olha só não resisti e baixei d novo só pra ver as diferenças kkkkkkkkkkk curiosidade é fogo né . Abração , sucesso e obrigado meu querido !!!!


    Marcelo Francisco

    ResponderExcluir
  3. Disco interessante. Conferindo Luar do Sertão com Marlene Dietrich, deve ser massa. Obrigado, Chico.

    ResponderExcluir