Pesquisar este blog

sábado, 3 de junho de 2017

Ana Rosely - Estou contigo e não abro (LP 1977)

Álbum de samba produzido pela CID traz texto de Martinho da Vila na contracapa
 A dúvida: Rosely, em disco de 1966, e Ana Rosely, em 1979, são a mesma pessoa?
Na postagem da antologia da cantora Rosely (aqui), o internauta Marcelo escreveu comentário que aguçou a minha curiosidade. Ele acredita que a intérprete mudou seu nome para Ana Rosely em meados dos anos 1970, após gravar um LP pela CBS em 1966, que pode ser baixado aqui, e compactos pela RCA Victor. Pra colocar a dúvida em debate, se de fato é a mesma artista, já que a internet carece de informação a respeito, estou postando o LP “Estou contigo e não abro”, gravado pela Ana Rosely em 1977 na CID. O disco, com texto de apresentação do Martinho da Vila na contracapa, é recheado de samba, diferente do repertório da Rosely, repleto de baladas. Além das 11 faixas do álbum, a postagem traz cinco bônus, entre as quais “Não acostuma não” e “Skim dum dum dum”, ícones do samba rock. Vale a pena ouvir e sambar. Confira:

01 - Linha Na Pipa
(Geraldo Babão - Charles) 
02 - Talento Vem De Berço
(João Augusto)
03 - Estou Contigo E Não Abro
(Ana Rosely)
04 - Tem Que Mostrar Serviço
(Ana Rosely)
05 - Gostei De Você Mulher
(Ana Rosely)
06 - Calango
(Pedro Rainho - Ana Rosely)
07 - Batida Da Lata
(Ana Rosely)
08 - Rezei
(Jayme Rochner)
09 - Minha Plataforma
(Geraldo Babão - Clebinho)
10 - Preta Bonita Maria Da Pedreira
(Nelson Bastos - Antonio Valentim dos santos)
11 - Samba Black
(Quarentinha - Ana Rosely)

BÔNUS

12 - Meu Mundo 
(Ana Rosely - José Veiga) 
13 - Não Acostuma Não 
(Ana Rosely) 
14 - Banda Do Brejo
(Belizário - Diferraz) 
15 - Skim Dum Dum Dum 
(Ana Rosely - Machado Orlando)
16 - Samba Do Zuê 
(Timbira - Carvalho)




2 comentários:


  1. http://www31.zippyshare.com/v/AIyt7nCj/file.html

    ResponderExcluir
  2. Bom Dia, grandiosa postagem, mosca branca mesmo rs !!!. Existem mtos cantores que em meados dos anos 60 para 70, mudaram seu estilo musical. O fato também é uma questão de mudanças na música brasileira. Entre os anos 50 e 60 predominava a Bossa, porém, o samba que ainda não havia tomado as formas atuais acabou se fundindo com os violões e arranjos sofisticados da Bossa mas, com sua percurssão familiar, que na década de 70 se modernizou com as introduções de instrumentos do Fundo de Quintal.

    Há muitos livros que falam sobre as mudanças na "MPB" cito este: NAPOLITANO, M. História & Música: história cultural da música popular. 3ª. Ed. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2005.

    Há varios exemplos de cantores que mudaram sua personalidade para abranger o moderno e atrativo para a época. Ex da Beth Carvalho (que já havia gravado dois lps em grupos que não eram de samba 1966 - Os Gatos; 1967 - Conj. 3D; e em 1969 o LP Andança com Golden Boys que ainda não era em ritmo de samba, esta faixa só recebeu a roupagem clássica que toca nas rádios em 1979. A Beth gravou seu primeiro lp de samba só em 1973), Clara Nunes (Clara Nunes nos anos 60 ainda era uma menina e tinha seus primeiros lps com características de bossa e um tanto meigos: 1966 A voz Adorável de Clara Nunes; 1969 a Beleza Que Canta; 1968 grava Você Passa e Eu Acho Graça de Carlos Imperial e Ataulfo Alves que a conhece e a orienta a ser cantora de sambas, título que ela insistia não ser. Somente em 1971 ela grava um lp histórico de sambas e muda totalmente sua personalidade meiga para uma Serena e fervorosa defensora das Matrizes Africanas em ritmo de samba)

    ResponderExcluir