Pesquisar este blog

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Roberto Nogueira - Só vai dar você (LP 1986 + bônus)

 Ídolo da jovem guarda pernambucana, gravou primeiro e único LP na Continental
O cantor e apresentador Roberto Nogueira, um dos ídolos da jovem guarda pernambucana, falecido há exatos dois anos, em 17 de outubro de 2015, aos 68, em Recife, comparece no blog com este único LP, “Só vai dar você”, lançado em 1986 pela Continental. A postagem, transformada numa coletânea especial, inclui oito faixas bônus, extraídas de compactos simples, entre os quais o primeiro, gravado em 1966 na Mocambo, com “Até setembro”, versão de “See You In September”, sucesso com o grupo The Happenings. Trata-se de mais uma colaboração do amigo Aderaldo, a quem agradeço por apresentá-lo, já que o artista era mais conhecido como homem do rádio, por dirigir várias emissoras pernambucanas nos anos 1980 e 1990. Ele foi também o primeiro apresentador do NE TV da Globo. 

Nogueira foi um dos ídolos da música jovem e galã da primeira novela produzida na televisão local:  Um Amor de Colegial (1966), contracenando com Marlene Cavalcanti e Carmem Artoni. Ele começou a carreira, em 1962, conforme o figurino de então, encarando o obrigatório programa de calouro, no seu caso, o do “Você Faz o Show”, da TV Jornal, apresentado por Fernando Castelão. Agradou tanto que  foi contratado para atuar no programa de Castelão, no quadro "Ídolos da Juventude", que reunia cantores e conjuntos de “música jovem”, abrangente expressão para  o rock e seus derivados.

Em busca de maior espaço artístico, Nogueira passou seis anos no Rio, e mais quatro em São Paulo. “Vi que era mais fácil gravar pela Mocambo (o principal selo da Rozenblit) no Rio, do que no Recife”, justificou. Cantava na noite, e fazia programas como o "Rio Hit Parade", na TV Rio, de Jair de Taumaturgo, e foi convidado para gravar o primeiro disco, um compacto (na foto acima), na Mocambo, onde lançou três singles, e gravou o quarto na Equipe em 1972, período em que participava do quadro “Os Galãs Cantam e Dançam” no programa Sílvio Santos. Em 1985, assinou contrato com a EMI Odeon, e lançou seu quinto compacto. No ano seguinte, partiu para a Continental, e lançou este seu primeiro LP. Na volta definitiva para o Recife, continuou no rádio, porém como apresentador e diretor, e gravou seu último disco, em 1992, também seu primeiro CD, “Clássicos da MPB – Seresta”, pela Polydisc, que postarei em breve. Confira este:


01 - Pot-pourri:
Noite de Moscou (Midnight in Moscow)
(I. Dunayevsky – Versão: Pinduca - Luizinho)
Beija-me muito (Besame Mucho)
(Consuelo Velasquez – Versão: David Nasser)
Talvez, talvez, talvez  (Quizas Quizas)
(Osvaldo Farres – Versão: Portinho - M. José)
02 - Só vai dar você (part. esp. Alípio Martins)
(Alípio Martins - Marcelle)
03 - Poema
(Fernando Dias)
04 - Bons amigos
(Tivas - Alcymar Monteiro)
05 - Regressso
(José Orlando - Tetê)
06 - Pot-pourri:
Meu primeiro amor (Lejania)
(H. Gimenez – Versão: J. Fortuna – P. Junior)
Índia (India)
(J. Assuncion Flores – M. O. Guerrero – Versão: J. Fortuna)
Recordações de Yparacai (Recuerdos de Ypacarai)
(Z. de Mirkin - Demetrio Ortiz – Versão: Juracy Rago)
07 - Maria Helena
(Lorenzo Barcelata – S. K. Russel – Versão: Haroldo Barbosa)
08 - Querida Diana
(Pedro Américo - José Leal - Manoel Cordeiro)
09 - Ato final
(Luiz Carlos Magno)
10 - Desculpas
(Alcymar Monteiro - João Paulo)

BÔNUS:

11 - 1966 - Até setembro (See You In September)
(S. Wayne – S. Edwards – Versão: Romeo Nunes)
12 - 1966 - Lágrima triste
(Eda Reis)
13 - 1967 - Esperando por ti (Lady)
(Kaempfert – Rehbein – Singleton – Rusik – Versão: Benny Wolkoff)
14 - 1967 - Não deixarei de te amar
(Marcos André - Jorge Wanderley)
15 - 1967 - Canção para você
(Marcos André - Jorge Wanderley)
16 - 1972 - Todo o azul a se perder
(Luiz Carlos Magno - Luiz Cavalcanti)
17 - 1985 - Nossa história
(Francisco Roque - Roberto Nogueira)
18 - 1985 - A gente se vê por aí
(Eduardo Lages - Carlos Colla)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Trilha nacional da novela Loco-motivas (LP 1977)

Trilha traz artistas como Rita Lee, Erasmo, Claudia Telles, Mauro Sergio e outros 
A trilha sonora nacional da novela “Loco-motivas”, lançada em 1977 pela Som Livre, atende ao pedido do Igor. O repertório inclui grandes sucessos da época, interpretados por Erasmo Carlos, Cláudia Telles, Hermes Aquino, Rita Lee, Cassiano, Gonzaguinha, e outros. Escrita por Cassiano Gabus Mendes e dirigida por Régis Cardoso, foi a primeira novela da Rede Globo gravada totalmente em cores no seu horário, às 19h00. Exibida entre 1 de março e 12 de setembro de 1977, em 168 capítulos, a 19ª "novela das sete" substituiu "Estúpido Cupido" e foi substituída por "Sem Lenço, sem Documento". Cassiano escreveu a novela inspirado em vedetes famosas, como Virgínia Lane, Mara Rúbia, Nélia Paula e Carmem Verônica. No elenco, atores como Walmor Chagas, Aracy Balabanian, Lucélia Santos, Dennis Carvalho, Elizângela, Ilka Soares, Tony Correia, Roberto Pirillo, Lady Francisco, Hélio Souto e outros. Confira:

01 - Cláudia Telles - Eu Preciso Te Esquecer
(Mauro Motta - Robson Jorge)
02 - Hermes Aquino - Desencontro de Primavera
(Hermes Aquino)
03 - Erasmo Carlos - Filho Único
(Erasmo Carlos - Roberto Carlos)
04 - Guilherme Lamounier - Enrosca
(Guilherme Lamounier)
05 - Mauro Sérgio - Amar é Nunca Precisar Pedir Perdão
(H. Carelli)
06 - Rita Lee - Loco-Motivas
(Rita Lee)
07 - Black Rio - Maria Fumaça
(Oberdan Magalhães - Claudio - Luiz Carlos dos Santos)
08 - Cassiano - Coleção
(Cassiano - Paulo Zdanowski)
09 - Azimuth - Vôo Sobre O Horizonte
(Zé Roberto - Paraná)
10 - César Costa Filho - Consumateum Est
(César Costa Filho - Heitor Valente)
11 - Luiz Gonzaga Jr. - Espere por Mim, Morena
(Gonzaga Jr.)
12 - Quinteto Ternura - Baby
(Caetano Veloso)
13 - Edu Lobo - Consideramos
(Edu Lobo - Capinan)
14 - Marília Pera - Alô, Alô, Brasil
(Eduardo Dusek - José Roque Conceição - Cássio Ferrer)



domingo, 15 de outubro de 2017

Cilibrinas do Éden - Minha fama de mau (LP 1973)

 Primeiro e único álbum da dupla foi produzido pela Philips no ano de 1973
Logo após deixar o grupo Os Mutantes, Rita Lee pensou em montar uma banda feminina, mas a ideia não foi adiante, e formou dupla com Lúcia Turnbull, gerando as Cilibrinas do Éden, embrião do grupo Tutti Frutti, que a acompanhou em seus maiores sucessos. A estreia oficial da dupla, como informa o texto na contracapa, aconteceu em 10 de maio de 1973 na abertura do Phono 73, um grande evento musical produzido pela Phonogram, que inaugurou oficialmente o Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo.  Apesar da apresentação desastrosa, como julgou Rita Lee após o show, a dupla lançou este primeiro e único álbum das Cilibrinas do Éden, que teve vida curta. O LP, enviado pelo amigo Diego, a quem agradeço, passou despercebido pelo público na época, mas se transformou em objeto de desejo dos colecionadores, graças ao sucesso da cantora em carreira solo, e em 2008 foi remasterizado em CD.  Confira:

01 - Cilibrinas Do Éden
02 - Festival Divino
03 - Bad Trip (Ainda Bem)
04 - Vamos Voltar Ao Principio Porque Lá É O Fim
05 - Paixão Da Minha Existência Atribulada
06 - Gente Fina É Outra Coisa
07 - Nessas Alturas Dos Acontecimentos
08 - E Você Ainda Duvida
09 - Minha Fama De Mau
10 - Mamãe Natureza
11 - Hoje É O Primeiro Dia Do Resto Da Minha Vida*
12 - Mande Um Abraço Para A Velha*

Os Mutantes, do compacto VII FIC, de 1972

COLABORAÇÃO: Diego



sábado, 14 de outubro de 2017

Vários artistas - Máximo de sucessos nº 9 (LP 1973)

 Grandes sucessos que atravessaram gerações estão reunidos nesta coletânea
Quem gosta de boa música, com certeza, vai curtir este nono volume da série “Máximo de sucessos”, lançado em 1973 pela Fontana, selo da Phonogram/Philips. Uma rápida audição do disco é suficiente pra constatar, sem saudosimo, que os hits da época tinham consistência. São 14 faixas que permanecem como grandes canções da nossa música, bem diferentes dos sucessos atuais, de gosto duvidoso, com intérpretes de talento questionável. Neste quesito, posso dizer, num rápido comparativo, que a MPB empobreceu, pois boa parte dos sucessos atuais é descartável, e dificilmente atravessará a linha do tempo como as canções aqui reunidas. O álbum traz artistas como os saudosos Raul Seixas, Elis Regina, Jair Rodrigues, Sérgio Sampaio e Luiz Melodia, além dos talentosos Gilberto Gil, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gal Costa, Fagner, Ivan Lins e até a Alcione em início de carreira. Confira:

01 - Raul Seixas - Ouro de Tolo
(Raul Seixas)
02 - Maria Bethânia - Esse Cara
(Caetano Veloso)
03 - Sérgio Sampaio - Cala a boca Zebedeu
(Mestre Raul G. Sampaio)
04 - Jorge Ben Jor - Lá Vem Salgueiro
(Jorge Ben Jor)
05 - Gal Costa - Trem das Onze
(Adoniran Barbosa)
06 - Gilberto Gil - Só Quero Um Xodó
(Dominguinhos - Anastácia)
07 - Luiz Melodia - Estácio Holly Estácio
(Luiz Melodia)
08 - Elis Regina - Carinhoso
(Pixinguinha - João de Barro)
09 - Jair Rodrigues  - Orgulho de um Sambista
(Gilson de Souza)
10 - Fagner - Último Pau De Arara
(Venâncio - Corumba - J. Guimarães)
11 - Ivan Lins - Quero De Volta Meu Pandeiro
(Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
12 - Alcione - Desafio
(Luiz Américo - Bráulio de Castro - Clovis de Lima)
13 - Caetano Veloso - Tudo Se Transformou
(Paulinho da Viola)
14 - MPB-4 - A Velhice da Porta-Bandeira
(Eduardo Gudin - Paulo Cesar Pinheiro)



sexta-feira, 13 de outubro de 2017

SintoniaMusikal atinge 3 milhões de visualizações

Marca foi atingida após cinco anos e meio de atividades ininterruptas

O SintoniaMusikal, após cinco anos de atividades, iniciadas em 25 de maio de 2012, com mais de 1.500 postagens e 223 seguidores, atingiu hoje 3 milhões de visualizações. Apesar da marca expressiva, não vejo motivos para comemoração. Noto que, a cada dia, a demanda e o interesse pelos discos diminuem gradativamente, e o número de page views se mantém estável, na casa de 2 mil por dia, mesmo diante da assiduidade das postagens e das raridades apresentadas. O certo é que os blogs de compartilhamento de discos já não são mais atrativos ao público como no passado recente.

Apesar da baixa procura pelos discos, e da decisão de não postar lançamentos e títulos em catálogo, a página ainda sofre com a ação dos detentores de direitos autorais. Nesta semana, por exemplo, tive que retirar do blog o LP de 1973 do grupo Os Incríveis, postado na terça-feira, dia 10, após a exclusão dos links no Zippyshare e no Minhateca. Outro álbum, “Primeira audição”, apresentado na quarta-feira, 11, foi excluído ontem do servidor, e como medida alternativa, disponibilizei o link original, do Mediafire, fornecido pelo amigo e colaborador Geraldo. Resta saber até quando ficará disponível.

Por tudo isso, incluindo a inexpressiva participação dos internautas, que raramente agradecem pelos discos que baixam, a marca dos 3 milhões de visualizações atingida em quase cinco anos e meio não é motivo pra festejar, mas merece minha reflexão sobre a viabilidade de manter o hobby. Tenho, sim, que agradecer aos colaboradores, com destaques para os amigos Aderaldo, Laércio e Geraldo, os mais assíduos, que generosamente fornecem títulos raros de suas coleções para compartilhamento, sem nada pedirem em troca. Eles, sem dúvida, têm participação direta nessa conquista, e fica aqui registrado o meu agradecimento público, pois também enriquecem o meu acervo particular. Enfim, encerro a nota com o meu muito obrigado a todos, servidores, seguidores e “amigos cultos e ocultos”, como diz sabiamente o companheiro Augusto, do Toque Musical.


Ravel - E você, lembra-se de mim? (Compactos)

 Postagem reúne três singles gravados na Copacabana em meados dos anos 70 
A postagem de hoje é de três compactos simples do saudoso Ravel, da dupla com Dom, que nesta sexta-feira, 13, completaria 70 anos. Os discos, enviados pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, foram gravados no período em que investiu em carreira solo, e são suficientes pra montar este EP, com seis raras gravações realizadas na Copacabana entre 1975 e 1977.

Eduardo Gomes de Farias, seu nome de batismo, nasceu em 13 de outubro de 1947 em Itaiçaba, no Ceará, e morreu, aos 64 anos, em 16 de junho de 2011 na capital paulista, após um enfarte. O apelido de Ravel foi dado por um professor de música, por causa de sua aptidão para a arte. O irmão Dom, Eustáquio Gomes de Farias, faleceu em 10 de dezembro de 2000, aos 56, vítima de um câncer de estômago.

A dupla iniciou a carreira no final dos anos 1960, e obteve grande sucesso com a canção "Eu te amo meu Brasil", composta pelo Dom, e gravada em 1970 pelo conjunto Os Incríveis. Os principais hits da dupla foram "Animais irracionais", "Só o amor constrói", “Terra boa” e "Obrigado ao homem do campo", entre outros. Apesar do sucesso, a dupla ficou marcada pelas músicas ufanistas, usadas pelo regime militar em eventos cívicos, e por isso foi vítima de preconceito por vários segmentos da sociedade, caindo no ostracismo. Não se pode negar, porém, que foram músicos talentosos. Confira o Ravel:

01 – E você, lembra-se de mim?
(Ravel - Rejane Imperial)
02 – Viver a dois é bem melhor
(Ravel - Rejane Imperial)
03 – O meu mundo feliz
(Ravel - Rejane Imperial)
04 – Minha criança
(Ravel - Rejane Imperial)
05 – O vaqueiro de trinta e um
(Ravel)
06 – Minha terra Brasil
(Ravel)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Angelo Antonio - Cantigas de Roda (EP 1972)

Compacto duplo lançado pela Continental tem repertório voltado ao público infantil
Hoje, 12 de outubro, é comemorado o Dia das Crianças, e por isso vou postar este compacto duplo do saudoso Angelo Antonio (16/07/1939 – 23/09/1983), lançado em 1972 pela Continental. O EP,  enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço é inteiramente dedicado às crianças, com quatro pot-pourris de cantigas de rodas, populares no gênero. O repertório inclui cantigas como “A canoa virou”, “Ciranda, cirandinha”, “Se esta rua fosse minha”, “Roda pião” e outras, todas de domínio público, com exceção de “O le-lê, ô la lá”, de autoria do próprio Ângelo Antonio, que se destacou no cenário artístico como ator, participando de filmes e novelas. Confira:

01 - Pot-pourri:
Se eu fosse um peixinho
(DP)
Pai Francisco 
(DP)
A canoa virou
(DP)
02 - Pot-pourri:
Ciranda, cirandinha 
(DP)
Carneirinho, carneirão
(DP)
03 - Pot-pourri:
Se esta rua fosse minha 
(DP)
O cravo e a rosa
(DP)
Ô le-lê, ô la lá
(Ângelo Antonio)
04 - Pot-pourri:
Samba le-lê 
(DP)
Roda pião
(DP)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Vários artistas - Primeira audição - Vol. 7 (LP 1975)

 Série de LPs, exclusiva para divulgação, foi produzida pela RCA Victor
Costuma-se dizer que a propaganda é a alma do negócio. Sob essa premissa, a indústria fonográfica criou em passado recente vários projetos especiais para divulgar seus lançamentos nos meios de comunicação. Um exemplo é a série promocional de LPs “Primeira Audição”, desenvolvida pela RCA Victor, e não colocada à venda no circuito comercial. A proposta é incluir no mesmo disco as músicas de destaque, recém lançadas, dos artistas contratados, e divulgá-las especialmente entre as emissoras de rádio. Este álbum, enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço, é o sétimo da série,  e foi produzido em 1975, mesmo ano do quarto volume, postado aqui. No elenco, artistas como Martinho da Vila,Wilson Simonal, Maria Creusa, Nelson Gonçalves e até John Fogerty, do Creedence Clearwater Revival, entre outros. Confira:

01 - Martinho da Vila - Aquarela Brasileira
(Silas de Oliveira)
02 - Perla - Hipocrisia (Ipocrisia)
(Giordano - Alfieri - vs: Adel)
03 - Mauro Celso - Olhar de Jacaré
(Joca de Castro)
04 - Wilson Simonal - Escola em Luto
(J. Velloso - Andó)
05 - Nelson Gonçalves - Pra Machucar Meu Coração
(Ary Barroso)
06 - Francisco Cuoco - Aria
(Bardotti - D. Baldan Bembo)
Amor e prece
(Versos e adapt. Hélio Matheus)
07 - Nilton César - O Desconhecido
(Cézar)
08 - Antonio Carlos e Jocafi - Que Me Importa
(Antonio Carlos - Jocafi)
09 - Jane e Herondy - Estarei (Buscame)
(Juan Carlos Calderón - vs: Adel)
10 - Juca Chaves - O Homem Brasileiro
(Juca Chaves)
11 - John Fogerty - Rockin' All Over The World
(J. C. Fogerty)
12 - Maria Creuza - Chega Pra Lá
(Elton Medeiros - Joacyr Santana)


COLABORAÇÃO: Geraldo


domingo, 8 de outubro de 2017

Antonio Carlos & Jocafi - Ossos do ofício (LP 1975)

 Disco produzido pela RCA Victor apresenta 12 canções de autoria da dupla
A dupla Antonio Carlos & Jocafi, grande sucesso nos anos 1970, comparece mais uma vez no blog com este “Ossos do ofício”, álbum produzido pela RCA Victor em 1975. O LP, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, é muito bom, e oferece 12 canções de autoria da dupla. Apenas duas faixas – “Contra-veneno” e “Armadilha” – foram feitas em parceria com os compositores Zé do Maranhão e Paulo Brito, respectivamente. Além disso, o LP traz “Baiada”, baseada em temas folclóricos e adaptada pela dupla, que já tem sinopse da carreira apresentada no blog. Confira:

01 - Que me Importa
(Antonio Carlos - Jocafi)
02 - Ossos do Oficio
(Antonio Carlos - Jocafi)
03 - Indagorinha
(Antonio Carlos - Jocafi)
04 - Pra uma Mulher
(Antonio Carlos - Jocafi)
05 - Trinta por Cento
(Antonio Carlos - Jocafi)
06 - É de Nicocó
(Antonio Carlos - Jocafi)
07 - Perspectiva
(Antonio Carlos - Jocafi)
08 - Contra-Veneno
(Antonio Carlos - Jocafi - Zé do Maranhão)
09 - Dou a Mão à Palmatória
(Antonio Carlos - Jocafi)
10 - Baiada (Temas folclóricos)
(Adapt. Antonio Carlos - Jocafi)
11 - Armadilha
(Antonio Carlos - Jocafi - Paulo Brito)
12 - Cada um Sabe Onde Dói
(Antonio Carlos - Jocafi)


COLABORAÇÃO: Laércio


sábado, 7 de outubro de 2017

Trilha nacional da novela O homem que deve morrer

 Novela da Janete Clair foi produzida pela Rede Globo entre 1971 e 1972
A trilha sonora nacional da novela “O homem que deve morrer” atende ao pedido do internauta Marcelo. O álbum, com 14 faixas, traz canções interpretadas por Maria Creusa, Guilherme Lamounier, Luiz Carlos Sá e artistas menos conhecidos, como Marcos Samy, Jorge Nery, Odylon e outros. As curiosidades ficam por conta de duas faixas, “Um certo dia”, na voz da atriz Ilka Soares, e “O mesmo sol”, declamação com o casal Tarcisio Meira e Glória Menezes, incluído no elenco principal da novela, de Janete Clair. Dirigida por Daniel Filho, com direção artística de Milton Gonçalves, foi exibida pela Rede Globo entre 16 de julho de 1971 e 11 de abril de 1972, com 258 capítulos. A trama, exibida no horário das 20h00, teve elenco formado por atores como Jardel Filho, Cláudio Cavalcanti, Betty Faria, Paulo José, Dina Sfat, Arlete Salles, Antonio Pitanga, Emiliano Queiroz e outros. Confira:

01 - Marcos Samy - Menina do mar
(Reginaldo Bessa)
02 - Vanda e Guto - Porto do sol
(Edu Lobo - Ronaldo Bastos)
03 - Sociedade Anônima - Solto no ar
(Paulo Machado - Claudio Forster)
04 - Maria Creuza - Um de nós
(César Costa Filho - Aldir Blanc)
05 - Odylon - Zambi rei
(Gonzaguinha)
06 - Marcos Samy - Navegador
(Denise Emmer)
07 - Nonato Buzar e Coral - O homem que deve morrer
(Nonato Buzar)
08 - O Som Livre - Wanda Vidal
(Marcos Valle - Paulo César Valle)
09 - Octávio Bonfá - Come to me together
(Octávio Bonfá - Athayde)
10 - Ilka Soares e o Som Livre - Um certo dia
(Paula Antunes)
11 - Luiz Carlos Sá - A lei da terra
(Luiz Carlos Sá - Mario Rocha)
12 - Guilherme Lamounier - What greater gift could there be
(Jules Freedman - Mia Niccos)
13 - Jorge Nery - Guerreiro
(Fred Falcão - William Prado)
14 - Tarcísio Meira e Glória Menezes - O mesmo sol
(Nonato Buzar)



sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Trio Esperança - Arrasta a Sandália (LP 1974)

 Álbum produzido pela Odeon foi um grande sucesso do Trio Esperança
Este álbum do Trio Esperança atende ao pedido do internauta José Maria. O LP, lançado em 1974 pela EMI-Odeon, foi um grande sucesso do grupo, apesar de não contar com a Evinha entre os integrantes. O disco se destaca pelas faixas “Arrasta a sandália”, “Vamos sacudir” e “Replay (O meu time é a alegria da cidade)”, todas muito executadas pelas emissoras de rádio. Além disso, o álbum inclui duas versões de sucessos românticos da época: “Me amas?” (“Do you Love me?”, hit do Sharif Dean) e “Meu amor” (“Drops”, gravado pela Cynthia). Enfim, mais um belo disco deste afinado trio, formado pelos irmãos Corrêa, pra ser ouvido da primeira até a última faixa. Confira:

01 - Arrasta a Sandália
(Roberto Corrêa - Jon Lemos)
02 - Mushrooms
(A. Perkins - J. Urhnjak)
03 - Ta-hi!
(Joubert de Carvalho)
04 - Ainda Te Quero Bem
(Roberto Corrêa - Ronaldo Corrêa)
05 - Visitante K.O.Z.E
(Jon Lemos - Ronaldo Corrêa)
06 - Crianças No Parque
(Jon Lemos)
07 - Replay (O Meu Time é a Alegria Da Cidade)
(Roberto Corrêa - Jon Lemos)
08 - Zepelin
(Luiz Carlos Sá)
09 - Vamos Sacudir
(Antonio Garcia)
10 - Meu Amor (Drops)
(Jason - vs: Pedrinho)
11 - Lá E Cá
(Dominguinhos - Anastácia)
12 - Me Amas? (Do yo love me?)
(Sharif Dean - vs: Fernando Adour)




Alberto Luiz - Quadras Populares (CS 1977)

 Single gravado na Polydor foi produzido por Ronaldo Corrêa, dos Golden Boys
O nosso amigo Aderaldo conseguiu e me enviou o compacto simples do Alberto Luiz, gravado em 1977 na Polydor, com produção executiva do Ronaldo Côrrea, dos Golden Boys. Agradeço a ele pela colaboração, que se destaca pela faixa “Quadras populares”, não incluída na coletânea especial (aqui) apresentada no blog em 2 de agosto. O cantor e compositor obteve notoriedade no cenário artístico como compositor, especialmente pelo sucesso de canções como “Oração de um jovem triste”, gravado pelo saudoso Antonio Marcos, e “Balada número 7”, hit interpretado pelo Moacyr Franco. Confira:

01 – Jesus da construção
(Alberto Luiz)
02 – Quadras populares
(José Cid – Versão: Daniel Gianfranco)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Vários artistas - Músicas de festival - Vol. 2 (2017)

 Segundo volume da série traz músicas do Festival Internacional da Canção
Recebi pedido da música “Dias de verão”, gravada pela Silvia Maria, terceira colocada na etapa nacional do VI Festival Internacional da Canção (FIC), realizado em 1971. Por não tê-la em acervo, pedi a canção aos meus colaboradores. O Geraldo, muito prestativo, repassou a solicitação ao seu grupo de amigos. Um deles, o Sérgio, replicou o pedido, e conseguiu a música por meio do Mário, que a obteve junto ao Liu. Como se vê, uma verdadeira força tarefa foi realizada por conta dessa gravação, e agradeço a todos envolvidos pelo favor prestado. Por se tratar de uma raridade, decidi postá-la no blog, montando o segundo volume da série "Músicas de Festival". A coletânea reúne canções exibidas nas sete edições do FIC, e não são necessariamente as versões apresentadas pelos intérpretes originais. A seleção, com 24 faixas, traz algumas raridades. Confira:

01 - 1966 - Sonia Delfino - Dia das rosas (I FIC)
(Luiz Bonfá - Maria Helena Toledo)
02 - 1966 - Elis Regina - Saveiros (I FIC)
(Dori Caymmi - Nelson Motta)
03 - 1966 - Geraldo Vandré - O cavaleiro (I FIC)
(Geraldo Vandré - Tuca)
04 - 1967 - Maricenne Costa - Carolina (II FIC)
(Chico Buarque de Hollanda)
05 - 1967 - Milton Nascimento - Morro velho (II FIC)
(Milton Nascimento)
06 - 1967 - Ademilde Fonseca - Fala baixinho (II FIC)
(Pixinguinha - Herminio Bello de Carvalho)
07 - 1968 - Agostinho dos Santos - O sonho (III FIC)
(Egberto Gismonti)
08 - 1968 - Doris Monteiro - Despertar (III FIC)
(Hedys Barrozo Netto - Flávia de Querioz Lima)
09 - 1968 - Aloisio Silva - Pra não dizer que não falei das flores (III FIC)
(Geraldo Vandré)
10 - 1969 - Golden Boys - Minha Marisa (IV FIC)
(Fred Falcão - Paulo Tapajós)
11 - 1969 - Marcos Valle - Beijo sideral (IV FIC)
(Vermelho - Suzana Nunes)
12 - 1969 - Taiguara - Flor, manequim, depois mulher (IV FIC)
(Taiguara)
13 - 1970 - Angela Maria - O amor é meu País (V FIC)
(Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
14 - 1970 - Wanderley Cardoso - BR-3 (V FIC)
(Antonio Adolfo - Tibério Gaspar)
15 - 1970 - Renata Lu - A charanga (V FIC)
(Dom - Wanderléa)
16 - 1970 - Trio Esperança - Tema do caminhante (V FIC)
(Paulinho Tapajós - R. Corrêa)
17 - 1971 - Leno - Sentado no arco-íris (VI FIC)
(Leno - Raul Seixas)
18 - 1971 - Claudia - Desacato (VI FIC)
(Antonio Carlos - Jocafi)
19 - 1971 - Abilio Manoel - Amiga amada (VI FIC)
(Abilio Manoel)
20 - 1971 - Silvia Maria - Dias de verão (VI FIC) *
(Deodato)
21 - 1972 - Fagner - 4 graus (VII FIC)
(Raimundo Fagner - Dedé Evangelista) 
22 - 1972 - Fábio Stella - Corpo a corpo (VII FIC)
(Túlio Mourão - Nelson Motta)
23 - 1972 - VII FIC - Lena Rios - Eu sou eu nicuri é o diabo (VII FIC)
(Raul Seixas)
24 - 1972 - Jorge Ben Jor - Fio maravilha (VII FIC)
(Jorge Ben Jor)

 * Faixa cedida pelo Liu, com a colaboração do Geraldo, Sérgio e Mário




quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Anísio Silva - Não me diga adeus (EP 1958)

 Compacto duplo produzido em Portugal traz o hit "Sonhando contigo"
Anísio Silva, cantor e compositor que iniciou a carreira em 1952, no Rio de Janeiro, e hoje é praticamente esquecido dos meios de comunicação, comparece no blog com este compacto duplo de 45 RPM, lançado em Portugal pela Parlophone/Odeon. O EP, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, traz a música “Sonhando contigo”, seu primeiro grande sucesso em 1957 e que deu título ao primeiro LP, lançado em 1958 pela Odeon. O disco não informa o ano do lançamento no mercado português, mas acredito que seja de 1958.

O cantor nasceu a 29 de julho de 1920 numa fazenda, hoje pertencente ao município baiano de Rio do Antônio, na época território da cidade de Caculé. O seu maior sucesso veio com o lançamento do disco "Alguém Me Disse" (na foto ao lado) em 1960, quando vendeu mais de dois milhões de cópias, tornando-se o primeiro cantor do Brasil a ganhar o disco de ouro. A partir daí, gravou outros álbuns, como “O romântico” (1962), "Só penso em ti" e "Canção do amor que virá" (ambos em 1963), e “Estou chorando por ti” (1964). Ficou afastado da vida artística por um período de três anos, e lançou os álbuns “Retorno" (1967) e "Lembrança de você" (1968) , afastando-se novamente para dirigir uma casa noturna de sua propriedade no Rio de Janeiro. Voltou esporadicamente à carreira artística, e faleceu em 18 de fevereiro de 1989, vítima de infarto, no Rio de Janeiro. Confira:

01 - Abismo
(Anísio Silva)
02 - Não Me Diga Adeus
(Anísio Silva - Fausto Guimarães)
03 - Sonhando Contigo
(Anísio Silva - Fausto Guimarães)
04 - Sempre Comigo
(Anísio Silva - Willian Duba)

COLABORAÇÃO: Laércio



terça-feira, 3 de outubro de 2017

Tema da novela Viviana, em busca do amor (CS 1984)

 Tema da novela mexicana, exibida pelo SBT, é interpretada pelo Wilson Miranda
Este compacto simples do Wilson Miranda, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, traz o tema da novela “Viviana, em Busca do Amor”. Acredito que se trata do único disco com o tema dessa telenovela mexicana, produzida por Valentín Pimstein para a Televisa, e exibida entre 22 de maio de 1978 e 9 de março de 1979. Estreou no Brasil, pelo SBT, em 22 de outubro de 1984, e foi exibida até 15 de junho de 1985, em 204 Capítulos. A história original é de Inés Rodena, e adaptada por Luis Reyes de la Maza. A trama foi protagonizada por Lucía Méndez e Héctor Bonilla, e antagonizada por Maricruz Olivier. O single com o tema da novela foi produzido pela Continental em 1984. Confira:

01 – Viviana
(Mário Lúcio de Freitas – Marcelo Gastaldi)
02 – Calçadas (part. esp. Paulo César Pinheiro e Maurício Tapajós)
(Maurício Tapajós – Paulo César Pinheiro)


COLABORAÇÃO: Aderaldo


segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Golden Boys - Só vou criar galinha (LP 1971)

 Oitavo álbum do grupo, lançado pela Odeon, navega entre a MPB e o samba rock 
Depois do enorme sucesso obtido no período da Jovem Guarda, fase em que acumulou os principais hits, o grupo Golden Boys partiu para novos rumos musicais, navegando entre o samba rock e a MPB. Nessa nova fase, o conjunto participou de festivais da canção, e obteve projeção especialmente por acompanhar a cantora Beth Carvalho em “Andança” no III FIC. O repertório, sem as versões que caracterizaram o início profissional, melhorou muito, como mostra este oitavo álbum do conjunto, lançado em 1971 pela EMI-Odeon, e enviado pelo amigo Geraldo, a quem sou grato pela colaboração. O LP se destaca que faixa que dá título ao disco, “Só vou criar galinha”, samba rock que fez muito sucesso e foi até regravado pelo comediante Agildo Ribeiro. O álbum é muito bom, pra ser curtido da primeira até a última faixa. Confira:

01 - Goodnight My Love
(Luiz Wanderley - Manoel Carneiro)
02 - Avião Supersônico
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
03 - Sem Essa
(Renato Corrêa)
04 - Bye Bye Cristina
(Gusmão - Perkins)
05 - Só Vou Criar Galinha
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
06 - Chuva De Verão
(Ronaldo Corrêa)
07 - Bahia Baiá
(Edinho - Roberto Corrêa - Marones)
08 - Ando Na Velocidade
(João Só)
09 - Vou Voltar Pro Meu País
(Gusmão Perkins)
10 - O Nazareno
(Hélio Arcanjo)
11 - Venha Logo
(Roberto Corrêa - Jon Lemos)
12 - Com A Lembrança Apenas
(De Herbo - Jorge Belizário)

COLABORAÇÃO: Geraldo


domingo, 1 de outubro de 2017

Célia - Meu caro (LP 1983)

 "Meu caro", sexto LP da cantora, foi lançado em 1983 pela gravadora Pointer
É com pesar que faço esta postagem para homenagear a cantora Célia, falecida na noite desta sexta-feira, dia 29, em São Paulo, aos 70 anos. Ela estava internada há cerca de um mês no Hospital Sancta Maggiore para o tratamento de um câncer. O disco, lançado em 1983 pela gravadora Pointer, é muito bom, mas passou despercebido pelo grande público. O repertório, com participação especial da Rosa Passos na faixa "Barcos", apresenta canções de grandes autores, como Ivan Lins e Vitor Martins (“Açucena”), Djavan (“Por uma mulher”), Tunai e Sérgio Natureza (“Sina de cantor”), Sueli Costa e Capinan (“Vuelve mi luz”) e outras.

Nascida em 8 de setembro de 1947, a cantora foi revelada no programa de TV “Um instante, maestro!”, do  apresentador Flávio Cavalcanti (1923 – 1986). No embalo da projeção nacional pela TV, Célia iniciou promissora carreira fonográfica na primeira metade dos anos 1970, década em que lançou quatro álbuns pela extinta gravadora Continental, todos batizados com o nome da cantora. Os três primeiros, de 1971 (na foto ao lado), 1972 e 1975, são especialmente relevantes, e a colocaram entre as principais intérpretes do País. Teve destaque com canções como “Adeus batucada”, “Onde estão os tamborins” , "Abrace Paul McCartney Por Mim", “Ponto de encontro” e outras.

Ao longo da carreira, Célia gravou discos eventuais, mas amargou injusto ostracismo até retomar a carreira fonográfica com regularidade, na última década, sob a batuta do produtor Thiago Marques Luiz. A partir do álbum “Faço no tempo soar minha sílaba” (2007), gravado em duo com o violonista Dino Barioni, sua discografia entrou novamente no tom. Com a carreira em alta, participou do show de 10 anos da gravadora Lua Music, no auditório Ibirapuera (SP), em 3 de outubro de 2008, quando tive a oportunidade de fotografá-la (na ilustração acima). Nesse segundo tempo da carreira, Célia gravou mais três álbuns: "O Lado Oculto das Canções" (2010, comemorativo aos 40 anos de carreira), “Outros românticos” (2011, com composições gravadas por Roberto Carlos) e “Aquilo que a gente diz” (2015), o mais recente. A intérprete, que havia comemorado 70 anos no dia 8 de setembro, se preparava para lançar o DVD "O que não pode mais se calar", o primeiro em 46 anos de carreira, interrompida “a chamado de Jesus, por isso agora está se reunindo em outro lugar”, como canta em “Ponto de encontro”, na qual homenageia ídolos da Velha Guarda. Confira:

01 - Açucena
(Ivan Lins - Vitor Martins)
02 - Meu caro
(Elodi)
03 - Barcos - part. esp. de Rosa  Passos
(Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
04 - Água de moringa
(Wilson Moreira - Ney Lopes)
05 - Não houve nada
(Filó - Sérgio Natureza)
06 - Jardineiro
(Luiz Avellar - Fátima Guedes)
07 - Por uma mulher
(Djavan)
08 - Vuelve mi luz
(Sueli Costa - Capinan)
09 - Sina de cantor
(Tunai - Sérgio Natureza)
10 - O que arde cura
(Natan Marques - Ana Terra)
11 - Quem tem telhado de vidro está sempre bronzeado
(Aécio Flávio - Eliana Stoducto)



sábado, 30 de setembro de 2017

As 12 Finalistas do Festival da Música Brasileira

 Único álbum do festival, realizado em 2000, foi lançado pela Som Livre
Postei  em 10 de maio de 2011 no Sanduíche Musical, blog embrionário do SM, o inédito CD com as 12 músicas da primeira eliminatória do Festival da Música Brasileira, realizado em 2000 pela Rede Globo.  O disco não entrou em circuito comercial, e foi distribuído apenas para a imprensa com o material de divulgação do festival. Em recente comentário na postagem (aqui), o internauta que assina como "gizmOz zOmzig",  disponibilizou um link para download com as 12 finalistas do evento, extraídas do único CD referente a este festival , lançado pela Som Livre, mas sem a arte gráfica do álbum. Baixei as músicas e achei interessante destacá-las nesta postagem, agradecendo ao amigo que gentilmente as compartilhou com os seguidores do blog. Ele informa que o link original é de um colega da rede social VK, mas não citou o nome do autor e nem da comunidade a qual pertence.

Segundo a Rede Globo, cerca de 24 mil músicas foram avaliadas durante três meses pelo júri para selecionar as 48 que participaram do festival.  O programador de informática Ricardo Soares levou o prêmio de melhor canção com o pop rock “Tudo bem, meu bem”, composto e interpretado por ele. A preferida da plateia foi “Brincos”, de Amauri Falabella, interpretada por Lula Barboza, escolhida a melhor música pelo voto popular. O segundo lugar ficou com a música “Morte no escadão”, rock de José Carlos Guerreiro interpretado pela banda mineira Tianastácia, seguida pela sertaneja “Tempo das águas”, apresentada por Bilora, na terceira posição. O prêmio de melhor intérprete ficou para a veterana Ná Ozetti, que cantou “Show”, de Luiz Tatit e Fábio Tagliaferri. Confira:

01 - Fernando Chuí - Tubaína 
(Fernando Chuí)
02 - Mônica Salmaso - Estrela da Manhã 
(Beto Furquim)
03 - Kleber Albuquerque e Rafael Altério - Xi, de Pirituba a Santo André 
(Kleber Albuquerque e Rafael Altério)
04 - Ná Ozzetti - Show 
(Luiz Tatit - Fábio Tagliaferri) 
05 - Moacyr Luz - Eu Só Quero Beber Água 
(Moacyr Luz)
06 - Tianastácia - Morte no Escadão 
(José Carlos Guerreiro)
07 - Paulinho Lemos - Necessidade Básica 
(Nelson Lemos)
08 - Ronald Valle - Bigamia
(Alfredo Karan - Alexandre Lemos)
09 - Ricardo Soares - Tudo Bem Meu Bem 
(Ricardo Soares)
10 - Bilora - Tempo das Águas 
(Valmir Ribeiro)
11 - Lula Barbosa - Brincos 
(Amaury Falabella)
12 - Pedro Castello e Banda - Cansaço 
(Pedro Castello)


sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Luiz Melodia - Maravilhas Contemporâneas (CD 1994)

 Segundo LP do Luiz Melodia foi originalmente lançado em 1976 pela Som Livre
“Maravilhas contemporâneas”, segundo álbum do cantor e compositor Luiz Melodia, lançado em 1976 pela Som Livre, atende ao pedido do internauta Kalypso. A postagem é do CD, remasterizado em 1994, e produzido pelo selo Cast, da própria Som Livre. Os principais destaques do álbum, de excelente qualidade, são as músicas “Juventude transviada”, sucesso da trilha sonora da novela “Pecado Capital”, da Rede Globo, e “Congênito”, canção que abre o disco e também foi gravada pela Vanusa. O disco é uma delícia de ouvir, como toda a obra deste saudoso artista. Confira:

01 - Congênito
(Luiz Melodia)
02 - Maravilhas Contemporâneas
(Luiz Melodia)
03 - Veleiro Azul
(Luiz Melodia - Rúbia)
04 - Juventude Transviada
(Luiz Melodia)
05 - Amor
(Luiz Melodia)
06 - Baby Rose
(Luiz Melodia)
07 - Questão de Posse
(Luiz Melodia)
08 - Memórias Modestas
(Luiz Melodia)
09 - Mary
(Luiz Melodia)
10 - Paquistão
(Luiz Melodia)
11 - Quando O Carnaval Chegou
(Ciro José)



quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Vários intérpretes - Tributo a Tim Maia (2017)

 Tim Maia, se vivo estivesse, estaria completando 75 anos nesta quinta-feira
Hoje, 28 de setembro, Tim Maia completaria 75 anos, se vivo estivesse, mas faleceu em 15 de março de 1998 aos 55. Em sua homenagem, vou postar esta coletânea montada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. A seleção, com 24 faixas, traz músicas do seu repertório interpretadas por outros cantores. Vale destacar que algumas canções da lista foram regravadas por ele, e originalmente lançadas por artistas como Adriana (“O que me importa”), Luiz Wanderley (“Coroné Antonio Bento”), Roberto Carlos (“Não vou ficar”) e Eduardo Araújo (“Você”). Este tributo inclui intérpretes de várias vertentes da MPB, desde o popular (Agnaldo Timóteo e Gilliard, por exemplo), Jovem Guarda (Vanusa e Os Incríveis) e até o pop rock (Kid Abelha e Lulu Santos), entre outros. Assim, podemos relembrar o “síndico” por meio de grandes intérpretes da nossa música, como Gal Costa, Benito Di Paula, Marisa Monte e até o Fábio Stella, amigo particular do grande Tim. Confira:

01 - The Fevers - Pot-pourri - Não quero dinheiro + O descobridor dos sete mares
02 - Gal Costa - Imunização racional (Que Beleza)
03 - Os Condors - Father Cícero (Padre Cícero)
04 - Trio Esperança - Primavera (Vai Chuva)
05 - José Roberto - A festa do Santo Reis
06 - Patricia Marx - Gostava tanto de você
07 - Luiz Wanderley - Matuto transviado (Coroné Antonio Bento)
08 - Adriana - O que me importa
09 - Os Incríveis - Jurema
10 - Vanusa - Um dia de domingo
11 - Gilliard - Me dê motivo
12 - Marisa Monte - Chocolate
13 - Benedito Di Paula - Azul da cor do mar
14 - Kid Abelha - Não vou ficar
15 - Os Super Quentes - Padre Cícero
16 - Music Machine - I've been loving you so much (Gostava Tanto De Você)
17 - Eduardo Araújo -  Você
18 - Lulu Santos - O descobridor dos sete mares
19 - Marcelo Falcão  -  Eu amo você
20 - Trio Nordestino - Canário do reino
21 - Michael Sullivan & Ivete Sangalo - Leva
22 - Trio Mocotó - Meu País
23 - Agnaldo Timóteo - These are the songs (Esta é a canção)
24 - Fábio Stella - Risos

COLABORAÇÃO: Aderaldo