Pesquisar este blog

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Golden Boys - Na linha de frente (LP 1968)

 Quinto álbum do grupo vocal ainda apresenta repertório da Jovem Guarda
Este LP, “Na linha de frente”, gravado pelos Golden Boys na Odeon em 1968, atende ao pedido do internauta Willians, sempre presente no blog. O álbum praticamente marca a despedida do grupo com o repertório da Jovem Guarda, período em que colecionou seus principais hits. A mudança ocorreu a partir de sua participação, nesse mesmo ano, do III Festival Internacional da Canção (FIC), acompanhando Beth Carvalho no hoje clássico “Andança”. O grupo vocal deu uma guinada em seu repertório, com canções mais arrojadas, da MPB ao samba rock, sem muitas versões. O álbum se destaca pela faixa “Quero lhe dizer cantando”, sucesso na interpretação do Agnaldo Rayol, e também pelas releituras de “Smoke Gets In Your Eyes” (em inglês), “Fatalitá” (em italiano), e “Amor” e “La barca” (em espanhol), incluídas no pot-pourri que também inclui “Hello Goodbye”, dos Beatles. Confira:

01 - Tudo Por Um Beijo (Just a kiss)
(Harold Stott - vs: Rossini Pinto)
02 - Canção De Esperar
(Renato Corrêa - Rossini Pinto)
03 - Vivo Esperando
(Ronaldo Corrêa - Roberto Corrêa)
04 - Quero Lhe Dizer Cantando
(Renato Corrêa - Reinaldo Rayol)
05 - Pot-pourri:
Amor
(Gabriel Ruiz - Ricardo López Mendez)
La Barca
(Roberto Cantoral)
Não Posso Tirar Meus Olhos de Você (Can't take my eyes of you)
(Bob Crewe - Bob Gaudio - vs: Moacyr Calheiros)
Hello Goodbye
(Lennon - McCartney)
06 - Minha Opinião Sobre Você
(Rossini Pinto)
07 - Agora É Tarde
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
08 - Smoke Gets In Your Eyes
(Kern - Harbach)
09 - Que Fazer Se Eu Lhe Quero Tanto (Can I get to know you better)
(P.F.Sloan - Steve Barrl - vs: Rossini Pinto)
10 - Você Foi Feita Para Mim (Yellow Balloon)
(Gary Zekley - Dick St. John - Jay Lee - vs: João Ronaldo)
11 - Fatalitá
(Bardotti - Pintucci)


segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Beat Boys - Canção que ninguém mais cantou (1968)

 Banda ganhou notoriedade ao acompanhar Caetano Veloso em "Alegria, alegria" 
Este é o primeiro e único álbum do Beat Boys, lançado em 1968 pela RCA Victor, e enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço pela colaboração. A banda, surgida em São Paulo em meados dos anos 1960, ganhou notoriedade ao participar, tanto na apresentação quanto na gravação, da música “Alegria, alegria”, de Caetano Veloso, no "III Festival de Música Popular Brasileira", da TV Record, em 1967. Era formada pelos músicos argentinos Tony Osanah (guitarra e voz), Cacho Valdez (guitarra), Toyo (órgão), Willie Verdager (baixo) e Marcelo Frias (bateria). Após a gravação deste álbum, os integrantes da banda se dispersaram e partiram para outros projetos, como os grupos Music Machine e Raíces de América, sendo que Marcelo Frias e Willy Verdager colaboraram para o primeiro álbum dos Secos & Molhados em 1973. Um dos destaques deste LP é a faixa “Canção Que Ninguém Mais Cantou”, uma versão de “Your mother should know”, dos Beatles. Confira:

01 - A Felicidade (La felicidad)
(Palito Ortega - vs: Beat Boys)
02 - A Time For Remembrance
(Cowsill - Cowsill)
03 - O Meu Tamburin (Green Tambourine)
(S. Pins - P. Leka - vs: W. Verdaguer - Marcelo)
04 - Era Uma Menina
(Willy)
05 - Abre Sou Eu (Abre, soy yo)
(Billy Bond - vs: Beat Boys)
06 - Abrigo De  Palavras Em Caixas De Céu
(Daniel - Willy)
07 - Wake Me, Shake Me
(Al Kooper)
08 - Pobre Coração
(A. Hossein - G. Thibaut)
09 - Sempre Esperando
(Willy)
10  - Canção Que Ninguém Mais Cantou 
(Your mother should know)
(Lennon - McCartney - vs: W. Verdaguer - D. Dattoli)
11 - Aria Para 4ª Corda De Sol
(J.S. Bach - Adapt. Beat Boys)
12 - Torta De Morangos
(Toyo - Willy - Tony)

COLABORAÇÃO: Geraldo


domingo, 29 de outubro de 2017

Monny - Benzinho - Compactos Raros (2017)

 Coletânea reúne dez gravações lançadas entre os anos de 1968 e 1973
 Monny fez parte da Copacabana e CBS, onde gravou músicas do Raul Seixas
O que escrever sobre o cantor Monny? Este foi o meu questionamento na hora de postar esta coletânea porque nada encontrei a seu respeito, apesar de ter gravado em duas importantes indústrias do ramo, a Copacabana e a CBS/Sony. A seleção, enviada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, reúne músicas lançadas em cinco compactos simples, produzidos entre 1968 e 1973, e talvez tenha outros discos gravados. Um dos destaques é a música “Benzinho”, também incluída na coletânea “Bárbaro” (aqui), e mais conhecida na interpretação do Paulo Sérgio. A curiosidade fica por conta das faixas “Não diga nada” e “Problemas”, compostas pelo Raul Seixas em parceria com Mauro Motta, diretor artístico dessas gravações na CBS. Confira:

01 - 1968 - Benzinho (Dear Someone)
(Cy Coben – Versão: Maurileno Lopes Rodrigues) 
02 - 1968 - Ciuminho 
(Antranik)
03 - 1969 - Tudo que eu tenho 
(Monny)
04 - 1969 - Namorada
(Ricky Ricardo – Paulo Roberto)
05 - 1969 - Coisas que eu não lhe disse
(Ricky Ricardo – Paulo Roberto)
06 - 1969 - Meu bem não vá
(Marcos Roberto)
07 - 1971 - Agora que estou sozinho
(Tom Gomes - Luis Vagner)
08 - 1971 - Vou vivendo
(Luis Vagner – Tom Gomes)
09 - 1973 - Não diga nada 
(Raulzito – Mauro Motta)
10 - 1973 - Problemas 
(Raulzito – Mauro Motta)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


sábado, 28 de outubro de 2017

Don Beto - Nossa imaginação (LP 1978)

 LP produzido pela Som Livre ganhou o Globo de Ouro como melhor disco de 1979
Quem gosta da soul music vai curtir este “Nossa imaginação”, álbum do Don Beto, solicitado pelo internauta Sebastião. O vinil, lançado em 1978 pela Som Livre, foi premiado com o Globo de Ouro como o melhor disco de 1979, mas o cantor, guitarrista, compositor, arranjador musical e violista logo desapareceu da indústria fonográfica e dos meios de comunicação por motivos que desconheço. Segundo consta, veio do Uruguai ainda adolescente, e trouxe na bagagem uma forte influência da música espanhola e caribenha, que foram com o tempo se mesclando com a “ginga” brasileira. A salada de ritmos e estilo impregnou sua alma e surgiu então o artista, com personalidade musical própria e moderna.

Como cantor e compositor, gravou pela Som Livre cinco temas principais de novelas da Rede Globo. Como músico, Don Betto fez história por ter sido o guitarrista da banda de Raul Seixas.  A partir da década de 90, reserva alguns meses da sua agenda de shows para temporadas na Europa. Destas viagens nasceu seu interesse pela “World Music”, que veio a enriquecer ainda mais seu estilo musical. Em 2003, foi convidado a gravar um CD acústico independente, e devido a boa receptividade lançou no ano seguinte o CD “Águas do Caribe” em parceria com a Morgan Music, mostrando que a mistura harmoniosa de ritmos e o bom gosto musical são suas principais características. Vale a pena ouvi-lo. Confira:

01 - Não Quero Mais
(Beto - Reina)
02 - Num Paraíso
(Beto - Reina)
03 - Curtindo o Silêncio
(Beto - D'Avila Filho - Reina)
04 - Nossa Imaginação
(Beto - Reina)
05 - Menina Mulher
(Beto - Reina)
06 - Amor Informal
(Beto - Reina)
07 - Todos os Caminhos
(Beto - Reina)
08 - Tudo Novamente
(Beto - Brenda - Reina)
09 - Brenda
(Beto - Reina)
10 - Saber Viver
(Beto - D'Avila Filho - Reina)
11 - Renascendo Em Mim
(Beto - Reina)
12 - Pensando Nela
(Beto - Reina)



sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Denise Barreto - Marizinha - Meu boletim (EP 1966)

 Compacto duplo português reúne gravações realizadas no Brasil em 1966
Este compacto duplo, lançado em Portugal, e sem a data da produção, foi enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração. O disco é compartilhado entre duas cantoras, Denise Barreto no lado A, e Marizinha no B, com gravações lançadas no Brasil em compacto simples pela EMI-Odeon em 1966.  “Meu boletim”, gravada pela Denise Barreto, dá título ao EP, provavelmente produzido entre 1966 e 1967 no mercado português, pois na época os lançamentos não eram simultâneos. Marizinha, pra quem não sabe, é da família Corrêa, irmã de Ronaldo, Renato e Ronaldo, integrantes dos Golden Boys, e de Mario, Evinha e Regina, do Trio Esperança, no qual passou a integrar a partir de 1968, substituindo Evinha, que se lançava em carreira solo. Neste disco, Marizinha interpreta duas canções do Rossini Pinto, sendo que a faixa “Moço, me ensine o caminho de casa” aparece em duas versões, uma do disco, e outra como faixa bônus. Confira:

01 - Denise Barreto - Meu boletim
(Michel Rivgauche - Georges Blaness - vs: Nazareno de Brito)
02 - Denise Barreto - Não lhe dou mais chance
(Gerrard Marsden - vs: Getúlio Cortes)
03 - Marizinha - A sorte da Glorinha
(Rossini Pinto)
04 - Marizinha - Moço, me ensine o caminho de casa
(Rossini Pinto)
05 - Marizinha - Moço, me ensine o caminho de casa (BÔNUS)
(Rossini Pinto)

COLABORAÇÃO: Laércio




quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Ricardo - Olha nos meus olhos (LP 1978)

Segundo álbum do cantor Ricardo foi lançado pela gravadora Som Livre
 
Postagem traz "Foi num verão" como faixa bônus, lançada em single de 1977
Este “Olha nos meus olhos”, segundo álbum do cantor Ricardo, atende ao pedido do internauta Augusto. O disco, produzido em 1978 pela Som Livre, não fez tanto sucesso quanto o primeiro (aqui), mas se destaca pela faixa que dá título ao LP, lançada originalmente no ano anterior por meio de um compacto simples, com “Foi num verão” no lado B, não incluída no LP. Por esse motivo, adicionei a música como faixa bônus, difícil de encontrar na rede. Não conheço a discografia do cantor, que teria lançado 21 discos, entre LPs e compactos, de acordo com a Wikipédia. Confira este:

01 - Olha nos meus olhos
(Carlos Cezar - Tony Damito)
02 - Saudade só vem pra quem ama
(N.Orlando)
03 - A garota da janela
(ene Alves - Daisy Lins - Goiandira Gebrim)
04 - Nos braços teus
(Ricardo - William Acquisti)
05 - Beija-me
(Fábio Fabian)
06  - Agora sou feliz
(César - Jean Pierre)
07 - Minha namorada do interior
(Cezar)
08 - Companheiros de ilusões
(Hélio Eduardo)
09 - Domingo no parque (No parque dos sonhos)
(V.Guzzo - Freire)
10 - Só me resta tentar te esquecer
(Majó - Ricardo - Frank Gau)
11 - Vem menina
(William - Acquisti - Mario Campanha)
12 - Jogue uma pedra no passado
(Hébano - Victor)
13 - Foi num verão (BÔNUS)*
(Michaele - J. Claudric - vs: Mauro Sérgio)

* Música de 1977, lançada em compacto simples



quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Vários artistas - Desfile - Volume 3 (LP 1969)

 Terceiro e último volume inclui três faixas da Adriana e do Carlos Pedro
Com esta postagem - o terceiro volume da coletânea “Desfile”, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço - encerro a apresentação da série criada pela gravadora Equipe. Os três volumes foram lançados entre 1968 e 1969, reunindo os principais nomes e sucessos do selo. Os destaques deste disco são a Adriana e Carlos Pedro, ambos com três faixas cada, seguidos por Luiz Keller e Lêda Soares, com duas músicas, e Ellen Blanco e Silvinho do Pandeiro, com uma. A curiosidade é o Luiz Keller, mais conhecido como compositor, especialmente pela versão de “Stop the wedding” (Pare o casamento), um dos maiores sucessos da Wanderléa. Confira:

01 - Adriana - Volta pra mim
(Carleba)
02 - Luiz Keller - Tenho raiva de mim por gostar de você
(Luiz Keller)
03 - Ellen Blanco - Tudo azul
(Wagner Tiso – Paulo Moura – Tibério Gaspar)
04 - Carlos Pedro - Mensagem
(Carlos Pedro)
05 – Lêda Soares – Pot-pourri – Querido Ataulfo Alves:
Ai que saudades da Amélia
(Ataulfo Alves – Mário Lago)
Pois é
(Ataulfo Alves)
Laranja madura
(Ataulfo Alves)
06 - Silvinho do Pandeiro - Ya-ya do cais dourado
(Martinho da Vila – Rodolfo)
07 - Carlos Pedro - Agora
(Carlos Pedro)
08 - Adriana - Viu
(Cury – Carleba)
09 - Carlos Pedro - Regresso
(Carlos Pedro)
10 - Adriana - Era de manhã
(Devel – D’Orlann)
11 - Luiz Keller - Sou parte de você
(Luiz Keller)
12 - Lêda Soares - Pot-pourri - O tema é o mar:
Abertura
(Roberto Menescal)
Não tenho onde morar
(D. Caymmi)
Canoeiro
(D. Caymmi)
O mar
(D. Caymmi)
Quem vem pra beira do mar
(D. Caymmi)
Minha jangada
(D. Caymmi)
Berimbau
(Baden – Vinicius)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



terça-feira, 24 de outubro de 2017

Vários artistas - Desfile - Volume 2 (LP 1968)

 Segundo volume apresenta seis faixas instrumentais de Sax Cantabile
Em sequência a postagem de ontem, segue o segundo volume da coletânea “Desfile”, lançada em 1968 pela gravadora Equipe. Enviada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, a seleção se destaca pelo lado 1 do vinil, com as seis faixas instrumentais assinadas por Sax Cantabile, pseudônimo usado pelo saxofonista Bolão, segundo informa o internauta Paulo Castelo Branco. A meu ver, são os playbacks usados nas gravações vocalizadas, acrescidas de sax, como se pode notar nas faixas “Vesti azul” e “Lá lá lá”, lançadas originalmente pela Adriana. Desconfio que as demais gravações, cujas originais são desconhecidas por mim, seguem esse mesmo critério. O lado 2 é compartilhado com Osvaldo Nunes, presente com o sucesso “Segura este samba ogunhê”, Monsueto, The Pop´s e Tânia, desconhecida cantora que faz releitura de “Eu e a brisa” e “Viola enluarada”, hoje clássicos da MPB. Confira:

01 - Sax Cantabile - Eu sou um homem doente
(J. Canseira)
02 - Sax Cantabile - Eu não volto mais
(E. Savoya – Dorlan)
03 - Sax Cantabile - Sem amor não sou ninguém
(Carlos Bon)
04 - Sax Cantabile - Anjo azul (Vesti azul)
(Nonato Buzar)
05 - Sax Cantabile - Lá lá lá
(Marcelo – Bassini)
06 - Sax Cantabile - Non voglio nascondermi
(Sergio Adamo)
07 - Osvaldo Nunes - Segura este samba ogunhê
(Osvaldo Nunes)
08 - Monsueto - Chico da tuba
(Monsueto – A. França)
09 - Tânia - Eu e a brisa
(Johnny Alf)
10 - The Pop's - Que é isso menina
(Cyleimar)
11 - Tânia - Viola enluarada
(Marcos Valle – Paulo Sérgio Valle)
12 - The Pop´s -   Garrafa de Vinho (Bottle Of Wine)
(Paxton – Rossini Pinto)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Vários artistas - Desfile - Volume 1 (LP 1968)

 Coletânea lançada em 1968 reúne artistas do cast da gravadora Equipe
A coletânea “Desfile” reúne gravações de artistas do cast da gravadora Equipe e foi enviada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. O primeiro volume, lançado em 1968, inclui artistas como Adriana, com seu sucesso “Vesti azul”, The Pop’s, Os Santos, Os Catedráticos, Bossa 4 e outros. O destaque é o cantor Gerson Côrtes, irmão do compositor Getúlio Côrtes, com a música “Quente”, uma de suas primeiras gravações, realizada antes de trocar o nome artístico para Gerson King Combo, com o qual se tornou um dos ícones do soul e funk. É considerado um dos principais nomes da música negra brasileira, juntamente com Tim Maia, Hyldon e Cassiano. Confira:

01 - Adriana - Anjo azul (Vesti azul)
(Nonato Buzar)
02 - The Pop’s - A lenda do beijo
(R. Sotulo – J. Vert)
03 - Bossa 4 - You only live twice
(Barry – Leslie Ericusse)
04 - Julinho - Carolina
(Chico Buarque de Hollanda)
05 - Os Catedráticos - Os grilos
(Marcos Valle – Paulo Sérgio Valle)
06 - Celinho - And I love her
(Lennon – McCartney)
07 - The Pop’s - Pot-pourri - As Sete Maravilhas Nº 3
O Guarany
(Carlos Gomes)
Última inspiração
(Peterpan)
Lábios que beijei
(J. Cascata – Leonel Azevedo)
Cabelos brancos
(Marino Pinto – Herivelto Martins)
Caminhemos
(Herivelto Martins)
Feitiço da Vila
(Vadico – Noel Rosa)
Ta-hi
(Joubert de Carvalho)
08 - Gerson Côrtes - Quente
(Getúlio Côrtes)
09 - D'Angelo - Muito incrementado
(Jean Zanoni)
10 - Hélio Paiva - Sozinhos no mundo (Seuls Au Monde)
(A. Pascal – P. Mauriat)
11 - Os Catedráticos - Samba de verão
(Marcos Valle – Paulo Sérgio Valle)
12 - Os Santos - Ave Maria no morro
(Herivelto Martins)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


domingo, 22 de outubro de 2017

Peninha - Sueños (LP argentino - 1979)

 Álbum gravado em espanhol inclui os sucessos "Que pena" e "Sonhos"
Depois do enorme sucesso obtido no Brasil  com as músicas “Que pena” e “Sonhos”, incluídas no álbum “Sonhos”, produzido em 1977 pela Polydor/Phonogram, a gravadora entendeu que poderia lançá-las no mercado latino. Assim, em 1979, o cantor gravou este “Sueños” em castelhano, lançado pela Polydor argentina. Apesar do mesmo título do LP brasileiro, o disco em espanhol traz repertório diferente do nacional, com 13 faixas, duas a mais em relação ao álbum em português, com destaques para “Sueños” e “Que pena”, presentes nos dois vinis. Este disco, que não é novidade na rede, foi montado por mim após encontrar a arte gráfica, e tenho certeza que agradará aos fãs do artista. Confira:

01 - Sueños (Sonhos)
(Peninha)
02 - Es mas de medianoche (É mais de meia-noite)
(Peninha - Dinah Ribeiro)
03 - Morena amada (Menina amada)
(Kleiton Ramil - vs: Américo)
04 - Maquillaje (Maquiagem)
(Ronaldo - Lincoln Olivetti)
05 - Que pena
(Peninha  - Livi)
06 - Juego sucio (Jogo sujo)
(Peninha - vs: Juan Carlos)
07 - Hoja muerta (Folha morta)
(Carlos Colla - Mauricio Duboc - vs: Juan carlos)
08 - Que mas puedo pedir
(Peninha)
09 - Una noche mas (Uma noite a mais)
(Peninha - vs: Américo)
10 - De mas (Demais)
(Tom Jobim - Aloisio de Oliveira - vs: Américo)
11 - Puede venir (Podes chegar)
(Pyska - vs: Juan Carlos)
12 - El alpinista (O alpinista)
(Paulinho Camargo - Mario Marcos - Maxcilliano - vs: Juan Carlos)
13 - A tu lado amanece (Raios da manhã)
(Renam - vs: Américo)



sábado, 21 de outubro de 2017

Osny Silva - Capricho (LP 1963)

 Osny Silva obteve muito sucesso na época de ouro do rádio no Brasil
Osny Silva, um dos cantores de grande sucesso da chamada Velha Guarda, comparece no blog no dia que completaria 98 anos, graças a colaboração do amigo Aderaldo, a quem agradeço por enviar este “Capricho”, álbum lançado em 1963 pela Continental. O cantor, nascido em São Paulo no ano de 1919, estudou no colégio Liceu Coração de Jesus, e fez parte do coral Canarinhos Liceanos. Aprendeu piano e violino com professora particular.  Começou no rádio aos 20 anos, em 1939, como operador na Rádio Educadora Paulista.

Nessa época, tentou ser cantor, e submeteu-se a teste de calouros numa outra emissora, ao lado de um novato como ele, Nelson Gonçalves, mas ambos foram reprovados. Na própria Educadora, contudo, viria a substituir um cantor, numa emergência, e por ter agradado foi tendo mais oportunidades, embora sem receber por essa atividade extra.  Em 1940, assinou contrato com a Rádio Tupi de São Paulo, e somente gravou seu primeiro disco em 1943, com “As Cartas Não Mentem Jamais”, valsa de Léo Daniderff, que vendeu 80 mil cópias, um grande êxito popular. Já casado, foi locutor em São Paulo e no Rio de Janeiro. Ganhou o Prêmio de Melhor Cantor de Música Popular Internacional de 1951, graças ao disco “Bandolins ao Luar” e “Violino Cigano”, produzido pela Odeon, onde gravou outros sucessos, como “Risque”, “João Valentão”, “Adeus Amor”, “Primavera no Rio”, “Catari! Catari!” e “Jura-me”, entre outros.

Recebeu, em 1953, o Prêmio Roquette Pinto, de Melhor Cantor, e tinha por slogan “A Mais Bela Voz do Rádio Paulista”. Apresentou-se no Chile e na Argentina, realizando gravações nesses países. Na Argentina, era anunciado como “La Voz Triunfal das Americas”.  Dados da Wikipedia informam que, em discos de 78 rpm, no Brasil, gravou 41 discos com 78 músicas, além dos LPs “Osny Silva Canta Melodias Famosas”, “Canta América!”, “Pisando Corações”, “Minha Canção de Amor” e outros. Quando sentiu que o tempo já não lhe permitia o mesmo desempenho, retirou-se sem alarde e foi viver no litoral paulista. Faleceu no município de Praia Grande em 20 de julho de 1995, já esquecido do grande público. Confira:

01 - Capricho Cigano
(Mário Zan - Messias Garcia)
02 - Só Pra Você
(Mário Zan - Messias Garcia)
03 - Adios Mariquita Linda
(Marcos A. Jimenez)
04 - Jura-me (Jurame)
(Maria Grever - vs. O. Santiago)
05 - Te Quiero Dijiste (Bonequinha linda)
(Maria Grever)
06 - Beijo Nos Olhos
(Portinho - Wilson Falcão)
07 - Torna Sorriento
(De Curtis - vs: Hélio Ansaldo)
08 - Coimbra
(Raul Ferrão - Dr. Galhardo)
09 - Jamais Te Esquecerei
(Antonio Rago - Juracy Rago)
10 - Beija-me Muito (Besame Mucho)
(Consuelo Velasquez - vs: David Nasser)
11 - Marita Romano
(Jair Gonçalves)
12 - Adeus (Adios)
(E. Madriguera - vs: Osny Silva)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Vários artistas - 1º Festival Internacional da Canção

 Primeira edição do festival foi realizada entre 22 e 30 de outubro de 1966
Aqui está mais um bom disco do Festival Internacional da Canção Popular, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração. Trata-se do álbum da primeira edição do festival, realizada entre 22 e 30 de outubro de 1966, no Rio de Janeiro, com 10 gravações ao vivo, sendo oito nacionais e duas internacionais, representantes dos Estados Unidos (Gogi Grant) e México (Roberto Cantoral). O exemplar em mãos, que também inclui “O guarani”, número de abertura do evento, a cargo da orquestra de Severino Araújo, faz parte da tiragem promocional editada pela Secretaria de Turismo do Estado da Guanabara e proibida para a venda. No repertório, canções interpretadas por artistas como Nana Caymmi, Wilson Miranda, MPB-4 , Miltinho e outros. Confira:

01 - Severino Araújo - O guarani
(Carlos Gomes)
02 - Nana Caymmi - Saveiros
(Dori Caymmi - Nelson Motta)
03 - Gogi Grant - Song of nostalgia
(Jay Livingston - Ray Evans)
04 - Hugo Santana - Canção brasileira
(Hekel Tavares - Luiz Peixoto)
05 - MPB-4 - É preciso perdoar
(Alcyvando Luz - Carlos Coqueijo Costa)
06 - Luiz Carlos Pereira de Sá - Inaiá
(Luiz Carlos Pereira de Sá)
07 - Tuca - O cavaleiro
(Tuca - Geraldo Vandré)
08 - Miltinho - Apoteose do samba
(Klecius Caldas - Herivelto Martins)
09 - Wilson Miranda - Benza Deus
(Paulinho Nogueira)
10 - Roberto Cantoral - La piel
(Roberto Cantoral)

COLABORAÇÃO: Laércio


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

As "preteridas" de Tony Carrado (LP 1988)

 Disco inclui comentários do Tony Carrado, personagem da novela Mandala
Ao ver no blog o pedido do álbum “As preteridas de Tony Carrado”, feita pelo internauta Adelson, o nosso amigo Wilton, apresentador do programa dominical “Momentos eternos” pela supertunel.net e radiodvc.com, não perdeu tempo em me enviar o disco. Agradeço a ele pela gentil colaboração. O Tony Carrado, interpretado pelo Nuno Leal Maia, foi um dos personagens mais populares da telenovela “Mandala”, produzida em Rede Globo e exibida entre 12 de outubro de 1987 e 14 de maio de 1988, em 185 capítulos. O personagem fez tanto sucesso que, após a novela, rendeu até este álbum, lançado pela Som Livre, e com a participação do próprio Tony Carrado na apresentação das músicas, atuando como locutor. O disco, sem intervalo entre as músicas, tem apenas duas faixas, os lados 1 e 2 do vinil. Confira:

01 - Wando - Eu já tirei a tua roupa
(Wando)
02 - Fafá de Belém - Meu dilema
(Sullivan - Leonardo)
03 - Zeca Pagodinho - Feristes um coração
(Monarco - Ratinho)
04 - Bezerra da Silva - A semente
(Walmir da Purificação - Tião Miranda - Roxinho - Felipão)
05 - Gilson - Nossa história de amor
(Gilson - Joran)
06 - Dicró - Parabéns pra você
(Romildo - Dalmo de Souza - Buquinha)
07 - Adriana - Pra sempre vou te amar (Forever by your side)
(M. Blate - L. Gottlieb - Guto - Kalunga)
08 - Agepê - Estrada do coração
(Mita - Wilson Medeiros)
09 - Gilberto Lemos - Liga pra mim
(Gilberto Lemos - Eros)
10 - Emilio Santiago - Boêmio
(Vevé Calazans)
11 - Almir Guinéto - Na certeza da paz
(Sombra - Adilson Victor)
12 - Rosana - O amor e o poder (The power of love)
(C. de Rouge - G. Mende - J. Rush - M.S.Applegate - vs: Claudio Rabello)


COLABORAÇÃO: Wilton




Sérgio Murillo - Tira-teima (LP 1989 - REPOST)

 Último LP gravado pelo Sérgio Murillo foi produzido pela Fono Editorial Mirim
Acredite: este “Tira-teima”, último álbum gravado pelo Sergio Murillo, lançado em 1989 pelo selo Fono Editorial Mirim, foi postado originalmente em 4 de março de 2012 no Sanduíche Musical, blog embrionário do SintoniaMusikal. Ontem, cinco anos e meio após o post, recebi mensagem do amigo Luiz Fernando, informando que três músicas do disco estão repetidas. Até agora não entendi como cometi esse erro na hora de ripar o álbum. O fato mostra que muita gente baixa e não ouve o disco pra perceber a repetição das faixas. Fiz o devido acerto, e ainda reeditei as ilustrações, adicionando o encarte com as letras das músicas, pois na época da postagem tinha o hábito de apresentar apenas as capa, contracapa e selo dos discos. Confira:

01 - Tira-teima
(Paulo Sette - Leonardo de Souza)
02 - Fuga
(Márcio Monteiro - Marco Monteiro)
03 - Curvas & ciladas 
(Paulo Sette - Cícero Pestana)
04 - Calmaria do meu porto
(Paulo Sette - Pery Pereira)
05 - Na próxima semana
(Márcio Monteiro - Marco Monteiro)
06 - Viver é ser bom
(Paulo Sette)
07 - Outro astral
(Gilson - Joran)
08 - Armadilhas
(Savalla)
09 - Tapete mágico
(Paulo Sette - Cícero Pestana)
10 - Rebuscando
(Paulo Sette - Marcondes)
11 - Tarde de verão
(Paulo Sette)
12 - Os dias não são iguais
(Paulo Sette)
13 - Apesar dos pesares
(Rita Ribeiro - Frank Gáu)
14 - Descendo pelo São Francisco
(Paulo Sette - Leonardo de Souza)

FICHA TÉCNICA

Produtor fonográfico - Fono Editorial Mirim Ltda.
Planejamento e direção executiva - Paulo Sette
Direção musical - Cícero Pestana
Baixo - Zulú
Bateria - Paulo Morais
Ritmos - Geraldo Barbosa
Piano e eletrônicos - Pedro Plastino
Gaita - Pedro César
Sax - Moacir Marques (Bijú)


terça-feira, 17 de outubro de 2017

Roberto Nogueira - Só vai dar você (LP 1986 + bônus)

 Ídolo da jovem guarda pernambucana, gravou primeiro e único LP na Continental
O cantor e apresentador Roberto Nogueira, um dos ídolos da jovem guarda pernambucana, falecido há exatos dois anos, em 17 de outubro de 2015, aos 68, em Recife, comparece no blog com este único LP, “Só vai dar você”, lançado em 1986 pela Continental. A postagem, transformada numa coletânea especial, inclui oito faixas bônus, extraídas de compactos simples, entre os quais o primeiro, gravado em 1966 na Mocambo, com “Até setembro”, versão de “See You In September”, sucesso com o grupo The Happenings. Trata-se de mais uma colaboração do amigo Aderaldo, a quem agradeço por apresentá-lo, já que o artista era mais conhecido como homem do rádio, por dirigir várias emissoras pernambucanas nos anos 1980 e 1990. Ele foi também o primeiro apresentador do NE TV da Globo. 

Nogueira foi um dos ídolos da música jovem e galã da primeira novela produzida na televisão local:  Um Amor de Colegial (1966), contracenando com Marlene Cavalcanti e Carmem Artoni. Ele começou a carreira, em 1962, conforme o figurino de então, encarando o obrigatório programa de calouro, no seu caso, o do “Você Faz o Show”, da TV Jornal, apresentado por Fernando Castelão. Agradou tanto que  foi contratado para atuar no programa de Castelão, no quadro "Ídolos da Juventude", que reunia cantores e conjuntos de “música jovem”, abrangente expressão para  o rock e seus derivados.

Em busca de maior espaço artístico, Nogueira passou seis anos no Rio, e mais quatro em São Paulo. “Vi que era mais fácil gravar pela Mocambo (o principal selo da Rozenblit) no Rio, do que no Recife”, justificou. Cantava na noite, e fazia programas como o "Rio Hit Parade", na TV Rio, de Jair de Taumaturgo, e foi convidado para gravar o primeiro disco, um compacto (na foto acima), na Mocambo, onde lançou três singles, e gravou o quarto na Equipe em 1972, período em que participava do quadro “Os Galãs Cantam e Dançam” no programa Sílvio Santos. Em 1985, assinou contrato com a EMI Odeon, e lançou seu quinto compacto. No ano seguinte, partiu para a Continental, e lançou este seu primeiro LP. Na volta definitiva para o Recife, continuou no rádio, porém como apresentador e diretor, e gravou seu último disco, em 1992, também seu primeiro CD, “Clássicos da MPB – Seresta”, pela Polydisc, que postarei em breve. Confira este:


01 - Pot-pourri:
Noite de Moscou (Midnight in Moscow)
(I. Dunayevsky – Versão: Pinduca - Luizinho)
Beija-me muito (Besame Mucho)
(Consuelo Velasquez – Versão: David Nasser)
Talvez, talvez, talvez  (Quizas Quizas)
(Osvaldo Farres – Versão: Portinho - M. José)
02 - Só vai dar você (part. esp. Alípio Martins)
(Alípio Martins - Marcelle)
03 - Poema
(Fernando Dias)
04 - Bons amigos
(Tivas - Alcymar Monteiro)
05 - Regressso
(José Orlando - Tetê)
06 - Pot-pourri:
Meu primeiro amor (Lejania)
(H. Gimenez – Versão: J. Fortuna – P. Junior)
Índia (India)
(J. Assuncion Flores – M. O. Guerrero – Versão: J. Fortuna)
Recordações de Yparacai (Recuerdos de Ypacarai)
(Z. de Mirkin - Demetrio Ortiz – Versão: Juracy Rago)
07 - Maria Helena
(Lorenzo Barcelata – S. K. Russel – Versão: Haroldo Barbosa)
08 - Querida Diana
(Pedro Américo - José Leal - Manoel Cordeiro)
09 - Ato final
(Luiz Carlos Magno)
10 - Desculpas
(Alcymar Monteiro - João Paulo)

BÔNUS:

11 - 1966 - Até setembro (See You In September)
(S. Wayne – S. Edwards – Versão: Romeo Nunes)
12 - 1966 - Lágrima triste
(Eda Reis)
13 - 1967 - Esperando por ti (Lady)
(Kaempfert – Rehbein – Singleton – Rusik – Versão: Benny Wolkoff)
14 - 1967 - Não deixarei de te amar
(Marcos André - Jorge Wanderley)
15 - 1967 - Canção para você
(Marcos André - Jorge Wanderley)
16 - 1972 - Todo o azul a se perder
(Luiz Carlos Magno - Luiz Cavalcanti)
17 - 1985 - Nossa história
(Francisco Roque - Roberto Nogueira)
18 - 1985 - A gente se vê por aí
(Eduardo Lages - Carlos Colla)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Trilha nacional da novela Loco-motivas (LP 1977)

Trilha traz artistas como Rita Lee, Erasmo, Claudia Telles, Mauro Sergio e outros 
A trilha sonora nacional da novela “Loco-motivas”, lançada em 1977 pela Som Livre, atende ao pedido do Igor. O repertório inclui grandes sucessos da época, interpretados por Erasmo Carlos, Cláudia Telles, Hermes Aquino, Rita Lee, Cassiano, Gonzaguinha, e outros. Escrita por Cassiano Gabus Mendes e dirigida por Régis Cardoso, foi a primeira novela da Rede Globo gravada totalmente em cores no seu horário, às 19h00. Exibida entre 1 de março e 12 de setembro de 1977, em 168 capítulos, a 19ª "novela das sete" substituiu "Estúpido Cupido" e foi substituída por "Sem Lenço, sem Documento". Cassiano escreveu a novela inspirado em vedetes famosas, como Virgínia Lane, Mara Rúbia, Nélia Paula e Carmem Verônica. No elenco, atores como Walmor Chagas, Aracy Balabanian, Lucélia Santos, Dennis Carvalho, Elizângela, Ilka Soares, Tony Correia, Roberto Pirillo, Lady Francisco, Hélio Souto e outros. Confira:

01 - Cláudia Telles - Eu Preciso Te Esquecer
(Mauro Motta - Robson Jorge)
02 - Hermes Aquino - Desencontro de Primavera
(Hermes Aquino)
03 - Erasmo Carlos - Filho Único
(Erasmo Carlos - Roberto Carlos)
04 - Guilherme Lamounier - Enrosca
(Guilherme Lamounier)
05 - Mauro Sérgio - Amar é Nunca Precisar Pedir Perdão
(H. Carelli)
06 - Rita Lee - Loco-Motivas
(Rita Lee)
07 - Black Rio - Maria Fumaça
(Oberdan Magalhães - Claudio - Luiz Carlos dos Santos)
08 - Cassiano - Coleção
(Cassiano - Paulo Zdanowski)
09 - Azimuth - Vôo Sobre O Horizonte
(Zé Roberto - Paraná)
10 - César Costa Filho - Consumateum Est
(César Costa Filho - Heitor Valente)
11 - Luiz Gonzaga Jr. - Espere por Mim, Morena
(Gonzaga Jr.)
12 - Quinteto Ternura - Baby
(Caetano Veloso)
13 - Edu Lobo - Consideramos
(Edu Lobo - Capinan)
14 - Marília Pera - Alô, Alô, Brasil
(Eduardo Dusek - José Roque Conceição - Cássio Ferrer)



domingo, 15 de outubro de 2017

Cilibrinas do Éden - Minha fama de mau (LP 1973)

 Primeiro e único álbum da dupla foi produzido pela Philips no ano de 1973
Logo após deixar o grupo Os Mutantes, Rita Lee pensou em montar uma banda feminina, mas a ideia não foi adiante, e formou dupla com Lúcia Turnbull, gerando as Cilibrinas do Éden, embrião do grupo Tutti Frutti, que a acompanhou em seus maiores sucessos. A estreia oficial da dupla, como informa o texto na contracapa, aconteceu em 10 de maio de 1973 na abertura do Phono 73, um grande evento musical produzido pela Phonogram, que inaugurou oficialmente o Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo.  Apesar da apresentação desastrosa, como julgou Rita Lee após o show, a dupla lançou este primeiro e único álbum das Cilibrinas do Éden, que teve vida curta. O LP, enviado pelo amigo Diego, a quem agradeço, passou despercebido pelo público na época, mas se transformou em objeto de desejo dos colecionadores, graças ao sucesso da cantora em carreira solo, e em 2008 foi remasterizado em CD.  Confira:

01 - Cilibrinas Do Éden
02 - Festival Divino
03 - Bad Trip (Ainda Bem)
04 - Vamos Voltar Ao Principio Porque Lá É O Fim
05 - Paixão Da Minha Existência Atribulada
06 - Gente Fina É Outra Coisa
07 - Nessas Alturas Dos Acontecimentos
08 - E Você Ainda Duvida
09 - Minha Fama De Mau
10 - Mamãe Natureza
11 - Hoje É O Primeiro Dia Do Resto Da Minha Vida*
12 - Mande Um Abraço Para A Velha*

Os Mutantes, do compacto VII FIC, de 1972

COLABORAÇÃO: Diego



sábado, 14 de outubro de 2017

Vários artistas - Máximo de sucessos nº 9 (LP 1973)

 Grandes sucessos que atravessaram gerações estão reunidos nesta coletânea
Quem gosta de boa música, com certeza, vai curtir este nono volume da série “Máximo de sucessos”, lançado em 1973 pela Fontana, selo da Phonogram/Philips. Uma rápida audição do disco é suficiente pra constatar, sem saudosimo, que os hits da época tinham consistência. São 14 faixas que permanecem como grandes canções da nossa música, bem diferentes dos sucessos atuais, de gosto duvidoso, com intérpretes de talento questionável. Neste quesito, posso dizer, num rápido comparativo, que a MPB empobreceu, pois boa parte dos sucessos atuais é descartável, e dificilmente atravessará a linha do tempo como as canções aqui reunidas. O álbum traz artistas como os saudosos Raul Seixas, Elis Regina, Jair Rodrigues, Sérgio Sampaio e Luiz Melodia, além dos talentosos Gilberto Gil, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gal Costa, Fagner, Ivan Lins e até a Alcione em início de carreira. Confira:

01 - Raul Seixas - Ouro de Tolo
(Raul Seixas)
02 - Maria Bethânia - Esse Cara
(Caetano Veloso)
03 - Sérgio Sampaio - Cala a boca Zebedeu
(Mestre Raul G. Sampaio)
04 - Jorge Ben Jor - Lá Vem Salgueiro
(Jorge Ben Jor)
05 - Gal Costa - Trem das Onze
(Adoniran Barbosa)
06 - Gilberto Gil - Só Quero Um Xodó
(Dominguinhos - Anastácia)
07 - Luiz Melodia - Estácio Holly Estácio
(Luiz Melodia)
08 - Elis Regina - Carinhoso
(Pixinguinha - João de Barro)
09 - Jair Rodrigues  - Orgulho de um Sambista
(Gilson de Souza)
10 - Fagner - Último Pau De Arara
(Venâncio - Corumba - J. Guimarães)
11 - Ivan Lins - Quero De Volta Meu Pandeiro
(Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
12 - Alcione - Desafio
(Luiz Américo - Bráulio de Castro - Clovis de Lima)
13 - Caetano Veloso - Tudo Se Transformou
(Paulinho da Viola)
14 - MPB-4 - A Velhice da Porta-Bandeira
(Eduardo Gudin - Paulo Cesar Pinheiro)



sexta-feira, 13 de outubro de 2017

SintoniaMusikal atinge 3 milhões de visualizações

Marca foi atingida após cinco anos e meio de atividades ininterruptas

O SintoniaMusikal, após cinco anos de atividades, iniciadas em 25 de maio de 2012, com mais de 1.500 postagens e 223 seguidores, atingiu hoje 3 milhões de visualizações. Apesar da marca expressiva, não vejo motivos para comemoração. Noto que, a cada dia, a demanda e o interesse pelos discos diminuem gradativamente, e o número de page views se mantém estável, na casa de 2 mil por dia, mesmo diante da assiduidade das postagens e das raridades apresentadas. O certo é que os blogs de compartilhamento de discos já não são mais atrativos ao público como no passado recente.

Apesar da baixa procura pelos discos, e da decisão de não postar lançamentos e títulos em catálogo, a página ainda sofre com a ação dos detentores de direitos autorais. Nesta semana, por exemplo, tive que retirar do blog o LP de 1973 do grupo Os Incríveis, postado na terça-feira, dia 10, após a exclusão dos links no Zippyshare e no Minhateca. Outro álbum, “Primeira audição”, apresentado na quarta-feira, 11, foi excluído ontem do servidor, e como medida alternativa, disponibilizei o link original, do Mediafire, fornecido pelo amigo e colaborador Geraldo. Resta saber até quando ficará disponível.

Por tudo isso, incluindo a inexpressiva participação dos internautas, que raramente agradecem pelos discos que baixam, a marca dos 3 milhões de visualizações atingida em quase cinco anos e meio não é motivo pra festejar, mas merece minha reflexão sobre a viabilidade de manter o hobby. Tenho, sim, que agradecer aos colaboradores, com destaques para os amigos Aderaldo, Laércio e Geraldo, os mais assíduos, que generosamente fornecem títulos raros de suas coleções para compartilhamento, sem nada pedirem em troca. Eles, sem dúvida, têm participação direta nessa conquista, e fica aqui registrado o meu agradecimento público, pois também enriquecem o meu acervo particular. Enfim, encerro a nota com o meu muito obrigado a todos, servidores, seguidores e “amigos cultos e ocultos”, como diz sabiamente o companheiro Augusto, do Toque Musical.


Ravel - E você, lembra-se de mim? (Compactos)

 Postagem reúne três singles gravados na Copacabana em meados dos anos 70 
A postagem de hoje é de três compactos simples do saudoso Ravel, da dupla com Dom, que nesta sexta-feira, 13, completaria 70 anos. Os discos, enviados pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, foram gravados no período em que investiu em carreira solo, e são suficientes pra montar este EP, com seis raras gravações realizadas na Copacabana entre 1975 e 1977.

Eduardo Gomes de Farias, seu nome de batismo, nasceu em 13 de outubro de 1947 em Itaiçaba, no Ceará, e morreu, aos 64 anos, em 16 de junho de 2011 na capital paulista, após um enfarte. O apelido de Ravel foi dado por um professor de música, por causa de sua aptidão para a arte. O irmão Dom, Eustáquio Gomes de Farias, faleceu em 10 de dezembro de 2000, aos 56, vítima de um câncer de estômago.

A dupla iniciou a carreira no final dos anos 1960, e obteve grande sucesso com a canção "Eu te amo meu Brasil", composta pelo Dom, e gravada em 1970 pelo conjunto Os Incríveis. Os principais hits da dupla foram "Animais irracionais", "Só o amor constrói", “Terra boa” e "Obrigado ao homem do campo", entre outros. Apesar do sucesso, a dupla ficou marcada pelas músicas ufanistas, usadas pelo regime militar em eventos cívicos, e por isso foi vítima de preconceito por vários segmentos da sociedade, caindo no ostracismo. Não se pode negar, porém, que foram músicos talentosos. Confira o Ravel:

01 – E você, lembra-se de mim?
(Ravel - Rejane Imperial)
02 – Viver a dois é bem melhor
(Ravel - Rejane Imperial)
03 – O meu mundo feliz
(Ravel - Rejane Imperial)
04 – Minha criança
(Ravel - Rejane Imperial)
05 – O vaqueiro de trinta e um
(Ravel)
06 – Minha terra Brasil
(Ravel)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Angelo Antonio - Cantigas de Roda (EP 1972)

Compacto duplo lançado pela Continental tem repertório voltado ao público infantil
Hoje, 12 de outubro, é comemorado o Dia das Crianças, e por isso vou postar este compacto duplo do saudoso Angelo Antonio (16/07/1939 – 23/09/1983), lançado em 1972 pela Continental. O EP,  enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço é inteiramente dedicado às crianças, com quatro pot-pourris de cantigas de rodas, populares no gênero. O repertório inclui cantigas como “A canoa virou”, “Ciranda, cirandinha”, “Se esta rua fosse minha”, “Roda pião” e outras, todas de domínio público, com exceção de “O le-lê, ô la lá”, de autoria do próprio Ângelo Antonio, que se destacou no cenário artístico como ator, participando de filmes e novelas. Confira:

01 - Pot-pourri:
Se eu fosse um peixinho
(DP)
Pai Francisco 
(DP)
A canoa virou
(DP)
02 - Pot-pourri:
Ciranda, cirandinha 
(DP)
Carneirinho, carneirão
(DP)
03 - Pot-pourri:
Se esta rua fosse minha 
(DP)
O cravo e a rosa
(DP)
Ô le-lê, ô la lá
(Ângelo Antonio)
04 - Pot-pourri:
Samba le-lê 
(DP)
Roda pião
(DP)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Vários artistas - Primeira audição - Vol. 7 (LP 1975)

 Série de LPs, exclusiva para divulgação, foi produzida pela RCA Victor
Costuma-se dizer que a propaganda é a alma do negócio. Sob essa premissa, a indústria fonográfica criou em passado recente vários projetos especiais para divulgar seus lançamentos nos meios de comunicação. Um exemplo é a série promocional de LPs “Primeira Audição”, desenvolvida pela RCA Victor, e não colocada à venda no circuito comercial. A proposta é incluir no mesmo disco as músicas de destaque, recém lançadas, dos artistas contratados, e divulgá-las especialmente entre as emissoras de rádio. Este álbum, enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço, é o sétimo da série,  e foi produzido em 1975, mesmo ano do quarto volume, postado aqui. No elenco, artistas como Martinho da Vila,Wilson Simonal, Maria Creusa, Nelson Gonçalves e até John Fogerty, do Creedence Clearwater Revival, entre outros. Confira:

01 - Martinho da Vila - Aquarela Brasileira
(Silas de Oliveira)
02 - Perla - Hipocrisia (Ipocrisia)
(Giordano - Alfieri - vs: Adel)
03 - Mauro Celso - Olhar de Jacaré
(Joca de Castro)
04 - Wilson Simonal - Escola em Luto
(J. Velloso - Andó)
05 - Nelson Gonçalves - Pra Machucar Meu Coração
(Ary Barroso)
06 - Francisco Cuoco - Aria
(Bardotti - D. Baldan Bembo)
Amor e prece
(Versos e adapt. Hélio Matheus)
07 - Nilton César - O Desconhecido
(Cézar)
08 - Antonio Carlos e Jocafi - Que Me Importa
(Antonio Carlos - Jocafi)
09 - Jane e Herondy - Estarei (Buscame)
(Juan Carlos Calderón - vs: Adel)
10 - Juca Chaves - O Homem Brasileiro
(Juca Chaves)
11 - John Fogerty - Rockin' All Over The World
(J. C. Fogerty)
12 - Maria Creuza - Chega Pra Lá
(Elton Medeiros - Joacyr Santana)


COLABORAÇÃO: Geraldo