Pesquisar este blog

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Dominguinhos em pessoa (Homenagem póstuma)

Álbum duplo traz entrevista exclusiva do Dominguinhos em 11 de março de 2011
O homem que abriu a porta do apartamento no Morumbi, em São Paulo, pra me receber na manhã de 11 de março de 2011, não era exatamente como imaginava: era menor na estatura e maior na simplicidade. O seu nome é José Domingos de Moraes, nasceu em 12 de fevereiro de 1941 na cidade pernambucana de Garanhuns, e atende pelo apelido Neném. Foi ele quem me conduziu pra sentar no sofá, e só identifiquei o artista Dominguinhos na hora em que colocou o chapéu de couro na cabeça ao saber que seria fotografado. Sem o acessório, é um sujeito comum, bom de papo, e delicioso de se ouvir pelo jeito de expor suas ideias com simplicidade. Ele estava reassumindo suas atividades artísticas, e tinha agenda marcada para os primeiros ensaios, após problemas de saúde. No final de janeiro, duas semanas antes de completar 70 anos, foi internado devido a princípio de enfarte e por infecção urinária.  

Lembrei-me dos detalhes desse encontro com Dominguinhos quando soube com tristeza do seu falecimento no início da noite de terça-feira, dia 23, aos 72 anos, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após seis anos de luta contra câncer de pulmão. O meu contato com ele, naquele dia, se deve a um job que fiz para o mercado corporativo, e tínhamos entrevista agendada. Os problemas relativos à sua saúde não estavam na pauta, e achei melhor nem tocar no assunto, pois minha presença em sua casa não era pra isso. Como bom nordestino, ele me deixou a vontade, e gravei exatos 59 minutos e 13 segundos de entrevista, na qual fez retrospectiva de sua carreira desde o encontro aos oito anos com Luiz Gonzaga (na foto acima) na porta de hotel em Garanhuns. Ele, no pandeiro, mais os irmãos Morais, o mais velho, na sanfoninha de oito baixos, e Valdomiro no melê, se apresentavam a céu aberto e ganhavam trocados pro sustento da família de 16 filhos - seis morreram ainda pequeninos. Apenas o trio  herdou o DNA artístico do pai Chicão. Eles começaram como "Os Três Pinguins", empresariados pela dona de um internato em Olinda, onde estudaram durante cerca de quatro anos.

No final, com entrevista dada por encerrada, mas com o gravador ligado enquanto Dominguinhos posava ainda sentado no sofá para o fotógrafo, comentei descontraidamente sobre o desfile campeão da Beija-Flor, dias antes, no carnaval do Rio, que homenageou Roberto Carlos. Muitos artistas que participaram do show “Emoções sertanejas” estavam na avenida, e a presença dele era naturalmente esperada. Nesse momento, ele toma amigavelmente a palavra, e não só confidencia o motivo que o levou a recusar o convite do Roberto Carlos pra desfilar, como também começa a falar sobre os recentes problemas de saúde. Contou espontaneamente como foi parar no hospital quando teve os primeiros sintomas do enfarte; falou sobre a infecção urinária, e fez o próprio diagnóstico quando perguntei se já estava restabelecido. "Estou bem. Posso pegar um pouco na sanfona, pelo menos, e assim vai", conformava-se.
Enfim, ao ouvir a entrevista, que já teve o uso devido e virou material de arquivo pessoal, constatei que tenho interessante documento histórico, e poderia disponibilizá-lo pra que não seja esquecido. Evitei ao máximo, em respeito aos vossos ouvidos, expor no áudio minha voz fina como a do Anderson Silva, mas me sujeito a chacota em nome da cultura, e da preservação do conteúdo, pois Dominguinhos merece. Que assim seja. A boa notícia é que só a mantive em raros momentos de necessária intervenção porque editei no formato do Programa Ensaio, onde ouvimos a resposta e desconhecemos a pergunta. A seleção musical ficou por minha conta, de acordo com as falas do Dominguinhos.

Crédito seja dado aos sites Forró em Vinil e Toque Musical, de onde extrai boa parte das músicas que compõem o repertório deste documento. Graças aos amigos foi possível incluir, por exemplo, a instrumental "Apanhei-te cavaquinho", dos anos 1940, pra mostrar o Luiz Gonzaga da época em que a Rádio Nacional só o queria como "acompanhador", e não o deixava cantar. Aproveitei a visita do papa Francisco neste momento no Brasil, e inclui a homenagem que Luiz Gonzaga - fundamental na vida do Dominguinhos - fez ao antecessor João Paulo II. O resultado final desta homenagem póstuma é interessante pelo conteúdo, e não pela qualidade técnica, e deve ser ouvida da primeira a última faixa pra acompanhar a sequência dos fatos. Repare que Dominguinhos até revela quem é o seu sucessor. Só descobrirá o nome quem baixar:

DISCO 1

01 - A manhã que vem (jingle da Natura)
O dia em que conheceu Luiz Gonzaga
02 - Dominguinhos e Luiz Gonzaga - Quando chega o verão
03 - Os Três Pinguins entram numa fria
04 - Luiz Gonzaga - Obrigado, João Paulo II
05 - Carne seca, água, farinha e rapadura no pau de arara
06 - Dominguinhos - Baião (Com Oswaldinho e Sivuca)
07 - Reencontro com Gonzagão
08 - Luiz Gonzaga - Sorriso Cativante – 1979
09 - Devoção a Luiz Gonzaga
Luiz Gonzaga - Apanhei-te cavaquinho 
10 - O dia em que foi nomeado herdeiro artístico de Gonzagão
Luiz Gonzaga - Forró no escuro
11 - Neném virou Dominguinhos
12 - Autoditada, toca vários instrumentos
Dominguinhos - Isso aqui está muito bom - Pedras que cantam
13 - Ary Lobo - Uma prece para um homem sem Deus
14 - Motorista, propagandista e músico de Gonzagão
15 - Anastácia, uma parceria de 210 músicas - Eu só quero um xodó
16 - Dominguinhos - Asa Branca (citação - Hora do adeus) - com
Amelinha, Geraldo Azevedo, Ednardo, Anastácia e Meretrio)

DISCO 2

01 - Dominguinhos - Quem me levará sou eu
02 - Obra soma mais de 600 composições gravadas
Fagner e Luiz Gonzaga - Súplica cearense 
03 – Dominguinhos e Gonzaguinha – Seja como flor 
04 - A volta do acordeão
Quinteto Violado -  Forró do Dominguinhos
05 - Reconhecimento a Gil
Gilberto Gil - Lamento sertanejo
06 - Reconhecimento a Gal 
Gal Costa - De amor eu morrerei
07 - Pontualidade nem sempre britânica
08 - Dominguinhos - Dança da Moda - Qui nem Jiló - Fuga da Africa
 (com Sivuca e Oswaldinho)
09 - Relato sobre o documentário O Milagre de Santa Luzia, de Sérgio Rozeinblit
10 - Dominguinhos - Asa branca (com Sivuca e Oswaldinho)
11 -  Relato sobre os projetos inéditos
Elba Ramalho -  De volta pro aconchego
12 - Relato sobre o DVD
13 - Relato sobre os projetos inéditos
 Gilberto Gil - Tenho sede
14 - Waldonys - Eu sou do banco
15 - Paula Fernandes e Dominguinhos - Caminhoneiro

21 comentários:

  1. http://www.4shared.com/rar/jjFRvZt9/0341_-_DOMING.html

    ResponderExcluir
  2. eu também conheci esse Mestre durante Um show em Franco da rocha,era uma espécia de virada Cultural.nesse show Tocaram Dominguinhos,Frank aguiar,Banda sidren,os Paralamas do Sucesso e tantos outros.ele era Muito Humilde,ele mesmo passava o som,na frente do publico,para que todo mundo visse como eram os Bastidores do show.sem contar que o show dele,foi um dos Melhores qeja vi,contagiante.vai deixar Muita saudade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente... um sujeito nota 10, simplicidade em pessoa, como se pode notar ao ouvir suas declarações - algumas até cômicas, como aquela que acontece entre ele e o Gil num estúdio em Londres. Abs.

      Excluir
  3. Chico, esta postagem, afirmo seu rodeios, é insuperável.
    Uma homenagem rica, justa e perfeita.
    Muito Obrigado
    Desde o Rio de Janeiro
    com gratidão
    Isaias Caetano da Silva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa ... muito obrigado. Se você afirma isso sem rodeios é porque consegui o objetivo de oferecer o melhor. Valeu!!!! Abs.

      Excluir
  4. Chico,
    Boa Noite, e uma vez mais, parabéns por mais uma postagem nota 10!
    Aliás, postagem muito oportuna, no momento em que perdemos este grande nome da música popular brasileira, você nos presenteia com este maravilhoso cd duplo do já saudoso Dominguinhos.
    Obrigado e votos de vida longa para este seu Blog, tão generoso, quanto necessário.
    Atenciosamente,
    Paulo Alberto (Niterói - RJ)

    ResponderExcluir
  5. Caro Chico,
    Oiá Eu Aquí De Novo.
    Tomei de liberdade e mencionei o seu blogue com esta postagem magnífica no "Besta Fubana".
    Espero que não me considere atrevido, mas seu trabalho primoroso deve circular.
    http://www.luizberto.com/correspondencia-recebida/isaias-caetano-rio-de-janeiro-rj-8#respond

    Isaias Caetano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz

      Quanto privilégio!!! Muito obrigado. Já lhe agradeci no seu site, mas nunca é demais deixar isso público. Valeu, mesmo!!! Abs.

      Chico

      Excluir
    2. Amigo Chico, vi sua mensagem no Jornal Besta Fubana.
      Obrigado quem diz sou eu.
      Quero, contudo, deixar registrado que "O Jornal da Besta Fubana" não é meu. Ele foi fundado e é dirigido por Luiz Berto que é também se redator.
      As minhas postagens são graciosidade dele.

      Saudações

      Isaias Caetano

      Excluir
  6. Chico, somente hoje consegui ouvir essa preciosidade que você montou. Além da grande homenagem a esse artista tão humano, você conseguiu reunir nesse projeto uma parte importante na nossa história da música. Isso é pra ficar guardado pra sempre, mas tambem deve circular para que todos conheçam tanto o trabalho de Dominguinhos, como seu trabalho de pesquisador.Vou combinar com o Djair, mas acho que ele aprovará fazer um programa especial colocando esse disco na Tunel do Tempo para todo mundo conhecer.
    Parabéns e muito obrigado pela postagem desse magnífico trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Wilton. Fico feliz em saber que gostou. Só o fato de você cogitar a possibilidade de divulgá-lo na webrádio, já me deixa satisfeito, pois mostra que o disco tem conteúdo. E, de fato, Dominguinhos conta sua história de maneira interessante, tendo como pano de fundo o prestígio, a queda e a ressurreição da sanfona na MPB. Muito obrigado, mesmo! Abs.

      Excluir
    2. Já está confirmado. No proxima terça feira dia 5 de agosto faremos o especial com esse disco a partir das 20.30hs. Pode divulgar Chico. Abrçs.

      Excluir
    3. Legal!!! Muito obrigado.
      Apenas uma correção: terça-feira é dia 6, e não 5.
      Abs.

      Excluir
  7. Olá, Chico.
    Infelizmente o link está quebrado.
    Existe a possibilidade de postar um novo?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Taís

      O link do 4shared está ativo, funcionando normalmente. Acabo de testar. Tente novamente, please. Abs.

      Excluir
  8. Chico.
    Desculpe, mas eu abro o link do 4shared, clico no Download (como sempre faço), depois clico em "Free Download", ele faz uma contagem regressiva de 20, aí, ele entra numa página cheia de outras opções do 4shared e não a do Dominguinhos.
    Será que estou fazendo algo errado?

    ResponderExcluir
  9. Mais uma vez, me desculpe, Chico, mas o erro foi meu.
    Consegui!!!
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  10. Amigo Chico. Tive o mesmo problema da Taís. Passam os 20 segundos e não há acesso ao link de baixar. Quando vc testou (em 02/10/14) vc passou dessa fase?
    Aguardo uma resposta. E parabéns pelo blog. Além de posts especiais, ainda tem informação de primeira.
    Abraço.
    Brando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado.
      Sim, Brando, passei dessa fase, mas agora ao tentar novamente não deu certo. Por isso, estou oferecendo um link alternativo, logo abaixo. Abs.

      Excluir
  11. Link alternativo:

    http://minhateca.com.br/sintoniamusikal/0343+-+DOMING,102686191.rar

    ResponderExcluir
  12. Chico, primeiramente quero agradecer a você por ceder esse material raro e importantíssimo sobre a vida desse gênio da música. Segundo, quero saber se você autoriza a citação de seu nome e material em meu TCC. Estou me formando em Licenciatura em música e meu trabalho de pesquisa é sobre a versatilidade e a diversidade da obra de Dominguinhos. desde já Grato! meu email é tiagomota00@gmail.com. Caso você autorize eu precisarei de seu nome completo.

    ResponderExcluir