Pesquisar este blog

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Celly Campello - Don't cry for me Argentina (EP 1977)

Celly Campello gravou LP e singles na RCA após sucesso da novela Estúpido Cupido
Celly Campello, a primeira rainha do rock brasileiro, interpreta neste compacto duplo de 1977 a música "Don't cry for me Argentina", uma das preferidas da própria cantora. O disco, sem muita repercussão, também traz três versões, entre as quais "Insisto, amor", do hit "Isn't she lovely", de Stevie Wonder, que Celly também gravou em inglês. A cantora nasceu na capital paulista no dia 18 de junho de 1942. Com apenas cinco dias de vida voltou para a cidade paulista de Taubaté, onde residiam seus pais, o casal Nelson Freire Campello e Idea Benelli Campello. A mãe quisera que o parto se desse onde as condições hospitalares fosse melhores, daí o nascimento em São Paulo.

Na infância, estudou piano, violão e balé, sendo que aos 12 já tinha seu próprio programa na Rádio Cacique de Taubaté. Em 1958, com 15 anos, gravou seu primeiro disco, com o irmão Tony Campello no outro lado do 78 RPM. Ela cantando "Handsome Boy”, e ele a balada rock “Forgive me”. O grande sucesso viria no ano seguinte com a versão brasileira de "Stupid Cupid", que no Brasil virou "Estúpido Cupido". Nesse mesmo ano participou do filme “Jeca Tatu”, do Mazzaroppi, e ainda ganhou programa próprio junto com seu irmão, chamado "Celly e Tony em Hi-Fi", na Rede Record, o qual apresentou por dois anos. Gravou outros sucessos, como "Banho de lua", "Lacinhos Cor-de-Rosa", "Billy", "Hey mama", "Broto legal", "Canário" (em dueto com o irmão Tony) e outros hits que lhe renderam inúmeros prêmios e troféus, inclusive no exterior.

Em 1962, com 20 anos e no auge do sucesso, Celly abandonou a carreira para se casar com José Eduardo Gomes Chacon, seu namorado desde a adolescência. Foi assim que se encerrou o primeiro ciclo da carreira. Ela ainda foi sondada em 1965 para apresentar o programa Jovem Guarda na TV Record, ao lado de Roberto e Erasmo Carlos. Em seu lugar entrou Wanderléa, que fazia muito sucesso com músicas do álbum "Quero você", de 1964. Celly voltou a gravar um LP em 1968, atendendo a pedido da Odeon, que queria comemorar os 10 anos do seu primeiro disco. Retornou aos estúdios no início dos anos 1970 para gravar na Continental e na RCA Victor. Foi alçada novamente ao sucesso em 1976 graças a telenovela "Estúpido Cupido" na TV Globo. Incentivada pela popularidade da novela, gravou um LP e alguns singles na RCA até 1979, quando encerrou definitivamente a carreira. Faleceu em 3 de março de 2003, vítima de câncer de mama, no Hospital Samaritano em Campinas, deixando saudades por seu talento e bonita voz. Confira:

01 - Don't cry for me Argentina
..... (Andrew Lloyd Webber - Tim Rice)
02 - A estação (Station)
..... (Terry Winter - Tony Temple - Dean Cliford - vs: Artúlio Reis)
03 - Insisto, amor (Isn't she lovely)
..... (Stevie Wonder - vs: Walter)
04 - Só, entre dois amores (Torn between two lovers)
..... (P. Yarrow - P. Jarrell - vs: Hamilton Di Giorgio)

Coordenador artístico - Tony Campello
Arranjador - Daniel Salinas

4 comentários:

  1. Outra grande postagem do Blog. Você tem o compacto do Silvio Cesar da Odeon de 66 que tem "tudo que tiver que ser será" e "Mônica" para postar? A anos procuro "Tudo que tiver que ser será" com Silvio Cesar e não encontro. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não tenho o disco solicitado. Já o coloquei na minha lista de "procurados", mas em breve postarei um álbum do Silvio Cesar. Aguarde. Abs.

      Excluir
  2. O novo link para o post é este:

    http://www.mediafire.com/?g58b7lorm6xhk8y

    ResponderExcluir
  3. Novo link:

    http://www.4shared.com/rar/TqcCAFAb/0109_-_CC.html?

    ResponderExcluir