Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 5 de junho de 2016

Erasmo Carlos & Wanderléa - Compactos raros

 
Aniversariantes do dia, Erasmo Carlos e Wanderléa em singles dos anos 60
Vida que segue. Se ontem foi dia de tristeza pela morte do Muhammad Ali, o maior pugilista de todos os tempos, hoje é data de celebração dupla: Erasmo Carlos comemora 75 anos e Wanderléa chega aos 70 em plena forma, aprimorada ao longo do tempo, igual ao vinho que atinge a maturidade e obtém o equilíbrio perfeito entre os taninos e o seu buquê de aromas. Ambos estão em atividade e hoje são respeitados pela crítica, tão severa com a dupla em tempos passados. Erasmo vai ganhar um disco de retrospectiva, “Erasmo 75”, e sua história será contada no cinema por meio de filme com o ator Chay Suede no papel do Tremendão. O longa tem roteiro baseado no livro “Minha fama de mau”, biografia lançada em 2009 pelo cantor e compositor. Wanderléa, por sua vez, tem pronto um álbum em que interpreta apenas músicas da Sueli Costa, compositora que a cantora já apresentou no disco “Feito Gente”, de 1975. Conta, ainda, com uma biografia em produção, ainda sem data de lançamento.

“A maior injustiça é chamá-los de alienados. Sim, eles não liam jornais e não sabiam exatamente quem era o general da vez que mandava subversivos para os porões, mas a revolução que fizeram é tão importante quanto o ‘Pra Não Dizer que Não Falei das Flores’ de Vandré ou o ‘Cálice’ de Chico Buarque”, destaca reportagem relativa ao aniversário da dupla, divulgada nesta semana no site da revista IstoÉ. “Erasmo e Wanderléa promoveram a primeira revolta, o primeiro embate, as primeiras tomadas de posição que um adolescente poderia adotar nos anos 60. Antes das ruas, a batalha deveria ser encampada, muitas vezes, dentro do próprio lar. Se as mulheres falam de empoderamento em 2016, devem à Wanderléa. Se os garotos punks dos anos 80 deram dedadas no rosto dos policiais, devem a Erasmo Carlos. A própria Wanderléa começou tudo ao aparecer em casa, em frente ao pai conservador, usando uma minissaia desafiadora aos bons costumes da família brasileira de 1965”, enaltece a matéria (leia aqui). Por tudo isso, nada como lembrar a data, e homenageá-los com estes dois raros compactos que interessam aos colecionadores. Confira:

Erasmo Carlos (CS 1968)

01 - Para O Diabo Os Conselhos de Vocês
(Carlos Imperial – Nenéo)
02 - Todas as Mulheres Do Mundo
(Erasmo Carlos)

Wanderléa (EP 1966), lançado em Portugal

01 - Pare O Casamento (Stop the Wedding)
(Resnick – Young – vs: Luis Keller)
02 - Não Vai Baby (June Bride Baby)
(G. Boldstein – B. Ross – vs: Rossini Pinto)
03 - Vá Embora
(Getúlio Cortes)
04 - Tudo Morreu Quando Perdi Seu Amor
(Renato Barros)



Um comentário: