Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Hugo Santana - Coletânea Especial (2017)

 Sucesso nos anos 1960, Hugo Santana também se destacou como ator
A postagem de hoje é pra relembrar do Hugo Santana, cantor de muito sucesso nos anos 1960, mas esquecido do grande público. O artista, falecido em data e ano desconhecidos, nasceu em Palmeira dos Índios, no estado das Alagoas, em 5 de dezembro de 1936, e obteve consagração popular em 1962 com a guarânia “O passado não importa”, incluída nesta coletânea montada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. A seleção, com 15 faixas, se destaca pelas versões de "Strangers In The Night" (sucesso do Frank Sinatra) e "Dio, Come Ti Amo" (hit da Gigliola Cinquetti), além de duas músicas da trilha sonora da novela “A deusa vencida”, na qual atuou como ator ao lado de Gloria Menezes, Tarcisio Meira, Edson França, Altair Lima, Regina Duarte e outros.

Segundo o Dicionário MPB, o cantor estreou em disco em 1951, quando gravou no pequeno selo Carnaval a marcha "Colombina", de Gomes Cardim e Nilo Silva, e em dueto com Jeová, a batucada "Hoje não", de Zé Pretinho e Almeidinha. Em 1962 foi escolhido como o melhor cantor do rádio. Por essa época, redimensionou seu repertório, passando a figurar entre os chamados cantores românticos. Com seus 1,90m de altura, foi literalmente um galã do rádio e da TV nos seus primórdios no Brasil. Chegou a atuar em novelas e comandou em 1965 o programa “Show do meio dia”, na extinta TV Excelsior. Após gravar vários discos, Hugo Santana mudou-se em 1972 para Porto Rico, onde se apresentou no concurso Miss Universo naquele ano, e teria feito sucesso por lá. Mais informações sobre ele podem ser obtidas no site Histórias de Alagoas (aqui). Confira a seleção:

01 - Balada para uma deusa menina (Balada Do Amor)
(Theotônio Pavão – Zaé Junior)
02 - Pequena paisagem de amor
(Theotônio Pavão – Zaé Junior)
03 - Enquanto o verde reflorir (Somewhere, My Love)
(Maurice Jarre – Webster – Versão: Nazareno de Brito)
04 - Estranhos ao luar (Strangers In The Night)
(Kaempfert – Singleton – Snyder – Versão: Lana)
05 - Deus, como te amo (Dio, Come Ti Amo)
(Domenico Modugno – Versão: Demetrio Carta)
06 - Vem meu amor (Moon Over Naples)
(Kaempfert – Singleton – Snyder – Versão: N. Menezes)
07 - Seu passado
(Correto – Barrerito)
08 - Amor e carinho 
(Clayton – Santiago)
09 - Não empurrem
(Hugo Santana – P. Ricks)
10 - Astrologia (Astrologia)
(Pepe Luis – Versão: Carmo)
11 - Ai que coceira
(Hugo Santana – P. Ricks)
12 - Milhões e milhões
(Hugo Santana)
13 - Canção brasileira (do I FIC)
(Hekel Tavares – Luiz Peixoto)
14 - Menina
(Sérgio Moraes – B. Miranda)
15 - O passado não importa
(Alberto Roy – Frederico Rossi)


COLABORAÇÃO: Aderaldo


terça-feira, 19 de setembro de 2017

Dori Edson - O amor nos fará voltar (LP 1969)

 Único álbum do Dori Edson traz o hit "Perto dos olhos longe do coração"
Depois de postar a edição em espanhol do primeiro e único LP do Dori Edson, produzido em 1969 pela RGE, agora é a vez de apresentar o álbum original em português, gentilmente enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço pela colaboração. “Ele será uma surpresa para todos vocês, como também o foi para mim. Vocês irão encontrar ideias novas, novos sons, melhor aproveitamento dos instrumentos usados e arranjos bem pra frente”, destaca o texto impresso na contracapa e assinado pelo cantor Marcos Roberto, parceiro do Dori Edson na composição das 11 entre as 12 músicas do disco.  A exceção é a faixa “Pode voltar”, que abre o lado B, de autoria da Martinha. O destaque é o sucesso “Perto dos olhos longe do coração”. Confira:

01 - O Amor Nos Fará Voltar
(Dori Edson - Marcos Roberto)
02 - Você É Criança Prá Mim
(Dori Edson - Marcos Roberto)
03 - Não Adianta Mais Chorar
(Dori Edson - Marcos Roberto)
04 - Boa Noite
(Dori Edson - Marcos Roberto)
05 - Dá o Dedinho
(Dori Edson - Marcos Roberto)
06 - Você Tem Que Perdoar
(Dori Edson - Marcos Roberto)
07 - Pode Voltar
(Martinha)
08 - Encantamento
(Dori Edson - Marcos Roberto)
09 - Seu Adeus
(Dori Edson - Marcos Roberto)
10 - É Uma Loucura Amar Quando Se Ama Com Loucura
(Dori Edson - Marcos Roberto)
11 - Perto Dos Olhos Longe Do Coração
(Dori Edson - Marcos Roberto)
12 - Fingimento
(Dori Edson - Marcos Roberto)

Arranjos e regência: Portinho

COLABORAÇÃO: Geraldo


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Joelma - Não tenho culpa (EP 1969)

 Compacto duplo produzido pela Chantecler em Portugal traz quatro versões
Este compacto duplo da Joelma é mais uma colaboração do amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração. O disco, de 45 RPM, foi lançado em 1969 pela Chantecler em Portugal. Não o conhecia, pois é inédito no Brasil. As canções passaram praticamente despercebidas entre nós, com exceção da faixa “La Maritza”, que teve relativa repercussão, mas não a coloco entre os grandes sucessos da cantora. Confira:

01 - La Maritza
(J. Renard - P. Delanoe - vs: Adriano Celestino)
02 - Nasce do silêncio uma saudade de você (Le stagione dell'amore)
(Germani - Sanjust - vs: Adriano Celestino)
03 - Não tenho culpa (Ask any woman)
(Stewart - Langley - vs: Adriano Celestino)
04 - Só hoje descobri o quanto é bom viver (Your love is everywhere)
(Tony Hatch - Jackie Trent - vs: Cléo Galanth)


COLABORAÇÃO: Laércio




domingo, 17 de setembro de 2017

Trilha sonora nacional da novela O Casarão (LP 1976)

 O Casarão foi a 17ª novela das 8 exibida e produzida pela Rede Globo
A trilha sonora nacional da novela “O Casarão”, produzida e exibida pela Rede Globo entre 7 de junho e 10 de dezembro de 1976, atende ao pedido do internauta Marcelo. A trama, com 168 capítulos, substituiu “Pecado Capital”, e foi substituída por “Duas Vidas”. Escrita por Lauro César Muniz e dirigida por Daniel Filho e Jardel Mello, com Daniel Filho como diretor-geral, a novela foi a 17ª exibida pela emissora na faixa das 20h00. No elenco, atores como Paulo Gracindo, Gracindo Júnior, Sandra Barsotti, Dênis Carvalho, Yara Côrtes, Mário Lago, Paulo José, Aracy Balabanian, Renata Sorrah, Marcos Paulo e outros. O repertório é impecável, com canções interpretadas por artistas como Elis Regina, Dori Caymmi, Gal Costa, João Bosco, Rita Lee, Nara Leão e outros. Confira:

01 - Elis Regina - Fascinação (Fascination)
(Marchetti - Feraudy - vs: Armando Louzada)
02 - João Bosco - Latin Lover
(João Bosco - Aldir Blanc)
03 - Márcio Lott - Menina Do Mato
(Ruy Maurity - José Jorge)
04 - Aquarius - Carolina
(Chico Buarque)
05 - Chico Batera - Quibe Cru
(Jamil Joanes)
06 - Gal Costa - Só Louco
(Dorival Caymmi)
07 - Hermes Aquino - Nuvem Passageira
(Hermes Aquino)
08 - Rita Lee - Coisas Da Vida
(Rita Lee)
09 - Coral Som Livre - Tangara
(Geraldo Azevedo)
10 - Francis Hime - A Dor A Mais
(Francis Hime - Vinicius de Moraes)
11 - Nara Leão -   Capricho
(Francis Hime s/poema de Castro Alves)
12 - Dori Caymmi - O Casarão
(Ribamar - Romeu Nunes)
13 - Suely Costa - Retrato
(Suely Costa s/poema de Cecilia Meireles)




sábado, 16 de setembro de 2017

May East - Remota Batucada (LP 1985)

Após se desligar da Gang 90, May East lança primeiro LP solo pela EMI
Este é o primeiro álbum da May East, que iniciou sua carreira em 1981 na banda Gang 90 e as Absurdettes, onde permaneceu até 1984, quando partiu para carreira solo e gravou o compacto "Índio/Fire in the Jungle" pela EMI holandesa. Lançado em 1985, o LP “Remota Batucada” busca a junção de ritmos tradicionais brasileiros com sua principal influência, o technopop inglês. Isso fica patente em faixas como "Bumba My Boy" e "Maraka". O disco tem algumas participações especiais, como Fernando Deluque e Luiz Schiavon (RPM), Ted Gaz e Kid Vinil (Magazine), Alice Pink Pank e outros. Depois deste álbum, lançou outros discos, como Tabaporã (1987), Charites (1990), 1001 Faces (2001) e Happy Valentine’s (2006).

Maria Elisa Capparelli Pinheiro, seu nome de batismo, nasceu em São Paulo, em 29 de Janeiro de 1959. Atualmente, segundo a Wikipédia, desenvolve trabalhos de âmbito internacional com o movimento de transculturalidade, sustentabilidade e o movimento global das ecovilas. Mora há 20 anos na Ecovila Findhorn, na Escócia, onde é membro do Conselho Diretor e Diretora de Relações Internacionais entre a ONU e a Fundação Findhorn e a GEN-Global Ecovillage Network. Foi Coordenadora de Educação do Projeto de Ecovila de Findhorn e Embaixadora do World Wisdom Council do Club of Budapest. Atualmente coordena as ações da GEN e Gaia Education junto ao Grupo de Trabalho da "Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável da ONU - 2005-2014".  Teve papel proeminente no desenvolvimento das relações entre a Comunidade Findhorn e a ONU, que culminaram na formação do CIFAL, e viaja pelo mundo divulgando as iniciativas do Transition Towns. Confira o disco:

01 - Indio (part. esp. Fernando Deluque e Luiz Schiavon)
(Fernando Deluque - May East)
02 - Ideias de brincar
(Kodiak Bachine)
03 - Twilight zone
(May East)
04 - Elementais
(May East)
05 - Normal (part. esp. Ted Gaz e Kid Vinil)
(May East)
06 - Deus
(Mod-On - May East)
07 - Maraka (part. esp. Alice Pink Pank)
(May East)
08 - Bumba my boy
(Nico Resende - May East)
09 - Night Club em Beirute
(Léo Jaime - Tavinho Paes)
10 - Caim e Abel 
(part. esp. Fábio Golfetti, Nelson Coelho, Alberto Birger, Guilherme Isnard e Claudio Souza)
(Guilherme Isnard - Alberto Birger - Claudio Souza - Fábio Golfetti - Nelson Coelho)
11 - Fire in the jungle
 (part. esp. Fernando Deluque e Luiz Schiavon)
(Fernando Deluque - May East)


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

João da Praia - Coletânea Especial (2017)

Com simplicidade, João da Praia fez muito sucesso com "O boi vai atrás"
Sabe aquele artista que obtém fama meteórica e desaparece da mesma forma que surgiu? É o caso do João da Praia, que fez sucesso em 1974 com a música “O boi vai atrás”, vendendo cerca de 300 mil discos. Antônio Jorge Zacarias, seu nome de batismo, era analfabeto e tocava violão com apenas uma corda. Foi descoberto pelo produtor Jacques Ayres, quando vendia sorvete na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, e se apresentou num programa de TV. A acolhida pelo auditório foi tão boa que acabou contratado pela Beverly para lançar seu grande sucesso. Chegou a gravar outros discos, aqui reunidos pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. A seleção também inclui “Formiga cabeçuda”, que fez relativo sucesso, e duas músicas de sua autoria como faixa bônus.

Depois da fama, nunca mais fez sucesso, e trabalhou como motorista e balconista para sobreviver. O cantor e também compositor, de origem humilde, nasceu em 1950 no Rio de Janeiro em data desconhecida. As informações sobre sua morte são desencontradas. Segundo a Revista Veja, ele teria falecido na cidade de Duque de Caxias, no Rio, em 01 de julho de 1988, devido a um ataque cardíaco. Entretanto, amigos do compositor afirmam que morreu em 1989 na cidade de São Paulo, no Hospital Zona Sul, no bairro de Santo Amaro. Seu corpo está enterrado, segundo a mesma fonte, no cemitério São Luis, esquecido do grande público, mas pelo menos teve o consolo de desfrutar seu momento de fama. Confira:

01 - Formiga cabeçuda
(João da Praia)
02 - Preta linda
(João da Praia)
03 - O boi vai atras
(João da Praia)
04 - Meu cajueiro
(João da Praia)
05 - Com minha vaca lavei a égua
(Almir - João da Praia)
06 - Muito enrolado
(Lindomar Castilho - Carlos Randall)
07 - Custo de vida até o ano 2001
(João da Praia)
08 - Rock coceira
(João da Praia)
09 - Maria Chica 
(João da Praia - Jorge Oscar Betcher)
10 - Seu Cimbaba
(João da Praia)
11 - Sapo papando a mosca
(João da Praia - Gugu - Tomé)
12 - Tá tá na hora
(Alzira Ligeiro Betcher)
13 - Sargento Benedito
(Dito Clay)

BÔNUS (Composições de sua autoria)

14 - Ed Carlos - Roberto meu amigão
(Ed Carlos - João da Praia - José Rizzo)
15 - Vandilson - Vou trabalhar
(João da Praia - Vandilson)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Arthur Murray's music for dancing - The twist (LP 1961)

 Álbum conta com a participação da banda do saxofonista King Curtis Combo
Quem é ligado em dança deve conhecer o Arthur Murray, famoso por criar a maior rede de escolas de dança de salão do mundo, com mais de 270 filiais em 22 países, incluindo o Brasil. Ele nasceu em 4 de abril de 1895 na Europa, e aos dois anos sua família foi morar nos Estados Unidos, onde faleceu em 3 de março de 1991. Logo se interessou pela dança, e desenvolveu método exclusivo de ensino para crianças e adultos. Transformou seu conhecimento em negócio a partir de 1912. Professor, empresário, dançarino e showman, Murray ganhou programa na televisão, rádio e criou sua própria orquestra, gravando vários discos para dança, voltados para ritmos como tango, samba, mambo e rock, entre outros . Este álbum, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, foi lançado em 1961 pela RCA Victor, e é dedicado ao twist, contando com a participação da banda do saxofonista King Curtis Combo. Vale a pena conferir:

01 - Jersey Bounce Twist
(Plater - Johnson - Bradshaw - Wright)
02 - Twistin´ Time *
(Curtis Ousley) 
03 - Honeysuckle Rose 
(Thomas Waller - Andy Razaf)
04 - The Peppermint Twist *
(Dee - Clover)
05 - The Huckle-Buck 
(Roy Aldred Andy Gibson)
06 - The Arthur Murray Twist *
(Wayne - Moore - Murray)
07 - Stompin' At The Savoy
(Sampson - Goodman - Webb)
08 - The Twist *
(Hank Ballard)
09 - 12th Street Twist 
(Euday L. Bowman)
10 - Let's Twist Again *
(Kalmann - Dave Appell)
11 - Alright Okay, You Win
(Sid Wyche - Mayme Watts)
12 - The Fly *
(J. Madara - D. White)

* Vocal do Conjunto de King Curtis Combo

COLABORAÇÃO: Laércio


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Vários intérpretes - Globo de Ouro - Vol. 2 (LP 1977)

Principais sucessos do momento estão neste segundo volume da série
Uma das coletâneas de grande sucesso da Som Livre foi a série Globo de Ouro, baseada no programa de TV produzido e apresentado pela Rede Globo entre 06 de dezembro de 1972 e 28 de dezembro de 1990, e hoje em reprise pelo Canal Viva. Ao longo desse período, a atração mensal teve diferentes diretores e apresentadores, e foi ao ar em vários dias da semana, chegando a ser semanal em algumas épocas. O objetivo era levar ao telespectador os maiores sucessos musicais do momento. O projeto ganhou maior dimensão em 1976, quando foi lançado em disco o primeiro volume da série que desconheço o tamanho. Este segundo é de 1977, e traz canções interpretadas por artistas como Zé Rodrix, Beth Carvalho, Wanderley Cardoso, Angela Maria e outros, além de covers do Raul Seixas e Belchior. Confira:

01 - Zé Rodrix - Soy Latino Americano
(Zé Rodrix - Livi)
02 - Beth Carvalho - Antes Ele Do Que Eu
(Paulinho Soares)
03 - Ruy Maurity - Nem Ouro Nem Prata
(Ruy Maurity - José Jorge)
04 - Wanderley Cardoso - Eles Precisam Saber
(Wanderley Cardoso - J. Oliveira)
05 - Marilia Barbosa - Caso Você Case
(Vital Farias)
06 - Beto - Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás
(Raul Seixas - Paulo Coelho)
07 - Waldirene - O Homem Da Minha Vida
(Wanderley Cardoso - J. Oliveira)
08 - Julio Cesar - Marie (Nunca diga adeus)
(R. Siegel - M. Holm - Siderius)
09 - Hermes Aquino - Nuvem Passageira
(Hermes Aquino)
10 - Angela Maria - Moça Bonita
(Jair Amorim - Evaldo Gouveia)
11 - Moacyr Franco - Reencontro
(Alberto Luiz)
12 - Roberto Leal - Bate o Pé
(Roberto Leal - K. Maria)
13 - Rita Lee - Superstafa
(L. Sérgio - L. Marcucci)
14 - Tony Bizarro - Que Se Faz Da Vida
(Tula - Yara)
15 - Jane & Herondy - Não Se Vá (Tu t'en vas)
(A. Barriere - Thyna)
16 - O Som do Sucesso - Apenas um Rapaz Latino Americano
(Belchior)



domingo, 10 de setembro de 2017

Ernesto Hill Olvera - O órgão que fala (EP 1961)

 Olvera criou a técnica no órgão que extrai sonoridade similar a voz humana
Eis um músico mexicano que não conhecia. O disco, lançado em 1961, foi enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço, é muito curioso, porque Ernesto Hill Olvera foi o criador da técnica no órgão que conseguiu fazê-lo cantar. Literalmente, ele tomou as palavras de seu hammond, abrindo progressivamente as barras do órgão para formar vogais e sonoridades muito semelhantes às da voz humana. Apesar de ser cego desde os 7 anos de idade, ele conseguiu aprender o piano e foi o primeiro no mundo a desenvolver esta técnica. Foi assim que ele conseguiu gravar vários discos e aparecer em filmes da época, como "Beijinhos Proibidos", "Teatro do crime" e " Os Três Boêmios".  Olvera nasceu em Aguascalientes em 1936 e morreu em 1967 em Guadalajara, um pouco esquecido, mas sua técnica ainda é estudada em todo o mundo. Confira:

01 - Lamento Borincano (com Los Tres Ases)
(Rafael Hernández)
02 - Cantando
(Mercedes Simone)
03 - Prisionero Del Mar
(Luis Arcaraz)
04 - Alma Llanera (com Los Tres Ases)
(P. Elias Gutiérrez)

COLABORAÇÃO: Geraldo


sábado, 9 de setembro de 2017

Giane - A Voz Doçura (LP 1966)

 Quarto LP da Giane inclui o sucesso "Olhos tristes", com Barros de Alencar
Depois do sucesso de canções como “Dominique”, “Preste atenção”, “Não saberás” e outras, gravadas entre 1964 e 1965, Giane se consagrou como uma das mais populares cantoras do Brasil, graças a sua voz, afinada, e deliciosa de ouvir. Não por acaso, este quarto LP da cantora traz o título “ A voz doçura”, lançado em 1966 pela Chantecler, reforçando o conceito dado no primeiro álbum, “Esta é Giane – A voz doçura”, produzido em 1964. O disco, ao que tudo indica, seria intitulado “A ternura de Giane”, como consta impresso nos selos do vinil, mas a gravadora achou por bem não destacá-lo na capa, pois nesse mesmo ano foi lançado o LP “A ternura de Wanderléa” pela CBS/Sony. O fato é que, mais uma vez, Giane manteve o êxito dos discos anteriores, graças ao sucesso da faixa “Olhos tristes”, que abre o álbum, e traz declamação do saudoso Barros de Alencar. Destaques para as versões de “Io Ti Daró Di Piu”, "In Un Fiore" e “Dio, Come Ti Amo”. Confira:

01 - Olhos Tristes (There Won't Any Snow)
Declamação: Barros de Alencar
(Paul Vance - Lee Pockriss - vs: Gláucia Prado) 
02 - Nunca É Tarde Para Recomeçar (Le Loup Sait Attendre)
(Jean Loup Chauby - Bob Du Pac - vs: Gláucia Prado) 
03 - Eu Te Darei Bem Mais (Io Ti Daró Di Piu)
(Memo Remigi - Alberto Testa - vs: Nazareno de Brito) 
04 - Numa Flor (In Un Fiore)
(Carlo Donida - Mogol - vs: Gláucia Prado) 
05 - Herança
(Paulo Queiroz - Willy Join - M. Alice) 
06 - Retornarás (Ritornerai)
(Bruno Lauzi - vs: Amaury Mazorca) 
07 - Ele Voltará (Un Bacio Sulle Dita)
(Pattacini - Mascioni - vs: S. de Queiroz) 
08 - Cupido Sabido (Enamorada)
(P. Flores - Tine - vs: Gláucia Prado) 
09 - Volte Pra Mim (Il Diritto Di Amare)
(Tomaso Albinoni - Lunero - Vito Pallavicini - vs: Gláucia Prado) 
10 - Eu Sei (J'etais En Amérique)
(Jean Loup Chauby - Bob Du Pac - vs: S. de Queiroz) 
11 - Meu Tempo de Pierrot
(Elso Augusto) 
12 - Deus, Como Te Amo (Dio, Come Ti Amo)
(Domenico Modugno - vs: Demetrio Carta) 



quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Os Carbonos - Brasil Brasil (CS 1971)

Raro single lançado pela Beverly traz mesma música nos dois lados do disco
Campanha publicitária do regime militar promoveu sentimento de ufanismo 
Hoje, 7 de setembro, dia da Independência do Brasil, vou postar este raro compacto simples do grupo Os Carbonos, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. O disco, lançado pela Beverly em 1971, é do tempo em que o governo militar  aproveitou a conquista da Copa do Mundo de 1970 para promover o sentimento de ufanismo nacional. Um dos passos foi a campanha “Brasil, Ame-o ou Deixe-o” para induzir o povo brasileiro a idolatrar seu País, e aceitar a ideia da ditadura. Os não adeptos a ideia poderiam deixar o Brasil. Não por acaso, este compacto com selos verde e amarelo, cores da nossa bandeira, traz a música “Brasil Brasil”, de autoria do Alberto Luiz, que também a gravou, nas duas faces do disco, sendo que a instrumental, no lado B, é “para professores e pais ensinarem às crianças”, como aparece impresso no rótulo. Confira:

01 - Brasil Brasil
(Alberto Luiz)
02 - Brasil Brasil (Instrumental)
(Alberto Luiz)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Vários intérpretes - Juventude Esquema-64 (LP 1964)

 Coletânea produzida pela RCA Victor inclui grandes sucessos de 1964
Este “Juventude Esquema-64” atende ao pedido do internauta Everton. O LP, lançado em 1964 pela RCA Victor, não é do meu acervo. Diante da solicitação, vi que tinha boa parte do repertório, e decidi montá-lo porque consegui baixar as imagens da capa e contracapa. A possibilidade de postá-lo se deve especialmente ao amigo e colaborador Geraldo, a quem agradeço por me enviar a faixa “Levam”, interpretada pelo Marcos Valentim, a única que faltava para completar o disco. O álbum inclui alguns sucessos do período, como “Rua Augusta” (Ronnie Cord), “Eu que amo somente a ti” (José Ricardo), “Leda” (Adilson Ramos) e outros, além de canções menos conhecidas, como a bossa nova “Joaninha” (Henrique Benny), o bolero “Obsessão” (Sérgio Odilon) e a releitura do twist “If I had a hammer” (Billy John). Confira:

01 - Ronnie Cord - Rua Augusta
(Hervê Cordovil)
02 - José Ricardo - Eu que amo somente a ti (Io che amo solo te)
(Sérgio Endrigo - vs: Aldacir Louro)
03 - Rosemary - A dança dos brotos (Il ballo del mattone)
(Verde - Canfora - vs: Hélio Justo)
04 - Ed Wilson - Sabor de sal (Sapore di sale)
(Gino Paoli - vs: Hélio Justo)
05 - Billy John - If I had a hammer
(Seeger - Hays)
06 - Sérgio Murilo - La vai ela
(Carlos Imperial)
07 - Adilson Ramos - Leda
(Adilson Ramos - Gentil Ramos)
08 - Cyro Aguiar - Monalisa
(Jay Livingston - Ray Evans)
09 - Henrique Benny  - Joaninha
(Sérgio Malta)
10 - Roberto Rei -  Onda do jacaré
(Carlos Imperial)
11 - Marcos Valentim - Levam (Llevan) *
(A. Regueiro - A. Martinez - Llorente - Hélio Justo)
12 - Sérgio Odilon - Obsessão (Obsesión)
(Pedro Flores - vs: Fred Jorge)

* Faixa cedida pelo Geraldo


terça-feira, 5 de setembro de 2017

The Crazy Boys - Alucinante! (LP 1965)

 Sucessos dos anos 1960 compõem o repertório do LP lançado pela Coledisc
O grupo instrumental The Crazy Boys, que já tem um álbum postado aqui no blog, é mais uma daquelas bandas da Jovem Guarda sobre as quais nada se sabe. Este “Alucinante!”, provavelmente lançado entre 1965/1966, considerando que boa parte do repertório é desse período, foi produzido pela Coledisc, e não chega a ser necessariamente uma novidade entre nós. As mesmas gravações também foram lançadas pelo grupo Os Aaalucinantes no LP “Festa do Bolinha”, produzido pelo selo Destaque, e já postado aqui. Ou seja, The Crazy Boys e Os Aaalucinantes são o mesmo grupo, e lançou este LP com nomes, títulos e gravadoras diferentes. A postagem anterior é de um CD genérico, e agora apresento o disco ripado diretamente do vinil. Confira:

01 - O escândalo (Shame and scandal in the family)
(Donaldson - Brown)
02 - Let kiss
(Lehtiten)
03 - Maçãs e bananas (Apples and bananas)
(Frank Scott)
04 - All of me (Ai de mim)
(Seymour Simons - Gerald Marks)
05 - Poison Ivy (Erva venenosa)
(Jerry Lieber - Mike Stoller)
06 - Festa do Bolinha
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
07 - Help!
(Lennon - McCartney)
08 - The Addams Family
(Vic Mizzy)
09 - Jenka
(Lindstron)
10 - Ticket to ride
(Lennon - McCartney)
11 - Eight days a week
(Lennon - McCartney)
12 - Professor apaixonado
(Jair Gonçalves)


segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Chuck Berry - Eddy Mitchell présente les rois du rock

 Compacto duplo de 45 RPM foi lançado na França pela Barclay em 1965
Chuck Berry, falecido em 18 de março deste ano, aos 90 anos, marca presença no blog com este “Eddy Mitchell présente les rois du rock”, EP de 45 RPM lançado na França em 1965 pela Barclay. O disco é mais uma colaboração do amigo Laércio, a quem agradeço por enviá-lo. O compacto é muito bom, com rocks de sua autoria que justificam a fama de influenciar várias gerações do pop rock, incluindo as bandas The Beatles e The Rolling Stones. O destaque é o blues “Things I Used To Do”. Confira:

01 - Dear Dad
(Chuck Berry)
02 - Lonely School Days
(Chuck Berry)
03 - Promised Land
(Chuck Berry)
04 - Things I Used To Do
(Chuck Berry)

COLABORAÇÃO: Laércio



sábado, 2 de setembro de 2017

Trilha sonora original da novela Pigmaleão 70 (1970)

 Telenovela de Vicente Sesso foi produzida em preto e branco pela Rede Globo
A postagem de hoje atende a dois pedidos pela trilha sonora da novela "Pigmaleão 70", recebidos após citação da mesma no post do grupo The Youngsters. O álbum, de 1970, foi lançado pela Philips, e traz músicas de artistas como Egberto Gismonti, Claudette Soares, Jackson do Pandeiro, Erlon Chaves e outros. Exibida e produzida pela Rede Globo, no horário das 19 horas, a novela foi escrita por Vicente Sesso e dirigida por Régis Cardoso. Segundo a Wikipedia, a telenovela foi ao ar entre 2 de março e 24 de outubro de 1970, totalizando 204 capítulos em preto e branco, substituindo "A Cabana do Pai Tomás" e sendo substituída por "A Próxima Atração". Foi a 7ª "novela das sete" exibida pela emissora e a primeira do horário na década de 1970. O elenco foi formado por atores como Sérgio Cardoso, Tônia Carreiro, Susana Vieira, Edney Giovanazzi, Betty Faria, Felipe Carone, Jece Valadão, Marcos Paulo, Célia Biar e outros. Confira:

01 – Umas & Outras - Pigmalião 70 
(Marcos Valle - Paulo Sergio Valle) 
02 – Jackson do Pandeiro - A Feira 
(Nonato Buzar - Mônica Silveira) 
03 – Erlon Chaves - Tema de Cristina 
(José Briamonte) 
04 – The Youngsters - Tema de Kiko 
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos) 
05 – Egberto Gismonti - Pêndulo 
(Egberto Gismonti) 
06 – Claudette Soares - Ao Redor (Tema de Amor) 
(Antônio Adolfo - Tibério Gaspar) 
07 – Briamonte Orquestra - Tema de Cristina 
(José Briamonte) 
08 – Briamonte Orquestra - Tema de Nando e Candinha 
(Luhli - Luis Carlos Sá - Sônia Prazeres) 
10 – Globetes - Ao Redor (Tema de Amor) 
(Antônio Adolfo - Tibério Gaspar) 
11 – Erlon Chaves - Os Povos 
(Milton Nascimento - Márcio Borges) 
12 – Erlon Chaves - Pigmalião 70 
(Marcos Valle - Paulo Sergio Valle) 



quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Wander Lee (Wanderly Regina) - Norman (CS 1962)

 Wander Lee, depois Wanderly Regina, é uma das pioneiras do rock brasileiro
Aproveitando o clima deixado pela postagem anterior, com uma das pioneiras do rock brasileiro, achei interessante postar este compacto simples da Wander Lee, outra contemporânea da Celly Campello. O disco, lançado em 1962 pela Musidisc, se destaca pela música “Um amor só meu”, versão do Nilo Sérgio para o sucesso “Someone Else`s Boy”, gravado em 1961 pela Connie Francis. A cantora, que já tem sinopse divulgada aqui, iniciou a carreira em 1959 na Chantecler, onde gravou “Não sou estúpida”, uma resposta a “Estúpido cupido”, e depois se transferiu para a Musidisc. Após este disco, mudou o nome artístico para Wanderly Regina, lançando mais dois compactos – um simples e outro duplo – na gravadora, e encerrou a carreira na RGE. Confira:

01 - Norman
(John D. Loudermilk - vs: Marco Antonio Galvão)
02 - Um amor só meu (Someone Else'Boy)
(Athena Hosey - Hal Gordon - vs: Nilo Sérgio)


quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Carla Baroni - Não há lugar (EP 2017)

 Carla Baroni manteve carreira entre o final dos anos 1950 e início dos 1960
O amigo Aderaldo conseguiu o disco de 78 RPM da Carla Baroni, lançado em 1960 pela RCA Victor, com as músicas “Vou penar, mas vou” e “Não há lugar”, e me enviou para postagem. Agradeço a ele pela colaboração, e também por ter reunido outras três gravações da cantora, suficientes para montar este EP genérico. A cantora, contemporânea da Celly Campello, é uma das pioneiras do rock no Brasil, mas é ignorada pelos meios de comunicação, tanto que não há fotos e nem referências sobre ela na internet. Provavelmente deve ter gravado outras músicas além das cinco aqui reunidas. Confira:

01 – Vou penar, mas vou
(Miguel Gustavo)
02 – Não há lugar (No Vacancy)
(Sedaka – Greenfield – C. Baroni)
03 – Banjo boy
(Charly Niessen – Carla Baroni)
04- Beija-me mais
(Nelsinho - Alberto Pereira)
05 – Little darling
(Maurice Williams)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


terça-feira, 29 de agosto de 2017

Os Incríveis neste mundo louco (LP 1970)

 Álbum produzido pela Musicolor é uma reedição do LP lançado em 1967
O LP “Os incríveis neste mundo louco”, produzido em 1970 pela Musicolor, é uma reedição do álbum originalmente lançado pela Continental em 1967, quando a banda estreou no cinema o filme de mesmo nome do álbum. O longa, dirigido por Brancato Junior, foi filmado na Itália, Espanha, Inglaterra, França e Portugal. O disco, mais uma colaboração do amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração, traz os sucessos “Renascerá” e “Feliz foi Adão”, e inclui releitura de alguns hits, como “Piangi con me”, “Hi-Lili Hi-Lo” e até a versão em inglês de “Mamãe passou açúcar em mim”, com destaque para a instrumental "Don Pepe Legal", composta pelo Mingo, guitarrista e vocalista da banda. Confira:

01 - The Girl Like You
(DR)
02 - Renascerá
(Los Brincos - vs: Mingo)
03 - Hi-Lili  Hi-Lo
(B. Kaper - H. Deutsch)
04 - Hold tight
(Howard Blaikley)
05 - La Filarmonica
(Migliacci - Zambrini - Enriquez)
06 - My Mummy Put Sugar On Me  
(Mamãe Passou Açúcar Em Mim)
(Carlos Imperial - vs: Mingo)
07 - Piangi Con Me
(Mogol - Schapiro)
08 - Giulieta
(Los Brincos)
09 - Feliz Foi Adão
(Carlos Imperial - Eduardo Araújo)
10 - Um Sorriso Champagne
(DR)
11 - Don Pepe Legal
(Mingo)
12 - Que Será Será (Whatever will be, will be)
(J. Livingston - R. Evans)


COLABORAÇÃO: Laércio



domingo, 27 de agosto de 2017

Marcos Valentim - Compactos Raros (2017)

 Marcos Valentim gravou boleros e samba canção do Adelino Moreira
Seleção reúne músicas de dois compactos duplos e dois simples da RCA
Solicitei uma música do Marcos Valentim para o amigo Geraldo, colaborador do blog, para montar um disco. Fiquei surpreso ao ver não só o meu pedido atendido, como também recebi para postagem três compactos do artista, sendo dois duplos e um simples, suficientes pra montar esta coletânea. Agradeço a ele pela gentileza, pois tratam-se de discos raros, com áudio de excelente qualidade. Procurei informações sobre o artista na rede e acabei baixando um compacto simples, adicionado nesta compilação, mas nada encontrei sobre o intérprete. A única informação disponível diz respeito a um encontro do cantor em 1954 com Luiz Gonzaga numa emissora de rádio, e dessa reunião surgiu a música “Baião granfino”, composta por ambos, e lançada em março de 1955 pelo Gonzagão.  O fato é que Marcos Valentim era contratado da RCA Victor na primeira metade dos anos 1960 e gravou boleros e samba canção do Adelino Moreira, além de duas versões do Hélio Justo. Confira:

01 - 1962 - Rosinha do Encantado
(Adelino Moreira)
02 - 1962 - Portenha
(Adelino Moreira)
03 - 1962 - Flor de Estufa
(Adelino Moreira)
04 - 1962 - Castigo
(Adelino Moreira - Ary Vieira)
05 - 1963 - Carmen de Sevilha
(Adelino Moreira)
06 - 1963 - Lua Triste
(Adelino Moreira)
07 - 1963 - Saudade Resto de Amor
(Adelino Moreira - Basílio Alves)
08 - 1963 - Minha Solidão
(Adelino Moreira)
09 - 1963 - Cabrocha Maria *
(Adelino Moreira)
10 - 1963 - Botões de laranjeira *
(Adelino Moreira)
11 - 1964 - Levam (Llevan)
(A. Regueiro - A. Martinez - Llorente - Hélio Justo)
12 - 1964 - Meia Volta (Media vuelta)
(José Antonio Jiménez - Hélio Justo)


* FONTE: Falexandresilva

COLABORAÇÃO: Geraldo


sábado, 26 de agosto de 2017

The Youngsters - I wanna be your man (LP 1969)

 Único álbum na gravadora Polydor/Philips é um dos mais raros da banda
O grupo The Angels comparece mais uma vez no blog. Desta vez, com novo nome, The Youngsters, que a banda adotou após trocar a Copacabana, gravadora onde lançou os primeiros discos, pela CBS (Sony) em meados dos anos 1960. Lá, gravou dois álbuns, “Twist, only twist” e “Os fabulosos Youngsters”, alguns compactos, e acompanhou os principais artistas da gravadora, como Roberto Carlos e Wanderléa. Na sequência, o grupo se transferiu para a Polydor, onde gravou este álbum em 1969 e mais dois compactos simples, além de ter participado das trilhas sonoras das novelas “Véu de noiva” e “Pigmaleão 70”, ambas de 1970, da Rede Globo. Este LP é de um CD genérico e se destaca pelas quatro faixas bônus, sendo duas de um compacto simples de 1969, uma do single da novela “Véu de Noiva”, compartilhado com a cantora Regininha no outro lado do disco, e “Tema de Kiko”, instrumental do Roberto Carlos e Erasmo Carlos, extraída do LP “Pigmaleão 70”. Confira:

01 - Route 66
02 - Gimme gimme good lovin'
03 - Neurastênico
04 - Our day will come
05 - Hello stranger
06 - Hawaii five-0
07 - Mickey's monkey
08 - Soulful strut
09 - Time is tight
10 - Dizzy
11 - Awake
12 - I wanna be your man

BÔNUS

13 - Mah-ná, mah-ná
14 - Eu te amo (Je T'aime Moi Non Plus)
15 - Abertura (Tema da novela Véu de noiva)
16 - Tema de Kiko  (Tema da novela Pigmaleão 70)



quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Robert Livi - Singles & Raridades (2017)

 Coletânea apresenta músicas lançadas em 12 compactos simples e um duplo 
O argentino Robert Livi – ou Roberto Livi, como aparece grafado em alguns discos – é muito conhecido nos bastidores da indústria fonográfica por sua atuação como produtor de discos, mas também desenvolve uma respeitável carreira de cantor e compositor. Esta coletânea, com 30 músicas, suficientes para um CD com capacidade para 80 minutos de gravação, sem intervalo entre as faixas, foi preparada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. A seleção reúne canções lançadas em 12 compactos simples, além de um duplo, de 1964, com acompanhamento do grupo The Youngsters, e duas faixas ao vivo, do LP “A roda do iê-iê-iê”, de 1966, incluídas como bônus.

Nascido em 16 de junho de 1944, Robert iniciou sua carreira no Brasil em 1964, como artista contratado da CBS. Em entrevista, o artista informou que seu primeiro disco foi o EP com a música “Abençoado amor”, uma versão de “Bienvenido amor”, sucesso no Brasil por meio da interpretação do Orlando Alvarado. Desconfio, porém, que o primeiro seria o ignorado compacto simples com a gravação em espanhol dessa mesma música, com “Dame felicidad” no lado B, lançado pelo desconhecido selo Sarau, e sem o ano da produção. O single, incluído nesta compilação, provavelmente é de 1963, mas deixo a conclusão a critério de cada um. O primeiro sucesso é “Que vida levo eu”, de 1965, mas obteve projeção com as gravações de “Teresa”, “Eu me enganei” e “Maria Izabel”, entre outras, todas na CBS/Sony.

No início dos anos 1970, voltou a Argentina e gravou versões de sucessos brasileiros em espanhol, como “Marinheiro só”, do Caetano Veloso, e “Preciso conversar com Deus”, do Nelson Ned.  Em meados da década, retornou ao Brasil e gravou “A Volta do Gringo” em 1975 na EMI-Odeon. Como produtor, trabalhou com The Fevers, José Augusto e outros artistas dessa gravadora, sendo responsável pelo lançamento do Sidney Magal na Polydor/Philips. Após a década de 1980, Livi foi trabalhar em Miami, nos Estados Unidos, onde se tornou um compositor ativo para artistas como Julio Iglesias, e chegou a produzir discos de vários intérpretes, inclusive Roberto Carlos. Em plena atividade, Livi lançou vários álbuns em espanhol, e sua trajetória profissional pode ser pesquisada em seu site oficial (aqui). Confira a coletânea:

01 - 1965 - Nem por imaginação (Ne Per Imaginazione)
(Leva – Reverberi – Getulio Côrtes)
02 - 1965 - Que vida levo eu
(Isaias Souza)
03 - 1966 - Célia
(Leo Dan - Getúlio Cortes)
04 - 1966 - Vou dizer que não
(Cleudir Borges)
05 - 1967 - Teresa
(Sergio Endrigo - Juvenal Fernandes)
06 - 1967 - Ingratidão
(Puruca - Luiz Keller)
07 - 1968 - Parabéns querida
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
08 - 1968 - Eu quero conquistar você (Per Conquistare Te)
(Mogol - Solfici – Luiz Keller)
09 - 1969 - Viu, gostou, levou...!
(Robert Livi)
10 - 1969 - As noites que eu cantava pra você
(Robert Livi - Luiz Carlos Vinhas)
11 - 1970 - Maria Izabel
(José Moreno – Luis Moreno – Rossini Pinto)
12 - 1970 - Era um dia tão bonito
(Maria Vasquez)
13 - 1970 - Marinero marinero (Marinheiro só)
(Caetano Veloso)
14 - 1970 - Preciso conversar con Dios
(Preciso conversar com Deus)
(Nelson Ned)
15 - 1971 - Perdendo tempo (Me Engañaste Como Um Niño)
(Palito Ortega – Rossini Pinto)
16 - 1971 - Uma canção para você
(Robert Livi)
17 - 1973 - Por que papai (Porque Papa)
(Dino Ramos – Robert Livi – Versão: Fred Jorge)
18 - 1973 - De novo sinto amor
(Robert Livi – Versão: Fred Jorge)
19 - 1975 - A volta do gringo (La Vuelta Del Gringo)
(Robert Livi)
20 - 1975 - A última que morre é a esperança
 (La Ultima Que Muere Es La Esperanza)
(Marquito – Livi – Versão: Rossini Pinto)
21 - 1975 - A menina feia (La Muchacha Fea)
(Livi – Versão: José Augusto)
22 - 1975 - Como me enganei (Como Me Equivoqué)
(Marquito – Livi – Versão: Rossini Pinto)
23 - S/D - Bienvenido amor
(Palito Ortega – Dino Ramos)
24 - S/D - Dame felicidad
(Jimmy - Lyon Breedlove)

BÔNUS:

25 - 1964 - Abençoado amor (Bienvenido amor)
(Palito Ortega – Dino Ramos)
26 - 1964 - Camelia
(Palito Ortega – Dino Ramos)
27 - 1964 - Media novia
(H. Becerra - Palito Ortega)
28 - 1964 - Dejala, dejala
(Palito Ortega - D. Ramos)
29 - 1966 - What'd I say & Vou dizer que não (Ao Vivo) *
(Ray Charles) - (Cleudir Borges)
30 - 1966 - Célia (Ao Vivo) *
(Leo Dan - Getúlio Cortes)

* Do LP ODEON MOFB 3464 "A roda do Iê, iê, iê" 


COLABORAÇÃO: Aderaldo


quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Lilian - Coletânea Especial (2017)

 Compilação com 26 músicas inclui sucessos, raridades e duas inéditas
A cantora e compositora Lilian Knapp marca, mais uma vez, presença no blog com esta coletânea especial, contendo grandes sucessos e algumas raridades, retiradas de compactos. Com 26 faixas, a compilação apresenta curiosidades, como as gravações em espanhol de “Uma música lenta”, “Esta noite” e “Difícil esquecer”, além da faixa em inglês “Let us glow”,  que Lilian gravou em 2008 como vocalista da banda Kynna, ao lado do guitarrista Luiz Carlini (do grupo Tutti Frutti, Os Mutantes e Camisa de Vênus) e do baterista Cadu Nolla. A seleção também inclui duas faixas inéditas “A verdade dessa estória” e “Sentada na porta”, que a artista disponibilizou em sua conta no SoundCloud, de onde também foi ripado o jingle “Lee en tu piel”, de 30 segundos. Com “Pica-pau”, sucesso de 1966 na interpretação do Erasmo Carlos, Lilian Knapp é apontada como a primeira mulher a compor um rock no Brasil, e é dona de uma voz agradável de ouvir. Confira:

01 - Como se fosse meu irmão
02 - Meu nego
03 - Hoje eu preciso (Hoy necesito)
04 - Sou rebelde (Soy rebelde)
06 - Vai voltar
07 - Devolva-me
08 - Hoje e amanhã
09 - Lacinhos cor de rosa (Pink shoe laces)
10 - Das 9 as 5 (9 to 5)
11 - Não dá mais pé
12 - Acho que eu gosto mesmo é de sofrer
13 - Una musica lenta (Uma música lenta)
14 - Dificil olvidar (Difícil esquecer)
15 - Esta noche (Esta noite)
16 - Depois da chuva
17 - Borboleta azul
18 - Homem pássaro
19 - Pra onde é que você vai
20 - Eu te espero
21 - Pot-pourri (Homenagem a John Lennon):
Ele era assim (Fool on the hill
Pra se poder viver (Here, there and everywhere)
22 - Miss Lexotan 6mg garota *
23 - Let us glow *
24 - A verdade dessa estória (Demo)
25 - Sentada na porta (Demo)
26 - Lee en tu piel (Jingle)

* Com o grupo Kynna (2008)