Pesquisar este blog

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Dorival Marcos - Menina dos olhos grandes (1967)

Compacto simples lançado em 1967 pela Copacabana traz duas inéditas do Eduardo Araújo
Dorival Marcos é mais um nome de cantor sobre quem nada sei. Fiz uma pesquisa na rede e, pra minha surpresa, encontrei outros dois compactos que ele lançou pela RCA Victor. Encontrei, ainda, este single num blog abandonado, mas decidi postá-lo porque o link está desativado. Adquiri este disco num sebo e pretendia incluí-lo na coletânea "Jovem Guarda Obscura". Achei interessante separá-lo devido a capa com o autógrafo do cantor, dado em 16 de abril de 1968 para um certo Ari Sérgio. É sempre curioso sabermos como é a caligrafia, o autógrafo e a fisionomia de quem canta.

A única referência que encontrei sobre o cantor está no comentário de alguém que escreveu nesse blog abandonado. A pessoa diz que o conheceu na época em que estudava em São Caetano do Sul, no ABC paulista. O interessante é que o cantor, mesmo desconhecido do grande público, lança neste disco duas inéditas do Eduardo Araújo, uma das quais - o samba jovem "Todo o meu amor" - em parceria com Carlos Imperial. Por conta deste detalhe, não ficarei surpreso se alguém informar no Comentários que o Dorival Marcos era uma das atrações de "O Bom", programa que Eduardo Araújo apresentou em 1967, ano do lançamento deste single, na extinta TV Excelsior. Confira:

01 - Menina dos olhos grandes
..... (Eduardo Araújo)
02 - Todo o meu amor
..... (Eduardo Araújo - Carlos Imperial)


13 comentários:

  1. http://www.mediafire.com/?t791e60bz21ebz6

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Novo link:

      http://minhateca.com.br/sintoniamusikal/026+-+DM,897400767.rar(archive)

      Excluir
  2. Meu caro Chico, muito obrigado pela postagem desse raríssimo compacto, muito bom por sinal, do cantor Dorival Marcos. Resolvi dar uma pesquisada na net depois de seu relato aqui e encontrei esse blog onde a dona dele fala um pouco sobre o Dorival no seu post "Os Velhos Tempos da Jovem Guarda":

    http://www.deladeia.blogspot.com.br/

    Na matéria, a Dela Déia, fala que conheceu ele no colégio e que até "patrocinou" uma passagem de ônibus para que o cantor pudesse cantar na TV Gazeta, onde infelizmente o cantor não foi classificado. Espero que o link que lhe deixei acima lhe ajude um pouco a saber mais do Dorival. Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Chico, só uma correção: o dono do blog é homem e se chama Renato Ladeira, e não mulher. Segue o texto publicado no blog pelo Renato:

    "Mas havia um cantor de verdade no colégio, o Dorival Marcos (nem sei se era o seu nome verdadeiro ou se já era o artístico), que tinha um vozeirão. Mesmo cantando a capela, conseguia encher o pátio, fazendo calar a plateia de estudantes. Ele cantava as versões do francês Charles Azsnavour que eram gravadas pelo Agnaldo Rayol. O menino era um sucesso para nós e todos acreditavam que ele iria acontecer.
    Mas o tempo passou e já se foram mais de quarenta anos e nunca vi o Dorival em nenhum canal de televisão, jornal ou revista especializada.

    Mas um dia desses rodando por São Caetano, passei em frente a casa onde a namorada do Dorival morava naqueles antigos e saudosos anos sessenta. E foi aí que bateu certa nostalgia daquela época e resolvi tentar localizá-lo pela Internet. A única pista que encontrei foi uma foto de um disco compacto simples (uma música de cada lado) e o Dorival na capa apresentado como relíquia de um sebo de discos.

    Lembrei-me de um sábado chuvoso em que nos encontramos no colégio e no caminho de volta ele comentou que precisava ir cantar num concurso na TV Gazeta e não tinha grana nem para a passagem de ônibus. Foi aí que eu me ofereci para patrocinar a empreitada. Fomos até minha casa e consegui uns trocados com minha mãe e chegamos até a TV Gazeta, na Avenida Paulista, um pouco antes do início do concurso, depois de tomarmos pelo menos três coletivos. Fiquei na platéia e assisti vários calouros interpretando alguns clássicos da Bossa Nova, acompanhados por um trio com piano, baixo acústico e bateria como o velho Zimbo Trio. Chegou a vez do Dorival, que cantou uma canção cheia de acordes dissonantes. Fiquei na torcida para que ele se classificasse e até que ele se saiu bem, mas habituado as baladas, rock ou canções francesas e italianas parece-me que deu umas pequenas atravessadas e não obteve a classificação para continuar no concurso.

    Voltamos desanimados, ele evidentemente muito mais do que eu, pois foi uma oportunidade perdida de conseguir alguma visibilidade, mesmo que não fosse através da jovem guarda, que parecia ser o seu objetivo. No caminho comentou que talvez fosse desistir do colégio, pois não tinha tempo nem cabeça para estudar. Ou a minha memória apagou ou nunca mais vi o Dorival Marcos depois daquele dia. Como também mudei de rumo e de colégio, ficou apenas uma remota lembrança de seu vozeirão cantando “Ma vie” no pátio do colégio. Se o velho Dorival ainda estiver vivo, é provável que nem se lembre mais desse episódio, remoto em nossas lembranças. É possível também que não seja agradável recordar das dificuldades da vida passada.

    Enfim, o que eu queria mesmo era contar a história de um cantor, como muitos que sonharam e ainda sonham com a vida artística. Dorival pelo menos deixou registrada a sua marca, gravando duas canções que não ainda não tive oportunidade de ouvir “Menina dos olhos grandes” e “Todo meu amor”. Quem sabe um dia passe pelo sebo e resgate um pedaço daqueles bons tempos ou como diz a canção do Roberto “Daquelas velhas tardes de domingo”.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Chico, mais algumas informações sobre o cantor podem ser encontradas nesse link:

    http://www.jornalabcreporter.com.br/noticia_completa.asp?destaque=13541

    De acordo com o link, no ano passado Dorival fez shows com seu amigo Carlinhos no Copiara Tarantela, em São Caetano (SP).

    ResponderExcluir
  5. A reportagem foi postada originalmente no blog do Luís Nassif (e não no blog Dela Déia), e escrita pelo mesmo Renato Ladeira nesse link:

    http://advivo.com.br/blog/luisnassif/a-jovem-guarda

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael

      Muito obrigado pelo favor de postar informações sobre o Dorival Marcos. O interessante é que São Caetano do Sul - onde Jerry Adriani iniciou carreira - é cidade vizinha a minha, em Santo André. Abração.

      Chico

      Excluir
  6. Meu nome é Renato Ladeia e postei o texto no meu blog e no blog do Nassif.
    Foi ótimo ter publicado e o Dorival ter saído do ostracismo.

    ResponderExcluir
  7. Renato

    Muito obrigado pelo comentário. Tenho certeza que, quando você menos esperar, o próprio Dorival Marcos vai contatá-lo em seu blog.
    Abração

    Chico

    ResponderExcluir
  8. Novo link:

    http://www.4shared.com/rar/5Z4tESEs/026_-_DM.html?

    ResponderExcluir
  9. Dorival Marcos,foi cantor e Radialista,trabalhou como locutor e apresentador durante muitos anos na Rádio Cacique de São Caetano do Sul na década de 70,depois provoveu muitos bailes e Shows nos grandes clubes da cidade ,São Caetano Esporte Clube,Patropi,Buso Palace e depois montou casas Shows ,onde foi socio Bararéu,Hiponose,e hoje dia 04/09/2014 fiquei sabendo pelo meu amigo e cabelereiro Garoto que o Dorival Marcos depois de uma sirurgia veio a falacer a quinze dias. Tivve o prazer de trabalhar com Dorival Marcos na Rádio Cacique como Sonoplasta/Operador de audio.
    Mauro de Lima
    Supervisor Técnicos Rádio Globo SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mauro

      Muito obrigado pelo comentário e informações adicionais sobre o Dorival Marcos. Triste saber que acaba de nos deixar. Fica aqui registrado os nossos sentimentos aos amigos e familiares. Abs.

      Excluir
    2. Que triste. Só agora vi a notícia. Foi uma pena ele ter partido antes que eu pudesse revê-lo.

      Excluir