Pesquisar este blog

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Luiz Henrique - Barra Limpia (LP 1967)

Álbum argentino foi gravado na época em que o brasileiro morava nos EUA
Apesar do título, “Barra limpia”, que remete a Jovem Guarda, este álbum do cantor, compositor, violonista e arranjador catarinense Luiz Henrique é de Bossa Nova – e das boas. O disco, lançado no Brasil em 1967 como “Barra Limpa”, é da edição argentina, produzida pela Verve Records, e enviada pelo amigo Laércio, a quem agradeço. O disco tem composições do artista, e se destaca pelas releituras de “Mas que nada” (do Jorge Ben Jor), “Vivo sonhando” (Tom Jobim) e do pot-pourri com “O morro” e “Samba de Orfeu”.

Luiz Henrique Rosa nasceu em 25 de novembro de 1938, na cidade de Tubarão, no sul do estado de Santa Catarina. Aos 11 anos veio com a família para Florianópolis, lugar que adotou desde o início e homenageou até as últimas canções. Antes de compor as estimadas 200 canções, Luiz Henrique também tocou em festas, bares e bailes. Em 1961, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde se apresentou em diversos nightclubs, no célebre Beco das Garrafas, em Copacabana, e onde também gravou seu primeiro disco. Um compacto com duas músicas: “Garota da rua da praia” e “Se o amor é isso“. Em 1963, quando gravou seu primeiro Lp, "A Bossa Moderna de Luiz Henrique" (na foto acima), conquistou as paradas de sucesso em todo o país com as canções "Sambou, sambou", "No balanço do mar" e "Vou andar por aí".

Em 1965, no auge da bossa nova no Brasil, Luiz Henrique parte para os Estados Unidos, na onda dos brasileiros que estavam fazendo a vida por lá. Em Nova York, conviveu com grandes músicos norte-americanos e brasileiros, com os quais gravou muitas músicas em diversos LPs. O músico permaneceu nos EUA até 1971, quando então voltou à sua amada Ilha. Em 1976, lançou seu último LP “Mestiço”, com faixas gravadas no Rio de Janeiro e em Hollywood. Em 9 de julho de 1985, ano em que completaria 25 anos de carreira artística, Luiz Henrique morre num acidente automobilístico, aos 46 anos, deixando um bonito acervo musical. Confira:

01 - Mas Que Nada
(Jorge Ben Jor)
02 - Escuchame (Listen To Me)
(Henrique)
03 - Si Quieres Ser Amante (If You Want To Be A Lover)
(Henrique - Brown Jr.)
04 - Pot-Pourri:
El Morro (O Morro)
(Tom Jobim - Vinicius de Moraes)
Samba de Orfeo (Samba Do Orfeu)
(Bonfá - Maria)
05 - Nuestra Laguna (Minha Lagoa)
(Henrique)
06 - Un Vals Para Diana (A Waltz For Diane)
(Henrique)
07 - Vivo Soñando (Vivo Sonhando)
(Tom Jobim)
08 - Reza
(Lobo - Guerra)
09 - Alicinha
(Henrique - Brown Jr.)
10 - Se Que Vas Por Mi (I Know You Go For Me)
(Henrique)
11 - Un Viaje Al Brasil (A Trip To Brazil)
(Henrique)

COLABORAÇÃO: Laércio

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Diego Jimenez - O melhor de Diego (CD S/D)

 Espanhol radicado no Brasil, Diego tem timbre vocal similar ao do Julio Iglesias
Se você é fã do Julio Iglesias, possivelmente vai gostar de ouvir Diego Jimenez, cantor com timbre vocal similar ao do espanhol. Ambos também compartilham a mesma nacionalidade. Iglesias nasceu em Madri e Diego em Sevilha, mas mora no Brasil desde 1961. Este CD sem data ainda é da época em que usava apenas o prenome. O sobrenome foi acrescido em 1997, quando lançou o CD “Com Você Eu Vou” pela Royal Music, para se diferenciar de outros cantores que usavam o mesmo nome. Esta coletânea, com 20 faixas, foi enviada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, e reúne o melhor do cantor.

Antes de mostrar os dotes vocais, ele foi guitarrista de vários artistas, como Altemar Dutra, Nilton César, Os Originais do Samba, Waldirene, Wanderley Cardoso, Carlos Alexandre e outros. Começou como cantor em 1982, quando gravou um LP na Chantecler com o seu primeiro nome artístico, Lukas. A mudança viria na RGE a partir de 1984, onde gravou vários discos, como os álbuns “Abre a Porta” (1984), “Pássaro Errante” (1986), “Coração Mágico” (1987), “Não Olhe Assim” (1989) e “Vivo Só Pra Te Amar” (1992). A RGE ainda lançou a coletânea “As 20 preferidas” em 1999. O CD mais recente, sem data, é “Coração bandido”, sendo que este “O melhor” traz duas participações especiais: Harmony Cats, na faixa “Andarilho”, e a dupla Rouxinól e Sabiá  em “Distante dos olhos”. O repertório inclui a releitura de “Uma lágrima”, sucesso do Paulo Henrique. Confira:


01 - Não olhe assim
(César Augusto - Sérgio Rossini)
02 - 24 horas de amor
(Carlos César - José Fortuna)
03 - Céu e sol
(Elias Muniz - Antonio Luiz)
04 - Nunca mais fale de mim
(Darci Rossi - Denny)
05 - Olhos azuis (Can't Take My Eyes Off You)
(B. Crewe - B; Gaudio - vs: César Augusto - Diego)
06 - Pedras
(Martinha - César Augusto)
07 - Vivo só pra te amar
(Piska)
08 - Vou procurar mudar (Don't Close Your Eves Tonight)
(R. Kerr - F. Misker - vs: César Augusto - Diego)
09 - Minha menina
(César Rossini - Gil Gerson)
10 - Amor especial
(Carlos César - Virginia Keer)
11 - Distante dos olhos (Lontano Dagli Occhi) - Part. Especial de Rouxinól & Sabiá
(S. Bardotti - S. Endrigo - vs: Nazareno de Brito)
12 - Volta pra mim
(Piska)
13 - Vai, vai pombinha
(Carlos Santorelli)
14 - A vida (C'Est Ma Vie)
(Salvatore Adamo - vs: Clayton)
15 - Daniela
(Miro Alves - Souza Santos)
16 - Lencinho branco
(Carlos Santorelli)
17 - Andarilho (Mississippi) - Part. Especial de Harmony Cats
(W. Theunissen - vs: Carlos Cezar)
18 - Abre a porta
(Geraldo Nunes - Antonio Queiroz)
19 - Uma lágrima (Una Lacrima)
(Bigazzi - Cini - vs: Sebastião F. da Silva)
20 - Oh! Mãe
(Cesar Augusto)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

The Jet Black's - Smile a little, smile for me (CS 1970)

 Este é o penúltimo disco gravado pelo The Jet Black's na Chantecler
Este raro compacto simples do grupo The Jet Black’s, enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço, é um dos últimos gravados pela banda na Chantecler. Depois deste disco, lançado em 1970, a banda gravou em 1971 um single com “Kyriê” e “Desacato”, canções do VI FIC, e já postadas aqui. Só retornou ao disco em 1982 com o LP da série Super Galla, produzido pela Som Livre. Este single se destaca pela faixa “Smile a little, smile for me”, sucesso do grupo The Flying Machine, gravado quando a banda era formada por Guilherme Dotta (Guitarra base), Mário Lúcio (Guitarra solo), Jurandi (Bateria), Florindo (Teclado) e Oscar (contrabaixo). Confira:

01 - Smile a Little Smile For Me
(Tony Macauley - Geoff Stephens)
02 - Olha
(Hamilton Di Giorgio)

COLABORAÇÃO: Geraldo


sábado, 27 de janeiro de 2018

Vários intérpretes - Globo Special Hits 2 (CD 1996)

Repertório apresenta sucessos internacionais desde os anos 1950 até os 1980
Este é um CD exclusivo da Editora Globo, produzido em 1996 como brinde aos leitores. Acredito que veio encartado em uma das revistas, ou, talvez, tenha sido usado como peça promocional para conquistar novos assinantes. O disco é uma coletânea de grandes sucessos internacionais, abrangendo desde os anos 1950 até os 1980. Na lista, intérpretes como Ray Charles, Little Richard, Shirley Bassey, Sarah Vaughan, B.J. Thomas e outros. Confira:

01 - Trini Lopez - America
(L. Bernstein - Sondheim)
02 - B.J. Thomas - Raindrops keep fallin' on my head
(Bacharad - David)
03 - The Heptones - Do you really want to hurt me
(Culture)
04 - KC & The Sunshine Band - Shake your booty (Shake shake shake)
(Casey - Finch)
05 - Bobby Goldboro - Honey
(B. Rossell)
06 - Dolly Parton - Release me
(Miller - Stevenson)
07 - Little Richard - Tutti Frutti
(De La Bostrie - Penniman)
08 - The Platters - Smoke gets in your eyes
(Harbach - Kern)
09 - Barry White - Just the way you are
(Billy Joel)
10 - Shirley Bassey - Goldfinger
(Bricusse - Barry)
11 - Ray Charles - Eleanor Rigby
(Lennon - McCartney)
12 - Dean Martin - Everybody loves somebody
(Taylor - Lane)
13 - Pat Boone - April Love
(Webster - Fain)
14 - Sarah Vaughan - September in the rain
(Dubin - Warren)


sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Rolando & Luiz Antonio - Meu coração é um pandeiro

Les Étoiles, dupla de brasileiros, fez  muito sucesso em países da Europa
 
Esqueça Pabllo Vittar, e ouça a verdadeira MPB que abalou Paris em 1976 pela dupla de cantores transformistas Les Étoiles, formada pelos brasileiros Rolando Faria e Luiz Antônio, em Barcelona, na Espanha, em 1974. Em 1976, lançou na França este primeiro LP, "Meu coração é um pandeiro", disco que montei a partir de uma das três versões do álbum, relançado com capas diferentes. O repertório é de bom gosto, e traz canções assinadas por um time de primeira: Chico Buarque, Milton Nascimento, Caetano Veloso, Joyce, Lecy Brandão e outros compositores. Gravou, no ano seguinte, o LP "Piratas do sentimento" e, em 1978, um compacto simples contendo as canções "Cassino" e "Maracujá".
Na década de 80, lançou os LPs "Les Étoiles live" (1980), "The best of" (1982), "Sina de ciganos" (1985) e "Les Étoiles au Forum" (1986), um compacto simples contendo as canções "Suba na baleia" e "Canção pra inglês ver" (1983), além de ter gravado participações nos discos de Gonzaguinha "De volta ao começo" (1980) e "Coisa mais maior de grande" (1981).

Ao longo de sua carreira, apresentou-se em diversos espaços culturais, incluindo Nova York e principais países da Europa. A dupla atuou até 2002, ano do falecimento de Luiz Antônio, em 21 de abril, em Paris. Rolando Faria, como artista solista, participou de várias gravações, como no disco "Aldir Blanc, 50 anos", e emprestou sua voz para gravações de trilhas de desenhos animados ("Fievel", de Steven Spielberg, e "Robinson e Cia", de Jacques Colombat), filmes de curta metragem ("Merci beaucoup Madame Iracema", de Georges Bourely) e documentários sobre a música popular brasileira ("Samba opus", volumes de 1 a 5, de Yves Billon). Com forte presença cênica, emoldurada por trajes femininos, a dupla canta muito bem, desfila plumas, paetês e abacaxis em faixas como “Chica Chica Boom Chic” e “Alô alô”, ambas do repertório da Carmen Miranda, e mostra talento em canções como “Sol negro”, “Você” e “Jeanne, La Française”. Confira:

01 - Chica-Chica-Boom-Chic
(Warren - Gordon - Oswaldo Santiago)
02 - Você
(R. Menescal - R. Boscoli)
03 - Viola-Violar
(Milton Nascimento - Márcio Borges)
04 - Coco Verde
(Teca Calazans - Ricardo Vilas)
05 - Estão Batendo
(Gadé - Valfrido Silva)
06 - Antes Que Eu Volte A Ser Nada
(Lecy Brandão)
07 - Sol Negro
(Caetano Veloso)
08 - Nacional Kid Ou Brasileiro
(Joyce)
09 - Jeanne, La Française
(Chico Buarque de Hollanda)
10 - Alô, Alô
(André Filho)



quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Feitiço da Lua - Forró da Jovem Guarda (CD 2005)

 CD traz grandes sucessos da Jovem Guarda em releituras para o forró
Uma dica pra quem gosta de forró é baixar e ouvir este CD do grupo Feitiço da Lua, lançado em 2005 pela gravadora CID. O disco traz os grandes sucessos das jovens tardes de domingo em releituras para o forró. “O calhambeque”, “Pare o casamento”, “Devolva-me”, “Alguém na multidão”, “Pega ladrão” , “Banho de lua” e tantas outras canções da Jovem Guarda estão entre as 16 faixas do CD, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço. Confira:

01 - Feche Os Olhos (All my loving)
     (Lennon - McCartney - vs: Renato Barros)
02 - Nossa Canção
     (Luiz Ayrão)
03 - Pega Ladrão
     (Getúlio Cortes)
04 - Diana
     (Paul Anka - vs: Fred Jorge)
05 - Pensando Nela (Bus stop)
     (Goldman - vs: Rossini Pinto)
06 - Eu Daria Minha Vida
     (Martinha)
07 - O Calhambeque (Road Hog
     (Gwen - John Loudermilk - vs: Erasmo Carlos)
08 - Ritmo Da Chuva (Rhythm of the rain)
     (John Gummoe - vs: Demétrius)
09 - Pot-pourri:
     Broto Legal (I'm in love)
     (H. Earnhart - vs: R. Corte Real)
     Estúpido Cupido (Stupid cupid
     (Neil Sedaka - Howard Greenfield - versão: Fred Jorge)
     Banho De Lua (Tintarella di luna)
     (P. de Fillippi - F. Migliacci - vs: Fred Jorge)
10 - És Meu Amor (It's For You)
     (Freddie Garrity - vs: Rossini Pinto)
11 - Pot-pourri:
     Prova De Fogo
     (Erasmo Carlos)
     Pare O Casamento (Stop the wedding)
(Resnick - Young - vs: Luiz Keller)
12 - Devolva-me
     (Lilian Knapp - Renato Barros)
13 - Esqueça (Forget him)
     (M. Anthony - vs: Roberto Corte Real)
14 - Porque Brigamos  (I Am... I Said)
     (Neil Diamond - vs: Rossini Pinto)
15 - Alguém Na Multidão
     (Rossini Pinto)
16 - Última Canção
     (Carlos Roberto)

COLABORAÇÃO: Laércio

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

The Insiders - Bug Eyes (LP 1967)

LP instrumental tem repertório formado por grandes sucessos internacionais 
Depois de ver inúmeros discos do blog em vídeos no Youtube, fiz o caminho inverso, sem muito pudor: ripei o LP do grupo The Insiders no canal do Valdi Santos, um colecionador que posta discos da Jovem Guarda no Youtube, e montei o disco para postagem, aproveitando fotos do álbum baixadas na rede. O vinil é totalmente instrumental, foi lançado em 1967 pela CBS/Sony, sem crédito aos músicos. Tudo indica que se trata de banda de estúdio, com a participação de músicos da casa, como Lafayette e Renato e seus Blue Caps, mas não ficarei surpreso se me informarem que é o grupo The Fevers sob pseudônimo. O segundo LP do grupo, produzido em 1970, está disponível para download no blog do Bugrim (aqui). Grandes sucessos internacionais da época estão no repertório, como “Happy together”, “Sunny”, “I´m a believer” e outras que farão a festa dos fãs de instrumentais. Confira:

01 - Happy together
(Gary Bonner - Alan Gordon)
02 - Bug eyes
(John Hill)
03 - Born free 
(Don Black - John Barry)
04 - Wonderful love
(Joe Levine)
05 - Reach out I´ll be there
(Holland - Dozier - Holland)
06 - I´m a believer
(Neil Diamond)
07 - The disadvantages of you
(M. Leigh)
08 - Sunny
(Bobby Hebb)
09 - See you in september
(Sid Wayne - Sherman Edwards)
10 - In case the wind should blow
(T.  Boyce - Bobby Hart)
11 - Spanish eyes
(Kaempfert - Singleton - Snyder)


FONTE: Áudio extraído do canal do Valdi Santos no Youtube


terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Gilson - Tempo Bom (LP 1991)

 Gilson inclui "Casinha branca" no álbum lançado pela gravadora RGE
Com “Casinha branca”, composta com Joran, seu principal parceiro de composições, Gilson ganhou visibilidade além da fronteira brasileira. A música integrou a trilha sonora da telenovela "Marrom Glacê", produzida pela Rede Globo em 1979. A canção chegou a ficar quase um ano nas paradas de sucesso, sendo uma das mais executadas pelas rádios de todo país, regravada no Brasil e no exterior, e vendeu mais de 500 mil cópias, recebendo o disco de ouro e platina. Em 1991, quando lançou este “Tempo bom” pela RGE, o cantor e compositor voltou a incluí-la no repertório, talvez por ser a mais requisitada pelos fãs. O disco, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, traz duas releituras de "Casinha Branca" como faixas bônus. Confira:

01 - Não dá pra te esquecer 
(Gilson – Joran)
02 - Defeitos e manias
(Gilson – Joran)
03 - Vem me dar o que é meu
(Sérgio Sá)
04 - Deserto
(Gilson – Joran)
05 - Tempo bom
(Nelson Rebel – Julio São Paulo)
06 - Diga não à solidão 
(Prêntice – Ed Wilson – Carlos Colla)
07 - Deixa eu te amar de novo
(Gilson – Joran)
08 - Casinha branca
(Gilson – Joran)
09 - Por cima das nuvens
(Sérgio Sá – Carlos Colla)
10 - Punhal
(Gilson – Joran)

BÔNUS

11 - Jim Capaldi - Old photographs (Casinha Branca) 
(Gilson – Joran – Marcello – Versão: Jim Capaldi)
12 - Jeanette - Casita blanca (Casinha Branca) 
(Gilson – Joran – Marcello – Adaptação Espanhol: Luis Gómez Escolar)


COLABORAÇÃO: Aderaldo



segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Lafayette presenta los exitos - vol. 4 (LP 1968)

 Quarto volume da série argentina foi produzido pela Harmony, selo da CBS
Lafayette presenta los êxitos”, série de álbuns do músico brasileiro produzida na Argentina, é um projeto local, inspirado na bem-sucedida série “Lafayette apresenta os sucessos”, lançada pela CBS/Sony. O repertório argentino é diferente do brasileiro, mas as gravações são as mesmas para ambos os países. Este quarto volume, provavelmente lançado no país vizinho entre 1968 e 1969, traz desde a execução de versões gravadas pela Wanderléa (“Atende-me” e “Tem de ser assim”) até o hit “Eu te amo, te amo, te amo”, da dupla Roberto e Erasmo Carlos, além da balanceada "A minha menina", do Jorge Ben. O disco vale pela curiosidade e - por considerar que as gravações são velhas conhecidas - só deve interessar aos colecionadores. Confira:

01 - I stand accused (Of l loving you)
(W. Levine)
02 - Soul limbo
(B. Jones - S. Cropper - D. Dunn - A. Jackson)
03 - Alguien canto (Was ich dir sagen will)
(J. Jürgens)
04 - La leyenda de Xanadu (The legend of Xanadu)
(Howard Blaikley)
05 - A minha menina
(Jorge Ben)
06 - Es agradable estar contigo (It's nice to be with you)
(Goldstein)
07 - Yo te amo, te amo, te amo
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
08 - Trotamundo (Giramundo)
(S. Leva - S. Bardotti - Scommegna - G.F.Reverberi)
09 - Porque yo te amo
(Sandro - Oscar Anderle)
10 - Nunca mi amor (Never my love)
(D. Addrisi - D. Addrisi - R. Addrisi)
11 - Todo cambio (Tudo mudou)
(Edson Ribeiro - Maury Camara)
12 - Demasiado tarde (It's too late)
(B. Goldsboro)


domingo, 21 de janeiro de 2018

Francisco Egydio - Foste minha um verão (EP 1969)

 Dois sucessos do saudoso Francisco Egydio estão no single da Continental
“Creio em ti” e “Foste minha um verão”, dois sucessos do Francisco Egydio, estão neste compacto duplo produzido em 1969 pela Continental. O EP foi enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço pela colaboração.  “Quero Guardar Na Lembrança” (Quiero Aprender de Memoria) e “Ela Me Esqueceu” (Ella... Ella Ya Me Olvido, Yo La Recuerdo Ahora) complementam o repertório. O cantor, nascido e falecido em São Paulo (17/01/1927 – 17/10/2007) , iniciou a carreira nos anos 1950 e também se notabilizou pela gravação de marchinhas de carnaval, entre elas “Simbora Nós Dois” e “Me Dá um Gelinho aí”.   Em sua extensa carreira gravou mais de 20 discos em 78 RPM, além de vários compactos e LPs pelas gravadoras Odeon, Chantecler e Continental. Confira este:

01 - Foste Minha Um Verão (Fuieste Mia Un Verano)
(Vico Berti - Leonardo Favio - vs: Cid Cesar)
02 - Quero Guardar Na Lembrança (Quiero Aprender de Memoria)
(Leonardo FAVIO _ VS: Gióia Jr.)
03 - Creio Em Ti (I Believe)
(E. Drake - I. Graham - A. J. Shirl - Stillman - vs: O. Santiago)
04 - Ela Me Esqueceu (Ella... Ella Ya Me Olvido, Yo La Recuerdo Ahora)
(Leonardo Favio - vs: Sebastião F. Silva)


COLABORAÇÃO: Geraldo


sábado, 20 de janeiro de 2018

Poly e sua guitarra hawaiana - Tangos - Volume 2

 Segundo volume da série de tangos foi relançado em 1975 pela Alvorada
Ao saber pelo blog que o internauta Lennon Quoos está à procura da série de tangos gravada pelo Poly, o amigo José Antonio, a quem agradeço, me enviou este disco para atender ao pedido. Trata-se do segundo volume, gravado originalmente em 1971, e relançado em 1975 pela Alvorada, selo da gravadora Chantecler. O primeiro, “Tangos em stereo”, lançado em 1969, está postado aqui. Ainda falta o terceiro, de 1972,  também produzido pela Chantecler. Com sua guitarra hawaiana, Poly executa neste LP canções como “El choclo”, “A media luz”, “Donde estas corazon”, “Uno” e outras. Confira:

01 - El Choclo  
(Villoldo - Discépolo - Marambaio Catan)
02 - Triesteza Marina  
(H. Sanguinette - R. Flores - José Dames)
03 - Madreselva  
(Amadori - Canaro)
04 - A Media Luz  
(Donato)
05 - Percal  
(Expósito - Federico)
06 - Donde Estás, Corazón  
(L. Martinez Serrano - A. Berto)
07 - Portero, Suba Y Diga  
(Eduardo De Labar Hijo - Luiz C. Amadori)
08 - Por Una Cabeça  
(Le Pera - Carlos Gardel)
09 - Cristal  
(Marianito Mores - J. M. Contursi)
10 - Esta Noche Me Emborracho  
(E. S. Discépolo)
11 - Quiero Verte Una Vez Más  
(J. M. Contursi - M. Canaro)
12 - Uno  
(E. S. Discépolo - M. Mores)

COLABORAÇÃO: José Antonio


sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Vários artistas - Interpretando Getúlio Côrtes (LP 1976)

 Principais bandas e artistas da Jovem Guarda gravaram suas composições
Este álbum, lançado em 1976 pela CBS (Sony), reúne 12 músicas de autoria do Getúlio Côrtes, um bem-sucedido compositor da Jovem Guarda. Nascido no Rio de Janeiro, em 22 de março de 1938, o cantor e compositor, irmão do Gerson King Combo, pode se dar ao luxo de dizer que os principais artistas do movimento gravaram suas canções, desde o trio formado por Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa, até astros como Bobby Di Carlo, Golden Boys e The Fevers, entre outros de uma infinita lista. Getúlio começou a carreira em 1962 num conjunto de rock, os Wonderful Boys, tocando sucessos do rock americano, mas a banda não prosperou. Conheceu Ed Wilson, que na época integrava o grupo Renato e Seus Blue Caps, e trabalhou como contraregra do conjunto, o primeiro a gravar o clássico "Negro gato", ainda com Erasmo Carlos entre os integrantes. Quando a banda foi contratada pela CBS, Getúlio teve acesso aos artistas do cast, formado pelas principais estrelas do então iê-iê-iê, e a maioria gravou suas canções, como mostra este álbum. Confira:

01 - Roberto Carlos - Quase fui lhe procurar
02 - Leno e Lilian - Esqueça e perdoe
03 - Renato e seus Blue Caps -  Disse me disse
04 - Odair José - Pra ninguém botar defeito
05 - Jerry Adriani - Preciso de você agora
06 - Reginaldo Rossi - Cada um dá o que tem
07 - Tony e Frankye - Patati patatá
08 - Roberto Carlos - Uma palavra amiga
09 - José Roberto - Ninguém verá você sem mim
10 - Wanderléa  - Nunca mais vou repetir que te amo
11 - Roberto Carlos - Pega ladrão
12 - Renato e seus Blue Caps - 46-77-23

Todas as músicas são de autoria de Getúlio Côrtes


quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Wilma Bentivegna - Hino ao Amor (CD 2005)

 Disco produzido pela Revivendo resgata 18 canções do repertório da cantora
Com seu maior sucesso, “Hino ao amor”, que também dá título ao CD, Wilma Bentivegna marca presença no blog, graças ao amigo Aderaldo, a quem sou grato pela colaboração. O disco é uma coletânea produzida em 2005 pela Revivendo, que resgata 18 canções do seu repertório, incluindo “Marcelinho pão e vinho”, uma versão da música do filme de mesmo nome, que foi a sua estreia no disco em 1957. A cantora foi revelada aos nove anos no programa infantil “Clube do Papai Noel”, e fez novelas de rádio, integrando também o elenco da TV de Vanguarda e posteriormente o Canal 5 (atual Globo). Segundo informação no encarte, Wilma gravou seu primeiro LP “Canção do amor que eu lhe dou” na Odeon, seguido por “As mais belas canções de amor” pela Continental, e “Preciso aprender a ser só’ na Philips, além de vários compactos. Confira:

01 - Hino ao Amor (Hymne a l'Amour)
(Edith Piaf - Margueritte Monnot - vs: Odayr Marzano)
02 - Minha Devoção (Devotion)
(Otto Cesana - vs: Odayr Marzano)
03 - Só Tristeza
(Odayr Marzano - Paulo Rogério)
04 - Pollyana
(N. Schiltze - vs: Ribeiro Filho)
05 - Ama-Me, Amor (Amami Se Voui)
(M. Panzeri - V. Mascheroni - vs: Waldyr Cardoso)
06 - És Meu Amor (My Love for You)
(Sid Wayne - Abner Silver - vs: Teixeira Filho)
07 - Canção de Um Triste
(Paulo Rogério - Odayr Marzano)
08 - Sonata de Esquecer Saudade
(Geraldo Cunha - Pery Ribeiro)
09 - Vontade de Enlouquecer
(Guerra Peixe - Odayr Marzano)
10 - Minha Tristeza E O Mar
(Fred Jorge - Michel Bonário)
11 - Graças a Deus Você Voltou
(Tito Madi)
12 - As Folhas Verdes de Verão
(Dimitri Tiomkin - Paul Francis Webster - vs: Paulo Rogério)
13 - Canção Do Amor Que Eu Lhe Dou
(Lourival Faissal)
14 - Rififi
(M. Philippe-Gerard - Jaques Larue - vs: Haroldo Barbosa)
15 - Eu, A Tristeza E Você
(Sebastião Silva)
16 - Preciso de Alguém
(Paulo Rogério)
17 - Noite de Amor
(Tchaikovsky - adapt. Fred Jorge)
18 - Marcelino Pão E Vinho
(Pablo Sorozobal - vs: Ribeiro Filho)


COLABORAÇÃO: Aderaldo


quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Moacyr Franco - Querida (LP 1968)

 Querida, um dos grandes sucessos do cantor em 1968, é uma versão de "Honey"
Eis aqui mais um belo álbum do Moacyr Franco, lançado em 1968 pela Copacabana, e enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração. “Querida” é a faixa que abre e dá título ao LP, e certamente foi o carro-chefe do disco, pois foi um dos grandes sucessos do cantor e compositor na época. A música, também gravada pelo Roberto Barreiros, é uma versão de “Honey”, hit do Bobby Goldsboro, e foi a canção que inspirou Roberto Carlos e Erasmo Carlos na criação de “Sentado à beira do caminho”, segundo revelou o Tremendão numa entrevista. O disco, relançado em 1991 pela Beverly, traz canções como “Tenho”, “O que eu seria”, “Tudo que vejo é você” e outras. Confira:

01 - Querida (Honey)
(B. Russel - vs: Fred Jorge)
02 - Minha Solidão (Theme From The Apartament)
(Charles Williams - vs: Fred Jorge)
03 - O Que Eu Seria (What Would I Be)
(Jackie Tront - vs: Nazareno de Brito)
04 - Tempo de Sonhar
(Moacyr Franco - Rogério Cardoso)
05 - Tenho (Tengo Para Darte)
(A. Manzanero - vs: Nazareno de Brito)
06 - Manhã de Chorar
(Ted Moreno - Moacyr Franco)
07 - Tudo Que Vejo É Você (All I See Is You)
(Olive Westlake - Ben Weisman - vs: Nazareno de Brito)
08 - Pequena Canção Para Chegar
(Sérgio Bittencourt)
09 - Pequeno Mundo Que Acabou (Little Green Apples)
(B. Russell - vs: Fred Jorge)
10 - Única
(Moacyr Franco - Jean Miranda)
11 - Eu, Por Amor (Io, Per Amore)
(Pino Donaggio - Vito Pallavicini - vs: Nazareno de Brito)
12 - Outono da Minha Vida (Autumn Of My Life)
(Bobby Goldsboro - vs: Fred Jorge)

COLABORAÇÃO: Laércio


segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Marcos Roberto - Amor, amor, amor (LP 1973)

 Faixa que dá título ao LP em espanhol também fez muito sucesso no Brasil
O sucesso do saudoso Marcos Roberto, cantor e compositor, atravessou as fronteiras do Brasil, e seu êxito em países latinos pode ser comprovado pelos inúmeros discos gravados em espanhol. Um dos exemplos é este “Amor, amor, amor”, álbum de 1973 enviado pelo amigo Miguel, a quem agradeço pela colaboração. O álbum se destaca pela faixa que dá título ao disco, grande sucesso também no Brasil. Confira:

01 - Amor, Amor, Amor
02 - La Tarde En Que Te Ame
03 - Si Yo Te Pudiera Encontrar
04 - Muchacha Que No Ama
05 - Que Sea por Ti
06 - Vida (La Tristeza de Tu Adios)
07 - La Recompensa
08 - El Solitario
09 - Quien Ama Nunca Olvida
10 - Tu Que Eres Tan Triste Como Yo


COLABORAÇÃO: Miguel


domingo, 14 de janeiro de 2018

Herman's Hermits - There's a kind of hush (CS 1967)

 Postagem inclui as duas gravações remasterizadas em stereo como bônus
Depois de postar "Só eu e você", versão gravada pelo Carlos Gonzaga da música “There's a kind of hush”, achei interessante apresentar o single norte-americano de 45 RPM da gravação original, interpretada pelo grupo Herman’s Hermits. O interessante do single está no fato de que o lado B, “No milk today”, foi outro grande sucesso do grupo no Brasil. Ambas as gravações, originalmente lançadas em mono, são fáceis de encontrar, pois foram incluídas em várias coletâneas ao longo dos anos. Para diferenciar a postagem, adicionei ambas as gravações relançadas em stéreo como faixas bônus. A curiosidade é “No milk today”, uma versão estendida, com novo arranjo no final da canção. Confira:

01 - There's A Kind Of Hush (Mono)
(Les Reed - Geoff Stephens)
02 - No Milk Today (Mono)
(G. Gouldman)

BÔNUS

03 - There's A Kind Of Hush (Stereo)
(Les Reed - Geoff Stephens)
04 - No Milk Today (Versão estendida - Stereo)
(G. Gouldman)



Carlos Gonzaga - Só eu e você (CS 1967)

 Destaque é o lado B, "Pobre menino",  não incluída em álbuns do cantor 
“Só eu e você”, uma versão da Lilian Knapp para “There's A Kind Of Hush”, hit do grupo Herman’s Hermits, foi um dos grandes sucessos do Carlos Gonzaga em 1967. As duas gravações, tanto a original quanto a versão, foram muito executadas pelas emissoras de rádio no período. O compacto simples do Carlos Gonzaga, um dos pioneiros do rock brasileiro, foi produzido pela RCA, e enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço. O destaque do disco é o lado B, "Pobre menino", música do Hélio Justo e Erly Muniz, uma rara gravação não incluída em LPs, e que interessa aos colecionadores. Confira:

01 - Só Eu e Você (There's a kind of hush)
(Les Reed - Geoff Stephens - vs: Lilian Knapp)
02 - Pobre Menino
(Hélio Justo - Erly Muniz)


COLABORAÇÃO: Geraldo


sábado, 13 de janeiro de 2018

Osny Silva - En la frontera de Mexico (LP 1961)

 Osny Silva aposta no cancioneiro mexicano em álbum produzido pela Odeon
Uma boa indicação para quem gosta do cancioneiro mexicano é este álbum do Osny Silva, lançado em 1961 pela Odeon, e enviado para postagem pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço. O título “En la frontera de Mexico” e a foto do cantor na capa, com chapéu na cabeça, não deixam dúvidas sobre o conteúdo. O cantor, acompanhado por Pepe Avila e sua orquestra, interpreta em espanhol canções como “Fallaste corazon” (cuja versão, “Falhaste coração”, fez muito sucesso no Brasil com a Angela Maria), " Las mañanitas", Pa' que sientas lo que siento”, “Penas del alma” e até “El borracho”, de autoria do maestro Pepe, entre outras, mostrando que, não por acaso, recebeu em 1953 o prêmio Roquette Pinto como melhor cantor. Confira:

01 - En la frontera de Mexico
(J. Kennedy - M. Carr)
02 - La Zandunga
(Guilherme Posadas)
03 - Maldito abismo
(José Alfredo Jiménez)
04 - Ella
(José Alfredo Jiménez)
05 - Penas del alma
(F. V. Leal)
06 - A los 4 vientos
(Tomás Mendez)
07 - Hace un año
(Felipe Valdés Leal)
08 - Fallaste corazon
(Cuco Sanchez)
09 - Las mañanitas
(Tradicional)
10 - Pa' que sientas lo que siento
(Marcelo Salazar)
11 - Alma de acero
(José Alfredo Jiménez)
12 - El borracho
(Pepe Avila)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Vários intérpretes - 14 Maiorais - Volume 6 (LP 1965)

 Repertório inclui intérpretes como Luiz Vieira, Silvana e Moacyr Franco  
Hoje é dia de os colecionadores da série “14 Maiorais”, projeto da gravadora Copacabana, festejarem a oportunidade de adicionar mais um número no acervo. Agora é a vez de apresentar o raro sexto volume, graças à colaboração do amigo Wertevam, a quem agradeço, por enviá-lo para postagem. Agora só faltam os volumes 2 e 7 pra completar nossa coleção, formada por 22 álbuns, lembrando que o número 14 está disponível para download no blog La Playa Music, do nosso amigo Hedson. Este exemplar foi lançado em 1965, e se destaca pelas versões de dois grandes sucessos do cancioneiro italiano: “Poema de ternura” (Non ho l'eta per amarti), interpretada pelo Moacyr Franco, e “Voltarei de joelhos”, (In Ginicchio da te), na voz do Jorge Goulart. Os principais hits do disco são “Preste atenção” , gravada também pela Giane, na interpretação do Wanderley Cardoso, e “Diz que fui por aí”, com a divina Elizeth Cardoso. Confira:

01 - Moacyr Franco - Poema de ternura (Non ho l'eta per amarti)
(Nisa Panzeri - vs: Paulo Rogério)
02 - Agnaldo Rayol - Somos iguais
(Evaldo Gouveia - Jair Amorim)
03 - Jorge Goulart - Voltarei de joelhos (In Ginicchio da te)
(Zambrini - Migliacci - vs: Ronnie Cord)
04 - Carminha Mascarenhas - Rancho da Praça Onze
(João Roberto Kelly - Francisco Anísio)
05 - Rinaldo Calheiros - Sonhemos (Sonemos)
Participação especial de Enzo de Almeida Passos
(Roberto Calo - Reinaldo Yiso - vs: Oswaldo Ramil)
06 - Luiz Vieira - Cativo
(Luiz Vieira)
07 - Silvana e Marco Aurélio - Lencinho querido (El panuelito)
(J.D. Felisberto - Penaleza - vs: Maugeri Neto)
08 - Wanderley Cardoso - Preste atenção (Fais attention)
(Jean Loup Chauby - Bob du Pac - vs: Paulo Queiroz)
09 - Moacyr Franco - O bom Miguel (Michael)
(Dave Fisher - vs: Almeida Rego)
10 - Os Copa Vips - Na onda do beribau
(Osvaldo Nunes)
11 - Oliveira e seus Black Boys - My Boy Lollipop
(Morris Levy - Johnny Roberts)
12 - Gilberto Alves - O Rio é mais Rio
(Paulo Rogério)
13 - Ventura Ramirez - Fúria
(Genival Melo - Juracy Lucena)
14 - Elizeth Cardoso -  Diz que fui por aí
(Zé Keti - H. Rocha)

COLABORAÇÃO: Wertevam


quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Roberto Carlos - Jovem Guarda - Versões alternativas

 Compilação apresenta 14 músicas que receberam mixagens diferenciadas
Recebi do amigo Bruno, a quem agradeço, várias músicas da Jovem Guarda que receberam novas e diferentes mixagens ao longo dos anos. A maioria é basicamente os mesmos takes, mas muitas das gravações originais receberam novos instrumentos, tiveram efeitos sonoros que foram suprimidos ou possuem cortes diferentes no início ou no final de uma versão para outra. O material enviado pelo Bruno, suficiente para três coletâneas, inclui cantores, cantoras e grupos, e se destaca pelo volume de gravações feitas pelo Roberto Carlos, daí a decisão de montar uma compilação exclusiva do artista. O repertório inclui desde “Linda”, do primeiro LP, que tem a versão em estéreo produzida em Portugal, até “Meu pequeno Cachoeiro”, apenas com voz e violação, lançada num compacto duplo, e que o cantor voltou a regravar em 2005. Confira:

01 - Linda (Versão LP 'Louco por Você' Mono)
02 - Linda (Versão LP 'Selecções Reader's Digest', Stereo, de Portugal)
03 - Os Sete Cabeludos (Versão LP 'Canta Para A Juventude' Mono)
04 - Os Sete Cabeludos (Versão LP 'Canta Para A Juventude' Stereo)
05 - Um Leão Está Solto nas Ruas (Versão LP 'É Proibido Fumar' Mono)
06 - Um Leão Está Solto nas Ruas (Versão LP 'É Proibido Fumar' Stereo)
07 - Na Lua Não Há (Versão LP 'Roberto Carlos')
08 - Na Lua Não Há (Versão EP 'Roberto Carlos De Hoje e De Ontem')
09 - O Calhambeque (Versão LP 'É Proibido Fumar' Mono)
10 - O Calhambeque (Versão LP 'É Proibido Fumar' Stereo)
11 - Parei Na Contramão (Versão LP Portugal)
12 - Parei Na Contramão (Versão LP 'Roberto Carlos')
13 - Rosita (Versão LP 'Canta Para A Juventude' Mono)
14 - Rosita (Versão LP 'Canta Para A Juventude' Stereo)
15 - Splish Splash (Versão LP Portugal)
16 - Splish Splash (Versão LP 'Roberto Carlos')
17 - Esperando Você (Versão LP 'Roberto Carlos' Mono)
18 - Esperando Você (Versão LP 'Roberto Carlos' Stereo)
19 - Eu Amo Demais (Versão Single)
20 - Eu Amo Demais (Versão Box 'Pra Sempre Anos 60')
21 - Por Isso Corro Demais (Versão LP 'Em Ritmo De Aventura' Stereo)
22 - Por Isso Corro Demais (Versão LP 'Em Ritmo De Aventura' Mono)
23 - Eu Daria a Minha Vida (Versão Single Mono)
24 - Eu Daria A Minha Vida (Versão CD 'Antologia - Todos 
los grandes exitos de Roberto Carlos' Stereo)
25 - Fiquei Tão Triste (Versão Single Mono)
26 - Fiquei Tão Triste (Versão EP Stereo)
27 - Meu Pequeno Cachoeiro (Versão LP 'Roberto Carlos)
28 - Meu Pequeno Cachoeiro (Versão EP)


COLABORAÇÃO: Bruno


quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Brazilian Singers - Coletânea Especial (2018)

 Trio Esperança e Golden Boys, sob pseudônimo, cantam sambas famosos
Se você gosta de samba e da boa MPB, com certeza vai apreciar esta compilação especial com canções interpretadas pelo Brazilian Singers. Apesar do nome inglês, o grupo nada mais é do que o Trio Esperança e os Golden Boys, todos da família Corrêa, sob pseudônimo. O repertório, com gravações realizadas na primeira metade dos anos 1970, inclui releituras de grandes sucessos da época. Sambas como “Esperanças perdidas” (hit dos Originais do Samba), “Segure tudo” (Martinho da Vila), “Camisa 10” (Luiz Américo), “Porta aberta” (Luiz Ayrão) e “Ê baiana” (Clara Nunes), entre outros, estão nesta coletânea, suficiente pra mostrar que os cantores estão muito além das canções da Jovem Guarda que os consagraram. Confira:

01 - Rita Jeep
02 - Esperanças perdidas
03 - Segure tudo
04 - Ê baiana
05 - Um frevo novo
06 - Ta hi  - Alô alô
07 - Ninguém tasca (O gavião)
08 - Ilu aye
09 - Alô! alô! Taí Carmen Miranda
10 - Tem capoeira
11 - O importante é ser fevereiro
12 - Eu quero é botar meu bloco na rua
13 - Camisa 10
14 - Porta aberta
15 - Requenguela
16 - O mundo melhor de Pixinguinha (Pizindin)
17 - Boi da cara preta
18 - Do jeito que o rei mandou
19 - Balança povo
20 - Guardei minha viola



terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Ira! - Mudança de Comportamento (LP 1985)

 Primeiro álbum do grupo paulista Ira! foi produzido pela gravadora WEA
Mudança de Comportamento é o primeiro álbum, lançado pela WEA em 1985, do grupo Ira!, banda de rock paulista liderada pelo guitarrista Edgard Scandurra. O disco, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, foi gravado em apenas nove dias no estúdio Nas Nuvens, no Rio de Janeiro, em março de 1985. Formada em 1981, bastante influenciada pelo rock e suas vertentes, a banda apareceu como uma das maiores representantes do rock que se fazia em São Paulo nos anos 1980 e rapidamente conquistou o Brasil. Antes do LP, a banda havia gravado o EP homônimo, e sem o ponto de exclamação na grafia do seu nome. A formação, neste primeiro álbum, também mudou. Além de Nasi (voz) e Edgard Scandurra (guitarra), passou a contar com o baterista André Jung e do baixista Gaspa. A formação permaneceria imutável pelos 22 anos seguintes, consistindo numa das mais duradoras de um grupo do rock brasileiro. O disco, com 11 faixas, traz os sucessos “Núcleo Base”, “Tolices”, “Longe de Tudo” e a faixa-título, “Mudança de Comportamento”. Confira:

01 - Longe De Tudo
(Edgard Scandurra)
02 - Núcleo Base
(Edgard Scandurra)
03 - Mudança De Comportamento
(Edgard Scandurra)
04 - Tolices
(Edgard Scandurra)
05 - Coração
(Edgard Scandurra)
06 - Saída
(Edgard Scandurra)
07 - Ninguém Precisa Da Guerra
(Edgard Scandurra)
08 - Por Trás De Um Sorriso
(Gasparini)
09 - Como Os Ponteiros De Um Relógio
(Edgard Scandurra)
10 - Sonhar Com Quê?
((Edgard Scandurra - Valadão)
11 - Ninguém Entende Um Mod!
(Edgard Scandurra)

COLABORAÇÃO: Laércio


domingo, 7 de janeiro de 2018

France Gall - Poupée de cire, poupée de son (LP 1965)

France Gall iniciou a carreira profissional quando era menor de idade
A França amanheceu em luto nesta manhã com a notícia da morte da cantora France Gall, uma das principais vozes femininas do iê-iê-iê francês dos anos 1960. A morte, aos 70, foi provocada pela recidiva de um cancro que enfrentava há dois anos, e acontece um mês após o falecimento de Johnny Hallyday, outro ícone do pop rock francês. Nascida Isabelle Geneviève Marie Anne em 9 de Outubro de 1947, na capital francesa, a artista cresceu numa família de músicos, daí o seu interesse e vocação ao canto. O pai, o letrista Robert Gall, escreveu canções para astros como Edith Piaf e Charles Aznavour; e o avô materno, Paul Berthier, foi co-fundador do grupo Les Petits Chanteurs à la Croix de Bois.

Sua estreia no disco foi com o single “Ne sois pas si bête", no exato dia em que fez 16 anos. Serge Gainsbourg - autor do clássico "Je T'Aime Moi Non Plus" - seria chamado a compor o segundo, "N’écoute pas les idoles", que durante três semanas liderou a tabela de vendas na França. Juntos tiveram outros sucessos, como “Laisse tomber les filles”, em 1964, e “Poupée de cire, poupée de son”, vencedora do Festival da Eurovisão, representando o Luxemburgo, e que teve a versão “Boneca de cera, boneca de pano” gravada no Brasil pela Wanderléa. A seguir, gravou “Sucettes”, canção libidinosa sobre chupa-chupas de anis, cujo duplo sentido sexual a cantora, então com 18 anos, só perceberia muito mais tarde. "Nunca a teria gravado se me tivessem explicado o seu verdadeiro sentido”, disse numa entrevista.

A sua carreira esmoreceu no final da década de 60, após uma série de lançamentos menos bem-sucedidos. A retomada aconteceu após o encontro em 1973 com o cantor Michel Berger, com quem casou três anos depois. O casal manteve produtiva relação musical que atingiu o apogeu em 1979 com a ópera-rock “Starmania”. Com o sucesso, obteve outros êxitos musicais, como “Il jouait du piano debout” (1980), “Résiste” (1981) e “Ella, elle l'a” (1987) em homenagem a Ella Fitzgerald. Até a morte de Berger, em 1992, de ataque cardíaco, Gall não cantou canções de mais ninguém. Um ano depois, era-lhe diagnosticado cancro da mama, e cinco anos depois, em 1997, perdia também uma filha, vítima de fibrose cística. Desde então, a cantora mantinha-se afastada dos palcos (mas próxima das causas humanitárias, a que se dedicava desde a década de 80, sobretudo na África). "France", oitavo e último álbum de estúdio (na capa acima), sem contar as inúmeras coletâneas, foi  lançado em 1996. Em sua homenagem, segue este LP, provavelmente o primeiro, em sua edição peruana, que traz o hit “Poupée de cire, poupée de son” . Confira: 

01 - Poupée de cire poupée de son
(Serge Gainsbourg)
02 - Dis a ton capitaine
(G. Magenta - M. Teze)
03 - Sacre charlemagne
(G. Liferman - R. Gall)
04 - Un prince charmant
(J. Dalin - M. Vidalin)
05 - Attends ou va-ten
(Serge Gainsbourg)
06 - Mon bateau de nuit
(A. Goraguer - P. Delanoë)
07 - Mes premieres vraies vacances
(J. Datin - M. Vidalin)
08 - Jazz a gogo
(A. Goraguer - R. Gall)
09 - Ca va je-t'aime (Hip Huggers)
(E. Lewis - R. Moseley - A. Salvet - Cl. Carrére)
10 - Ne sois pas si bete
(J. Wolf - B. Bower - P. Delanoë)
11 - Et des baisers
(A. Goraguer - R. Gall)
12 - Deux oiseaux
(A. Popp - R. Gall)