Pesquisar este blog

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Diana - Pra sempre (LP do selo Somarj - 1989)

Álbum com oito faixas inclui cinco inéditas e três pot-pourris com nove sucessos
A cantora Diana, famosa por sucessos gravados nos anos 1970 na CBS (Sony) e Polydor (Philips), lançou em 1989 este “Pra Sempre”, álbum produzido pelo desconhecido selo Somarj Gravações e Edições Magnéticas. O LP tem apenas oito faixas, divididas em cinco inéditas e três pot-pourris com nove sucessos da carreira iniciada no final da década de 60. Gravou em 1969 o seu primeiro disco, um compacto simples, pela Caravelle, trazendo as canções "Menti pra você" (Lado A) e "Sítio do pica-pau amarelo" (Lado B), ambas de sua autoria, sendo a segunda em parceria com Carlinhos, que era membro do grupo Renato e Seus Blue Caps e primo do seu vocalista Renato Barros.

O bom desempenho do disco de estreia lhe rendeu o convite de Evandro Ribeiro, então produtor da CBS, para fazer parte do catálogo de artistas da gravadora, que precisava preencher o espaço deixado por Wanderléa, agora no cast da Polydor/Philips. Em 1970, gravou um compacto simples, pelo selo Epic (Sony), com "Não chore baby" e "Eu gosto dele". Diana passa a ser então produzida por Raulzito, que mais tarde seria conhecido por Raul Seixas. Com a produção do "maluco beleza", Diana alcançou sucesso com “Ainda queima a esperança”, "Uma vez mais", "Fatalidade", "Um mundo só pra nós", "Porque brigamos", "Estou completamente apaixonada" e "Hoje sonhei com você".

Raul Seixas compôs várias músicas para Diana, a maioria em parceria com Mauro Motta. Rossini Pinto, cantor, produtor e compositor, se encarregou de fazer as versões de hits internacionais da época para a cantora. Em busca de liberdade para gravar suas próprias composições, Diana decide trocar a CBS pela Polydor, onde gravou três discos. Dessa fase, resultaram os sucessos "Foi tudo culpa do amor", "Lero-lero", “Sem barulho”, "Jambalaya" e "Uma nova vida". Em 1978, Diana gravou pela RCA seu último LP dos anos 70. A partir dos anos 1980, Diana gravou discos esporádicos, como este obscuro LP. Confira:

01 - Eu confesso
..... (Diana - Jonny Barreto)
02 - Latino-americana
..... (Diana - Carlos Marabá)
03 - Maluca e teimosa
..... (Sobreira Batera - Baltazar)
04 - Pot-pourri:
...- Ainda queima a esperança
..... (Raulzito - Mauro Motta)
...- Porque brigamos (I am... I said)
..... (Neil Diamond - vs: Rossini Pinto - Diana)
...- Canção dos namorados (El vals de las mariposas)
..... (D.Daniel - vs: Rossini Pinto - Diana)
05 - Pot-pourri:
...- Jambalaya
..... (Hank Williams - vs: Joper)
...- Lero-lero
..... (Diana)
...- Uma nova vida
..... (Odair José)
06 - Pot-pourri
...- A música da minha vida (My reason)
..... (S. Vlavianos Ch.Chalhitis - H. Banhs - vs: Diana)
...- Foi tudo culpa do amor
..... (Diana - Odair José)
...- Fatalidade (Fatalitá)
..... (D.Pace - M. Panzeri - Conti Argenio - vs: Rossini Pinto - Diana)
07 - Eu te perdi
..... (Diana - Clarice Iório de Araújo)
08 - Pra sempre
..... (Diana - André Iório)

FICHA TÉCNICA

Produtor fonográfico - Somarj Gravações e Edições Magnéticas Ltda.
Diretor artístico -  J. Ramos
Direção de produção - William Luna
Produtor executivo - J. Ramos - Geraldo Silva
Gravação - Studio Haway
Técnico - Júnior Luna
Mixagem - Júnior Luna
Arranjos de base - Diana - Henrique de Souza Moraes (Ringo)
Músicos:
Bateria e percussão - Eduardo
Baixo - David
Guitarra base e solo - Ringo
Teclados DX7 - Ringo
Corte - Polygram

4 comentários:

  1. http://www56.zippyshare.com/v/64070686/file.html

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo Chico, esse link está vencido, não consigo baixar...
    Vladmir Ferreira

    ResponderExcluir
  3. Novo link:

    http://minhateca.com.br/sintoniamusikal/0190+-+DNA,35143702.rar

    ResponderExcluir
  4. Caro Chico, parabéns pelo trabalho. No caso do post sobre a Diana, me chama a atenção o fato de você não citar que ela foi casada com Odair José, que compôs muitas de suas músicas, como consta das postagens acima. Quando começaram a se desentender, o casal passou a viver às turras e protagonizou uma dos primeiros divórcios oficiais no país (ver em "Eu não sou cachorro não", do Paulo Cesar Araujo). Eram tão belicosos que Fernando Mendes compôs, no disco de 1975 (SMJ), uma canção chamada "Bang bang (para Odair e Diana)".

    ResponderExcluir