Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Coletânea Especial - Paulo Diniz (2015)

 Seleção oferece panorama da carreira do cantor e compositor pernambucano
Depois de postar recentemente uma coletânea com intérpretes de gravações feitas pelo Paulo Diniz (aqui), agora é a vez de apresentar uma seleção de 26 músicas com o próprio cantor e compositor pernambucano, nascido na cidade de Pesqueira em 24 de janeiro de 1940. A seleção e o acervo são do nosso amigo Aderaldo, que mais uma vez enriquece o blog com essa valiosa colaboração, pela qual renovo meu agradecimento. Os principais destaques são “José” e “Vou-me embora pra Pasárgada”, poemas que musicou de Carlos Drummond de Andrade e Manuel Bandeira, respectivamente, além de “Poema para Léa”, que compôs para Wanderléa.

Paulo Diniz começou como crooner e baterista em casas noturnas. Trabalhou como locutor de casas comerciais e da Rádio Jornal do Commercio, em Recife. Em 1964 foi para o Rio de Janeiro, onde começou a compor com mais frequência. Em 1966, no auge do movimento Jovem Guarda, lançou seu primeiro disco, o compacto com o iê-iê-iê "O Chorão" (na foto ao lado), sucesso que o credenciou a gravar em 1967 o primeiro LP, “Brasil, brasa, braseiro” (foto abaixo). Em 1970, compôs, em parceria com o amigo Odibar, o hino de protesto "Quero Voltar Pra Bahia", cujos versos carregados de saudade prestavam homenagem a Caetano Veloso, que se encontrava exilado em Londres. A música alcançou os primeiros lugares das paradas em todo o País e se tornou uma espécie de hino, canção-símbolo de uma época conturbada da história política e social do Brasil.

Quatro anos depois lançou dois LPs, e em seguida dedicou-se à tarefa de musicalizar poemas de língua portuguesa de autores como Gregório de Matos (Definição do Amor), Augusto dos Anjos (Versos Íntimos) e Jorge de Lima (Essa Nega Fulô), além dos dois citados acima. Suas músicas foram gravadas por artistas como Clara Nunes, Emílio Santiago, Doris Monteiro, Simone e outros. Entre seus hits destacam-se "Pingos de Amor", gravado por vários intérpretes, "Canoeiro", "Um Chopp pra Distrair" e "Ponha um arco íris na sua moringa", mas o sucesso que o consagrou foi mesmo a música "Quero Voltar Pra Bahia".

Entre 1987/1996, em decorrência de graves problemas de saúde que quase o deixaram paralítico, não gravou nenhum disco, segundo a Wikipedia. Parcialmente recuperado, em 1997 retomou a carreira, quando novamente já tinha residência fixa no Recife, onde concedeu em 2012 uma interessante entrevista (leia aqui). Atualmente, residindo na capital pernambucana, faz shows por várias cidades e capitais do Nordeste brasileiro, com a mesma voz vibrante de antes, porém numa cadeira de rodas, já que a doença que quase o paralisou nos anos 80 retornou a partir de 2005, e dessa vez paralisou seus membros inferiores, infelizmente. Confira a coletânea:

01 – Um chope pra distrair/Pingos de amor
02 – Vontade também consola
03 – Yô yô feiticeira
04 – Corda bamba
05 – Seria bom (Sobre As Ondas)
06 – Vou-me embora
07 – Chora morena
08 - Janira
09 – Severina Cooper (It’s Not Mole Não)
10 – Pelas ruas
11 – Quem tem um olho é rei
12 – Viola no paletó
13 – O chorão
14 – Você já sabe tudo de mim
15 – Verei verei 
16 – As estradas
17 – Sabiá a seca
18 – José
19 – O telegrama (Western Union)
20 – Vou-me embora pra Pasárgada
21 – Piripiri
22 – Poema para Léa
23 – Capim da lagoa
24 – Mundo velho
25 – Guarânia morena
26 – Quero voltar pra Bahia

Colaboração: Aderaldo



Um comentário: