Pesquisar este blog

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Jessé in Nashville (LP RGE - 1989)

Jessé grava cinco músicas em inglês e ainda homenageia Chico Mendes
“Jessé não canta. Ele humilha”. A frase, de autor desconhecido, sintetiza o talento do cantor e compositor Jessé, revelado ao grande público em 1980 no Festival MPB Shell, da Rede Globo, onde ganhou o prêmio de melhor intérprete com a música “Porto solidão” (Zeca Bahia – Ginko), seu primeiro e maior sucesso. O disco, com mais de 1 milhão de cópias vendidas, segundo reportagens disponíveis na rede, também o rotulou como cantor popular e brega. “Houve um preconceito muito grande com relação ao meu trabalho. A maioria da critica, no Brasil, não sei explicar porque, tem algo contra o fato de um trabalho se tornar popular. Meu disco não era ouvido nem comentado porque a crítica pensava que ia encontrar 12 músicas como ‘Porto solidão’ nele. Nunca tomaram conhecimento do conteúdo completo do meu trabalho”, queixava-se nas entrevistas que concedia.

Um exemplo do que dizia está neste “Jessé in Nashville”, gravado nos Estados Unidos e lançado em 1989 pela RGE. O álbum, com produção e arranjos do próprio artista, passou despercebido pelo grande público, e aposto que até hoje muita gente desconhecia sua existência. No disco, Jessé relembra o tempo em que, na pele de Tony Stevens, gravou em inglês nos anos 1970 pra fazer sucesso, assim como outros cantores brasileiros. Das 11 faixas, cinco são interpretadas em inglês, entre as quais a balada “You are my destiny”, grande hit do Paul Anka. Com voz afinadíssima, Jessé desfila seu enorme talento e ainda homenageia Chico Mendes (15/12/1944 – 22/12/1988), seringueiro, sindicalista e ativista ambiental, na música que leva seu nome.

Jessé Florentino Santos nasceu em Niterói (RJ) em 25 de abril de 1952 numa família evangélica presbiteriana. Aos nove anos foi com os pais e os 11 irmãos para Brasília, onde optou pela música, inicialmente no grupo Os Inocentes. Mudou-se para São Paulo já adulto, e atuou como crooner em boates. Depois, integrou os grupos Corrente de Força e Placa Luminosa, mas o grande sucesso só viria mesmo em 1980 com a já citada “Porto solidão”. Em 1983, ganhou o XII Festival da Canção Organização (ou Televisão Ibero-Americana) , realizado em Washington, com os prêmios de melhor intérprete, melhor canção e melhor arranjo para "Estrelas de Papel" (dele em parceria com Elifas Andreato). Gravou 12 discos  e morreu aos 40 anos, em Ourinhos (SP), no dia 29 de março de 1993. Foi vitima de traumatismo craniano sofrido num acidente de carro quando se dirigia para a cidade de Terra Rica, no Paraná, para fazer um espetáculo, deixando uma obra ainda a ser descoberta, como este belo disco. Confira:

01 - You are my destiny
(Paul Anka)
02 - We have found a magic moment
(Smith – Harvey)
03 - Still a lot of love left
(Burch – Smith)
04 - Navigate the night
(Burch – Vipperman – Brown)
05 - This time tomorrow
(Burch – Smith – Corbin)
06 – America
(R. Arcusa – M.Panzier – vs: Fernando Adour – Aloysio Reis)
07 - Novo amanhecer
(Jota Rezende – Zé Rodrix)
08 - Chico Mendes
(Alberto Cabaña – Enrique Bergen)
09 – Claridade
(Mário Lúcio)
10 – Caça
(Jessé – Mário Maranhão)
11 - Assombrado coração (Haunted heart)
(Vipperman – Hewitt – vs: Thomas Roth)


11 comentários:

  1. http://www27.zippyshare.com/v/97644995/file.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom, sera que não tem como disponibilizar a ultima coletanea dele em formato Flac que é sem perdas. obrigado!

      Excluir
    2. Novo link:

      http://minhateca.com.br/sintoniamusikal/0279+-+JINash,508269821.rar(archive)

      Excluir
  2. Grande novidade pra mim. Estou bem curioso para ouvir as músicas. Obrigado Chico, como sempre arrasando no blog. Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado. É bom saber que as postagens lhe agradam. Abs.

      Excluir
  3. Realmente meu amigo Chico, esse disco eu não conhecia, deve ser muito raro mesmo. Nunca iria imaginar que depois dos sucessos que fez cantando em inglês nos anos 70, ele voltaria cantando novamente em inglês no final dos anos 80. Parabéns pelas raridades colocadas aqui quase que diariamente.
    Obrigado meu amigo
    Vlademir Ferreira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, o seu depoimento é uma prova de que o Jessé estava certo quando reclamava que seu trabalho não era ouvido e nem comentado. Consequentemente, não chegava ao conhecimento do público. Abs.

      Excluir
  4. Chico velho de guerra, isso não é postagem, é um presente!!!! Obrigado, estava querendo esse disco muuuuiiito.

    ResponderExcluir
  5. Maisa Aparecida Isabel Martins Aquino16 de maio de 2013 15:24

    Olá Sou fanzaça do Jessé. ADOROOOOOOOOOOOOOOO.
    Bem eu já conhecia este disco. Alias tenho todos. Alguns autografados.
    Muito obrigada pela homenagem! AMEI!!!!
    Obrigada por divulgar Jessé e não deixa-lo no esquecimento.

    ResponderExcluir
  6. estive presente, fiz a producao executiva do Jesse em Nashville e tenho fotos ineditas. Rita Adams

    ResponderExcluir