Pesquisar este blog

domingo, 9 de abril de 2017

Vários intérpretes - Rock Melodia (CD s/d)

 CD com 18 faixas se destaca pelo repertório formado por clássicos do samba rock
Esta coletânea repleta de samba rock atende ao pedido do internauta Paulo Alexandre. A seleção, intitulada “Rock Melodia”, sem o ano do lançamento, foi fabricada em CD pelo selo Som de Valente, responsável também pelo segundo volume do LP de mesmo nome, já postado aqui. O disco, com 18 faixas, sendo quatro com Jorge Ben Jor e outras quatro com Erasmo Carlos, reúne alguns clássicos do samba rock, raros na época do lançamento, em meados dos anos 1990. No repertório, canções como “Você não entende nada” (Gal Costa), “Partido alto” (MPB-4), “Kriola” (Wanderléa), “Colcha de retalhos” (Marku Ribas) e “Sofre”, um blues interpretado pelo Tim Maia, entre outras. Confira:

01 - Claudette Soares - O cravo brigou com a rosa
(Jorge Ben Jor)
02 - Erasmo Carlos - Bom dia rock´n´roll
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
03 - Jorge Ben Jor e Maria Bethânia - Mano Caetano
(Jorge Ben Jor)
04 - Gal Costa - Deus é amor
(Jorge Ben Jor)
05 - Erlon Chaves - Carly e Carole
(Eumir Deodato)
06 - Caetano Veloso - Torno a repetir
(D.P. - arranjo Caetano Veloso)
07 - Gal Costa - Você não entende nada
(Caetano Veloso)
08 - Trio Mocotó e Jorge Ben Jor - Aleluia aleluia (E ainda tem mais)
(Jorge Ben Jor)
09 - Wanderléa - Kriola
(Helio Matheus)
10 - Erasmo Carlos e Jorge Ben Jor - Comilão
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
11 - MPB-4 - Partido alto
(Chico Buarque)
12 - Cesar Camargo - Tema de Cathy
(Cesar Camargo Mariano)
13 - Marku Ribas e Erasmo Carlos - Beira d'agua
(Marku Ribas - Erasmo Carlos)
14 - Jorge Ben Jor - Magnólia
(Jorge Ben Jor)
15 - Marku Ribas - Colcha de retalhos
(Raul Thomas)
16 - Erasmo Carlos - Haroldo,o robot doméstico
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
17 - Tim Maia - Sofre
(Tim Maia)
18 - Erasmo Carlos - A lenda de Bob Nelson
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)



sábado, 8 de abril de 2017

Vários artistas - Os campeões da popularidade (1978)

 Álbum lançado pela Bandeirantes Discos reúne intérpretes de várias gravadoras
Doze sucessos de 1978, produzidos por várias gravadoras, estão reunidos neste “Os campões da popularidade”, álbum lançado pelo selo Master, da Bandeirantes Discos. O disco, gentilmente enviado pelo amigo Miguel, a quem agradeço, se destaca pelo repertório interpretado por ídolos populares, como Paulo Sérgio, Wanderley Cardoso, Peninha, Angelo Máximo, José Augusto, Ronnie Von, e outros. Vanusa, com “Estado de fotografia”, e Cláudia Telles, com “Aprenda a amar”, são as presenças femininas do LP, que traz as revistas Contigo e Ilusão entre os realizadores. Confira:

01 - Sidney Magal - A Moça
(Lalo Fransen - Mandy - Serafim Costa Almeida)
02 - Wanderley Cardoso - Você Chegou Trazendo A Primavera
(Wanderley Cardoso - J. Oliveira)
03 - Vanusa - Estado de fotografia
(Malim - Sérgio Sá)
04 - Angelo Máximo - A Primeira Namorada
(Nicea Drumont)
05 - Paulo Sérgio - Você Pode Me Perder
(Paulo Sérgio - Carlos Roberto)
06 - José Augusto - Meu Primeiro Amor
(José Augusto - Miguel - Paulo Coelho)
07 - Ronnie Von - Vida Marcada
(Tony Osanah - Ronnie Von)
08 - Claudia Telles - Aprenda a Amar
(W.D'Avila - C. Telles)
09 - Roberto Leal - Menina Atrevida (Vai de Roda)
(Roberto Leal - Márcia Lúcia)
10 - Peninha - Novidades
(Peninha - M. Cidras)
11 - Nelson Ned - Eu Queria Ser Um Rouxinol
(Nelson Ned)
12 - Marcio José - Eu Te Amo (Te amo)
(C.Carmone - P.Seuran - Bigazzi - Tozzi - vs: O.Daumerie)

COLABORAÇÃO: Miguel


sexta-feira, 7 de abril de 2017

Demétrius - Compactos Raros (Coletânea 2017)

 Seleção com 15 faixas reúne músicas de dois EPs e quatro compactos simples
 Um dos destaques é  "Joana Maria, o sertão",  do Festival Nacional de MPB
Os amigos Aderaldo e Laércio, colaboradores do blog, me enviaram, e agradeço, pelos raros compactos do Demétrius. A ideia era postá-los gradativamente, mas achei melhor reuni-los num único post, e por isso montei esta coletânea, adicionando o disco de 78 RPM, já apresentado aqui, com “Cuide certinho do meu bem” e “Alfabeto de Natal”. No total, a seleção soma 15 faixas, e contém músicas de seis singles, sendo dois compactos duplos – um deles lançado em Portugal, e enviado pelo Laércio – e quatro simples, do acervo do Aderaldo. Entre os destaques estão as músicas “Joana Maria, o sertão”, concorrente do Festival Nacional de Música Popular Brasileira, realizado em 1968 pela extinta Rede Excelsior de Televisão, e “Tudo terminou”, lançada apenas no EP produzido pela gravadora Continental em 1978. Confira:

01 - 1961 - Cuide certinho do meu bem (Take good care of my baby) **
(King - Goffin)
02 - 1961 - Alfabeto de Natal (Christmas alphabet) *
(Buddy Kaye - Jules Loman - vs: Juvenal Fernandes)
03 - 1961 - Corinna, Corinna **
(Parish - Chapman - Williams - vs: Demétrius)
04 - 1961 - Perfeito amor (Perfect lover) **
(D. Norwood - vs: Paulo Rogério)
05 - 1961 - Jamais terá meu carinho (Penny moved away) **
(King - Goffin - vs: Demétrius)
06 - 1968 - Joana Maria, o sertão *
(Demétrius)
07 - 1968 - Olha o fogo, soldado *
(Demétrius)
08 - 1969 - Vaqueiro errante *
(Demétrius)
09 - 1969 - Minha lua *
(Demétrius)
10 - 1969 - O estranho de cabelos longos (El extraño del pelo largo) *
(Enrique Masllorens - Hiacho Lezica - vs: Demétrius) 
11 - 1969 - Hoje à noite *
(Demétrius)
12 - 1978 - O menino que eu era *
(Demétrius - Tony Chaves)
13 - 1978 - Eu vou embora *
(Demétrius)
14 - 1978 - Tudo terminou *
(Demétrius)
15 - 1978 - Esta tarde vi chover (Esta tarde vi llover) *
(A. Manzanero - J. Barroso)


*   COLABORAÇÃO: Aderaldo
** COLABORAÇÃO: Laércio



quinta-feira, 6 de abril de 2017

Vários intérpretes - Super Remix (CD 1996)

Repertório de remix é formado por grandes sucessos nacionais dos anos 1980
Uma boa dica pra quem gosta de remix é ouvir este CD lançado em 1996 pela Som Livre. O disco, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, traz 10 faixas bem produzidas, e resgata grandes sucessos dos anos 1980. A exceção é “Exército do surf”, originalmente gravada em 1964 pela Wanderléa, ainda na fase anterior a fama na Jovem Guarda. No repertório, canções como “Exagerado” (Cazuza), “Olhos coloridos” (Sandra de Sá), “Enrosca” (Fábio Junior), “Deixa eu te amar” (Agepê) e outras. O destaque fica para “Bete balanço”, primeiro sucesso do Barão Vermelho, presente no CD em duas versões, uma das quais como faixa bônus. Confira:

01 - Cazuza - Exagerado (Dance Mix)
02 - Sandra de Sá - Olhos Coloridos (Charm Version)
03 - Fabio Junior - Enrosca (Nino's Piano Mix)
04 - Agepê - Deixa Eu Te Amar (Love Melody Mix)
05 - Fafá de Belém - Sereia (Dance Version)
06 - A Turma Do Balão Mágico - Lindo Balão Azul (Euro Remix)
07 - Wanderléa - Exército Do Surf (L'Esercito del Surf)(Ragga Dance Mix)
08 - Barão Vermelho - Bete Balanço (Club Station Remix)
09 - Anne Duá - Indecente (1996 Remix)
10 - Barão Vermelho - Bete Balanço (Bonus Track) (Club Station Long Remix)


COLABORAÇÃO: Laércio



quarta-feira, 5 de abril de 2017

Martinha - Por quem estou apaixonada (LP 1968)

 Postagem se destaca pela faixa bônus "Eu sei o que quero", também de 1968
Este é o segundo LP da Martinha, lançado em 1968 pela AU – Artistas Unidos, selo da pernambucana Rozenblit. O disco, que confirmou o talento da jovem cantora e compositora, fez muito sucesso, e traz canções como “Eu daria a minha vida”, “Por quem estou apaixonada”, “Você não voltou” e “Se você não explicar”, todas de sua autoria e muito executadas nas emissoras de rádio. O repertório também inclui cinco canções de outros compositores: “Choro só por chorar” (Luiz Fabiano), “A minha melhor amiga” (Elizabeth), “Eu só queria namorar você” (Dori Edson), “Nem mesmo em sonho” (Renato Barros) e “A tão sonhada paz” (Castro Perret), também gravada pelo Almir Ricardi no LP postado anteontem. O destaque fica para a faixa bônus, “Eu sei o que quero”, lançada apenas no compacto simples de 1968 que trouxe “Pior pra você, bem pior pra mim”, incluída neste álbum, na outra face do disco. Confira:

01 - Por quem estou apaixonada
(Martinha)
02 - Se você não explicar
(Martinha)
03 - Choro só por chorar
(Luiz Fabiano)
04 - Eu daria a minha vida
(Martinha)
05 - Eu queria
(Martinha)
06 - Pior pra você, bem pior pra mim
(Martinha)
07 - Você não voltou
(Martinha)
08 - A minha melhor amiga
(Elizabeth)
09 - A tão sonhada paz
(Castro Perret)
10 - Não sei se  você sabe
(Martinha)
11 - Eu só queria namorar você
(Dori Edson)
12 - Nem mesmo em sonho
(Renato Barros)

BÔNUS

13 - Eu sei o que quero 
(Martinha)


terça-feira, 4 de abril de 2017

Jane & Herondy - A Volta (EP 1976)

 Compacto duplo produzido pela RCA Victor se destaca pelo sucesso "Não se vá"
Enviado pelo amigo Miguel, a quem agradeço pela colaboração, este compacto duplo da Jane & Herondy se destaca pela faixa “Não se vá”, uma versão de “Tu T'en Vas”, do Alain Barrière, principal sucesso do casal, que já tem sinopse da carreira divulgada no blog. O EP, lançado em 1976 pela RCA Victor, também oferece o hit “É um problema”, outra versão do cancioneiro francês, além de mais duas adaptações: “A volta” e “Estou aqui”. Confira:

01 - A volta (We Do It)
(R. Stone - vs: Fábio Marcel)
02 - Estou aqui
(F. Piccarreda - W.Johnson - Riclygianco - vs: Murano)
03 - Não se vá (Tu T'en Vas)
(Alain Barrière - vs: Thyna)
04 - É um problema (J'ai un probleme)
(J. Renard - M. Mallory - vs: Marcos Calazans)

COLABORAÇÃO: Miguel


segunda-feira, 3 de abril de 2017

Almir Ricardi - 12 certinhas dos jovens pra frente (1969)

Álbum produzido pela RCA Victor foi o primeiro da carreira do Almir Ricardi
Finalmente, após longa procura, o nosso amigo Aderaldo conseguiu adquirir este primeiro LP do Almir Ricardi, intitulado “12 certinhas dos jovens pra frente”, lançado em 1969 pela RCA Victor. Agradeço a ele por compartilhar este raríssimo álbum que se destaca pelas releituras de “Viu”, lançada originalmente pela Adriana, e “Deixa-me chorar”, do repertório do Nenéo, também gravadas pelo Wanderley Cardoso e Martinha. O disco, ainda inédito na rede, passou despercebido do grande público, e é mais um daqueles que logo mais estará nas redes sociais e em vídeos no Youtube, sem os devidos créditos. No repertório, uma música de autoria do Roberto Carlos, “Por você esqueço até de mim”, e duas composições do próprio Almir Ricardi: “Algum motivo para brigar” (em parceria com Márcio Alexandre e Jung Jacks) e “Minto ao mundo, mas não a você” (em parceria com Márcio Alexandre).

O cantor e compositor iniciou a carreira profissional como Almir Duarte. Em 1966, durante a efervescência da Jovem Guarda, gravou o primeiro disco, um compacto simples pela Continental com as músicas “O zorro” e “O vulto” (veja capa ao lado). No ano seguinte, foi contratado pela Som Maior, e por ela lançou outro single, com “À noite eu perturbo”, uma versão de “Strasera mi butto”, gravada pelo italiano Rocky Roberts, e “O durão”, composta pelo Almir em parceria com o então desconhecido Tim Maia. Na sequência, partiu para a RCA Victor, e a partir daí passou assinar o definitivo Almir Ricardi. Infelizmente, gravou poucos discos, e as informações sobre sua carreira são escassas na internet, apesar do sucesso obtido em 1984 com “Festa funk”, balanço de sua autoria em parceria com Lincoln Olivetti e Robson Jorge, ainda muito executada em bailes funk. Confira:

01 - Viu
(Carleba – Cury)
02 - Vento soprando
(Fernando Cesar)
03 - Algum motivo para brigar
(Almir Ricardi – Márcio Alexandre – Jung Jacks)
04 - Por você esqueço até de mim
(Roberto Carlos)
05 - A tão sonhada paz
(Castro Perret)
06 - O menino de Braçanã
(Luiz Vieira – Arnaldo Passos)
07 - Minto ao mundo mas não a você
(Almir Ricardi – Márcio Alexandre)
08 - Canto de errante
(Rildo Hora – Heitor Quintella)
09 - Vou contar de um a três
(Othon Russo – Niquinho)
10 - Vou viver, vou viver pra te amar
(Edson Trindade)
11 - Deixa-me chorar
(Nenéo)
12 - Foi como um botão de rosa
(Frankye Adriano)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


domingo, 2 de abril de 2017

Elizete Cardoso - Canções à meia luz (LP 1955)

Primeiro álbum da Elizete Cardoso foi produzido pela gravadora Continental
Este é o primeiro LP da Elizeth Cardoso - ainda do tempo em que assinava Elizete Cardoso – e foi lançado em 1955 pela Continental, após série de gravações em discos de 78 RPM. O álbum, de 10 polegadas, com oito canções, é mais uma colaboração do amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração. Megulhado no universo do samba canção, gênero de muito sucesso na época, o LP traz belas canções, como “Nunca mais”, do Dorival Caymmi, “Canção da volta”, da dupla Ismael Neto e Antonio Maria, e “Pra que me iludir”, de Radamés Gnattali e Norival Reis. O destaque é a releitura do clássico “Linda flor”, aqui creditada apenas em nome de Henrique Vogeler, sendo que em outros discos aparecem os nomes de Luis Peixoto e Marques Porto no trio de autores da canção, apontada como o marco inicial do samba canção. Confira:

01 - Canção da Volta - Samba-canção
(Ismael Netto - Antônio Maria)
02 - Nunca Mais - Samba
(Dorival Caymmi)
03 - Memórias - Samba
(Hianto de Almeida - Evaldo Ruy)
04 - Só Você Mais Nada - Samba-canção
(Paulo Soledade)
05 - Linda Flor - Samba-canção
(Henrique Vogeler - Luis Peixoto - Marques Porto)
06 - Se o Tempo Entendesse - Samba
(Marino Pinto - Mário Rossi)
07 - Caminha - Samba-canção
(Evaldo Ruy - Rolando Candiano)
08 - Pra Que Me Iludir - Samba
(Radamés Gnattali - Norival Reis)

COLABORAÇÃO: Laércio


sábado, 1 de abril de 2017

Nilton Cesar - Yo tengo un mar de amor (LP s/d)

Álbum com 12 faixas, sendo nove em castelhano, foi produzido na Argentina
Nilton César é mais um dos cantores brasileiros da Jovem Guarda que, a exemplo de Marcos Roberto, Martinha, Ronnie Von e tantos outros, gravaram seus sucessos em castelhano e obtiveram reconhecimento em países da América Latina. Este “Yo tengo un mar de amor”, fabricado na Argentina, reúne 12 faixas, sendo nove em castelhano, com destaque para o hit “La enamorada que soñé” ("A namorada que sonhei"), e três em português. O álbum foi baixado de um blog argentino, e do qual não me lembro o nome para dar o devido crédito. Fiz uma busca no Google, e até encontrei uma página com este LP postado, com o link vencido, mas provavelmente não é a minha fonte, pois a capa e a contracapa publicadas são marcadas com o nome do blog, diferentes das que tenho. Trata-se, é claro, de detalhe, pois o que vale é a possibilidade de reapresentá-lo para quem ainda não o ouviu. Confira:

01 - La enamorada que soñé
02 - Indecision
03 - Cuando se ama
04 - Nunca más
05 - Yo tengo un mar de amor
06 - Niña joven
07 - Cerca de los ojos y lejos del corazon
08 - Chiquilina
09 - Se a vida é assim (em português)
10 - Meu coração que te amava tanto (em português)
11 - Canto de amor y paz
12 -Tirintando (em português)



sexta-feira, 31 de março de 2017

Vários artistas - 14 maiorais - Vol. 17 (LP 1972)

 Série 14 Maiorais, da Copacabana, foi inspirada no projeto As 14 Mais, da CBS
Uma das mais populares coletâneas da discografia brasileira, a série 14 Maiorais – inspirada no projeto original da CBS/Sony, As 14 Mais, criado no início dos anos 1960 – divulgou os recentes lançamentos da Copacabana. A compilação, iniciada em 1962, teve mais de 20 volumes, e produziu praticamente dois LPs por ano. Este número 17, lançado em 1972, quando a série completava 10 anos desde o seu lançamento, foi enviado pelo amigo Miguel, a quem agradeço pela colaboração. O disco, assim como os demais, reúne os principais nomes do cast da gravadora, com destaque para Angela Maria, Moacyr Franco, Martinha, Wanderley Cardoso, Elizete Cardoso, Silvana e Benito Di Paula, artistas presentes em outros volumes. Confira este:

01 - Moacyr Franco - A Música do Meu Caminho (Music from across the way)
(Carl Sigman - vs: Nazareno de Brito)
02 - Martinha - Come Le Viole
(Peppino Gagliardi)
03 - Nelson Ned - Dá-me dá-me
(Nelson Ned)
04 - Luiz Eugênio - Férias de Verão (Summer Holiday)
(Tony Temple - Dell Clyde - vs: Domingos Paulo)
05 - Claudio Fontana - Não Tenho Dinheiro (No tengo dinero)
(Juan Gabriel - vs: Nazareno de Brito)
06 - Benito Di Paula - Ela
(Benito Di Paula)
07 - Ângela Maria - Guitarra Toque Mais Baixo (Chitarra suona piu'piano)
(Evangelist - Di Bari - Marrocchi - vs: Nazareno de Brito)
08 - Wanderley Cardoso - Fale Baixinho (Speak softly love)
(Nino Rota - Larry Kusik - vs: Rossini Pinto)
09 -  Elizeth Cardoso - Partido Baixo do Partido Alto
(Miguel Gustavo)
10 - Manhoso - Êta Trafego Danado
(Moacyr Bastos)
11 - Silvana - Adeus... Amor Adeus 
(Concierto para piano y orquestra nº 21 en do mayor)
(Mozart - Adapt. Sebastião Ferreira) 
12 - Almir Rogério - O Errante
(Almir Rogério)
13 - Helô e Beto - Você Não Tá Com Nada
(Silvio César)
14 - Frédéric François - I Love You, Je T'aime
(Frédéric François)

COLABORAÇÃO: Miguel



quinta-feira, 30 de março de 2017

Giane - O importante é a rosa (LP 1968)

Álbum produzido pela Chantecler inclui a releitura de "E por isso estou aqui"
O internauta Ricardo pediu e o nosso amigo Aderaldo, a quem agradeço, me enviou o álbum “O importante é a rosa”, lançado pela Giane em 1968. O LP, produzido pela Chantecler, se destaca pela bonita voz da cantora, límpida e afinada. O disco inclui a regravação da música “E por isso estou aqui”, sucesso do Roberto Carlos, e traz como curiosidade três versões de hits internacionas: “Esse amor que eu não queria”, adaptação de “A whiter shade of pale”, original do grupo Procol Harum, “Estarei ao seu lado”, releitura de “Reach out I’ll be there”, do repertório dos Four Tops, e “Esta é minha canção”, versão de “This is my song”, composta por Charlie Chaplin e famosa na interpretação da Petula Clark.  A canção fez parte da trilha sonora do clássico “A condessa de Hong Kong”, longa de 1967 estrelado por Marlon Brando e Sophia Loren. O LP também traz canções como “Meu bem não vá”, “O homem do coração de ouro”, “Volta amanhã” e outras. Confira:

01 - Meu bem não vá (Mais Tu T’en Vas)
(J. L. Chauby – B. Du Pac – Versão: Rossini Pinto)
02 - Estarei ao seu lado (Reach Out I’ll Be There)
(Brian Holland – Eddie Holland – Lamont Dozier – Versão: Alf Soares)
03 - Volta amanhã
(Fernando César – Mariá Brito)
04 - O homem do coração de ouro
(Alberto Calçada – Antônio Queiroz)
05 - Onde vais? 
(Reginaldo Rossi)
06 - Poeira
(Luiz Bonan – Serafim Colombo Gomes)
07 - O importante é a rosa (L’Important C’est La Rose)
(Gilbert Bécaud – Louis Amade – Versão: Geraldo Figueiredo)
08 - Agora sou imensamente feliz (Salute De Amore)
(Jack Seymour – Versão: Antônio Queiroz)
09 - Ontem e hoje
(Reginaldo Rossi)
10 - E por isso estou aqui
(Roberto Carlos)
11 - Esse amor que eu não queria (A Whiter Shade Of Pale)
(Reid – Brooker – Versão: Geraldo Figueiredo)
12 - Esta é minha canção (This Is My Song)
(Charlie Chaplin – Versão: Alexandre Círus)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



quarta-feira, 29 de março de 2017

Show tributo à Jovem Guarda será neste sábado

Show em Guarulhos contará com Jerry Adriani, Os Incríveis e Adam Roman

Recebi o press release de divulgação do “Show tributo à Jovem Guarda”, que será realizado no próximo sábado, 1º de abril, em Guarulhos, na Grande São Paulo. O evento contará com as apresentações do Jerry Adriani, Os Incríveis e Adam Roman, cover do Elvis Presley. O espetáculo acontecerá entre 16h00 e 21h00 no Internacional Eventos, situado na antiga instalação da Philips, na rua João Cavallari, 133. Trata-se de uma boa dica de entretenimento pra quem estiver em São Paulo e uma oportunidade de reviver as saudosas tardes de domingo. Vale a pena conferir. Ingressos e informações pelo telefone (11) 96689-0077.


Cauby Peixoto - Nono mandamento (EP 1962)

 EP produzido na Espanha traz gravações lançadas no Brasil em 1957 e 1958
Nos anos 1950, Cauby Peixoto desfrutava período de grande popularidade, e foi em 1957 que escreveu seu nome na história do rock nacional ao lançar em 1957 a música “Rock'n'roll em Copacabana”, de Miguel Gustavo, o primeiro do gênero em português gravado no Brasil. O disco de 78 RPM, produzido pela RCA Victor, foi acoplado com “Amor verdadeiro”, uma adaptação de “True Love”, no lado B, e fez muito sucesso. A versão, original de Cole Porter, foi resgatada em 1962 no mercado espanhol por meio deste raro compacto duplo, gentilmente enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração. O EP, de 45 RPM, se destaca pela faixa “Nono mandamento”, que dá título ao disco e foi lançada no Brasil em 1958, ano em que gravou também o bolero “Meu amor por você, outra faixa do vinil. O compacto ainda traz o beguine “Tinha que ser”, de Fernando César, produzido em 1957. Confira:

01 - 1958 - Nono mandamento - Samba canção
(Renê Bittencourt - Raul Sampaio)
02 - 1957 - Amor verdadeiro (True love) - Fox
(Cole Porter - vs: Alberto Ribeiro)
03 - 1958 - Meu amor por você - Bolero
(Lourival Faissal - Edson Menezes)
04 - 1957 - Tinha que ser - Beguine
(Fernando César)

COLABORAÇÃO: Laércio



terça-feira, 28 de março de 2017

Hearts of stone - vol.3 - Brasilian 60's Beat & Garage

Terceiro volume, com The Maskers na capa, traz raridades do rock garageiro
Terceiro e último volume da série “Hearts of stone - Brasilian 60's Beat & Garage”, produzida em 2001 na Alemanha, o disco mantém a proposta de resgatar pérolas brasileiras das bandas garageiras. Este terceiro foge à regra devido a inclusão de dois cantores: Altafini, que interpreta “Xaropão”, lançada em 1968 pela obscura Pauta Gravações, e Paulo Hilário, com “Não dou meu braço a torcer”, de um single da Chantecler produzido em 1967. Os destaques ficam por conta das raridades, como “Go on home” e “Dying” (interpretadas pelo grupo Outcasts), “Vem depressa meu amor” (Os Bittus), “O louco” (Bargs), “Whisky” (Le Groupe 'F'), “Why, oh why?” (The Beggers) e “Você não me agrada” (com The Snakes). O LP, com 16 faixas, ainda tem Os Juvenis, The Jungle Cats, Os Santos, Os Minos, Os Brasas, Brazilian Bittles e The Maskers, que estampam a capa. Confira:

01 - Os Juvenis - Eu tenho de achar um alguém
02 - The Brazilian Bitles - Dedicado a quem amei
03 - Bargs - O louco
04 - Paulo Hilário - Não dou meu braço a torcer
05 - The Jungle Cats - Vai
06 - The Snakes - Você não me agrada
07 - Outcasts - Go on home
08 - The Maskers - É dificil esquecer
09 - Os Santos - Três garotas
10 - Altafini - Xaropão
11 - Os Minos - Febre de minos
12 - The Beggers - Why, oh why?
13 - Os Bittus - Vem depressa meu amor
14 - Os Brasas - Lutamos para viver
15 - Outcasts - Dying
16 - Le Groupe 'F' - Whisky



segunda-feira, 27 de março de 2017

Hearts of stone - vol.2 - Brasilian 60's Beat & Garage

 
The Beggers e The Blackstones ilustram a capa deste segundo volume
Este é o segundo volume da série “Hearts of stone - Brasilian 60's Beat & Garage”, como grafada na capa, e traz bandas garageiras dos anos 1960 no Brasil. O LP, fabricado na Alemanha em 2001, se destaca por apresentar gravações raras na época do lançamento. Entre as raridades se destacam os registros de “Slow down” (com o grupo The Beggers), “Treat her right" (conhecida no Brasil pela versão “Cuide dela direitinho”, gravada pelo Erasmo Carlos, com The Beezoons), “Os monstros” (The Blackstones), “Shake” (Analfabitles) e “Sapato novo” (Jungle Cats), entre outras. Além delas, o álbum com 16 faixas ainda tem Os Incríveis, Renato e seus Blue Caps, Os Jovens, Os Brasas e outros grupos. Confira:

01 - Os Baobás - Pintada de preto (Paint in black)
02 - The Bubbles - Não vou cortar o cabelo (Break It All - 66)
03 - Analfabitles - Sunny side up
04 - Os Brasas - Não vá me deixar
05 - The Beggers - Slow down
06 - Os Jovens - Sofrendo por amor (Ill never know)
07 - The Beezoons - Treat her right
08 - The Blackstones - Os monstros
09 - Analfabitles - Shake
10 - Luizinho e seus dinamites - Carango twist
11 - The Beezoons - Hey! Good lookin'
12 - Jungle Cats - Sapato novo
13 - Os Brasas - Mulher rendeira
14 - Renato E Seus Blue Caps - Negro gato
15 - The Brazilian Bitles - É onda
16 - Os Incríveis - Vai, meu bem



domingo, 26 de março de 2017

Hearts of stone - vol.1 - Brasilian 60's Beat & Garage

 Série alemã de três volumes resgata bandas brasileiras de garagem dos anos 60 
“Hearts of stone - Brasilian 60's Beat & Garage” é o título da série de três LPs, produzida na Alemanha pela Mágica Records, com bandas brasileiras de rock dos anos 1960. Acredito que se trata de produção independente, dirigida aos amantes do vinil, considerando o LP diferenciado, cinza claro, sem a tradicional etiqueta/label no centro, e destacadas pelas letras “A” e “B” estampadas em cada lado do disco, com 14 faixas. Este primeiro volume, lançado em 2000, reúne artistas de diferentes gravadoras, e traz nomes conhecidos como Renato e seus Blue Caps, Os Jovens, Brazilian Bitles e Luizinho e seus Dinamites. Eles dividem espaço com as bandas garageiras Beatnicks, Som Beat, Beat Boys, Baobás, Top Five, The Maskers e Os Aranhas. Confira:

01 - Os Jovens - Coração De Pedra 
02 - The Beatniks - Fire 
03 - Luizinho E Seus Dinamites - Choque Que Queima 
04 - Som Beat - My Generation 
05 - The Beat Boys - Canudinho 
06 - Os Baobás - Down Down 
07 - The Beatniks - Cansado De Esperar 
08 - Renato e Seus Blue Caps - Vivo Só 
09 - Top Five - Esqueces Que Te Amei 
10 - The Beatniks - Outside Chance 
11 - The Brazilian Bitles - Filhinho Do Papai 
12 - The Maskers - Veja Só 
13 - Os Jovens - Se Você Contar 
14 - Os Aranhas - Gloria 


sábado, 25 de março de 2017

Vários artistas - As 14 Maiorais Extra (LP 1976)

 Sucessos de 1976 estão reunidos neste álbum da gravadora Copacabana
Inspirada pela CBS, que lançou no início dos anos 1960 a série “As 14 mais”, um álbum de compilação contendo os 14 maiores sucessos recentes do cast, a Copacabana criou projeto similar em 1962, denominado “As 14 Maiorais”, e produziu praticamente dois LPs por ano. No total, foram mais de 20 volumes, todos com grande vendagem. Em 1976, a gravadora lançou este álbum, uma extensão da série original, intitulado “As 14 Maiorais Extra”, gentilmente enviado pelo amigo Miguel, a quem agradeço pela colaboração. O disco reúne alguns sucessos do período, como “Moça bonita” (interpretada pela Angela Maria), “Vai ficar na saudade” (Benito de Paula), “Eles precisam saber” (Wanderley Cardoso) e outros. Uma das curiosidades é a desconhecida releitura de “Tu T'en Vas” (no Brasil, a versão “Não se vai”, fez muito sucesso com o casal Jane e Herondy), na interpretação de Jaqueline & Jean Claude. O álbum também traz Bebeto, Benito Di Paula, Elizeth Cardoso, Nelson Ned e outros. Confira:

01 - Angela Maria - Moça Bonita
(Jair Amorim - Evaldo Gouveia)
02 - Wanderley Cardoso - Eles Precisam Saber
(Wanderley Cardoso - J. Oliveira)
03 - Jaqueline & Jean Claude - Tu T'en Vas
(Alain Barrière - Noelle Cordier)
04 - Nelson Ned - Chega de Você
(Nelson Ned - Rosângela)
05 - Claudio Fontana - Você me Iludiu
(Claudio Fontana)
06 - Light Reflections - Sweet Love
(Santiago)
07 - Benito Di Paula - Vai Ficar na Saudade
(Benito de Paula)
08 - Elizeth Cardoso - Antes, Durante e Depois
(Paulo Cesar Pinheiro - Paulo Valdez)
09 - Bebeto - Ela Vai Mostrar
(Bebeto)
10 - Almir Rogério - Véu e Grinalda
(Rogério - Martini)
11 - Pietro Salvatore - Tornero
(Polizzi - Natili - Ramoino)
12 - Raul Gil - Nanci
(Bruno Arelli - Luiz Lacerda)
13 - Luiz Carlos Clay - Volta Pra Mim Amor (Vuelve Conmigo, Amor)
(Santiago - vs: Fred Jorge)
14 - Ditinho da Favela - Essa Nega Qué Mê Dá
(Caninha)

COLABORAÇÃO: Miguel



sexta-feira, 24 de março de 2017

Silvio Brito - Eu cantarei (LP 1978)

 Álbum produzido pela Rosicler/Continental inclui o hit "Tá todo mundo louco"
Silvio Brito marca novamente presença no blog com este “Eu cantarei”, álbum lançado em 1978 pelo selo Rosicler/Continental, gentilmente enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço por mais essa colaboração. O disco, com 12 faixas, 10 das quais de autoria do artista, inclui o sucesso “Tá todo mundo louco”, e se destaca pela faixa “Nostalgia 65”, com clara referência aos bons tempos da Jovem Guarda. O repertório do cantor, hoje também apresentador do programa “Silvio Brito em família”, na Rede Vida de Televisão, chama a atenção pelo tom nostálgico das letras, cheias de reminiscências, provavelmente oriundas da cidade mineira de Três Pontas, onde nasceu em 10 de fevereiro de 1952. Confira:

01 - Eu cantarei
(Silvio Brito – Edson Conceição)
02 - Quando o amanhã chegar
(Silvio Brito)
03 - Recordações
(Silvio Brito)
04 - Minha alegria
(Silvio Brito)
05 - Casinha
(S. Rodrigues)
06 - Nostalgia 65
(Silvio Brito)
07 - Cantilena
(Laerte Freire)
08 - Bom dia
(Silvio Brito)
09 - Namoradinha do mundo
(Silvio Brito)
10 - Quase 2000 anos depois
(Silvio Brito)
11 - Pipi dog
(Marcos Resende – Paulo Zamikhowsky - Silvio Brito)
12 - Tá todo mundo louco
(Silvio Brito)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quinta-feira, 23 de março de 2017

Vários artistas - Primeira audição - Vol. 4 (LP 1975)

 Álbum exclusivo para divulgação traz lançamentos da gravadora RCA Victor
Primeira Audição é uma série de LPs, da qual desconheço o tamanho, desenvolvida pela RCA Victor para divulgação dos mais recentes lançamentos. O disco, não colocado à venda no circuito comercial, foi enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço por mais essa preciosa colaboração. Este quarto volume, produzido em 1975, reúne canções que fizeram sucesso na época, como “Farofa-da” (com Mauro Celso), “Tô chegando, já cheguei” (Eliana Pittman), “Soleado” (Francisco Cuoco), “Quantas lágrimas” (Cristina), “Alone” (Junior) e outras. O álbum ainda traz artistas como Dave MacLean, Antonio Carlos e Jocafi, Os Originais do Samba e Palito Ortega, entre outros. Confira:

01 - Dave MacLean - Solitaire
(Sedaka - Cody)
02 - Carol Douglas - Doctor's Orders
(Greenaway - Coop)
03 - Antonio Carlos e Jocafi - Dona Flôr E Seus Dois Maridos
(Antonio Carlos e Jocafi)
04 - Palito Ortega - Eu Tenho Fé
(Palito Ortega - Marcelo Duran)
05 - Os Originais do Samba - Canto De Amor
(Délcio Carvalho - Barbosa da Silva)
06 - Francisco Cuoco - Soleado
(Zacar - Adapt. Ray Girado - Vs: Hélio Matheus)
07 - Mauro Celso - Farofa-fa
(Mauro Celso)
08 - Eliana Pittman - Tô Chegando, Já Cheguei
(Picolino da Portela - Caipira)
09 - Stark e McBrien - Isn't It Lonely Together
(R.McBrien - E.Levitt)
10 - Cristina - Quantas Lágrimas
(Manacê)
11 - Geraldo Nunes - Colcha de Retalhos
(Raul Torres)
12 - Junior - Alone
(A. Morales - S. Napier - Bell)

COLABORAÇÃO: Geraldo



quarta-feira, 22 de março de 2017

Carlos Gonzaga - Porque mentir (CS 1968)

 Compacto simples do Carlos Gonzaga foi produzido em 1968 pela RCA Victor
Este compacto simples do Carlos Gonzaga, lançado em 1968 pela RCA Victor e inédito na rede, atende ao pedido do internauta Antonio Arley. O disco, que passou despercebido pelo público, traz as músicas “Porque mentir” e “Eternamente”, não incluídas em álbuns do cantor, um dos pioneiros do rock brasileiro. Vou aproveitar a postagem e solicitar a quem tiver a música “A história de Bonnie e Clyde”, uma versão do Carlos Wallace para o hit “Ballad of Bonnie e Clyde”, que não tenho em coleção e também foi gravada pelo Carlos Gonzaga nesse mesmo ano de 1968 num compacto simples, anterior a este, agora postado. Confira:

01 – Porque mentir
(Jair Gonçalves – Oswaldo Cavasini) 
02 - Eternamente 
(Osmar Navarro)



Luizinho e seus Dinamites - Choque que queima (CD)

  Edição em CD se destaca por duas faixas bônus lançadas em compacto
Você não se enganou. Este álbum do Luizinho e seus Dinamites, originalmente produzido pela RCA Victor, já foi postado no blog. Na ocasião, solicitei o disco extraído do CD, lançado pela série Classic Collection, pois o apresentado é do vinil relançado pela Bruno Discos e disponível na rede. O internauta José Carlos, a quem agradeço, leu meu pedido e me enviou o álbum. O exemplar em CD se destaca por duas faixas bônus, lançadas pela Continental em compacto simples, com “Mundo imenso”, de autoria da cantora e compositora Elizabeth, e o pot-pourri de clássicos da nossa música: “Pé de manacá”, “Cintura fina”, “Meu limão, meu limoeiro” e “Está chegando a hora”. Confira:

01 - Dinamite
(Samwell - Euclides)
2. Choque que Queima
(Samwell - Euclides)
3. Driving guitars (Ventures twist)
(Wilson - Sogle - Edwards)
4. Eu Vou à Lua
(Samwell - Euclides)
5. As Estações
(Schrieder - Gold - Luizinho)
6. Apache
(Jerry Lordan)
7. A Raposa e o Corvo (The snake and the bookworm)
(Dosc Pomus - Mort Shuman - Luizinho)
8. Carango Twist (Down the line)
(R.Orbison - M.Marc - Lajean - Euclides)
9. Bongo Blues 
(Paramor)
10. Uma Voz na Solidão (A voice in the wilderness)
(Paramor - Lewis - Euclides)
11. Lâmpada do Amor (Lamp of love)
(Tepper - Bennett - Luizinho)
12. Guitar Twist
(Glasser - Allsup)

BÔNUS

13 - Mundo imenso
(Elizabeth Sanches)
14 - Medley:
Pé de manacá
(Hervê Cordovil - Marisa Coelho)
Cintura fina
(Zé Dantas - Luiz Gonzaga)
Meu limão, meu limoeiro
(D.P.)
Está chegando a hora
(Henricão - Rubens Campos)

COLABORAÇÃO: José Carlos



terça-feira, 21 de março de 2017

Joelma - Não te quero mais (EP 1967)

 Compacto duplo de 45 RPM foi lançado em Portugal pela Alvorada/Chantecler
A cantora Joelma, grande sucesso nos anos 1960 e 1970, comparece mais uma vez no blog com este compacto duplo enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração. O EP, de 45 RPM, foi lançado em 1967 pela Alvorada/Chantecler em Portugal, e certamente agradará aos colecionadores. O disco, com quatro versões de hits internacionais, se destaca pelas faixas “Não te quero mais” e “Onde estás”, muito executadas pelas emissoras de rádio no Brasil. A curiosidade é “Não me deixes não”, uma versão de “Je ne t'aime plus”, do cantor e compositor Christophe, feita pela própria Joelma. Confira:

01 - Não Te Quero Mais (Non, tu ne m'aimes plus)
(Bob du Pac - J.L.Cauby - vs: Glaucia Prado)
02 - Acredito que Te Amo (Ho capito que te amo)
(Luigi Tenco - vs: Glaucia Prado)
03 - Onde Estás (Non credo)
(A. Pascal - P. Mauriat - vs: Carlos Vidal)
04 - Não Me Deixes Não (Je ne t'aime plus)
(Christophe - vs: Joelma)


COLABORAÇÃO: Laércio


domingo, 19 de março de 2017

Chuck Berry - Rock & Roll Music - Vol. 1 (CD 1996)

Coletânea lançada pela Movieplay reúne os grandes sucessos do artista
O rock está de luto. O guitarrista, cantor e compositor Chuck Berry morreu ontem nos Estados Unidos, aos 90 anos, de causa ainda não revelada. Um dos mais importantes nomes entre os pioneiros que inventaram o rock’n’roll no início dos anos 1950, Chuck Berry fez história com seus elegantes riffs de guitarra e letras geniais, e influenciou todo mundo. "Se você tiver de dar outro nome ao rock'n'roll, poderia chamá-lo de Chuck Berry", disse John Lennon, dos Beatles (na foto abaixo), ao se referir sobre o ídolo. Em homenagem póstuma vou postar este CD, produzido no Brasil em 1996 pela Movieplay, contendo principais sucessos, como “Rock and roll music”, música que dá título a coletânea, "Maybellene", "Roll over Beethoven", "School Day", “Too much monkey business” e outros.

Nascido em 18 de outubro de 1926, em Saint Louis, no Missouri, Berry dizia emular "a clareza vocal suave de seu ídolo, Nat King Cole, enquanto tocava músicas de blues de gente como Muddy Waters", descreve a biografia em seu site oficial. Berry foi o quarto dos seis filhos de um empreiteiro e de uma diretora de escola. Ele aprendeu a tocar guitarra durante o ensino médio, quando passava por fase rebelde e foi preso por tentativa de roubo. Depois, trabalhou numa linha de montagem da General Motors. Passou a se dedicar exclusivamente à música nos anos 1950, quando formou um trio com um baterista, Ebby Harding, e um tecladista, Johnnie Johnson. Ele atingiu sucesso em 1955 quando conheceu a lenda do blues Muddy Waters e o produtor Leonard Chess em Chicago, e passou a misturar estilos do country e do blues do sul dos EUA com uma pegada pop, mais palatável para as rádios. Ele percebeu, antes de todos, que o adolescente precisava de uma música para chamar de sua, algo com que se identificasse e que o diferenciasse de seus pais.

Por conta disso, compôs verdadeiros hinos em que celebrava o rock e o contrapunha a outros gêneros musicais: em “Rock and Roll Music”, Berry canta que “não tem nada contra jazz moderno”, mas gosta mesmo é de rock. Em “Roll Over Beethoven”, brinca que Ludwig Van Beethoven rolaria em seu túmulo ao ver que o rock estava dominando o mundo. E em “School Day”, sintetizou o conflito de gerações que ele tão bem musicou: “Salve, salve, rock’n’roll / Livrai-me dos dias de outrora”. Além das músicas e da influência sobre todo um gênero, o músico também deixou sua marca na famosa "duck walk", na qual tocava sua guitarra enquanto pulava em uma perna agachado pelo palco, como fez o ator Michael J. Fox ao tocar “Johnny B. Goode” no filme “De volta para o futuro”. Sem dúvida, foi um gênio, e certamente será lembrado pelas futuras gerações como um dos pais do rock'n'roll. Confira:

01 - Maybellene
02 - Wee Wee Hours
03 - Thirty Days
04 - Together (We'll Always Be)
05 - Berry Pickin'
06 - Down Bound Train
07 - No Money Down
08 - Roly Poly
09 - You can't catch me
10 - Too Much Monkey Business
11 - Brown Handsome Man
12 - Roll Over Beethoven
13 - Drifting Heart
14 - Havana Moon
15 - School Day
16 - Blue Feeling
17 - Oh Baby Doll
18 - Rock And Roll Music
19 - I've Changed
20 - Reelin' And Rockin'

Todas as músicas são de autoria do Chuck Berry


sábado, 18 de março de 2017

Vários artistas - A grande parada - vol. 6 (LP 1978)

 Cantores como Paulo Sérgio, Silvinha, Wando e Dom estão incluídos no LP
Os seguidores do blog já devem conhecer a série “A grande parada”, coletânea iniciada em 1971 pela Beverly, contendo os grandes sucessos de artistas da gravadora. Os quatro primeiros volumes, lançados até 1974, já foram apresentados no SM, e ainda faltavam o quinto e o sexto. Graças ao amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração, agora é possível apresentar o sexto da série, lançado em 1978. O álbum, com 14 faixas, se destaca pelos hits “Eu te amo, eu te venero” (Paulo Sérgio), “Senhorita, senhorita” (canção do Wando, incluída na trilha da novela “Sem lenço, sem documento”), “Minha confissão” (Célio Roberto) e “Gut gut” (Tony Damito), entre outras. Confira:

01 - Paulo Sérgio - Eu te amo, eu te venero 
(P. Sérgio – C. Roberto)
02 - Angelo Máximo - Todo dia
(M. Nenzinho - Tuca)
03 - Célio Roberto - Minha confissão (Ave Maria)
(H. G. Moslener - M. Oberdorffer – Versão: C. Mendes – C. Dalto)
04 - Wando - Senhorita, Senhorita
 (Wando)
05 - Dom - Se meu santo um dia me ajudar
(Dom)
06 - Luiza Maura - Terreiro dos orixás
(N. Neto)
07 - Os Carbonos - Já não pensas mais em mim  (Ya no piensas)
(C. Montez – B. Meshel – Versão: Jean Pierre)
08 - Tony Damito - Gut gut
(T. Damito / Cezar)
09 - Sueli - Você tem que acreditar em mim - 1974
(Clayton / A. Carlos)
10 - Luciano Del Rey - Quarto de mansão
(Zé da Praia – P. de Paula)
11 - Silvinha Araújo - Algo de novo no ar
(W. Santos – T. Souza)
12 - Clayton - Importante é saber
(Clayton)
13 - Banda Pau Brasil - Te quiero mucho
(Hernandez – Silva – Aurellio - Rodriguez)
14 - Cleide Regina - Vamos começar tudo outra vez
(Penna - Dinah Ribeiro)

COLABORAÇÃO: Aderaldo