Pesquisar este blog

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Idalmo - Hoje é noite de esquecer você (CS 1968)

Single do Idalmo apresenta música inédita da cantora e compositora Elizabeth
Idalmo é mais um cantor dos anos 1960 que me é totalmente desconhecido, apesar de ter gravado este single em 1968 pela RCA Victor, na época uma das maiores do mercado fonográfico no Brasil. Acho sempre interessante postar discos como este porque abre a possibilidade de adicionar - graças a ajuda de amigos e familiares que podem escrever na área reservada aos comentários - algumas informações sobre os artistas, retirando-os do limbo. O disco tem, no lado A, "Hoje é noite de esquecer você", uma balada romântica de autoria da cantora e compositora Elizabeth, que fazia sucesso na época com a música "Sou louca por você". No B, pra complementar, a marcha-rancho "18 flores", de Miguel Romeu. Confira:

01 - Hoje é noite de esquecer você
..... (Elizabeth)
02 - 18 flores
..... (Miguel Romeu)



quinta-feira, 28 de junho de 2012

Vários artistas - Estamos em dia com o sucesso (1972)

LP de divulgação reúne músicas de discos lançados pela Odeon em maio de 1972
Este é um daqueles álbuns exclusivos das gravadoras para divulgação. O interessante deste "Estamos em dia com o sucesso" é a informação na contracapa que se trata de álbum produzido em maio de 1972. Encontramos uma seleção de músicas extraídas dos discos lançados no período pela Odeon. O selo tinha cast de primeira grandeza, como se pode notar pelos artistas de vários estilos reunidos neste volume. Observe que o disco passeia pelo The Fevers e José Ricardo, oriundos da Jovem Guarda; passa pela bossa e samba de Pery Ribeiro, Miltinho e Doris Monteiro, e nos presenteia com belos instrumentais do Eumir Deodato e Maurice Monthier e sua orquestra, sem esquecer a ginga do Tony Tornado e o samba rock do Abilio Manoel. O destaque do disco fica para a voz e a interpretação do José Ricardo em "Oração de um jovem triste", famosa na voz do saudoso Antonio Marcos, e a curiosidade é o Brazilian Singers. Desconfio que seja formado pelo Trio Esperança e Os Golden Boys sob pseudônimo. Alguém saberia informar? Sintonize:

01 - The Fevers - Ninguém vai acreditar (Tell the world)
..... (J. de Jijs - A. Albar - L.Lemans - vs: Rossini Pinto)
02 - Pery Ribeiro - Dois animais na selva suja da rua
..... (Taiguara)
03 - José Ricardo - Oração de um jovem triste
..... (Alberto Luiz)
04 - Brazilian Singers - Rita Jeep
..... (Jorge Benjor)
05 - Maurice Monthier e sua grande orquestra - There's no more corn on the brasos
..... (Innemee - Hoes)
06 - Eumir Deodato - Dia de verão
..... (Eumir Deodato)
07 - Tony Tornado  - Mané beleza
..... (Chico Anisio - Arnaud Rodrigues)
08 - Miltinho e Doris Monteiro - Pot-pourri
..... Rio-Samba
..... (Cezão - Pedro Rainho)
..... Minha escola
..... (Jair Amorim - Evaldo Gouveia)
..... Sinfonia do carnaval
..... (Helena de Lima - Concessa Lacerda)
..... Poeira
..... (Telemar - Cléo)
09 - Abilio Manoel - Entre nós
..... (Abilio Manoel)
10 - Pery Ribeiro - Cacos
..... (Taiguara)
11 - Brazilian Singers - Segure tudo
..... (Martinho da Vila)


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Márcio Greyck canta en español - Apariencias (1981)

Single de 45 RPM, lançado pela CBS em 1981,  traz a versão em espanhol do hit "Aparências"
A música “Aparências”, de Cury e Fatha -  originalmente composta para Roberto Carlos, que não a aproveitou - é um dos grandes sucessos do Márcio Greyck. A canção atravessou as fronteiras do Brasil graças a este single de 45 RPM, gravado em espanhol e lançado pela CBS (Sony) espanhola. O lado B do disco traz a música "O apartamento", de Carlos Colla e Maurício Duboc, também registrada em espanhol. O disco obteve excelente repercussão e credenciou o cantor e compositor a participar em 1983 do 23º Festival Internacional de Vinã del Mar, no Chile, onde ganhou o troféu (Gaviota de Plata ) com a canção ("Yo te agradezco"), dos mesmos autores de "O apartamento.

Mineiro de Belo Horizonte, onde passou a infância e a adolescência, Márcio gravou o primeiro disco na Polydor, em 1967. Foi um compacto simples com a versão de "Eleanor Rigby" (“Minha Menina”), de Lennon e McCartney, e também com sua primeira composição “Venha Sorrindo”, seguindo uma série de três LPs. Ao mesmo tempo assina contrato exclusivo com a TV Tupi, após ter se apresentado no famoso programa da Bibi Ferreira, dirigido por Péricles Leal e Roberto Jorge, e passa a atuar em todos os programas musicais daquela emissora, inclusive apresentando o seu próprio programa (O mundo é dos jovens) ao lado da cantora Sandra na extinta TV Tupi de São Paulo. O cinema também o descobriu e participou de dois filmes: "Em ritmo jovem" e "O amor em quatro tempos".

O grande sucesso só ocorreria no início dos anos 1970, agora contratado da CBS (Sony Music), onde grava “Impossível acreditar que perdi você”. Na sequência, outro hit: “O mais importante é o verdadeiro amor”, seguido de outros sucessos como “O infinito”, “Quando me lembram você” e “Não sei onde te encontrar”. Como autor, Márcio tem canções gravadas por vários artistas, inclusive por Roberto Carlos, que incluiu “Tentativa” e “Vivendo por viver” em seu repertório. Em 1984, segundo relato em seu site, o cantor - "totalmente desmotivado" - decidiu parar com tudo e se isolou em seu sitio em Saquarema. Três anos depois gravou o álbum "Pés no chão e coração nas nuvens" (baixe aqui) pelo selo Tropical e só retornou ao estúdio em 1997, quando lançou pelo selo Albatroz o CD "No tempo, no ar e no coração". O artista continua na ativa, cantando e revivendo os seus grandes sucessos. Confira:

01 - Apariencias (Aparências)
..... (Cury - Fatha - Vs. Héctor Garrido)
02 - El apartamento (O apartamento)
..... (Carlos Colla - Maurício Duboc)


terça-feira, 26 de junho de 2012

Cauby Peixoto - Coletânea "Rocks & Baladas"

Coletânea inclui gravações do Cauby Peixoto para o mercado norte-americano 
Aqui está um post que considero especial. Comprei esta coletânea com músicas do Cauby Peixoto em CD de um colecionador na Feira do Vinil, em São Paulo. Foi uma excente aquisição porque saciou minha curiosidade de ouvir gravações do cantor como Ron Coby e Coby Dijon, nomes que o artista adotou nos anos 1950 no mercado norte-americano. Lá, foi considerado pelas revistas "Time" e "Life" como "o Elvis Presley brasileiro".  Além dessas gravações, a coletânea reúne outras interessantes, como "Rock 'n' roll em Copacabana", considerado o primeiro rock original em português, escrito por Miguel Gustavo (autor da marcha "Pra Frente Brasil" em 1970). Refiz as capa, contracapa e selo do CD porque as originais não deram boa reprodução. 

Cauby nasceu em Niterói, no Rio, em 10 de fevereiro de 1931, numa família de músicos. O tio, Nonô, por exemplo, foi grande pianista que popularizou o samba no instrumento, e o primo, Ciro Monteiro, foi um dos ases do samba sincopado. Mas o foco da luz dos spots está em Cauby desde a gravação do primeiro disco em 1951, graças ao timbre da bonita voz, grave e aveludada. O complemento fica por conta do estilo: figurino, maquiagem pesada e penteados excêntricos. Antes, porém, trabalhou no comércio até começar a participar de programas de calouros no rádio.

Teve o seu primeiro sucesso estrondoso com "Blue Gardenia", versão brasileira da música cantada por Nat King Cole. Em pouco tempo, Cauby se transformou em um ídolo, agarrado e "rasgado" pelas "macacas de auditório", principalmente as que faziam plantão na porta da Rádio Nacional do Rio, onde mais atuou. A sua interpretação mais famosa até hoje é "Conceição", de Jair Amorim e Dunga, gravada pela primeira vez em 1956. Nos anos 1950 e 1960 fez turnês pelo Brasil e Estados Unidos. Participou cantando em mais de dez filmes para o cinema, entre os quais "Minha Sogra é da Policia" (1958), no qual é acompanhado por um grupo que tinha Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Carlos Imperial entre os figurantes (Assista aqui). Em 1964, abriu a boate Drink,  ao lado dos irmãos Moacyr (pianista), Araken (pistonista) e Andyara (cantora),  atuando lá por quatro anos, onde chegou a gravar um LP ao lado da cantora Leny Eversong.  

Depois prosseguiu atuando em boates e viveu certo ostracismo na mídia. Voltou ao sucesso em 1980 com "Bastidores" (Chico Buarque) e "Loucura" (Joanna/ Sarah Benchimol), do disco "Cauby! Cauby!". A partir daí, voltou a se apresentar em palcos de maior prestígio. Ao lado de Ângela Maria gravou dois discos e ambos foram homenageados em 1993 na festa do prêmio Sharp. Em 1995, gravou ao lado dos maiores cartazes da MPB, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Dionne Warwick e Zizi Possi o CD "Cauby Canta Sinatra". O cantor, conhecido no meio artístico como Professor, continua em plena atividade e ainda se apresenta no Bar Brahma, em São Paulo, com sua privilegiada voz. Vale a pena conferir:

01 - Destiny - 1957
..... (D. Norwood)
02 - Birds, bees and coconut trees - 1957
..... (R. Coby - R. Percoco)
03 - I go (Maracangalha) - 1958
..... (Dorival Caymmi - Coby Dijon - R. Percoco)
04 - Locked in the arms of love - 1958
..... (J. Williams - Brandon)
05 - Loving you - 1959
..... (Ram)
06 - You'll never get away from me - 1959
..... (Soundhein - Styne)
07 - I'll be seeing you - 1959
..... (Irvin Kahal - Sammy Fain)
08 - Close to you - 1959
..... (Hoffman - Livingstone - Lampl)
09 - Toreador - 1958
..... (Teddy Randazzo - Cirini Calocrai)
10 - Mack the knife (Moritat) -  1960
..... (K.Weil - Bertholt Brechet - Blatztein)
11 - You're the dream - 1959
..... (Burt Bacharat - Hal David)
12 - Rock 'n' roll em Copacabana - 1957
..... (Miguel Gustavo)
13 - Enrolando o rock - 1957
..... (Betinho - Heitor Carrilho)
14 - Bibape do Ceará (Be bop no Ceará) - 1956
..... (Catulo de Paulo - Carlos Galindo)
15 - Volare - 1958
..... (Domenico Modugno - Franco Migliacci)
16 - La violetera - 1960
..... (Padilla - Montesinos)
17 - A foggy day - 1957
..... (George - Ira Gershwin)
18 - Anema e Cuore - 1957
..... (S.D'Exposito - Manlio) 
19 - Romantica - 1960
..... (Renato Raschel - Dino Verde - Julio Nagib)
20 - A noiva (La novia) - 1961
..... (Joaquim Prieto - Fred Jorge)
21 - Ser triste sozinho (Learnin the blues) - 1954
..... (D. Vicky Silvers - R. Faissal)
22 - A pérola e o rubi (The ruby and the pearl) - 1954
..... (J. Livingstone - E. Evans - H. Barbosa)
23 - Tammy - 1958
..... (J.Livingstone - R. Evans - Othon Russo)
24 - Sem teu olhar (Mattinata) - 1958
..... (Leon Cavallo - C. Fortes)
25 - Amor verdadeiro (True love) - 1957
..... (Cole Porter - Alberto Ribeiro)
26 - Cidade nua (Naked city) - 1965
..... (Billy May - Cauby Peixoto)
27 - Garotas de Portugal (Petticoat of Portugal) - 1961
..... (Michael Durso - Mel Mitchell - Murl Kahn)

Obs: Ron Coby (faixas 1, 2 e 9)
         Coby Dijon (faixas 3 e 6)




segunda-feira, 25 de junho de 2012

Waldirene - Meu velho vô (EP Continental 1975)

EP lançado em 1975 traz a música "Fala", que Waldirene interpretou no Festival de Viña del Mar

Este EP da Waldirene - hoje Waldireni - traz a música "Fala", que a cantora interpretou em 1974 no Festival de Viña del Mar, no Chile, onde obteve a terceira colocação. A canção, segundo consta na biografia da cantora, recebeu o título "Dime", em espanhol, e foi lançada pelo selo Alba na Argentina, onde já era conhecida devido ao sucesso da versão em espanhol de "A garota do Roberto", que recebeu por lá o título de "La chica de Roberto Carlos". Os destaques do compacto, porém, são as duas canções do lado A - "Meu velho vô" e "Deixe a cuca esfriar" - porque as do B - "fala" e "Balanço geral" - estão incluídas na coletânea "Singles & Raridades", postada no SanduícheMusical. Comprei este EP num sebo e infelizmente está sem a capa. A foto acima, do disco original, foi capturada na internet.

Waldireni foi descoberta pelo saudoso radialista Ademar Dutra quando se apresentou na festa do Dia das Mães de 1966 no colégio em que estudava. Impressionado pela afinação da garota, nascida no Bairro da Lapa (SP) e ainda menor de idade, Ademar propôs levá-la na RCA Victor para gravar uma música que tinha em mãos - justamente "A garota do Roberto", rejeitada pelas cantoras Silvinha e Vanusa, que também iniciavam carreira. Ambas acharam a letra muito pretensiosa, pois a canção era uma resposta a "É papo firme", que fazia muito sucesso na voz do Roberto Carlos.

Para Waldireni foi um grande achado. O disco de estreia também ganhou importância devido ao lado B, responsável pelo lançamento da música "Só vou gostar de quem gosta de mim", de Rossini Pinto, regravada com sucesso por Roberto Carlos. A cantora, presença constante no Jovem Guarda, programa da TV Record que deu origem ao movimento liderado por Roberto, Erasmo Carlos e Wanderléa, obteve outros sucessos, como "Meu Benzinho", "Tempestade em copo d'água" e "Eu te amo, tu me amas" (esta em dueto com o cantor George Freedman). Graças ao primeiro êxito musical, passou a ser apresentada carinhosamente por Roberto Carlos como "A garota papo firme", apelido que se confunde com "A garota do Roberto".

Ao longo da carreira, gravou inúmeros compactos simples e duplos, mas apenas dois LPs, um pela RCA Victor e outro pela Tapecar. Também integrou o cast das gravadoras Continental e Copacabana. Após um hiato na carreira, Waldireni participou dos shows comemorativos aos 30 e 35 anos da Jovem Guarda, gravou o primeiro CD e participou do álbum de relançamento da terceira formação da banda The Clevers com a regravação de “Oh, Carol”, sucesso de Carlos Gonzaga. Recentemente, lançou a biografia "Waldirene - A garota do Roberto", de Márcio Herdade, pela Livraria e Editora Pontes, e continua em plena atividade, mantendo sua bonita voz. Confira:

01 - Meu velho vô
..... (Artiz Artoni - Vicente Paula - Sérgio Sá)
02 - Deixe a cuca esfriar
..... (Isolda - Milton Carlos)
03 - Fala
..... (David Miranda - Tom Gomes)
04 - Balanço geral
..... (Beto Scala - São Beto)

domingo, 24 de junho de 2012

Prini Lorez - La bamba (LP RGE - 1964)

Prini Lorez em seu único LP adota estilo "portorriquenho", imitando Trini Lopes e Ritchie Valens
Assim como o post anterior, este álbum do Prini Lorez também foi comprado em CD no Mercado Livre na época em que não havia blogs de compartilhamento de músicas. O disco foi lançado em 1964 pela RGE, onde o cantor mudou o nome artístico de Galli Jr para Prini Lorez, como ficou conhecido. Foi a partir daí que adotou o estilo "portorriquenho", imitando Trini Lopes e Ritchie Valens. Assim, lançou dois singles com destaque para as músicas "La bamba" e "America", que fizeram relativo sucesso e o credenciou a gravar este LP, relançado nos anos 80 com outra capa. Sucessos como "If I had a hammer", "Dooby dooby wah", "Like a baby", "Cielito lindo" e outros estão no disco.

O paulista José Gagliari Jr. (08/05/1942) estreou como vocalista da banda The Rebels e logo após seguiu carreira solo, utilizando o nome de Galli Jr. Em 1961, junto com The Avalons na RGE, gravou "Because I love you" e "Tell me Darling", e no ano seguinte, na Chantecler, lançou o primeiro disco solo, acompanhado pelo The Jet Black's, com as músicas "What I'd say" e "I just wanna make love". Logo depois, gravou "Menina dos meus olhos" e "Último amor", acompanhado pela Orquestra Chantecler sob a regência do maestro Élcio Alvarez. Em 1963 o conjunto The Clevers gravou de sua autoria "Menina dos sonhos meus", pela Continental. Prini foi uma das atrações do programa Jovem Guarda, mas a sua carreira não decolou após o movimento musical, restando alguns singles e este único LP. Confira:

01 - America
..... (Sondheim - Bernstein)
02 - Lonesome traveller
..... (Hays)
03 - This land is your land
..... (Guthrie)
04 - Gotta travel on
..... (Paul Clayton)
05 - Walk right in
..... (Gus Cannon - H. Woods)
06 - Cielito lindo
..... (Q.Mendoza - Arranjo Jabis)
07 - La bamba
..... (Luis M. Serrano)
08 - Dooby dooby wah
..... (Valens - Kuhn)
09 - If you wanna be happy
..... (Guida - Royster)
10 - If I had a hammer
..... (Seeger - Hays)
11 - Like a baby
..... (Paul Anka)
 12 - I want to hold your hand
..... (John Lennon - Paul McCartney)



sexta-feira, 22 de junho de 2012

Célia Villela - F-15 Espacial (LP Musidisc 1964)

F-15 Espacial, de Célia Villela, é um dos primeiros LPs de rock gravados em estéreo no Brasil
Foi na primeira de suas três estadas nos Estados Unidos que Célia Villela assistiu a um show do Elvis Presley. Voltou ao Brasil decidida a mudar o rumo de sua carreira, iniciada aos 17 anos, na Todamérica, em 1956, interpretando o fox "O resto eu faço" e o samba "Hermengarda". Quando passou para o rock, em 1960, após gravar no selo Santa Anita, foi contratada pela RGE, onde seu maior sucesso foi "Passo a passo", versão de "Step by step", hit do grupo norte-americano The Crests, incluída em seu primeiro LP "...E viva a juventude", de 1961. Era candidata natural a substituir Celly Campello quando esta abandonou a carreira em 1962 para se casar, tanto que Célia foi eleita Rainha da TV em concurso de 1963 da Revista do Rádio, conceituada na época.

A cantora aproveitou o reinado e lançou em 1964 o EP "A rainha da TV" pela Musidisc. Duas músicas do disco - "Dançando o hully-gully" e "Acho que me apaixonei" - foram incluídas no segundo e último LP da carreira, intitulado "F-15 Espacial", que se destaca por dois fatos: é um dos primeiros LPs brasileiros de rock lançados em estéreo e, pra arrematar, inclui composições de Roberto Carlos e Erasmo Carlos em separado. Repare que Roberto Carlos resgata "o broto displiscente", na letra de "Acho que me apaixonei", quando compôs "Parei na contramão", primeira obra em parceria com Erasmo. Este disco também serve para confirmar um fato conhecido: a produção individual dos músicos passou a ser assinada em dupla. Observe que o Tremendão aqui aparece como o autor de "Alguém na vida da gente", mas logo na sequência, quando regravada na Chantecler por Idalina de Oliveira, o nome do Roberto é acrescentado.

Por tudo isso, este disco foi por muito tempo meu objeto de desejo, até que consegui comprar o CD - pirata, é claro - no Mercado Livre. Assim como eu, muita gente comprou CDs de títulos fora de catálogo no Mercado Livre e Ebay, e acho que valeu a pena. Isso foi na época em que minha internet era discada e não existia blog de compartilhamento de músicas. Muitos desses discos foram posteriormente lançados pelas gravadoras, mas outros continuam inéditos, como este "F-15 Espacial" em que a cantora é acompanhada pelo grupo The Angels (posteriormente The Youngsters). Apesar de não ser uma novidade na rede, achei que deveria postá-lo, principalmente por se tratar de álbum com imagens originais do disco e pelo áudio de boa qualidade. Célia poderia "estourar" na Jovem Guarda, mas antes de o programa entrar no ar, no segundo semestre de 1965, a cantora abandonou a carreira e casou-se com Carlos Becker, guitarrista dos Youngsters e seu parceiro na autoria de cinco músicas deste álbum.

Célia da Conceição Villela nasceu em 24 de novembro de 1939 em Belo Horizonte. Sua inclinação para o canto data desde os quatro anos, estreando em um microfone da capital mineira. Considerada na época - entre os 10 e 14 anos - o maior cartaz de Minas, a então adolescente foi contratada pela Tupi carioca (Rádio e TV). Foi apresentadora de programas como "Célia, Música e Juventude", na TV Continental (Rio) e "Na Roda do Rock", na Rádio Globo e mais tarde na Rádio Guanabara. Preferiu a reclusão após abandonar a carreira. Consta que Albert Pavão a teria convidado em 1987 para que desse seu testemunho sobre a História do Rock Brasileiro para o Museu de Imagem e Som do Rio de Janeiro, mas Célia não aceitou. Faleceu em 2005, em Teresópolis, e não há maiores detalhes a respeito. Uma pena, pois tinha bonita voz. Confira:

01 - Caidinha por você (Fallin')
..... (Neil Sedaka - H. Greenfield - vs. Célia Villela)
02 - Desculpa
..... (Célia Villela - Carlos Becker)
03 - I could have danced all night
..... (A.J.Lerner - F. Loewe)
04 - Lição de violão
..... (Célia Villela - Carlos Becker)
05 - O dia que não vem
..... (Erasmo Carlos)
06 - Dançando o hully-gully
..... (Célia Villela - Carlos Becker)
07 - Pegando o jacaré
..... (Carlos Becker)
08 - Perfidia
..... (Alberto Dominguez)
09 - F-15 espacial
..... (Célia Villela - Carlos Becker)
10 - Alguém na vida da gente
..... (Erasmo Carlos)
11 - Assim é o meu amor
..... (Célia Villela - Carlos Becker)
12 - Acho que me apaixonei
..... (Roberto Carlos - Edson Ribeiro)

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Dorival Marcos - Menina dos olhos grandes (1967)

Compacto simples lançado em 1967 pela Copacabana traz duas inéditas do Eduardo Araújo
Dorival Marcos é mais um nome de cantor sobre quem nada sei. Fiz uma pesquisa na rede e, pra minha surpresa, encontrei outros dois compactos que ele lançou pela RCA Victor. Encontrei, ainda, este single num blog abandonado, mas decidi postá-lo porque o link está desativado. Adquiri este disco num sebo e pretendia incluí-lo na coletânea "Jovem Guarda Obscura". Achei interessante separá-lo devido a capa com o autógrafo do cantor, dado em 16 de abril de 1968 para um certo Ari Sérgio. É sempre curioso sabermos como é a caligrafia, o autógrafo e a fisionomia de quem canta.

A única referência que encontrei sobre o cantor está no comentário de alguém que escreveu nesse blog abandonado. A pessoa diz que o conheceu na época em que estudava em São Caetano do Sul, no ABC paulista. O interessante é que o cantor, mesmo desconhecido do grande público, lança neste disco duas inéditas do Eduardo Araújo, uma das quais - o samba jovem "Todo o meu amor" - em parceria com Carlos Imperial. Por conta deste detalhe, não ficarei surpreso se alguém informar no Comentários que o Dorival Marcos era uma das atrações de "O Bom", programa que Eduardo Araújo apresentou em 1967, ano do lançamento deste single, na extinta TV Excelsior. Confira:

01 - Menina dos olhos grandes
..... (Eduardo Araújo)
02 - Todo o meu amor
..... (Eduardo Araújo - Carlos Imperial)


quarta-feira, 20 de junho de 2012

Elvis, Sedaka e Anka - 6 Super hits de 60 (1976)

Clássicos do Elvis Presley, Neil Sedaka e Paul Anka estão neste compacto triplo de 1976

1976. Elvis ainda era vivo, e o Brasil foi literalmente sacudido pela sonoridade dos chamados anos dourados, graças ao sucesso da telenovela "Estúpido Cupido", da Rede Globo. A indústria fonográfica, atenta ao desejo do consumidor, relançou vários discos com sucessos da fase embrionária do rock. Um dos títulos foi este "6 Super hits de 60", um compacto triplo da RCA com sucessos do Elvis Presley, Neil Sedaka e Paul Anka. Apesar de o título remeter aos anos 1960, o repertório selecionado é, em sua essência, da década anterior.

As seis músicas do disco são clássicos do pionerismo do rock e fáceis de encontrar, mas o post vale como documento de uma época, principalmente pela capa e pelos selos do single. Por esse motivo, tomei a liberdade de fazer duas mudanças no repertório, sem comprometer sua essência: troquei a original de "Tutti-frutti", com Elvis Presley, por uma versão remix, e também substitui "Diana", em inglês, pela italiana, apenas para diferenciar. Espero que curta. Confira:


01 - Neil Sedaka - Breaking up is hard to do
..... (Sedaka - Greenfield)
02 - Elvis Presley - Don't be cruel 
..... (Blackwell - Presley)
03 - Paul Anka - Puppy love
..... (Anka)
04 - Neil Sedaka - Stupid cupid
..... (Sedaka - Greenfield)
05 - Elvis Presley - Tutti frutti (Versão remix)
..... (Penniman - Labostrie - Lubin)
06 - Paul Anka - Diana (em italiano)
...... (Anka - Panzeri)

terça-feira, 19 de junho de 2012

Discoteca Pepsi - Seis músicas... seis sucessos

EP do selo Startime oferece três músicas nacionais e três internacionais

A gente conhece o compacto simples, o duplo e raramente encontra o triplo. Entre os poucos títulos produzidos neste formato com seis músicas encontramos este da Discoteca Pepsi, sem ano da produção, mas deve ser do final dos anos 1950 ou início dos 1960. O disco traz três rocks internacionais no lado A e três boleros nacionais no B. Repare que a música "Quem é", sucesso do Silvinho em 1959, foi regravada 20 anos depois pela Banda do Surf, no post anterior.

O interessante é que o disco, do selo Startime, é de uma coleção da Pepsi-Cola com outros volumes. Este é o terceiro. Deve ser de alguma promoção da marca no Brasil, como fez na época da Jovem Guarda para o refrigerante Mirinda. A multinacional lançou lote especial de compactos simples da Wanderléa, Jerry Adriani, Renato e seus Blue Caps, Lafayete e Leno e Lilian, produzidos pela CBS (Sony), para a "Discoteca Iê-iê-iê", hoje objeto de desejo de colecionadores. No caso desta Discoteca Pepsi, o disco falha por não informar os nomes dos intérpretes. Seriam todos artistas nacionais? Fiquei curioso, por exemplo, para saber quem é o cantor do rock "The man who shot liberty valance", fortemente influenciado por Elvis Presley. Mas trata-se de detalhe que não tira o mérito de ser um disco legal pra se curtir. Confira:

01 - Night train
..... (William Brooks)
02 - The man who shot liberty valance
..... (Scott Alan)
03 - Johnny gets angry
..... (Linda Loman)
04 - E a vida continua
..... (Evaldo Gouveia - Jair Amorim)
05 - Lembranças
..... (Raul Sampaio - Benil Santos)
06 - Quem é
..... (Silvio Lima - Madrilio Lopes)

domingo, 17 de junho de 2012

Banda do Surf - As 30 Maiorais (1979)

Banda do Surf conta com a participação especial do cantor Marcus Pitter no disco
Eis um interessante álbum da Banda do Surf, lançado em 1979 pela Aquarela, selo da Top Tape. Não tenho e nem encontrei na rede nenhuma referência sobre o grupo. Tudo leva a crer que bebe da mesma fonte musical da Banda do Canecão, que gravou nos anos 1970 vários álbuns com grandes sucessos da parada. Neste disco, intitulado "30 Maiorais", a banda conta com a participação do cantor Marcus Pitter. Infelizmente, o álbum não informa em quais faixas o cantor está presente, mas identifiquei sua voz em três músicas ("Para esquecer", "Amor dividido" e "Café da manhã"). O repertório em pot-pourri é bem variado. Nele encontramos desde hits da discoteca, como "Le freak", "I will survive" e até canções populares como "Pai" e "Sou rebelde", sem contar uma homenagem a Tim Maia e um delicioso reggae do Bob Marley, entre outras. Confira:

01 - My life
..... (Billy Joel)
.. - Warm ride
..... (B.R. - M. Gibb)
.. - Tragedy
..... (B.R. - M.Gibb)
.. - Le Freak
..... (N. Rodgers - B. Edwards)
.. - Sun is here
..... (B.Byrd)
.. - You and I
..... (R.James)
02 - Até parece que foi sonho
..... (Fábio - Paulo Sérgio Vale - Diogo)
.. - Sossego
..... (Tim Maia)
.. - Acende o farol
..... (Tim Maia)
03 - Sou rebelde (Soy rebelde)
..... (M.Alejandro - vs. Paulo Coelho)
.. - Por muitas razões eu te quero (Por muchas razones te quiero)
..... (Palito Ortega - vs. Walter José)
.. - Pertinho de você
..... (Hugo Belardi)
04 - Pai
..... (Fábio Jr)
.. - Para esquecer (Que hay que hacer para olvidar)
..... (Daniel Cabuche - M. Pizurno - vs. Lilian Knapp)
.. - As vezes tu, às vezes eu (A veces tu, a veces yo)
..... (J. Iglesias - Cecília - vs. Fernando Adour)
.. - Quem é
..... (S.Lima - M. Lopes)
05 - No woman no cry 
..... (Bob Marley)
06 - A little more love 
..... (John Farrar)
.. - Boogie Oogie Oogie 
..... (J.Johnson - T. Kibble)
.. - Cuba
..... (J.Kluger - D. Vangarde)
.. - Do you think I'm sexy?
..... (Rod Stewart - C. Appice)
.. - I will survive
..... (D.Fekaris - F. Perren)
07 - Amor dividido
..... (Luiz Ayrão - Sidney da Conceição)
.. - Café da manhã
..... (Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
08 - Ready to take a chance again
..... (N. Gimbel - C.Fox)
.. - Sharing the night together
..... (E. Struzick - A. Aldridge)
.. - Too much heaven
..... (B.R. - M. Gibb)
.. - Honesty
..... (Billy Joel)
09 - Meu drama
..... (Silas de Oliveira - J. Ilarindo)
.. - O patrão mandou
..... (Paulinho Soares)

sábado, 16 de junho de 2012

Paulo Sérgio - Não creio em mais nada (CS 1970)

Versão de "Não creio em mais nada" , lançada em compacto, é diferente da incluída no LP

Hoje vou apelar para minha "gaveta" de material pronto para postagem. Trata-se deste compacto simples do Paulo Sérgio, lançado em 1970, pela Caravelle. As duas músicas do disco não são raras e estão incluídas no quarto LP do cantor. Achei legal postá-las porque este single é alvo de discussão entre fãs do cantor, falecido em 29 de julho de 1980. Para muitos, a versão da música "Não creio em mais nada", presente neste disco, é diferente da lançada no álbum, pois é estendida e apresenta acréscimo de um órgão juntamente ao violino. Trata-se de detalhe que somente os fãs percebem. Confira:

01 - Não creio em mais nada
..... (Totó)
02 - Preciso acreditar
..... (Paulo Sérgio - Maurileno)


sexta-feira, 15 de junho de 2012

Vários artistas - EP XXII Festival de Sanremo (1972)

Compacto duplo do selo Fermata oferece três músicas finalistas do tradicional festival italiano

Após a postagem do álbum internacional do VI FIC, de 1971, achei interessante complementar o clima de festival no blog com este EP de 1972 da 22ª edição do tradicional certame em Sanremo, na Itália. O compacto traz três finalistas: "Come le viole" (segunda colocada), "Jesahel" (sexta colocada) e "Un diadema di ciliege" (11ª colocada). Apenas "Ci sono giorgi", com Pino Donaggio, que abre o lado B do EP, não foi classificada. Vale lembrar que Roberto Carlos participou do festival na esperança de repetir o sucesso de "Canzone per te", vencedora em 1968, mas desta vez a música escolhida - "Un gatto nel blu" - ficou fora da final. A vencedora foi "I giorni dell'arcobaleno", com interpretação de Nicola di Bari, mas quem mais discos vendeu foi "Jesahel", com o grupo Delirium. Confira:

01 - Peppino Gagliardi - Come le viole
..... (Amendola - Gagliardi)
02 - Delirium - Jesahel
..... (Fossati - Prudente)
03 - Pino Donaggio - Ci sono giorgi
..... (Pallavicini - Donaggio)
04 - Ricchi & Poveri - Un Diadema di ciliege
..... (R.Bertola)

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Vários artistas - As favoritas do VI FIC - Internacional

LP traz registro ao vivo da campeã "Y despues del amor", com Los Hermanos Castro
Como o próprio título sugere, este álbum reúne as 10 músicas favoritas do público (segundo a Rede Globo, é claro) na fase internacional do VI Festival Internacional da Canção Popular - VI FIC, realizado em 1971, pela emissora da família Marinho e pela Secretaria Municipal do então estado da Guanabara. Entre as 10 estão a vencedora "Y despues del amor" (México), a terceira colocada ("Kyriê", do Brasil), a quarta ("Song without love", do Líbano, que levou o prêmio de melhor intérprete para Gwen Owens) e quinta ("Dormido amor", da Espanha). A segunda colocada, "Love is on my mind", do Paquistão, defendida por Rocky Shahan, era a grande preferida, mas não está no disco.

Na fase nacional, o festival foi prejudicado pela Censura Federal, e uma série de grandes artistas não inscreveram suas canções. Para evitar o esvaziamento, os organizadores resolveram classificar automaticamente vários compositores. Mesmo assim, houve censura a algumas músicas, e diversos artistas – tanto do grupo previamente selecionado quanto dos posteriormente inscritos – abandonaram o festival em protesto contra a censura e o governo militar, quase inviabilizando a realização do evento. Foi nessa edição que surgiram músicas como "Desacato", de Antônio Carlos e Jocafi, "Casa no campo", de Tavito e Zé Rodrix, "Lourinha (Fred Falcão e Arnoldo Medeiros) e "Você não tá com nada", de Silvio Cesar, entre outras. Apesar dos entraves, eu gostei mais da fase nacional do que a internacional, mas não custa nada ouvir o que veio de fora. Confira:

01 - México - Los Hermanos Castro - Y despues del amor (ao vivo) - 1º lugar
..... (Arturo Castro)
02 - Áustria - Eric - Every day
..... (M.Lichter - R.Osterreicher)
03 - Inglaterra - Samantha Jones - I love him
..... (P.L.Stirling - Rod McQueen)
04 - Bélgica - Two Men Sound - Copacabana
..... (Depryck - V. Holmen - P. Els)
05 - Líbano - Gwen Owens - Song whithout love (ao vivo) - 4º lugar e melhor intérprete
..... (G. Yared)
06 - Brasil - Trio Ternura - Kyriê - 3º lugar
..... (Paulinho Soares - Marcelo Silva)
07 - Haiti - Jho Archer - Dis merci
..... (J. Archer - P. Auriat - J.M.Rivat - F.Thomas)
08 - Suiça - Henry Des - Les hommes sont partis
..... (Henry Des)
09 - Estados Unidos - Rocky Horse - This day today
..... (Christian Mancini)
10 - Espanha - Massiel - Dormido amor - 5º lugar
..... (P.Jane - Massiel)


quarta-feira, 13 de junho de 2012

Evinha - Nosso lugar... Itaipu (Single 1977)

Single é de 1977, quando Evinha seguiu carreira internacional com a orquestra de Paul Muriat
Este deve ser um dos últimos compactos da Evinha em sua carreira solo, iniciada em 1968, após bem-sucedida participação no Trio Esperança. Segundo consta, em 1977, quando lançou este single, Evinha participou no disco da Orquestra de Paul Mauriat, com músicas brasileiras, e seguiu em turnê pelo Japão e pela China, como crooner da orquestra. Em seguida casou-se com Gerard Gambus, pianista da orquestra, fixando residência em Paris, na França. Na década de 1990, voltou a se apresentar no exterior com a nova formação do Trio Esperança, contando com as irmãs Marisa e Regina, gravando os discos “A Capela do Brasil”, "Segundo Trio Esperança" e “Nosso Mundo”.

Evinha nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 17 de setembro de 1951. A cantora é irmã de Ronaldo, Roberto e Renato, integrantes do grupo Golden Boys, e de Mario, Regina e Mariazinha, componentes do Trio Esperança. Prima do saudoso Valdir Anunciação (dos Golden Boys), ela iniciou a carreira em 1961 no Trio Esperança, cantando com a família até 1968, quando virou a página e abriu capítulo como solista. O sucesso foi imediato com "Cantiga Por Luciana", campeã do 4º Festival Internacional da Canção – FIC. Em 1969, aos 18 anos, saiu o seu primeiro álbum “Eva 2001”, com o hit "Casaco Marrom (Bye Bye Ceci)". Na década de 1970, lançou os álbuns “Eva” (1970), "Evinha" (1973) e "Eva" (1974), se destacando com músicas como "Teletema", "Que Bandeira", "Como Vai Você" e outras.

Integrou o grupo "Goldenrança", união entre os Golden Boys e o Trio Esperança, muito requisitado para vocais em estúdio para gravações de vários artistas. Em 1999, lançou o CD “Reencontro”, regravando antigos sucessos. Apresentou-se no Brasil, no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, após 20 anos de ausência dos palcos brasileiros. Reuniu-se com os irmãos no Bar do Tom, no Rio de Janeiro, em 2005 no show “A Festa da Jovem Guarda Continua”. O trabalho mais recente é de 2010, o CD "De Bach a Jobim", no qual o Trio Esperança entoa repertório majoritariamente brasileiro. Agrega músicas de Edu Lobo ("Upa Neguinho"), Tom Jobim ("Desafinado" - parceria com Newton Mendonça - e "Samba do Avião"), Renato Teixeira ("Romaria") e Chico Buarque ("Joana Francesa"). O Esperança aborda também o cancioneiro dos Beatles, regravando "Penny Lane" e "Blackbird". Vale conferir, assim como tudo que vem do DNA da família Correa. Evinha é apenas o exemplo. Confira:

01 - Nosso lugar... Itaipu
(Zurana) 
02 - Depende da gente
(Mário Rocha - Renato Corrêa)

Produção executiva: Tavito
Arranjos e regência: Eduardo Souto Neto

terça-feira, 12 de junho de 2012

Vários intérpretes - Especial Eu te amo (1990)

Coletânea apresenta 20 canções selecionadas para embalar o Dia dos Namorados
Nada como ouvir músicas românticas neste 12 de junho, dia dos namorados, comemorado no Brasil desde 1953 por iniciativa de comerciantes paulistas. Optei por esta coletânea que reúne músicas dos dois volumes do álbum “Eu te amo”, lançados originalmente em vinil em 1987 e três anos depois em CD. Considero o repertório muito bem selecionado, apesar dos covers que não comprometem o resultado final. Os principais destaques são o Terry Winter, Morris Albert, The Magnetic Sounds (Os Carbonos) e B.J.Thomas.

O 12 de junho foi escolhido no Brasil por ser véspera da comemoração do dia de Santo Antônio, conhecido como santo casamenteiro. Na Europa e na América do Norte, a festa dos que se amam é celebrada no dia 14 de fevereiro, dia de São Valentim ou Valentino. Este santo viveu no Século III, em Roma, na época em que o imperador Claudius proibiu casamentos durante as guerras, por achar que o amor prejudicava o ânimo dos soldados. 

Valentino, porém, continuou a casar os jovens que o procuravam, e passou à história como padroeiro dos apaixonados. Por sua atividade, foi condenado à morte e decapitado no ano de 278. “Deve ser por isso que o amor faz muita gente perder a cabeça”, pensei, com boa dose de humor negro, assim que li a informação num site. Melhor mesmo é baixar o álbum e ouvir o excelente repertório. Confira:

01 - The Magnetic Sounds - Wigwam
..... (Bob Dylan)
02 - Jean-Claude Dorelly - Dolannes Melodie
..... (Paul de Senneville - Olivier Toussaint)
03 - Terry Winter & Silvia Nassar - Lovely Love
..... (Terry Winter - John Gabriel)
04 - Eduardo Assad -  Some Where in time
..... (John Barry)
05 - Morris Albert - She´s my girl
..... (Morris Albert)
06 - Enoch Light & The Ligth Brigade - Moonligth Serenade
..... (M.Parish - Glenn Miller)
07 - John Paul Young - Love is the air
..... (Vanda - Young)
08 - The Mantovani Orchestra - Love is a many splendored thing
..... (Webster - Fain)
09 - B.J. Thomas - Rock an roll Lullaby
..... (B.Mann - C.Weil)
10 - Waldemiro Lemke - Entre Le Ciel Et La Mer
..... (André Popp - Pierre Cour)
11 - Gilbert - F.. Comme Femme
..... (S.Adamo)
12 - The Magnetic Sounds - Ballade pour adeline
..... (P. de Senneville - O. Toussaint)
13 - Der Chor Von St. Helena, Orchester Arno Flor - Lili Marleen
..... (N.Schultze - H.Lelp)
14 - Eduardo Assad - Passion Love Theme
..... (Dick Danello)
15 - Terry Winter - Our Love Dream
..... (Tony Temple - Joe Baker)
16 - Enoch Light and The Light Brigade - Begin The Beguine
..... (Cole Porter)
17 - Morris Albert - Conversation
..... (Morris Albert)
18 - The Magnetic Sounds - Song for Anna
..... (André Popp - Jean Claude Massoulier)
19 - Fred Bongusto - Carissimo Maestro di Padova
..... (Albertelli - Bongusto - M.Tognati)
20 - Danielle Licari - Concertino Pour Deux Voix
..... (J.Castan - Arr.J.Castan)

segunda-feira, 11 de junho de 2012

The Mama's & The Papa's - Greatest hits live (1994)

John Phillips, líder do The Mama's & The Papa's, gravou este CD ao vivo com novos integrantes
O grupo vocal The Mamas & The Papas foi um dos grandes sucessos nos anos 1960 e emplacou hits como “Monday, Monday” e "California Dreamin'". Foi uma das únicas bandas dos EUA a conseguir manter o sucesso e a competir com a Invasão Britânica no cenário musical internacional entre 1965 e 1968, lançando cinco álbuns e deixando um legado de dez sucessos entre os compactos mais vendidos. Este CD, lançado no Brasil pela Alldisc em 1994, reúne grandes sucessos do grupo em apresentação ao vivo. Infelizmente, o disco não traz informações detalhadas sobre os componentes e as referidas gravações.

O grupo original foi formado em Nova Iorque, Estados Unidos, nos anos 1960, por John Phillips (responsável pelas composições do grupo), Michelle Phillips, 'Mama' Cass Elliot e Denny Doherty. O sucesso do grupo se deve principalmente pelas belas harmonizações vocais, e também ao acompanhamento de seus discos em estúdio por músicos profissionais. Em 1966, o grupo lançou seu primeiro álbum, "If You Can Believe Your Eyes and Ears", que trazia dois dos seus maiores sucessos, "California Dreamin" e "Monday, Monday", e atingiu o primeiro lugar nas paradas americanas. Em 2003, a revista especializada em música Rolling Stone listou este álbum na 127ª posição entre os 500 melhores de todos os tempos.

Problemas de relacionamento entre os integrantes decretaram o fim da primeira e principal formação. John Phillips era casado com Michelle Gillian desde 1962. Ela, por sua vez, teria mantido romance com Denny Doherty, o principal vocalista, e posteriormente com Gene Clark, do grupo The Byrds. Michelle acabou afastada do grupo em 1966 e entrou Jill Gibson no seu lugar, mas os fãs não a aceitaram muito bem, e o grupo aceitou Michelle de volta ainda em 1966. John e Michelle acabaram se reconciliando pouco tempo depois. Em 1967, após uma discussão com John Phillips, Mama Cass abandonou o grupo e só uniu-se novamente um ano mais tarde para gravação do último álbum por exigência contratual. 

John Philips tornou-se produtor cinematográfico, Michelle Gillian (de quem se divorciou) começou carreira de atriz. Denny Doherty e Cass Elliot lançaram discos solo, mas foi ela quem obteve destaque, e fez sucesso com as canções "Make Your Own Kind of Music", "Dream a Little Dream of Me" e "It's Getting Better". "Mama" Cass Elliot (Ellen Naomi Cohen) morreu de ataque do coração em 29 de julho de 1974, após se apresentar em shows solo em Londres. John Philips também morreu de problemas cardíacos em 18 de março de 2001. Denny Doherty morreu em 19 de janeiro de 2007. Acabou por Michelle ser a única sobrevivente da formação original do inesquecível The Mamas & The Papas. Confira:

01 - California Dreamin'
..... (John Philips - Michele Philips)
02 - Monday, monday
..... (John Philips)
03 - Creeque Alley
..... (John Philips - Gillian)
04 - Dream a Little Dream of me
..... (Gus Kahn - Wilbur Schwandt - Fabian Andre)
05 - I Saw Her Again
..... (John Philips - Denny Doherty)
06 - Sunday will never be the same
..... (Pistille - Cashman)
07 - Straight shooter
..... (John Philips)
08 - Dedicated to The One I Love
..... (Bass - Pauling)
09 - Mississipi
..... (John Philips)
10 - Go Where You Wanna Go
..... (John Philips)


sábado, 9 de junho de 2012

Vários intérpretes - Momento Velas (1994)

Importantes nomes da Música Popular Brasileira foram revelados pelo selo independente Velas
Aqui está uma coletânea muito boa pra ouvir. Foi lançada em 1994 pela gravadora Velas, fundada em 1991 por Ivan Lins e seu amigo e parceiro Vitor Martins. O álbum reúne principais faixas dos lançamentos realizados pelo selo entre 1993 e 1994. Como se pode notar, a principal característica da gravadora foi privilegiar a MPB e suas principais vertentes. Basta observar o repertório e intérpretes do disco para constatar que se trata de título indispensável pra quem curte música brasileira de qualidade, feita por gravadora totalmente independente e nacional. A Velas marcou a história da discografia nacional ao lançar artistas e discos fundamentais da nossa música,como os dos estreantes Guinga, Chico Cesar e Lenine , além de consagrados como Edu Lobo, Fatima Guedes e Zizi Possi, entre tantos outros. Confira:

01 - Ivan Lins - Água doce
..... (Ivan Lins - Vitor Martins)
02 - Rosa Passos - Jura
..... (Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
03 - Zé Renato - Mulher
..... (Custódio Mesquita - Sady Cabral)
04 - Vânia Bastos - Canta, canta mais
..... (Tom Jobim - Vinicius de Moraes)
05 - Almir Sater - É necessário
..... (Geraldo Espindola)
06 - Paulinho Pedra Azul - História sem fim
..... (Flavio Henrique - Dado Prates)
07 - Zizi Possi - Lamentos
..... (Pixinguinha - Vinicius de Moraes)
08 - Celso Adolfo - Brasil, nome de vegetal (part. esp. Milton Nascimento)
..... (Celso Adolfo)
09 - Fátima Guedes - Flor de ir embora
..... (Fátima Guedes)
10 - Guinga - Passarinhadeira (part. esp. Fátima Guedes)
..... (Guinga - Paulo Cesar Pinheiro)
11 - Edu Lobo - Falando de amor - Prelúdio número 3
..... (Tom Jobim) - (Villa Lobos)
12 - Elis Regina e Zimbo Trio - Pra dizer adeus
..... (Edu Lobo - Torquato Neto)
13 - Tadeu Franco - Sertaneja (part. esp. Tavinho Moura)
..... (Rene Bittencourt)
14 - Flavio Venturini - Quando você chegou
..... (Flávio Venturini - Alexandre Blasifera)
15 - Lenine e Marcos Suzano - Leão do Norte
..... (Lenine - Paulo Cesar Pinheiro)
16 - Batacoto - Coisa de Comer
..... (Dunga)
17 - João Nogueira e Paulo César Pinheiro - Rio, samba, amor e tradição
..... (João Nogueira e Paulo César Pinheiro)
18 - Beth Carvalho - Meu lirismo
..... (Silvio Modesto)
19 - Nelson Angelo - 1 x 0 (part. esp. Chico Buarque)
..... (Pixinguinha - Benedito Lacerda - Nelson Angelo)


sexta-feira, 8 de junho de 2012

Roberto Cesar - Antigo bem (CS Copacabana 1966)

Roberto Cesar é um dos autores da música "Antigo bem" em parceria com Ewaldo Canella


Roberto Cesar. Alguém conhece? Eu não conheço e nada encontrei na rede a seu respeito. Se você souber, escreva no Comentários. O fato é que ele gravou este compacto simples pela Copacabana em 1966. O disco não informa o ano da produção, mas foi possível chegar a 1966 devido a numeração. Se você é como eu, que gosta de ouvir intérpretes desconhecidos, aproveite esta oportunidade. Confira:

01 - Antigo bem
..... (Roberto Cesar - Ewaldo Canella)
02 - Garoa
..... (Ewaldo Canella - Edson França)

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Vários artistas - "Hits" da Bossa Nova (LP Philips)

Álbum reúne intérpretes e compositores considerados "autênticos" pioneiros da Bossa Nova

Posso dizer que este post é um complemento do anterior, pois se trata de álbum que reúne nomes e clássicos da Bossa Nova. Este também não traz a data da produção, mas também deve ser da primeira metade dos anos 1960.  Pelo repertório e intérpretes, a gente já sabe que só tem coisa boa no disco. Confira:

01 - Sylvia Telles - Samba de uma nota só
..... (A.C.Jobim - N.Mendonça)
02 - Tamba Trio - Desafinado
..... (A.C.Jobim - N.Mendonça)
03 - Sonia Delfino - Meditação
..... (A.C.Jobim - N.Mendonça)
04 - Sergio Mendes - Outra vez
..... (A.C.Jobim)
05 - Carlos Lyra - Quem quiser encontrar o amor
..... (C.Lyra - G.Vandré)
06 - Baden Powell - Do jeito que a gente quer
..... (Ed Lincoln)
07 - Lúcio Alves - Samba triste
..... (Billy Blanco - Baden Powell)
08 - Tamba Trio - Nós e o mar
..... (R.Menescal - R.Boscoli)
09 - Lúcio Alves - O amor e a rosa
..... (Pernambuco - Antonio Maria)
10 - Baden Powell - Improviso em Bossa Nova
..... (Baden Powell)
11 - Sylvia Telles - Corcovado
..... (A.C.Jobim)
12 - Sérgio Mendes - Tristeza de nós dois
..... (D.Ferreira - Maurício - Bebeto)
13 - Sonia Delfino - O barquinho
..... (R.Menescal - R.Boscoli)
14 - Carlos Lyra - Chora tua tristeza
..... (O.C.Neves - L.Fiorini)

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Vários artistas - Muita bossa com... (Selo Fantasia)

Principais intérpretes e canções da Bossa Nova estão neste álbum do início dos anos 1960
Depois do Erasmo Carlos e Wanderléa, principais nomes da Jovem Guarda, nada como equilibrar a balança musical com boa dose de Bossa Nova. Este álbum, lançado pela Fantasia (selo da Philips), provavelmente no início dos anos 1960, traz os mais importantes nomes do movimento: Vinicius de Morais, Carlos Lyra, Baden Powell, Sylvia Telles, Lúcio Alves e Agostinho dos Santos, além de Sonia Delfino e Eliana. Trata-se de um álbum delicioso de se ouvir, da primeira a última faixa, e que nos permite conferir a voz privilegiada de alguns artistas, como a do saudoso Agostinho dos Santos. Outro vocal bonito e que me chamou a atenção é o da Eliana. Dá a vontade de ouvir outras músicas do seu repertório. Pena que ela só aparece em uma faixa, mas essa carência é preenchida por canções de primeiríssima qualidade. Confira:

01 - Agostinho dos Santos - Maria dos meus pecados
..... (Dunga - Jair Amorim)
02 - Baden Powell - Samba triste
..... (Billy Blanco - Baden Powell)
03 - Sylvia Telles - Trá lá lá lá lá
..... (B. Hitchcock - T. Hormel - A. de Oliveira)
04 - Carlos Lyra - Marcha da quarta-feira de Cinzas
..... (Carlos Lyra - Vinicius de Moraes)
05 - Lúcio Alves - A vizinha do lado
..... (Dorival Caymmi)
06 - Sylvia Telles - Manhã de carnaval
..... (Luiz Bonfá - Antonio Maria)
07 - Vinicius de Moraes - Pela luz dos olhos teus
..... (Vinicius de Moraes)
08 - Lúcio Alves - O samba da minha terra
..... (Dorival Caymmi)
09 - Eliana - Estrelinha
..... (Sérgio Bittencourt)
10 - Agostinho dos Santos - Eu não existo sem você
..... (Tom Jobim - Vinicius de Moraes)
11 - Sylvia Telles - Canção que morre no ar
..... (Carlos Lyra - Ronaldo Bôscoli)
12 - Baden Powell - Dum... dum... dum... dum
..... (Baden Powell - Luiz Bittencourt)
13 - Sonia Delfino - Luluzinha Bossa Nova
..... (Roberto Menescal - Ronaldo Bôscoli)
14 - Carlos Lyra - Maria Ninguém
..... (Carlos Lyra)

terça-feira, 5 de junho de 2012

Vários artistas - Eles & Elas cantam Wanderléa

Coletânea reúne 15 músicas do repertório da Ternurinha na interpretação de outros artistas

"Eles & Elas cantam Wanderléa" é um tributo para a aniversariante do dia, a cantora Wanderléa, que neste 2012 também completa 50 anos de carreira, se considerarmos que o primeiro disco solo foi gravado em 1962. A discografia da cantora está praticamente disponível na íntegra na rede, razão pela qual optei por reunir uma coletânea de 15 canções do repertório da Ternurinha, mas na voz de outros intérpretes. Vale destacar que "Eu apenas queria que você soubesse", de Gonzaguinha, e "Poema para Léa", de Paulo Diniz e Juhareiz Correya, foram criadas especialmente para a cantora, apesar de gravadas também pelos autores. Outro destaque é "Pare o casamento" que o Kid Abelha gravou em sua homenagem. Sintonize:

01 - Roberto Carlos - Ternura (Somehow it got to be tomorrow) (Today)
..... (E.Levitt - K.Karen - vs. Rossini Pinto)
02 - Kid Abelha - Pare o casamento (Stop the wedding)
..... (Resnick - Young - vs. Luiz Keller)
03 - Leonardo - Me ame ou me deixe
..... (M.Sullivan - P. Massadas)
04 - Rita Lee -  Sem endereço (Memphis, Tennessee)
..... (Chuck Berry - vs. Rossini Pinto)
05 - José Augusto - Te amo
..... (Roberto Côrrea - Sylvio son)
06 - Paulo Diniz -  Poema para Léa
..... (Paulo Diniz - Juhareiz Correya)
07 - Angélica - Exército do surf (L'Esercit del surf)
..... (Mogol - Pataccini - vs. Neusa de Souza)
08 - Gonzaguinha - Eu apenas queria que você soubesse
..... (Gonzaguinha)
09 - Magazine - Meu bem lollipop (My boy lollipop)
..... (Morris Levy - Johnny Roberts - vs. Gerson Gonçalves)
10 - Alcione - Na hora da raiva
..... (Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
11 - Erasmo Carlos - Mané João
..... (Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
12 - Wanderley Cardoso - Você vai ser o meu escândalo
..... (Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
13 - Marília Pera - Lourinha
..... (Fred Falcão - Arnoldo Medeiros)
14 - Trio Mocotó - Kriola
..... (Hélio Matheus)
15 - Hebe Camargo & Maria Rita - Foi assim
..... (Ronaldo Corrêa - Renato Corrêa)

Erasmo Carlos - Duetos ao Vivo (Coletânea)

Seleção reúne duetos do Erasmo Carlos com importantes nomes da música brasileira

Hoje, 5 de junho, é o Dia Mundial do Meio Ambiente, mas também é a data da comemoração do aniversário de dois ídolos da música brasileira: Erasmo Carlos e Wanderléa. Achei que deveria homenageá-los com postagem diferenciada. No caso do Erasmo, é notório que faz juz ao verso "amigo de fé, irmão camarada", da letra de "Amigo", porque ele deve ser um dos mais populares entre os colegas do meio artístico. Um dos termômetros dessa popularidade está na presença do Tremendão em inúmeras parcerias musicais, principalmente como intérprete. Ele próprio tem na discografia dois volumes do "Erasmo convida..." e sempre é chamado para participar de projetos de terceiros.

Assim, por achar que Erasmo é um dos artistas com mais duetos no Brasil, achei que seria interessante reunir parte desses registros, extraídos de vídeos do YouTube, ou seja, são inéditos em disco. A única exceção é "Parei na contramão", com Roberto Carlos, faixa do CD duplo "50 anos de estrada", que Erasmo acaba de lançar. Eu não costumo postar lançamentos ou discos que estejam em catálogo. Neste caso, achei que poderia usar um dos duetos com o Roberto para divulgar o CD/DVD em que Erasmo comemora os 50 anos de carreira, completados em 2011. Quem é fã do Erasmo, como eu, não se contenta em baixar. Têm que comprar seus discos. Sintonize:

01 - Maria Bethânia - As canções que você fez pra mim
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
02 - Roberto Carlos - Parei na contramão
 (Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
03 - Wanderléa - Prova de fogo
(Erasmo Carlos)
04 - China - Se você pensa
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
05 - Zélia Duncan - Eu sou terrível
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
06 - Arnaldo Antunes - Sou uma criança não entendo nada
(Erasmo Carlos - Ghirani)
07 - Luiz Melodia - Minha fama de mau
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
08 - Frejat - Filho único
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
09 - Niasi - Lobo mau (The wanderer)
(Earnest Mareska - Hamilton Di Giorgio)
10 - Fernanda Abreu - Coqueiro verde
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
11 - Nando Reis - De noite na cama
(Caetano Veloso)
12 - Fernanda Takai - Sentado à beira do caminho
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
13 - Adriana Calcanhoto - Gatinha manhosa
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
14 - Roberta Sá - Do fundo do meu coração
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
15 - Sandra de Sá - Festa de arromba
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)