Pesquisar este blog

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Anísio Silva - Não me diga adeus (EP 1958)

 Compacto duplo produzido em Portugal traz o hit "Sonhando contigo"
Anísio Silva, cantor e compositor que iniciou a carreira em 1952, no Rio de Janeiro, e hoje é praticamente esquecido dos meios de comunicação, comparece no blog com este compacto duplo de 45 RPM, lançado em Portugal pela Parlophone/Odeon. O EP, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, traz a música “Sonhando contigo”, seu primeiro grande sucesso em 1957 e que deu título ao primeiro LP, lançado em 1958 pela Odeon. O disco não informa o ano do lançamento no mercado português, mas acredito que seja de 1958.

O cantor nasceu a 29 de julho de 1920 numa fazenda, hoje pertencente ao município baiano de Rio do Antônio, na época território da cidade de Caculé. O seu maior sucesso veio com o lançamento do disco "Alguém Me Disse" (na foto ao lado) em 1960, quando vendeu mais de dois milhões de cópias, tornando-se o primeiro cantor do Brasil a ganhar o disco de ouro. A partir daí, gravou outros álbuns, como “O romântico” (1962), "Só penso em ti" e "Canção do amor que virá" (ambos em 1963), e “Estou chorando por ti” (1964). Ficou afastado da vida artística por um período de três anos, e lançou os álbuns “Retorno" (1967) e "Lembrança de você" (1968) , afastando-se novamente para dirigir uma casa noturna de sua propriedade no Rio de Janeiro. Voltou esporadicamente à carreira artística, e faleceu em 18 de fevereiro de 1989, vítima de infarto, no Rio de Janeiro. Confira:

01 - Abismo
(Anísio Silva)
02 - Não Me Diga Adeus
(Anísio Silva - Fausto Guimarães)
03 - Sonhando Contigo
(Anísio Silva - Fausto Guimarães)
04 - Sempre Comigo
(Anísio Silva - Willian Duba)

COLABORAÇÃO: Laércio



4 comentários:


  1. http://www56.zippyshare.com/v/a6U4wgBc/file.html

    ResponderExcluir
  2. Que oportuna postagem! Anísio Silva, talvez tenha sido o cantor de boleros mais suave que se conhece, já que os cantores profissionais de bolero - tais como os de tango - sempre se utilizaram de interpretações dramáticas e meio "teatrais". A. S., antes de seu período na Odeon, pertenceu a outras gravadoras como a Santa Anita e a Repertório que lançou o seu 1º. sucesso nacional (o 78 rpm "Foi Tudo Ilusão", 1956) e que "meio mundo" (Orlando Silva, Alcides Gerardi, entre outros), após ele, à época, também gravou e que o levou, por fim, a ser contratado por um grande selo (Odeon), em 1957. Teve lançados, entre 1958 e 1975, se não omito algum, 13 LP's de carreira, 1 LP-coletânea e vários Compactos Duplos e Simples lançados, em 45 rpm e em 33 rpm e vários 78 rpm. Consta que, em fins de 1962, com sua carreira de sucesso já sem o "punch" inicial e necessitando de um novo sucesso para realavancá-la, ter-lhe-ia sido prometido um "hit" certo da lavra de Jair Amorim & Evaldo Gouveia. Mas, à última hora, essa canção ("Tudo de Mim") teria sido "desviada" para uma revelação que chegava ao cenário: um novato recém-contratado pelo mesmo selo: Altemar Dutra. Tendo sido um estrondoso sucesso, A. D. passou a ser a nova "menina dos olhos" da Odeon no segmento romântico. Os fãs de Anísio Silva, certamente, estão muito contentes com essa postagem e os que não o conheciam estão tendo a oportunidade de ouvir um cantor de boleros "classudo" e comedido de muito sucesso no rádio e TV na segunda metade dos anos 50 e início dos 60. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo,

      Mais uma vez, o amigo privilegia o blog com comentário valioso, rico em conteúdo, e que certamente acrescenta informações aos interessados na biografia do Anísio Silva. Eu, confesso, pouco sabia sobre o artista, e tive que pesquisar na rede para apresentar a breve sinopse acima. Muito obrigado. Abraços

      Excluir
    2. Amigo Chico: eu, sim, que agradeço, humildemente, a sua recepção a esse singelo comentário sobre o Anísio Silva, esse cantor que, embora classificado como cantor de boleros, gravou também sambas (como na postagem atual), guarânias, rasqueados e até samba-bossa nova. A propósito, quando os "puristas" da música brasileira, à época, criticavam a onda de boleros e seus intérpretes que assolavam o nosso cenário musical, o seu colega de gravadora, o moderno e monossilábico João Gilberto retrucava: "o Anísio é diferente"... Um abraço.

      Excluir