Pesquisar este blog

domingo, 31 de dezembro de 2017

Feliz Ano Novo a todos amigos e colaboradores


Vários intérpretes - 14 Maiorais - Volume 21 (LP 1974)

 Repostagem oferece áudio e arte gráfica do disco com melhor qualidade
Diante da boa receptividade dos internautas pela série “14 Maiorais”, projeto da gravadora Copacabana, o nosso amigo e colaborador Geraldo, a quem agradeço, fez a gentileza de enviar o 21º volume com áudio e arte gráfica com melhor qualidade em relação ao já postado no blog em 20 de agosto de 2013. A coletânea, lançada em 1974, reúne os principais lançamentos da gravadora, e o destaque fica por conta da faixa “Sempre lhe direi”, interpretada pelo Wanderley Cardoso, principal sucesso do disco. O repertório também traz Angela Maria, Nelson Ned, Claudio Fontana, Luiz Carlos Clay, Almir Rogério e outros. Confira:

01 - Wanderley Cardoso - Sempre lhe direi (Lady Lay)
(P. Groscolas – M. Jourdan – vs: Wanderley Cardoso)
02 - Luiz Carlos Clay - Cada dia que passa
(Cacá – Levy)
03 - Os Originais da Juventude – Gita
(Raul Seixas – Paulo Coelho)
04 - Almir Rogério - Um filho meu (You're having my baby)
(Paul Anka – vs: Chil Deberto)
05 - Suzy Darlen – Amiga
(Santiago – Wanderley Cardoso)
06 - Hydra - Homem com H
(Antonio Barros)
07 - As Exorcistas - O mundo é um conflito (This world today is a mess)
(D.Hyghtower – D. Daniel – vs: Rita – Eliana)
08 - Moacyr Franco - Tema de Barbara (La chanson pour Anna)
(André Popp – Jean Claude Massoulier – vs: Alberto Luiz)
09 - Nelson Ned - Eu fui feliz e não sabia
(Nelson Ned)
10 - Claudio Fontana - Domingo a tarde
(Claudio Fontana)
11 - Angela Maria - Eu vivo por estar contigo (Me muero por estar contigo)
(Pedro Villar – vs: Katia Maria)
12 - Roberto Muller - Me arrependo
(Cezão – Olavo Sergio)
13 - Silvana - Você é o maior amor da minha vida
(Rogério – Jean Pierre)
14 - Os Originais da Juventude - A noite mais linda do mundo (A felicidade)
(Donizette)

COLABORAÇÃO: Geraldo



sábado, 30 de dezembro de 2017

Arthur Murray Favorites Samba (LP S/D)

Álbum traz canções executadas por Chuy Reyes e Enric Madriguera et son orchestre
Aqui está mais um álbum sob a marca do Arthur Murray, empresário de danças, responsável pelo repertório e famoso por criar a maior rede de dança de salão do mundo. O disco, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, é inteiramente dedicado ao samba, com faixas executadas por Chuy Reyes e Enric Madriguera et son orchestre. O repertório inclui canções compostas pelos maestros, mas também traz clássicos da MPB, como “Tico tico no fubá”, internacionalizada pela Carmen Miranda, e “Os quindins de ya ya”, famosa pela interpretação da Aurora Miranda no filme "Você já foi à Bahia?" ("The Three Caballeros"), de Walt Disney, produzido em 1944. Infelizmente, o disco não informa o ano do lançamento, e as informações na rede são desencontradas, mas provavelmente foi gravado nos anos 1950.  Confira:

01 - Enric Madriguera et son orchestre - A batucada começou
(Ary Barroso)
02 - Enric Madriguera et son orchestre - Tico-tico no fubá
(Zequinha de Abreu)
03 - Chuy Reyes - Os quindins de yaya
(Ary Barroso)
04 - Chuy Reyes - Variations in d'minor
Chuy Reyes)
05 - Enric Madriguera et son orchestre - One night in Brazil
(Enric Madriguera)
06 - Enric Madriguera et son orchestre -  Saramba
(J. Thomaz - Duque)
07 - Chuy Reyes - Dança do quebra-quebra
(Chuy Reyes - Laurindo Almeida)
08 - Enric Madriguera et son orchestre - Juriti
(C. Gurgel)
09 - Chuy Reyes - The wedding samba
(Smail - Ellstein - Liebowit)
10 - Chuy Reyes - Los hijos de buda
(Rafael Hernandez)
11 - Enric Madriguera et son orchestre - Come to the mardi gras
(Bulhões - Oliveira - Drake - Shirt)
12 - Enric Madriguera et son orchestre - Minute samba
(Enric Madriguera)

COLABORAÇÃO: Laércio


sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Trilha nacional da novela Baila Comigo (LP 1981)

 Grandes intérpretes da nossa música estão na trilha sonora da novela
Em atenção ao pedido do internauta Sebastião, estou postando o álbum com a trilha sonora da novela “Baila Comigo”, produzida pela Rede Globo e exibida de 16 de março a 26 de setembro de 1981, em 162 capítulos. Foi a 26ª "novela das oito" apresentada pela emissora. Escrita por Manoel Carlos e dirigida por Roberto Talma (que acumulou a direção geral) e Paulo Ubiratan, a trama contou com atores como Lilian Lemmertz, Tony Ramos, Raul Cortez, Susana Vieira, Lídia Brondi, Betty Faria, Fernanda Montenegro, Carlos Zara, Cláudio Cavalcanti, Christiane Torloni, Lauro Corona, Tereza Rachel e Reginaldo Faria, entre outros. A trilha sonora é excelente, e traz canções interpretadas por grandes nomes da nossa música, como Maria Bethânia, Cauby Peixoto, Marina, Guilherme Arantes, Ney Matogrosso, Fafá de Belém e outros. Confira:

01 - Maria Bethânia - O Lado Quente Do Ser
(Marina Lima - Antonio Cícero)
02 - Guilherme Arantes - Deixa Chover
(Guilherme Arantes)
03 - Caetano Veloso - Lua E Estrela
(Vinicius Cantuária)
04 - Marina - Corações A Mil
(Gilberto Gil)
05 - Cauby  Peixoto - Loucura
(Joanna - Sarah Benchimol - Tony Bahia)
06 - Fafá De Belém - Pano De Fundo
(Ivan Lins - Vitor Martins)
07 - Robson & Lincoln - Baila Comigo
(Rita Lee - Roberto de Carvalho)
08 - Ney Matogrosso - Viajante
(Thereza Tinoco)
09 - Beth Goulart - Vida
(Milton Nascimento - Fernando Brant)
10 - Marcos Valle - Bicho No Cio
(Marcos Valle - Paulo Sérgio Valle - Leon Ware)
11 - Júnior - Rio Sinal Verde
(Gastão Lamounier - Luiz Mendes Jr.)
12 - Kleiton & Kledir - Vira Virou
(Kleiton Ramil)
13 - Naila Scorpio - Rapte Me Camaleoa
(Caetano Veloso)


quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Poly e sua guitarra hawaiana: Tangos em stereo (1969)

 Clássicos do tango são executados por Poly neste LP produzido pela Chantecler
Este álbum do Poly atende ao pedido do internauta Lennon Quoos. Ele está a procura da série – formada por três ou quatro volumes – gravada pelo músico apenas com tangos. O primeiro volume, o único que tenho para postagem, é este “Tangos em stereo”, lançado em 1969 pela Chantecler, que ainda lançou o segundo em 1971 e o terceiro em 1972.  Com sua guitarra hawaiana, Poly executa neste exemplar alguns clássicos do gênero, como “La cumparsita”, “Adios Pampa Mia”, “Mi Buenos Aires Querido”, “Adios Muchacho” e outros. Tenho certeza que os fãs de tango vão adorar. Confira:

01 - El Pañuelito
(G. Peñaloza - Juan de Dios Filibert)
02 -  Caminito
(Juan de Dios Filiberto)
03 - La Cumparsita
(M. Rodriguez - Contursi - P. Maroni)
04 - Mi Buenos Aires Querido
(Carlos Gardel - Alfredo Le Pera)
05 - Noche de Reyes
(Jorge Cury - P. N.Maffia)
06 - Cuesta Abajo 
(Carlos Gardel - Alfredo Le Pera)
07 - Adios Pampa Mia 
(Francisco Canaro - Marianito Mores)
08 - Garufa 
(A. Collazo - Fontaine Desnondind)
09 - Cantando
(Mercedes Simone)
10 - Sus Ojos Se Cerraron
(Carlos Gardel - Alfredo Le Pera)
11 - Adios Muchachos
(J.C. Sanders - C.F. Vedani)
12 - Silêncio
(H. Petorossi - Alfredo Le Pera - Carlos Gardel)


Banda Sidren - Vem com a gente (EP 2017)

 EP  revela influências recebidas da Legião Urbana, Charlie Brown Jr. e Raul Seixas
Quem gosta de pop rock tem agora a oportunidade de conhecer o novo EP da Banda Sidren, que acaba de ser lançado, e estará nas plataformas digitais a partir de fevereiro, segundo informa Jean Chambre, responsável pela criação do projeto, e que gentilmente enviou o disco para postagem. A banda é autora das quatro músicas do disco, no qual revela influências recebidas da Legião Urbana, Charlie Brown Jr. e Raul Seixas. Por se tratar de lançamento digital, o disco tem apenas a capa, razão pela qual montei a contracapa especialmente para ilustrar o post. O grupo é formado por Daniel Piu Piu (baixo e guitarra), Fábio Custódio (bateria ) e Jeferson  (guitarra e vocal). O grupo foi criado na cidade de Franco da Rocha (SP) em 2009 por amigos de escola, e desde então vem se apresentando com sucesso pela região por meio de canções próprias e covers de hits dos anos 80, alcançando relativo sucesso ao abrir shows da Banda Ira! O disco segue a  linha do EP "sonhar faz bem", lançado em 2013, e já postado aqui. Confira este:

01 - Vem com a gente
02 - Fecho os olhos
03 - Depois a gente conversa 
04 - Depois a gente conversa (Instrumental)


FICHA TÉCNICA:

Todas as músicas são de autoria da Banda Sidren.
Músicos: Daniel Piu Piu (baixo e guitarra), Fábio Custódio (bateria ) e Jeferson  (guitarra e vocal)
Criação do projeto: Jean chambre
Contato pelo Twitter: @Jean_chambre

COLABORAÇÃO: Jean Chambre


quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Cinderela - Coletânea Especial (2017)

 Cantora, atriz e locutora, Cinderela esteve em atividades entre 1951 e 1962
O nosso amigo Aderaldo, a quem agradeço, montou e me enviou esta coletânea especial da Cinderela, que esteve na ativa entre os anos 1950 e início dos 1960. Segundo o Museu da Televisão Brasileira, ela nasceu em 19 de dezembro de 1930 na cidade de Bebedouro, no interior de São Paulo. Começou a cantar num programa de calouros, na Rádio Clube de Ribeirão Preto, e mudou-se para São Paulo em 1951. Na capital, cantou nas rádios Tupi, Bandeirantes, Piratininga e Record. Bonita e graciosa, passou a brilhar nas noites paulistanas. O apelido Cinderela foi dado por Léo Albano, que a conheceu no restaurante do Hotel Excelsior, e em 1952 assinou contrato com a Rádio Bandeirantes. Cantava em  várias boates, como o Arpege, o Hotel Esplanada e o Lord, e foi contratada pela TV Paulista, onde ficou vários anos, pois além de cantar, também atuava como teleatriz e locutora.

Gravou seu primeiro disco em 1954, pela Copacabana  Discos. Seu maior sucesso aconteceu em 1958, quando gravou  pela RGE, "You are my destiny". Depois, foi contratada pela Companhia de Revistas de Juan Daniel, com quem viajou pelo Brasil e Buenos Aires. Houve problemas na excursão, por desorganização do grupo, e Cinderela voltou ao Brasil, indo novamente pra TV Paulista. Voltou outra vez às boates da época, e em 1956 foi contratada pela TV Record. Participou do filme "Vou te contá", e gravou músicas de carnaval. Em 1959,  fez excursão para Punta Del Este e, quando voltou, gravou discos para a RGE, RCA, Eco-Som, Ceme e California.  Sua carreira ia bem, quando se casou em 1962, e abandonou tudo. A informação mais recente, de 2013, revela que vivia ao lado do marido Ary numa pacata cidade mineira. Confira a cantora:

01 – 1954 - Precioso 
02 – 1954 - Ribeirão
03 – 1955 – Esta noite serenou
04 – 1955 – Isto é meu Brasil 
05 – 1957 - Accuracame 
06 – 1957 – Já que está 
07 – 1957 – Batatinha quando nasce
08 – 1957 - Ingratidão 
09 – 1958 – You are my destiny 
10 – 1958 – Vamos dançar a polka (Swedish Rhapsody
11 – 1958 - A culpada foi a cobra 
12 – 1958 – Brincando com fogo
13 – 1959 - Indifirença 
14 – 1959 – Roda bamba 
15 – 1961 – Vamos dar uma voltinha (Vamos Dar Un Paseito
16 – 1961 – Amor de mamadeira (Boogie Do Bebê) (Baby Sittin' Boogie)
17 -  1961 - A sereia de biquini
(La Malla A Rayas Que Provoca Silbidos En La Playa
18 – 1961 – Corre, Sansão (Run Samson Run)
19 – 1961 – Pode ir 
20 – 1961 – Casamento no Uruguai 
21 – 1962 – Agradeço a você (I Wanna Thank You)
22 – 1962 - O vendedor de felicidade (Le Marchand De Bonheur


COLABORAÇÃO: Aderaldo



sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Padre Zézinho SCJ - Feliz Natal, Jesus (EP 1972)

 Canarinhos Liceanos, Quinteto Vocal Misto e Natal Maleski são os intérpretes
José Fernandes de Oliveira SCJ, conhecido como Padre Zezinho, comparece no blog com este EP natalino, lançado em 1972 pelas Edições Paulinas. Para apresentá-lo, vou reproduzir o texto da contracapa, assinado pelo próprio padre, autor de todas as canções: “Você tem em mãos um instrumento de amor. Fizemos este compacto para a família. Pensamos nos avós em suas esperanças e sua paz interior - ‘eu quero caminhar em paz e para a luz’ -, nos pais com sua ternura e certeza – ‘a paz é uma criança, tão amada como um filho meu’ – nos jovens com sua procura – ‘eu pude amar melhor, descobri que estou vivendo de amor’ – e  nas crianças – ‘você será o meu irmão menor’.

São músicas cheias de ternura, obedecendo à delicadeza dos arranjos de Wilma Camargo e a riqueza de interpretação dos cantores, pequenos e grandes. Queríamos oferecer a você um Natal diferente, que tivesse muito do tradicional, mas que fosse muito atual no seu conteúdo e na sua mensagem. Esperamos ter acertado e, mais uma vez, servido a vocês que comungam de nossa fé no Cristo: o objetivo de nossos esforços e trabalhos. Gratos pela aceitação e procura de nossos humildes trabalhos. Feliz Natal!”. Confira:

01 - Quinteto Vocal Misto - Esta noite ninguém pode dormir
(Padre Zezinho SCJ)
02 - Natal Maleski e coro - Feliz Natal, Jesus
(Padre Zezinho SCJ)
03 - Canarinhos Liceanos - Dorme Menino Pequenino
(Padre Zezinho SCJ)
04 - Padre Zézinho SCJ e Canarinhos Liceanos - Canto de Simeão
(Padre Zezinho SCJ)



quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Jimi Hendrix - Merry Christmas and Happy New Year

 Single natalino do guitarrista foi lançado em 1999 pela Experience Hendrix  
Este single natalino do Jimi Hendrix, lançado em 1999, foi enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração. O lado A traz um pot-pourri com três canções, e no B a música “Three Little Bears”. Apontado como um dos melhores – senão o melhor – guitarrista de todos os tempos, James Marshall Hendrix nasceu em Seattle, nos Estados Unidos, em 27 de novembro de 1942, e morreu em Londres, na Inglaterra, em 18 de setembro de 1970, em circunstâncias que nunca foram completamente explicadas. O fato é que, depois da sua morte, foram lançados vários discos póstumos. No início deste mês, inclusive, foi anunciado que um álbum com gravações inéditas, feitas entre 1968 e 1970, será lançado no dia 9 de março de 2018. O novo disco, intitulado "Both Sides of the Sky", é a terceira parte de uma trilogia póstuma, que segue os lançamentos "Valleys of Neptune", de 2010, e "People, Hell and Angels", de 2013. Confira:

01 – Pot-pourri:
Little drummer boy
Silent night 
Auld lang syne
02 - Three Little Bears

COLABORAÇÃO: Laércio



quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Reginaldo Rossi - Coletânea Especial (2017)

 Reginaldo Rossi, o rei do brega, faleceu de câncer há exatos quatro anos
Hoje é dia de relembrar Reginaldo Rossi. Há exatos quatro anos, mais precisamente em 20 de dezembro de 2013, fomos surpreendidos com a triste notícia da sua morte em decorrência de um câncer no pulmão. Pra homenageá-lo, o nosso amigo Aderaldo montou e me enviou esta coletânea especial. Agradeço a ele por mais esta colaboração. A seleção, com 25 faixas, inclui alguns sucessos do Rei do Brega, como “A raposa e as uvas”, “Pedaço de mau caminho", “Mon amour, meu bem, ma femme”, “Era domingo”, “Sai de mim” e outras. O repertório também apresenta versões de hits internacionais, com destaque para “Toda quente” (“Kiss me quick”) e “Nasci para te adorar” (“It’s now or never”, releitura de “Ó sole mio”), ambas do repertório do Elvis Presley, “Eu acho que vou chorar (“There’s No More Corn On The Brasos”), do grupo The Walkers, “Baby uma doce ilusão” (“My Pledge Of Love”), sucesso do The Joe Jeffrey Group, e outras. A curiosidade fica por conta do registro ao vivo de "Coração de luto", maldosamente conhecida como "Churrasquinho de mãe", do Teixeirinha. Confira:

01 – Rossi “The King”
02 – Quero matar de saudade
03 – O pão
04 – A raposa e as uvas
05 – I love.com.br
06 – Eu acho que vou chorar (There’s No More Corn On The Brasos)
07 – Toda quente (Kiss Me Quick)
08 – Pedaço de mau caminho
09 – Mon amour, meu bem, ma femme
10 – Hoje a noite vou sair
11 – Eu acabo comigo
12 – Nos braços do meu amor (La Paloma)
13 – O gênio cabeludo
14 – Coração de luto
15 – Era domingo
16 – Eu devia te odiar
17 – Rock from Brazil
18 – Nasci para te adorar (Ó Sole Mio)
19 – Sai de mim
20 – Em plena lua de mel
21 – Coração em fogo (Torna A Surriento)
22 – Meu disfarce
23 – Baby uma doce ilusão (My Pledge Of Love)
24 – O rock vai voltar
25 – Have your ever seen the rain

COLABORAÇÃO: Aderaldo


terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Vários intérpretes - 14 Maiorais - Volume 9 (LP 1966)

 Grandes sucessos de 1966 estão reunidos neste nono volume da série
Olha só que legal: o internauta Bruno viu as postagens no blog da série “14 Maiorais”, projeto da gravadora Copacabana, que se estendeu entre 1962 e 1975, e me enviou o raro álbum número 9, lançado em 1966. Agradeço imensamente ao amigo pela valiosa colaboração que, com certeza, agradará aos colecionadores. Agora só faltam os volumes 2, 6 e 7 pra completar nossa coleção, formada por 22 álbuns, lembrando que o número 14 está disponível para download no blog La Playa Music, do nosso amigo Hedson. Grandes sucessos de 1966 estão neste nono volume, como “Eu nasci pra você” (Jean Carlo), “Malvadeza durão” (Elizeth Cardoso), “Te esperarei” (Wanderley Cardoso) e “Eu te darei bem mais” (Moacyr Franco), entre outros. Os destaques ficam por conta de duas versões do repertório dos Beatles: “Sem resposta” (“No reply”), com The Clevers em sua segunda formação, e “Oito dias da semana” (“Eight days a week”), com Os Sailors. Confira:

01 - Wanderley Cardoso - Il mondo
(Fontana - Pes - Meccia)
02 - Elizeth Cardoso - Tempo feliz (com Quinteto Luiz Loy)
(Baden Powell - Vinicius de Moraes)
03 - Agnaldo Rayol - Não mereço você (Non son degno di te)
(Migliacci - Zambrini - vs: Paulko Queiroz)
04 - Angela Maria - Cu-cu-rru-cu-cu Paloma
(Tomás Méndes - vs: Carlos Américo)
05 - Jean Carlo - Eu nasci pra você (Sono nato con te)
(Pino Donaggio - Vito Pallavicini)
06 - The Clevers - Sem resposta (No reply)
(Lennon - McCartney - vs: Norberto de Freitas)
07 - Conjunto Copacabana Bossa - Giramundo
(Luiz Carlos de Sá)
08 - Moacyr Franco - Eu te darei bem mais (Io te daró di piú)
(Alberto Testa - Memo Remigi - vs: Nazareno de Brito)
09 - Wanderley Cardoso - Te esperarei (Ti cercheró)
(Ricky Gianco - Pieretti - vs: Genival Melo)
10 - Elizeth Cardoso - Malvadeza durão
(Zé Keti)
11 - Waldir Calmon e seu conjunto - Dio come ti amo
(Domenico Modugno)
12 - Jean Carlo - Se non avesse piu te
(Zambrini Enriquez - Migliacci)
13 - Os Sailors - Oito dias da semana (Eight days a week)
(Lennon - McCartney - vs: Roberto Duarte)
14 - Os Diferentes - Não diga adeus
(Ronaldo - Márcio Antonucci)

COLABORAÇÃO: Bruno



segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Demétrius - O ritmo da chuva (LP 1976)

 Coletânea lançada pela Continental resgata os grandes sucessos do cantor
Em 1976, quando a Rede Globo exibiu a novela "Estúpido Cupido", ambientada nos chamados anos dourados, com trilha sonora que resgatou canções da época, as gravadoras encontraram a oportunidade de relançar gravações e intérpretes dos primórdios do rock.  Um dos exemplo é esta coletânea com grandes sucessos do Demétrius, lançada pela Continental, e intitulada “O ritmo da chuva”, mesmo título do quarto LP do cantor e compositor, produzido em 1964. O disco, provavelmente, só interessa aos colecionadores, pois não apresenta novidades aos seus fãs . O repertório inclui, além da faixa título, canções como “Não presto mas te amo”, “Rock do saci”, “Filme triste”, “Corinna, Corinna” e até “Voltou a carta”, versão de “Return sender”, hit do Elvis Presley. Confira:

01 - O ritmo da chuva (Rhythm of the rain)
(John Gummoe - vs: Demétrius)
02 - Voltou a carta (Return sender)
(O. Blackwell - W. Scott - vs: Demétrius)
03 - Corinna, Corinna
(Parish - Shaperman - Williams - vs: Demétrius)
04 - Selado com um beijo (Sealed with a kiss)
(Uddel - Geld - vs: Moacyr Bastos)
05 - Filme triste (Sad movies)
(J. D. Loudermilk - vsa: R. Nunes)
06 - Cinderela
(Paul Anka)
07 - Não presto mas te amo
(Roberto Carlos)
08 - O amor que perdi (Runaway)
(D. Shannon - Crook - vs: Fred Jorge)
09 - Rock do saci
(T. Chaves - B. Santiago)
10 - Esta tarde vi chover (Esta tarde vi llover)
(A. Manzanero - vs: J. Barroso)
11 - Uma lágrima no rosto (Una lacrima sul viso)
(Lunero - Mogol - vs: Fred Jorge)
12 - Chega (Makin'love)
(Robinson - A. Salvet - J. Plait - vs: Demétrius)
13 - O que fazer (Lonesome me)
(D.Gibson - vs: Demétrius - Albert)
14 - Quisera ser amado (I want to be loved)
(Bailes Bros. - vs: José Fortuna)


domingo, 17 de dezembro de 2017

Paulo Sérgio canta en castellano (LPs 1972/1974)

 Seleção traz sucessos como "Desiludido", "India" e "Agora quem parte sou eu"
Segue mais uma postagem “Dois em um”. Desta vez, o foco é o repertório em espanhol do saudoso Paulo Sérgio. A seleção, enviada pelo amigo Miguel, a quem agradeço, reúne canções dos álbuns “En castellano” (1972) e “El ultimo adiós” (1974), produzidos para o mercado latino. Não tenho referências sobre a discografia em espanhol do cantor, mas acredito que não deve ser muito extensa. Os destaques da postagems são as releituras de sucessos como “India”, “Desiludido” e “Agora quem parte sou eu”, entre outros. Confira:

01 - Desilusionado
02 - Ahora Quien Parte Soy Yo
03 - Recuerdos
04 - Hice un Mundo de los Dos
05 - Sin Ti
06 - Hice
07 - Idioma de Amor
08 - Una Historia, Un Camino
09 - Como Es Que Yo Voy a Vivir Tan Triste
10 - La Capilla
11 - Tu Me Dijiste Adiós
12 - Ni Mismo el Tiempo
13 - Quiero Verte Feliz
14 - Tampoco Cristo
15 - Maquinas Humanas
16 - El Último Adiós
17 - Preciso Tanto de Tu Hijo, Si
18 - Susana
19 - Las Aparencias Nos Engañan
20 - India


COLABORAÇÃO: Miguel


sábado, 16 de dezembro de 2017

Márcio Greyck - Dois em um (LPs 1967/1968)

Postagem reúne os dois primeiros álbuns do cantor, gravados na Polydor
Esta postagem, que reúne os dois primeiros álbuns do Márcio Greyck, lançados pela Polydor em 1967 e 1968, atende ao pedido do internauta Marquinho. O áudio é de um CD genérico, comprado numa feira de vinil, e montei as ilustrações para o blog. O disco se destaca pelas versões de sucessos dos Beatles, como “Lucy in the sky with Diamonds”, “Eleanor Rigby” e Penny Lane”, presentes no primeiro LP, com 11 faixas. O repertório também inclui “Com um dia a nascer”, versão de “A whiter shade of pale”, hit da branda britânica Procol Harum, e "Palavras", versão de "Words", dos Bee Gees. A curiosidade fica por conta da releitura de “Os velhinhos”, de José Messias, gravada originalmente pelo Roberto Carlos em 1965 no LP “Canta para a juventude”. Confira: 

01 - Ela me deixou chorando (Lucy in the sky with diamonds)
02 - Se você quiser o meu amor (She'd rather be with me)
03 - E ela não vem mais
04 - Venha sorrindo
05 - Quero ser livre (I wanna be free)
06 - Gosto de você e você de mim também
07 - Minha menina (Eleanor Rigby)
08 - Só sei olhar pra você (Can't take my eyes of you)
09 - Sempre vou te amar (When I'm sixty four)
10 - Com um dia a nascer (A whiter shade of pale)
11 - Penny Lane
12 - Beija-me agora
13 - Bonitinha (Jennifer eccles)
14 - Quero chorar
15 - Espero chover
16 - Os velhinhos
17 - Mundo vazio
18 - Palavras (Words)
19 - De como um adolescente voltou a infância e descobriu como era mais fácil viver
20 - Mamãe me ensinou (Your mother should know)
21 - Sem notar
22 - Por quem foi embora
23 - Devolva você pra mim (Sir Geoffrey saved the world)

Faixas - 01 a 11 - 1967
         12 a 23 - 1968

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Altair Lara - Sucessos de Ouro (CD S/D)

 CD traz releituras de hits do Wilson Miranda, Carlos José, Agnaldo Timóteo e outros
Grandes sucessos, conhecidos na voz de outros cantores, são interpretados pelo Altair Lara neste CD sem data, produzido pela gravadora Hermisom. O disco, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração, também foi lançado em vinil, e provavelmente foi gravado até meados dos anos 1990. Infelizmente, nem eu e nem o Aderaldo temos informações sobre o cantor. Descobri, em pesquisa na rede, que ele gravou o CD “Boleros & Canções”, e também dois compacto simples pela Top Tape, lançados em 1972 e 1973, um dos quais com  “Diga-me por favor”,  versão de “Tell me once again”, grande sucesso do grupo Light Reflections. Neste CD, ele faz releituras de canções como “Estou começando a chorar” (hit do repertório do Wilson Miranda), “Foste minha um verão” (Francisco Egydio), “Queria” (Carlos José) e outras. Confira:

01 - Estou começando a chorar
(Roberto Carlos)
02 - Lembrança (Un recuerdo)
(Chuco M. Gil - vs: Serafim Costa Almeida)
03 - Quando a esperança vai embora
(Antonio Marcos)
04 - Queria
(Luiz Carlos Paraná)
05 - Sonhando contigo
(Anisio Silva - Fausto Guimarães)
06 - O teu carinho (Che roga)
(C. Alirón - Silvio Laterza - vs: Palmeira)
07 - Eu quero
(Sergio Bittencourt)
08 - Foste minha um verão (Fuiste mia un verano)
(Vico Berti - Leonardo Favio - vs: Newton Miranda)
09 - Minha prece de amor (part. esp. Paulinho Boa Pessoa)
(Silvio Cesar)
10 - O amor está no ar
(Agostinho dos Santos)
11 - Obrigado querida (Merci chérie)
(Udo Jürgens - Thomas Hörbiger - vs: Nazareno de Brito)
12 - Tema do aeroporto (Airport love theme)
(Paul F. Webster - Alfred Newman - adapt.José M. Pereira)


COLABORAÇÃO: Aderaldo



quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Marizinha - Antologia - Meus momentos (2017)

 Marizinha, hoje no Trio Esperança, iniciou a carreira aos cinco anos de idade
Depois de postar um compacto duplo português, compartilhado entre a Marizinha e a Denise Barreto, e ler o comentário do nosso amigo Paulo Castelo Branco, no qual informa que a caçula dos irmãos Corrêa – integrantes do Trio Esperança e Golden Boys – iniciou a carreira em 1962, quando gravou um 78 rpm na Polydor com as faixas "'Cha Cha Cha' da Bonequinha" e "Menina, toma Jeito", achei interessante montar esta coletânea. Para isso, contei com a ajuda do amigo e colaborador Aderaldo, que prontamente atendeu ao meu pedido, e ainda forneceu uma antologia postada pelo Xocran Caviloso na Comunidade MC&JG, da VK, da qual retirei duas faixas incluídas aqui como bônus, pois tratam-se de participações especiais da Marizinha em discos do Marcos Valle e Djavan, e sobre as quais não tinha conhecimento. Agradeço a ambos pela colaboração.

Mariza Corrêa nasceu em 2 de abril de 1957, na cidade do Rio de Janeiro. Gravou seu primeiro e único disco de 78 rpm quando tinha cinco anos de idade, sendo que em 1963 entrou no estúdio da Philips para registrar "Natal da Menininha" na coletânea temática "Um feliz Natal". Ainda na década de 1960, durante a efervescência da Jovem Guarda, gravou mais três compactos simples pela Odeon entre 1966 e 1968, além de regravar “Moço, me ensine o caminho de ir para casa” para o LP filantrópico "12 brasas para você", acompanhada pelo grupo The Sunshines, incluída aqui como bônus.  Em 1968, passou a integrar o Trio Esperança, ao lado dos irmãos Mario e Regina, substituindo Evinha, que se lançava em carreira solo. Com o grupo, lançou quatro LPs, e voltou a cantar sozinha, gravando mais quatro singles pela Odeon entre 1977 e 1979. Na sequência, mudou-se para a França, onde vem atuando na nova formação do Trio Esperança, ao lado de Eva e Regina. Com esta formação, as três irmãs lançaram os CDs “A capela do Brasil” (1992), “Segundo” (1995), “Nosso mundo” (1999), “De Bach a Jobim” (2010) e “Doce França” (2013), revelando que seu talento vem de berço. Confira:

01 - 1962 - Cha cha cha da bonequinha 
02 - 1962 - Menina, tome jeito* 
03 - 1963 - Natal da menininha
04 - 1966 - Sorte da Glorinha
05 - 1966 - Moço, me ensine o caminho de casa
06 - 1968 - Não vou permitir, não*
07 - 1968 - A cara do boneco*
08 - 1968 - Não posso te dar atenção*
09 - 1968 - Preciso ter juízo
10 - 1977 - Mais uma vez
11 - 1977 - Vamos começar outra vez
12 - 1978 - Quanto mais te vejo
13 - 1978 - Você chegou pra ficar
14 - 1979 - Meus momentos
15 - 1979 - Em cores
16 - 1979 - Brincadeira de amor
17 - 1979 - Viola enluarada*
18 - 1966 - Bônus - Moço, me ensine o caminho de casa
19 - 1971 - Bônus - Marcos Valle - Black is beautiful (part.especial)**
20 - 1978 - Bônus - Djavan - Nereci (part. especial)**


*  Faixas cedidas pelo Aderaldo
** Faixas cedidas pelo Xocran Caviloso, da Comunidade MC & JG no VK

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Vários artistas - Apoteose, o show dos shows (LP 1970)

 Grandes intérpretes e autores da MPB estão reunidos neste LP da RGE
O texto na contracapa do álbum, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, já diz tudo sobre o conteúdo: “Este LP foi montado de vários shows memoráveis, realizados entre 1964 e 1965, com o objetivo de oferecermos ao público um documento musical da maior importância de uma fase inesquecível da Música Popular Brasileira. Aqui estão reunidos cantores e autores, hoje internacionalmente conhecidos, que tiveram sua ascensão marcada de forma decisiva, neste período que representou uma etapa decisiva na evolução da nossa música”. Confira:

01 - Jorge Ben - Chove Chuva
(Jorge Ben)
02 - Marcos Valle e Elis Regina - Terra De Ninguém
(Marcos Valle - Paulo Sérgio Valle)
03 - Nara Leão - Maria Moita
(Carlos Lyra - Vinicius de Moraes)
04 - Cesar Roldão Vieira - Sem Deus Com a Família
(Cesar Roldão Vieira)
05 - Toquinho -  Primavera
(Carlos Lyra - Vinicius de Moraes)
06 - Quarteto em Cy - Tem dó de mim
(Carlos Lyra)
07 - Edu Lobo & Yvette - Aleluia
(Edu Lobo - Ruy Guerra)
08 - Chico Buarque - Pedro pedreiro
(Chico Buarques de Hollanda)
09 - Zimbo Trio - Garota de Ipanema
(Tom Jobim - Vinicius de Moraes)
10 - Maysa - Nós e o mar
(Roberto Menescal - Ronaldo Boscoli)
11 - Alaíde Costa - Onde está você
(Oscar Castro Neves - Luercy Fiorini)
12 - Vinicius de Moraes - Mulher sempre mulher
(Tom Jobim - Vinicius de Moraes)

COLABORAÇÃO: Laércio


terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Vários artistas - Jovem Guarda Instrumental - Vol. VIII

 Oitavo volume da série reúne gravações realizadas entre 1963 e 1969
Em sequência a série “Jovem Guarda Instrumental”, apresento o oitavo volume, com 25 faixas gravadas entre 1963 e 1969. Parte das bandas é desconhecida do grande público, como os grupos paulistas Top Sounds (gravou um único álbum pela gravadora Albatroz em 1964) e Os Mutáveis (gravou um EP, distribuído apenas aos veículos de comunicação, e nem chegou a ser comercializado, sendo que as quatro faixas hoje estão disponíveis na Tratore). A seleção, que destaca grupos presentes em volumes anteriores da série,  também inclui músicos conhecidos, como Ronaldo Lark (pistonista, um dos fundadores do grupo Os Versáteis), Wilson das Neves (baterista e cantor, falecido em agosto deste ano, aos 81) e até o instrumentista Ed Lincoln, aqui como Cláudio Marcelo, um dos pseudônimos que usava. Confira:

01 - 1967 - The Dallans - Vem quente que eu estou fervendo
02 - 1967 - Bargs - Green star
03 - 1964 - Top Sounds - Wipe out
04 - 1967 - Ararype & The Killers - O gênio
05 - 1967 - Os Mutáveis - Thundeball
06 - 1968 - Os Titans - Music to watch girls by
07 - 1967 - The Five - O balão vermelho
08 - 1967 - Os Paqueras - Saidinha e assanhada
09 - 1963 - The Bells - Wadiya
10 - 1968 - Os Infernais - Muito incrementado
11 - 1968 - Brasa Seis - Swing safari
12 - 1967 - The Tunders - Down town
13 - 1967 - The Bip's - Ternura (Somehow it got to be tomorrow) (Today)
14 - 1967 - Joni Maza - You only live twice
15 - 1969 - Sergio Marcio e Seu Conjunto - Só me interessa você
16 - 1969 - The Brazilian Red Caps - To sir with love
17 - 1967 - Os Primitivos - Serenata (Schubert)
18 - 1969 - Mazzola e sua Orquestra - Eu amo e não sou correspondida
19 - 1968 - Ronaldo Lark - Quando
20 - 1969 - Wilson das Neves - Se você pensa
21 - 1966 - Os Balanceiros - Quero que vá tudo pro inferno
22 - 1967 - Os Craques da Música - Só vou gostar de quem gosta de mim
23 - 1965 - Claudio Marcelo e seu órgão - And I love her
24 - 1966 - Os Megatons - Balada do homem sem rumo
25 - 1965 - The Red Snackes - Bus Stop



segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Evaldo Braga - Mis canciones en castellano (LP 1972)

 Álbum produzido na Argentina inclui a versão de "Só quero" em espanhol
Evaldo Braga foi um dos grandes sucessos populares no início dos anos 1970 no Brasil, e sua projeção se estendeu para o mercado latino em 1972, quando foi lançado este “Mis canciones em castellano”, LP produzido na Argentina pela Polydor/PhonoGram, e enviado pelo amigo Miguel, a quem agradeço pela colaboração. O disco se destaca pela versão de “Só quero”, um dos sucessos de sua meteórica carreira, interrompida na manhã do dia 31 de janeiro de 1973 num acidente automobilístico. O veículo TL Variant, onde se encontrava o cantor, o motorista e seu empresário, colidiu com a carreta Scania Vabis L55, que vinha em sentido contrário, na BR-3 (atual BR-040), em Alberto Torres, à época município de Três Rios (hoje se encontra no município de Areal), no Rio. O artista e o motorista morreram uma hora depois de chegarem ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, na cidade de Três Rios. O empresário e o chofer da carreta sobreviveram aos ferimentos.

Segundo texto da contracapa do álbum póstumo, o terceiro da série “O ídolo negro”, Evaldo nasceu no Rio de Janeiro, em Campos dos Goytacazes, no dia 26 de maio de 1947 (vários artigos informam o ano de 1945), e nunca conheceu seus pais: foi abandonado na rua e encontrado por uma senhora do Juizado de Menores, que o encaminhou ao Serviço de Assistência ao Menor, onde viveu até atingir a maioridade. Trabalhou numa empresa funerária e numa companhia de aviação. Quando se viu sem possibilidade de emprego, foi engraxar sapatos na porta da Rádio Mayrink Veiga. Lá, conheceu o radialista Isaac Zaltiman, que apresentava o programa “Hoje é dia de rock”, e quem lhe deu a primeira oportunidade. Pouco depois, a rádio fechou e Evaldo não tinha sequer onde morar.

Ele dormia nos estúdios da Rádio Metropolitana quando o disc jockey Roberto Muniz conseguiu para Evaldo ajudar na divulgação do Lindomar Castilho, e passou a se integrar no meio artístico. Mas foi na Rádio Globo que encontrou Osmar Navarro, que lhe conseguiu a primeira gravação, o compacto simples com “Dois bobos” e “Não importa”, produzido em 1969 pela RCA Victor, que ainda lançou o single com “Sou tão feliz que posso até morrer” e “Canto pra você chorar” em 1973, provavelmente desengavetado, pois na época de sua morte pertencia ao elenco da Polydor. O sucesso viria a partir de 1971 com a música “Só quero”, que o credenciou a gravar o primeiro LP, “O ídolo negro”, seguido do segundo volume em 1972, e do terceiro, póstumo, com gravações inéditas, em 1973, além deste álbum em castelhano. Confira:

01 - Por Que Razón (Por que razão)
(Hailton Ferreira)
02 - Cuantas Veces (Quantas vezes)
(Evaldo Braga - Carmen Lúcia)
03 - Mis Penas y Mi Dolor (Meu delicado drama)
(Isaias Souza)
04 - La Cruz de Mi Vida (A cruz que carrego)
(Isaias Souza)
05 - Dios Mio (Meu Deus)
(Evaldo Braga - Cesar Saraiva da Silva)
06 - Ven Acá (Vem cá)
(Isaias Souza)
07 - Amo a Su Hija, Señor (Eu amo sua filha, meu senhor)
(Osmar Navarro)
08 - No Atiendas (Não atenda)
(Totó - vs: Ernesto escudero)
09 - Por Increible Que Parezca (Por incrível que pareça)
(Evaldo Braga - Isaias Souza - vs: Ernesto Escudero)
10 - Hoy No Tienes para Dar (Hoje nada tens pra dar)
(Carlos Odilon - Jair Rodrigues)
11 - Yo Quiero (Só quero)
(Evaldo Braga - Carmen Lúcia - vs: Ernesto Escudero)
12 - Por una Vez Más (Por mais uma vez)
(Nenéo - vs: Ernesto Escudero)

COLABORAÇÃO: Miguel

domingo, 10 de dezembro de 2017

Trilha sonora da novela Fera Radical (LP 1988)

 Fera Radical foi a 35ª "novela das seis" exibida pela Rede Globo de Televisão
A trilha sonora nacional da novela Fera Radical atende ao pedido da Helô. A telenovela foi produzida e exibida pela Rede Globo no horário das 18h00, entre 28 de março e 18 de novembro de 1988, em 203 capítulos, substituindo "Bambolê" e sendo substituída por "Vida Nova". Escrita por Walther Negrão, com colaboração de Ricardo Linhares, Luís Carlos Fusco e Rose Calza, com direção-geral de Gonzaga Blota, direção de Blota, Denise Saraceni e Fernando R. de Souza, foi a 35ª "novela das seis" exibida pela emissora, segundo a Wikipedia. No elenco, atores como Malu Mader, José Mayer, Paulo Goulart, Milton Gonçalves, Raul Gazolla, Yara Amaral, Laura Cardoso, Thales Pan Chacon, Carla Camurati e outros. A trilha, por sua vez, inclui grandes intérpretes da MPB, como Maria Bethânia, Cazuza, Gal Costa, Sá & Guarabira, Almir Sater, Jane Duboc, Lulu Santos e outros. Confira:

01 - Maria Bethânia - Verdades e Mentiras
(Jaime Além)
02 - Lulu Santos - A Cura
(Lulu Santos)
03 - Jane Duboc - Sonhos
(Lincln Olivetti - Robson Jorge - Mauro Motta)
04 - Virginie & Fruto Proibido - Más Companhias
(Don Beto - Virginie)
05 - Eduardo Dusek - Castigo
(Eduardo Dusek)
06 - César Camargo Mariano - Cremoso
(Sérgio Herval - Cesar Camargo Mariano)
07 - Almir Sater - Peão
(Renato Teixeira - Almir Sater)
08 - Gal Costa - Me Faz Bem
(Milton Nascimento - Fernando Brant)
09 - Sá & Guarabyra - Tabuleiro
(Sá - Guarabyra)
10 - Cazuza - Vida Fácil
(Frejat - Cazuza)
11 - Mu - Paraíso
(L. Quinderé)
12 - Tunai - Sobrou Pra Mim
(Tunai)
13 - João Caetano - Pedaços
(João Caetano - Otávio Daher)
14 - Solange - Fera Radical
(Solange - Maria Carmem Barbosa - Lincoln Olivetti)



sábado, 9 de dezembro de 2017

Os Populares - Chutando pedra (LP 1972)

 Álbum do grupo dissidente do The Pop's foi produzido pela PhonoGram
Mais uma raridade vinda diretamente do acervo do amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. Trata-se do LP lançado pela Polyfar/PhonoGram em 1972, ano em que o grupo também lançou o álbum “Volte, volte amor” pela Polydor, selo da mesma companhia. O grupo surgiu em 1967 no Rio de Janeiro, de uma dissidência do The Pop’s. Era composto por J. César (ex-The Pops, guitarra solo), Paulo Sérgio (ex-Os Aranhas, guitarra de ritmo), João Carlos (ex-Os Bárbaros, baixo elétrico), Pedrinho (ex-The Youngsters , bateria), e Carlinhos (teclado). O primeiro disco foi um compacto duplo com músicas de Natal, hoje muito raro, em 1967. Gravou nove álbuns como “Os Populares”, sem contar os discos sob pseudônimo, na RCA, PhonoGram e Top Tape, e atuou até por volta de 1978, com relativo sucesso. Seu estilo era, a princípio, basicamente instrumental, e depois passou a incorporar vocais em suas gravações, como neste disco, que se destaca pela faixa “Baioque”, também gravada pela Maria Bethânia. Confira:

01 - Quem dera (Libera Tu Mente)
 (Trino Mora – Versão: Rossini Pinto) 
02 - Amanheci pensando em você
 (Marcus Pitter) 
03 - Chutando pedra
 (Nenéo) 
04 - Minha estrela (La Paz, El Cielo Y Las Estrellas)
 (J. Moreno - L. Moreno - E. Rodway – Versão: Rossini Pinto) 
05 - Sol dourado
 (Almir Sant'Anna) 
06 - Custe o que custar
 (Moraes) 
07 - Baioque
 (Chico Buarque de Holanda) 
08 - Não tente lutar
 (Saparuga - Mazola) 
09 - Quem pode, pode
 (Hélio Matheus) 
10 - Você não vem
 (Moraes) 
11 - Você nem me liga (Shabala)
(Frederic François – Alain Darmor – Versão: Mazola) 
12 - Quero, quero e quero
 (Hyldon - Mazola)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


Painel de Controle - Black Coco (CS 1978)

Single português de 45 RPM traz tema da novela "Te contei?", da Rede Globo
Tema da novela “Te contei?”, da Rede Globo, a música “Black Coco” também foi lançada em Portugal neste compacto simples da RCA Victor em 1978, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço. O grupo Painel de Controle surgiu no Rio de Janeiro no final dos anos 1960, e foi idealizado por Paulo Rebello, o Paulinho Ovelha (guitarra). No início, a banda chamava-se "Os Pacíficos”, e era formada, além de Paulinho Ovelha, o bateirista Vavau, e ainda Sérgio e Tarciso. Em 1975, Paulinho Ovelha deixou a banda, e em seguida juntam-se ao grupo o vocalista Papi, Mauro, Katia e José Carlos, mudando o nome para "Painel de Controle". Em 1978, grava o disco “Desliga o Mundo”, produzido pelo diretor de criação Osmar Zan, com arranjos e regência de Lincoln Olivetti, que seria o grande e único disco de sucesso puxado por “Black Coco”. No ano seguinte, a banda foi extinta, após lançar o álbum "Chama a turma toda", ficando apenas a saudade desta que, embora discriminada pela crítica, foi a grande banda brasileira do final dos anos 1970. Confira:

01 - Black coco
(Ronaldo - Lincoln Olivetti)
02 - Chegue, chegue, chegue (Mais perto)
(Papi - Lincoln Olivetti - Ronaldo)

COLABORAÇÃO: Laércio


quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Johnny Hallyday - Coletânea Especial (2017)

Johnny Hallyday vendeu mais de 100 milhões de discos desde os anos 1960
 Coletânea especial apresenta músicas lançadas em sete compactos duplos
O cantor francês Johnny Hallyday faleceu nesta quarta-feira, 6 de dezembro, em Paris, aos 74 anos, vítima de um câncer de pulmão. Consagrado sob o apelido de "Elvis francês", o artista vendeu mais de 100 milhões de discos, e fez sucesso no Brasil entre 1966/1967, quando se apresentou no País na esteira dos hits “Noir c'est noir" (versão de “Black is Black”, do grupo Los Bravos, também conhecida pela releitura “Quem não quer”, na interpretação do Jerry Adriani) e “Cheveux longs, idées courtes” (“Cabelos longos e idéias curtas”, versão gravada pelo grupo The Brazilian Bitles). Em homenagem póstuma, montei esta coletânea especial com músicas de sete compactos duplos, gravados na fase pioneira do rock francês, entre 1960 e 1964, além das duas canções que fizeram sucesso por aqui.

Johnny Hallyday, nascido em Paris, no dia 15 de junho de 1943, de pai belga e mãe francesa, foi um autêntico fenômeno de massas que lançou uma centena de discos ao longo de uma carreira de 57 anos. Desde sua primeira canção gravada em 1960, "T'aimer follement", o roqueiro teve uma série de hits, como "Souvenirs, souvenirs", "Le Pénitencier", "Noir c'est noir", "Retiens la nuit", "Que je t'aime", "Gabrielle" e "Ma gueule", entre outros. Ao longo de uma vida acelerada, com muitos excessos divulgados pela imprensa, especialmente por suas relações amorosas tempestuosas (Sylvie Vartan e Nathalie Baye, com quem teve um filho e uma filha respectivamente) e por suas casas na Suíça e nos Estados Unidos, que geraram acusações de exílio fiscal. Era uma lenda vida, admirada por muitos. O último trabalho lançado foi o ao vivo "Rester Vivant Tour", de 2016. Ele também tinha carreira sólida no cinema, mas deixou sua marca como pioneiro do rock francês, com muitas versões de músicas norte-americanas. Confira:

01 - 1960 - Itsi bitsi petit bikini 
(Itsy bitsy teenie weenie yellow polka dot bikini)
02 - 1960 - Le plus beau des jeux
03 - 1960 - Depuis qu'ma môme
04 - 1960 - Je veux me promener (I want to walk you home)
05 - 1960 - Souvenirs, souvenirs
06 - 1960 - Pourquoi cette amour
07 - 1960 - Je cherche une fille
08 - 1960 - J'suis mordu
09 - 1961 - Nous, quand on s'embrasse (High school confidential)
10 - 1961 - Tu peux la prendre (You can have her)
11 - 1961 - Il faut saisir sa chance
12 - 1961 - Douce violence
13 - 1962 - L'idole des jeunes (Teenage idol)
14 - 1962 - Tout bas, tout bas, tout bas (Apron strings)
15 - 1962 - C'est le mashed potatoes (Little nitty pretty one)
16 - 1962 - Comme l'eté dernier (Dancin' party)
17 - 1963 - Tes tendres années (Tender years)
18 - 1963 - Elle est terrible (Somethin' else)
19 - 1963 - Poupée brisée (Broken doll)
20 - 1963 - Mashed potatoes time (Mashed potato time)
21 - 1963 - Pour moi la vie va commencer
22 - 1963 - Rien n'a changé
23 - 1963 - A plein cœur
24 - 1963 - Ma guitare
25 - 1964 - Le pénitencier (House of the rising sun)
26 - 1964 - Toujours plus loin
27 - 1964 - One more time encore une fois
28 - 1964 - Je te reverrai
29 - 1966 - Cheveux longs, idées courtes 
30 - 1966 - Noir c'est noir (Black is black)