Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Miriam Batucada - Alma da festa (LP 1991)

 Último álbum da cantora foi lançado pelo sistema independente em 1991
Este "Alma da Festa”, lançado em 1991, é o último registro da Miriam Batucada em disco. Agradeço ao Laércio pela colaboração. Faz tempo tinha curiosidade de ouvi-lo na íntegra, e não me decepcionei, pois a cantora e também compositora mantém o bom humor – peculiar em suas gravações – e mostra porque é considerada uma autêntica representante do samba paulista. Miriam Ângela Lavecchia, seu nome de batismo, nasceu em São Paulo em 28 de dezembro de 1946, porém foi registrada em 01 de janeiro de 1947. Neta de italianos, ligados ao bairro da Moóca, aprendeu a batucar com as mãos com uma amiga de infância. Com seis anos, já tocava harmônica, e com 14 começou a tocar violão. Estudou num curso técnico de digitadora da IBM, e trabalhou na Arno, de onde foi demitida por batucar no teclado.

Começou a carreira artística em 1967, quando se apresentou no programa do Blota Jr., na TV Record. Sua habilidade com os instrumentos musicais e a batucada com as mãos (sua marca registrada) encantaram a todos de imediato. Por conta da repercussão dessa apresentação na TV, começou a ser agenciada por Marcos Lázaro, um dos empresários artísticos mais importantes da época, e assinou contrato com a emissora. Miriam teve até um programa na Rádio Panamericana, a Jovem Pan. Gravou o primeiro disco ainda em 1967, um single pela AU com "Batucando com a mão" (Renato Teixeira) e "Plac Tic Plac Plac", de Waldemar Camargo e Walter Peteleco (na verdade, Adoniran Barbosa sob pseudônimo).  Após essa fase inicial, só voltou a aparecer em disco quando dividiu com Raul Seixas, Sergio Sampaio e Edy Star o LP "Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10", em 1971, cantando "Chorinho inconsequente" (Sergio Sampaio - Erivaldo Santos) e "Soul tabarôa" (Antonio Carlos - Jocafi).

Mesmo com o sucesso e a popularidade conquistada, Miriam gravou poucos discos. O primeiro LP, "Amanhã Ninguém Sabe" (veja foto acima), só veio em 1974, produzido pela gravadora Chantecler, com alguns sambas clássicos da MPB e músicas próprias, e já foi relançado em CD. Nos anos seguintes gravou mais alguns compactos, sem muita repercussão, e lançou este segundo e último álbum somente em 1991, de forma independente. Apesar de musicalmente bastante tradicional, Miriam era conhecida pela personalidade alegre, criativa e aberta a novas experiências. Faleceu em 2 de julho de 1994 em seu apartamento no bairro de Pinheiros, vítima de enfarto fulminante. O corpo foi encontrado por sua irmã, Mirna, que vivia em Maringá, Paraná, 21 dias após a morte. Confira o disco:

01 - Samba Nipônico 
(Celso Viáfora)
02 - Carro de Polícia 
(César Brunetti)
03 - Alma da Festa 
(Renato Barbosa - Míriam Batucada)
04 - Fugir Pra Que 
(Marcix - Tavinho)
05 - A Desquitada 
(Míriam Batucada)
06 - Salve Rainha 
(Marcix - Roger Borin - Míriam Batucada - Vivi Fagiolli)
07 - Hay Que Tener
 (Horácio Russel - Fátima Romero)
08 - O Cachorro Late (Estado de Sítio) 
(Waldir da Fonseca)
09 - Pichinchet 
(Míriam Batucada)
10 - Samba Rock Reggae Blues 
(Marcix - Fátima Romero)

COLABORAÇÃO: Laércio




2 comentários:

  1. http://www94.zippyshare.com/v/YJ2ViYYH/file.html

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Novo link:

      http://minhateca.com.br/sintoniamusikal/1045+-+M.BTCD,1018378467.rar(archive)

      Excluir