Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Golden Boys - Nas “planices” muitas luas de paz

 Single produzido entre 1975/1976 é um dos últimos gravados pelo grupo na Odeon
O grupo vocal Golden Boys, um dos mais afinados da MPB e que se encontra na ativa desde o final dos anos 1950, comparece mais uma vez no blog por meio deste compacto simples produzido pela EMI-Odeon.  Trata-se de um dos últimos registros na gravadora, onde gravou os principais sucessos, pois na sequência partiu para a Polydor (Philips). O problema é saber o ano do seu lançamento, pois o selo no lado A consta o ano de 1976, e no B o de 1975. O grupo, que já tem sinopse da carreira divulgada no blog, começou como quarteto e atingiu o ápice do sucesso no período da Jovem Guarda. Confira:

01 - Os homens não devem chorar (Nova flor)
(Mário Zan – Palmeira – Pepe Ávila)
02 - Nas “planices” muitas luas de paz (Cara pálida) 
(Luis Vágner)



terça-feira, 28 de outubro de 2014

Nilton César - Quero voltar pra Bahia (LP 1970)

 Álbum do Nilton César foi gravado no período de enorme popularidade do cantor
Este álbum do Nilton César não é nenhuma raridade, e já foi postado em outros blogs, mas vou apresentá-lo mesmo assim, com áudio de melhor qualidade. O disco, lançado em 1970 pela RCA Victor, é do período em que o cantor desfrutava enorme popularidade, principalmente pelo sucesso de canções como “Professor apaixonado”, “Férias na Índia”, “Espere um pouco, um pouquinho mais”, e outras que também conseguiram êxito além das fronteiras do Brasil. Este LP destaca-se, especialmente, pela faixa “Eu sou eu”, que obteve relativo sucesso e possui arranjo que me lembra as boas músicas de festivais da canção, populares na época. Além disso, o disco traz duas curiosidades: as regravações de “Quero voltar pra Bahia”, hit do Paulo Diniz, e “Batuque na minha janela”, samba da Martinha, que também a gravou.

Nilton César é mineiro de Ituiutaba, onde nasceu em 27 de junho de 1939. Saiu de sua terra natal aos 17 anos para estudar e tentar a carreira artística no Rio de Janeiro, onde participava de programas de calouro. Em 1961, a convite de um amigo, veio para São Paulo, iniciando assim sua carreira profissional. Realizou o seu primeiro trabalho pela gravadora RGE. O sucesso viria na Continental, com canções como “Lilian”, “Cama vazia” e “Professor apaixonado”. Ainda gravou na RCA Victor, Copacabana, Diz music Canadá e Atração. Segundo consta, ainda se mantém na ativa, e teria gravado mais de 30 álbuns, incluindo os lançados em espanhol na América Latina. Confira este:

01 - Eu Sou Eu
(Fernando Lona)
02 - Teu Nome
(Osmar Navarro – Ribamar)
03 - Por Incrível Que Pareça
(Renato Jr.)
04 - Te Quero Tanto (Come hai fatto
Com declamação de Osmar Navarro
(Modugno – vs. W.Santos)
05 - Quero Voltar Pra Bahia
(Paulo Diniz – Odibar)
06 – Chiquilina
(C.Valdez – E.Franco – vs. Osmar Navarro)
07 - Briguei Com Ela
(Osmar Navarro – Dimas Prieto)
08 - Eu Te Sigo
(Mario Faissal)
09 - Batuque Na Minha janela
(Martinha)
10 - Uma Rosa Branca Em Seus Cabelos Brancos
(Osmar Navarro)
11 - Não Tenho Coração
(Sérgio Reis)
12 - As Marias Que Eu Amei
(René Bittencourt – F.Xavier)



segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Gang 90 & Absurdettes - Nosso louco amor (CS 1983)

Gang 90 & Absurdettes alcançaram o sucesso na primeira metade dos anos 1980
Uma banda muito boa dos anos 1980 foi a Gang 90 & Absurdettes. O grupo comparece com este compacto simples, lançado em 1983 pela RCA Victor, contendo o seu maior sucesso, a música “Nosso louco amor“. O destaque é o lado B, "Dia e noite", mais conhecida pela gravação do Lobão. A banda, segundo o Wikipedia, foi fundada pelo disc jockey e jornalista Júlio Barroso, e participou em 1981 do Festival MPB Shell com a música “Perdidos na Selva", o que tornou o grupo conhecido.

Nesta época, a banda chamava-se simplesmente "Absurdetes". A música foi lançada originalmente em compacto pelo selo HOT, tendo a faixa "Lilik Lamê" no lado B, cantada por Alice Pink Pank, uma das cantoras-musas da banda, ao lado de May East e Lonita Renaux. O sucesso viria em 1983 com o álbum "Essa tal de Gang 90 & As Absurdettes", que continha os sucessos anteriores da banda e que emplacou a música deste single, incluída na telenovela "Louco Amor", de Gilberto Braga. No mesmo ano, também participou do especial "Plunct, Plact, Zuuum", da Rede Globo, com a música "Será que o King Kong é Macaca"?

Júlio Barroso faleceu prematuramente em 1984 ao cair da janela de seu apartamento em São Paulo. Após esse fato trágico, a tecladista Taciana Barros assumiu a liderança do grupo e tentou insistir em sua continuidade, lançando um álbum "Rosas e Tigres", que tinha em seu repertório uma série de canções inéditas de Julio Barroso. O trabalho acabou tendo muito pouca repercussão comercial. Uma ultima tentativa, em 1987, foi o álbum "Pedra 90" já sem praticamente nenhum integrante original do grupo. Confira o single:

01 - Nosso Louco Amor
(Herman Torres – Julio Barroso)
02 - Noite e Dia
(Lobão – Julio Barroso)


sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Vários artistas - Sucesso fantástico vol. 4 (LP 1978)

 Sucessos nacionais e internacionais compõem o repertório deste álbum de 1978
Quem gosta de coletânea, com hits populares, pode baixar este Sucesso Fantástico, produzido em 1978 pela Continental. O álbum é o quarto volume da série, e inclui gravações de artistas nacionais e internacionais. Entre os nacionais, estão Francisco Petrônio, Rosemary, Nenéo, Quinteto Ternura, César Costa Filho, Moacyr Franco, Cornelius,Agepê, Fred Rovella e Luiz Fabiano. Confira:

01 - Francisco Petrônio - Verde vinho (Griechischer wein)
(U.Jurgens - Michael Kunze - vs: Paulo Alexandre)
02 - Rosemary - Sem saber eu fui feliz
(Mauro Motta - Eduardo Ribeiro)
03 - Sally Big Emotion - Singin' in the rain
(N.H.Brown - A.Freed)
04 - Nenéo - Ponta de faca
(Nenéo)
05 - Houston - Baby come back
(Lambert - Potter)
06 - Quinteto Ternura - Linda manhã
(Lincoln Olivetti - Ronaldo)
07 - César Costa Filho - Seu preço
(César Costa Filho)
08 - Moacyr Franco - Apaixonada (Innamorata)
(E. Riccardi - L.Albertelli  - Vs: Fred Jorge)
09 - Cornélius - Eu perdi seu amor
(Paulinho Camargo)
10 - Donna Stevens - Emotions
(B.R. Gibb)
11 - Agepê - Operário pedrão
(Agepê - Canário)
12 - Fred Rovella - Menina do orfanato
(Paulinho - Tony X)
13 - Jane MacClington - La vie en Rose
(E.Piaf - Lovigny)
14 - Luiz Fabiano - Você já não gosta mais de mim
(Luiz Fabiano)


quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Marília Pêra - Brincando em cima daquilo (EP 1984)

 Disco de 1984 apresenta cinco canções da peça "Brincando em cima daquilo"
Marília Pêra, uma das mais notáveis atrizes da atualidade, volta a marcar ponto no blog por meio deste EP, lançado em 1984 pela Kenya Records (Polygram).  O compacto duplo, intitulado “Brincando em cima daquilo”, traz cinco canções assinadas pelo Oswaldo Montenegro, que tem participação especial na faixa “Lua e flor”. As músicas são da peça de mesmo nome do disco, encenada em 1984, com textos de Dario Fo e Franca Rame. O resultado foi a conquista, pela atriz, do seu terceiro Molière. Confira:

01 - Brincando em cima daquilo
(Oswaldo Montenegro – José Alexandre – Mongol)
02 - Temos todos a mesma história
(Oswaldo Montenegro)
03 – Cigana
(Oswaldo Montenegro)
04 - Lua e flor (part. esp. Oswaldo Montenegro)
(Oswaldo Montenegro)
05 - Fogueira na contramão
(Oswaldo Montenegro)

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Vários artistas - As marcas registradas na MPB (1998)

 Coletânea de 1998 reúne canções que mencionam uma ou mais marcas comerciais
A presente coletânea, exclusiva ao mercado corporativo, é resultado de uma pesquisa divulgada em 1998 pela agência de publicidade Publicis.Norton, em São Paulo. As letras das 12 faixas possuem característica em comum: todas mencionam uma ou mais marcas comerciais. O estudo, desenvolvido ao longo de três anos, identificou mais de 180 canções brasileiras com essa mesma característica – menção espontânea a marcas comerciais a retratar uma situação, exprimir um sentimento, localizar uma época, descrever um indivíduo ou um grupo ou um estilo de vida. O estudo indica que algumas marcas – independentemente do seu valor financeiro e do seu significado mercadológico – ao se inserirem na cultura, transformam-se em formas de expressão, ganhando uma nova dimensão. As marcas citadas nas músicas incluídas neste CD são: Brastel, Bonzão, Canecão, Casas Bahia, Chiclets, Coca-Cola, Corcel, Ducal, Fantástico, Formiplac, Fusca, Hotel Marina, JB, Lee, RFFSA e Varig. Além dessas, o estudo contabilizou cerca de 200 outras marcas. Confira:

01 - Caetano Veloso - Alegria, alegria
(Caetano Veloso)
02 - Chico Buarque - Bye bye, Brasil
(Roberto Menescal – Chico Buarque)
03 - Raul Seixas - Ouro de tolo
(Raul Seixas)
04 - Gilberto Gil - Geleia geral
(Gilberto Gil – Torquato Neto)
05 - Chico César - Mama África
(Chico César)
06 - Kleiton e Kledir - Maria-Fumaça
(Kleiton – Kledir Ramil)
07 - Marina Lima – Virgem
(Marina Lima – Antonio Cícero)
08 - Elis Regina – Comunicação
(Edson Alencar – Hélio Matheus)
09 - Cássia Eller – Brasil
(Cazuza – George Israel – Nilo Romero)
10 - Rita Lee - Hulla-hulla
(Rita Lee – Élcio Decário)
11 - Gal Costa – Joia
(Caetano Veloso)
12 - Leila Pinheiro - Podres poderes
(Caetano Veloso)



terça-feira, 21 de outubro de 2014

Djalma Pires - Canção pra ninar gente triste (EP 1980)


Comprei este EP do Djalma Pires, um sambista de primeira grandeza, com a clara intenção de postá-lo. Seria o único disco dele no blog, e também serviria como oportunidade pra divulgar uma resenha de sua carreira. Pra minha surpresa e decepção, nada encontrei a seu respeito na rede, a não ser fotos de vários discos que gravou, vendidos em sites como o Mercado Livre. Lembro-me dele em vários programas de TV, e é lamentável que tenha caído no ostracismo. Este compacto duplo, produzido em 1980 pela Continental, traz quatro canções do LP que lançou na época. Confira:

01 - Cartão amarelo
(Bráulio de Castreo – Paulo Elias)
02 - Trama
(Beto Cruz – Haroldo Maria – Carlos Jair)
03 - Canção pra ninar gente triste
(Mita – Carlos Barbosa)
04 - Margarida (Que idade tem você)
(Moacyr Alfredo Guimarães)


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Protons - Reza ao Padre Cícero (CS 1972)

 Banda nacional de pop rock esteve em atividade na primeira metade dos anos 1970
Quem gosta das bandas brasileiras dos anos 1970 provavelmente vai curtir o grupo Protons, de pop rock, que esteve em atividade na primeira metade da década, gravando na RCA Victor. Eu só conhecia o grupo pelo nome por ter acompanhado o Eduardo Araújo em um dos seus discos na gravadora. Este single – mais uma colaboração especial do amigo Aderaldo, a quem agradeço – traz as músicas “Reza ao Padre Cícero” e “Copacabana Zero Hora”, ambas do Luiz Wanderley, gravadas em 1972. O grupo, segundo constatei na web, ainda gravou no ano seguinte outro single, composto por duas canções em inglês: “My Song For You” e “Performance”. Infelizmente não encontrei referências sobre a banda e seus quatro integrantes. Se você souber, escreva nos comentários. Enquanto isso, confira o single:

01 - Reza ao Padre Cícero
(Luiz Wanderley)
02 - Copacabana Zero Hora
(Luiz Wanderley)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Rita Cadillac - Merenguendê (CS 1983)

 Post inclui versão remasterizada, extraída de CD, de "É bom para o moral"
Eu disse, num comentário sobre a Gretchen, que o SintoniaMusikal é um blog eclético, aberto pra todos os gostos e desgostos, e que ninguém deveria se surpreender no dia em que postar um disco da Rita Cadillac. Esse dia é hoje, e trago o compacto simples que a chacrete mais famosa gravou em 1983, na RGE, com as músicas “Merenguendê” e “Baby Love”. Como bônus, estou adicionando “É bom para o moral” em versão remasterizada, extraída de CD, e “Vem perto”, baixada na rede, e que foram originalmente lançadas num single em 1984. Rita de Cássia Coutinho, seu nome de batismo, nasceu no Rio de Janeiro em 13 de junho de 1954, e começou a carreira como dançarina do Programa do Chacrinha nos anos 1970. A chacrete se destacou pela bela forma do seu bumbum, e já declarou que, quando morrer, quer ser velada de bruços, para que as pessoas a reconheçam. Confira:

01 – Merenguendê
(Rômulo – Barbosa)
02 - Baby Love
(Rômulo)

BÔNUS
03 - É bom para o moral (C'est Bon Pour Le Moral)
04 - Vem perto

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

José Fernandes e orquestra - Tangos nota 10 (1976)

 LP tem instrumentais e vocais de Perez Moreno, Fernando Moraes e Luis Cesar
Quem viveu os anos 1960 e 1970 deve se lembrar do jurado José Fernandes, que fez sucesso nos programas Flávio Cavalcanti e Silvio Santos. Sua notoriedade se deve, segundo a crítica especializada, ao tipo especial que criou na TV: Carrancudo, mal-humorado, dando sempre notas baixas aos calouros. Além de jurado, o artista nascido em 1925 e falecido em 1979, atuou como músico, e dirigiu uma orquestra dedicada especialmente a tangos. É com ela que José Fernandes comparece com este “Tangos Nota 10”, produzido em 1976 pela RCA Camden. O projeto teve um segundo volume em 1977, e neste primeiro o repertório é constituído de instrumentais e vocais dos cantores Perez Moreno, Fernando Moraes e Luis Cesar em duas faixas cada. Confira:

01 - Ojos negros (Instrumental)
(Vicente Greco)
02 - Perez Moreno - Caminito 
(Gabino Coria Peñaloza - Juan de Dios Filiberto)
03 - Derecho viejo (Instrumental)
(Eduardo Arolas)
04 - Fernando Moraes - Nostalgias 
(Juan Carlos Cobián - Enrique Cadícamo)
05 - Re-fa-si (Instrumental)
(Enrique Delfino)
06 - Luiz César - A média luz 
(Edgardo Donato - Carlos César Lenzi)
07 - Quejas de bandoneon (Instrumental)
(Juan de Dios Filiberto)
08 - Luis César - Tango pra Teresa 
(Jair Amorim - Evaldo Gouveia)
09 - El choclo (Instrumental)
(Angel Villoldo - Enrique Santos Discépolo - Carlos Marambaio Catan)
10 - Perez Moreno - Volver 
(Carlos Gardel - Alfredo Le Pera)
11 - La maleva (Instrumental)
(A. Buglione - M. Prado)
12 - Fernando Moraes - Yira... yira... 
(Enrique Santos Discépolo)



terça-feira, 14 de outubro de 2014

Franco - A voz do coração (Antologia - 2014)

 Grandes sucessos do Franco, gravados nos anos 1970, estão reunidos na coletânea
Já postei o EP de 1976 do Franco, mas achei interessante incluí-lo nesta antologia, que reúne mais três singles e três gravações avulsas – extraídas de CD – somando 12 faixas que tradicionalmente são incluídas num álbum.  A coletânea leva o título “A voz do coração”, título do samba gravado em 1975, que numa bobeada da censura na época, foi liberada pra execução pública. Franco Scornavacca, seu nome de batismo, é italiano e pai dos integrantes do KLB, sendo que iniciou a carreira nos anos 1960. Foi baixista do grupo Os Brasas, que tinha o Luis Vagner no vocal. Após o fim da banda, Franco investiu em carreira solo e obteve sucesso nos anos 1970 como intérprete de samba rock. Confira:

01 - 1971 - Lágrimas
02 - 1971 - Eu já amei você
03 - 1972 - Ficamos Assim
04 - 1974 - Pra Que Chorar
05 - 1975 - A voz do coração
06 - 1975 - Pra que
07 - 1976 - Rock enredo
08 - 1976 - Copacabana
09 - 1976 - Maravilhoso é sambar
10 - 1976 - Meu idioma é samba
11 - 1977 - A 80 Km por hora
12 - 1978 - Rock do rato



domingo, 12 de outubro de 2014

Maria Regina - Parabéns a você (EP 1962)

 Maria Regina, irmã do Ronnie Cord, é conhecida como "A menor cantora do mundo"
Hoje, 12 de outubro, é Dia das Crianças, e nada mais oportuno do que postar este “Parabéns a você”, EP de 1962 da Maria Regina, conhecida como “a menor cantora do mundo”, título do seu primeiro LP, gravado na época pela RCA Victor. Filha do maestro e compositor Hervé Cordovil e de Daicy Portugal, Maria Regina nasceu em São Paulo em 5 de julho de 1956 e, como se pode ver, começou a carreira ainda criança, influenciada pelo ambiente musical em que vivia, pois os irmãos (Ronnie Cord, Norman e Hervé Jr.) também cantavam.

Um dia, ouvindo os discos de acetato que o avô havia gravado com os seus irmãos, a menina de quatro anos fez um pedido ao pai: queria também gravar um disco. Hervé então levou Maria Regina e Ronnie Cord a um estúdio de gravação, onde gravaram um acetato contendo três músicas: "Oh, Carol", "Pretty Blue Eyes" e "Biquini de Bolinha Amarelinha". Ronnie as apresentou na Rádio Tupi, e as músicas acabaram sendo executadas num programa. Foi lançada, então, uma enquete para os ouvintes: sendo a jovem revelação uma cantora de apenas quatro anos, deveria ou não seguir carreira?

A participação dos ouvintes, por cartas e telefonemas, foi grande e, sem nenhuma surpresa, Maria Regina recebeu sua primeira aprovação popular. O pai, então diretor da gravadora Copacabana, não permitiu que a filha começasse gravando na empresa em que trabalhava. A RCA Victor interessou-se pela jovem cantora e a contratou de imediato. Foi assim que, prestes a completar cinco anos, foi lançado o disco 78 RPM em 1961 contendo "A Música do Papai" e "Oh, Carol". Maria Regina gravou outros discos, incluindo os LPs "A Menor Cantora do Mundo" e  "Canções da minha escola".

Graciosa, dona de espantosa versatilidade, Maria Regina ainda atuou como modelo infantil em São Paulo. Frente ao sucesso, foi muito requisitada na TV, e participou de programas como Clube dos Artistas, Astros do Disco, Almoço com as Estrelas e Reino da Juventude, de Antonio Aguilar. Maria Regina gravou até os sete/oito anos de idade. Como era apenas uma criança, a vida artística acabou tornando-se enfadonha, e logo se desinteressou. Confira o disco:

01 - Parabéns a você (Happy birthday to you)
(Adaptação de Juvenal Fernandes)
02 - Feliz aniversário
(Alvarenga – Ranchinho)
03 - A música do papai
(Daicy P. Cordovil)
04 - A música de mamãe
(Hervé Cordovil)

Com Francisco Moraes e sua orquestra e côro

sábado, 11 de outubro de 2014

Grupo Jeans - Distração (CS 1984)

 Compacto Simples do Grupo Jeans foi lançado pela R.G.A. Discos, de Curitiba
O que escrever sobre o Grupo Jeans? Essa foi a pergunta que fiz a mim mesmo na hora de postar este compacto simples da banda, produzido em 1984 pela R.G.A. Discos, selo de Curitiba, no Paraná. O problema é que nada encontrei sobre o grupo, formado por quatro pessoas, conforme foto na capa. A contracapa, espaço ideal pra preencher essa lacuna, também não ajuda. A ficha técnica informa os nomes de João Carlos Silveira Rodrigues (teclados), Edgard Delfino Bastos Filho (cordas), Eurides Ribeiro, o Chiquinho (baixo) e Charles Heden Hurtado Furtado (ritmos), mas não menciona quem é o vocalista. Enfim, este single só interessa a quem curte e tem curiosidade de conhecer banda dos anos 1980. Confira:

01 – Distração
(Paulinho Silva)
02 – Fígaro
(Coelho – Cacau)



sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Vários intérpretes - Hits Brasil (LP 1986)

 Coletânea da RGE inclui hits internacionais interpretados por brasileiros
Houve um tempo em que brasileiro, pra vender discos, tinha que adotar pseudônimo e cantar como artista internacional. O consumidor, sem saber, comprava gato por lebre, e até emissoras de rádio tocavam os discos dos astros internacionais. O grande boom desse movimento aconteceu no início dos anos 1970, quando Tommy Standen adotou o nome artístico de Terry Winter, e fez enorme sucesso com “Summer Holiday”. A partir daí, as gravadoras lançaram vários nomes, muitos deles em trilhas de novelas. Este “Hits Brasil” é uma coletânea de sucessos dessa fase. Entre eles destaca-se “Don’t let me cry”, hit do Mark Davis, que posteriormente adotou seu nome mais conhecido: Fábio Junior. Confira:

01 - The Light Reflections - Tell me once again
(B. Anderson)
02 - Tony Stevens -  (If you could) Remember
(Hammilton - Mark Lee - Williams)
03 - Dave MacLean -  We said goodbye
(Joe)
04 - Mark Davis -  Don't Let Me Cry
(P. Dunaway - Jorge)
05 - Steve MacLean - True love
(Paul Nixon
06 - Lee Jackson -  Hey girl
(Phillips - Duncan)
07 - Morris Albert - Feelings
(Morris Albert)
08 - Paul Denver -  Rain and memories
(Paul Denver)
09 - Pholhas -  She Made Me Cry
(H.Santisteban - O.Malagutti)
10 - Chrystian -  Don't say goodbye
(Paul Bryan - Jim Saleman - Chrystian)
11 - Pete Dunaway - I'll be fine
(Anthony - C.George G.)
12 - Terry Winter - Summer Holiday
(Tony Temple - Dell Clyde)




quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Wilson Miranda - O segundo domingo do mês (1983)

 Compacto simples do Wilson Miranda foi lançado pelo selo Prestígio (Polygram) 
O cantor e produtor Wilson Miranda comparece mais uma vez no blog com este raro e desconhecido compacto simples, cedido pelo nosso amigo Aderaldo, a quem renovo agradecimento pela valiosa colaboração. O disco, do selo Prestígio (Polygram), traz duas datas: no selo, consta o ano de 1982, sendo que na contracapa está impresso 1983. Presume-se que foi gravado em 1982 e lançado em 1983. Wilson Miranda (27/03/1940 – 20/06/1986), com sinopse da carreira já divulgada no blog, fez muito sucesso nos anos 1960, e se destacou também pelo trabalho desenvolvido na área de direção/produção de discos. Confira o single:

01 – O segundo domingo do mês
 (Gabino Correia - Julia Graciela - Franco Carlos)
02 – Vou recomeçar
 (Gabino Correia)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Martinha - Poema de Maria (Série Colagem LP 1971)

 Post inclui a faixa bônus "Não brinque assim", do primeiro single da Martinha
 
A série “Colagem” foi um projeto comercial da gravadora Copacabana no início dos anos 1970. A proposta é oferecer uma seleção dos maiores sucessos de cada um dos seus artistas contratados.  O álbum dedicado à cantora e compositora Martinha, que já tem sinopse da carreira divulgada no blog, foi lançado em 1971, mas o meu exemplar é de uma reedição da Beverly. O repertório se destaca por duas curiosidades: a primeira é a inclusão da instrumental “Poema de Maria”, composta pela Martinha, e a segunda é o flerte da cantora com a Bossa Nova, interpretando “Luz de amor”, de Johnny Alf.  Pra completar, adicionei como faixa bônus a obscura “Não brinque assim”, lado B do seu primeiro disco, o compacto com “Barra limpa” no A. O post ainda traz como brinde as páginas de uma entrevista que a cantora concedeu na edição de junho de 2012 da revista Perto de Você, de São Paulo. Confira:

01 - Aqui
(Martinha)
02 - Eu te amo mesmo assim
(Martinha)
03 - Poema de Maria
(Martinha)
04 - Luz de amor
(Johnny Alf)
05 - Barra limpa
(Martinha)
06 - Meu namorado
(Martinha)
07 - Eu daria minha vida
(Martinha)
08 - Por quem estou apaixonada
(Martinha)
09 - Morrer por seu amor
(Martinha)
10 - Volta depressa
(Marcos Roberto)
11 - Arranje outra namorada
(Marcos Roberto - Dori Edson)
12 - Escuta
(Antonio Marcos)
13 - Não brinque assim - BÔNUS
(Martinha)

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Originais do Samba - Sanduíche de artistas (CS 1985)

 Compacto dos Originais do Samba, sem Mussum, foi gravado na Copacabana
Um amigo do blog pediu pra repostar a coletânea da Miriam Makeba, que ficou menos de dois dias no ar, devido a desativação nesse prazo dos dois links pra download. O motivo, como sempre, é por queixa de violação dos direitos autorais. A antologia, com 22 músicas, foi postada em dezembro de 2013, e inclui quatro gravações em português, sendo duas canções do Jorge Benjor. Preparei um novo link (aqui), e só vai baixar as poucas pessoas que costumam ler as apresentações feitas nas postagens. Aproveite!

Quanto ao post de hoje, aqui está um raro single do grupo Os Originais do Samba, lançado em 1985 pela Copacabana. Desconfio que é o primeiro disco do conjunto na gravadora, após deixar a RCA Victor, onde gravou os principais sucessos, especialmente na década anterior.  O grupo foi formado nos anos 1960 no Rio de Janeiro por ritmistas de escolas de samba, e começou a se apresentar em teatros e show. O palco do Copacabana Palace, onde realizou o espetáculo "O Teu Cabelo Não Nega", está entre eles.

Os músicos fixaram-se em São Paulo, participaram de festivais, e ganharam discos de ouro pela vendas de suas gravações, principalmente nos anos 1970, combinando o canto uníssono, a roupa padronizada e boa dose de humor. Foram o primeiro conjunto de samba a se apresentar no Olympia de Paris. Um dos integrantes do grupo, Mussum, sairia para formar Os Trapalhões ao lado de Renato Aragão, Mauro Gonçalves e Dedé Santana. Em 1997 gravaram um CD comemorativo pelos 30 anos de carreira. O grupo, em atividade, lançou em 2008 o CD "A Corda Arrebenta e o Samba não Cai", com 15 músicas inéditas e 2 regravações. Confira o single:

01 - Sanduíche de artistas
(Claudio Fontana)
02 - Tá com medo diz
(Ademir da Vila – Luizinho do Beira Mar – Teixeira – Nelson Cebola – Maria Eugenia MPB – Silvio Modesto)

FICHA TÉCNICA

Produtor fonográfico - Som Indústria e Comércio S/A
Direção de produção - Luiz Mocarzei
Arranjos - José Carlos Adorno
Técnico de gravação e mixagem - Getúlio Carvalho
Técnico de corte - Silvia Nascimento
Gravado nos Estúdios Copacabana (SP)
Foto - Michele de Gregório
Layout e arte - Osvaldo A. Ferreira


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Gilberto Alves - Sandália de prata (EP 1964)

 Gilberto Alves obteve grande notoriedade na era de ouro do rádio brasileiro
Gilberto Alves foi um cantor da chamada Velha Guarda e fez muito sucesso na era de ouro do rádio. Este EP, lançado pela Copacabana em 1964, se destaca pela releitura de “Pelo telefone”, considerado o primeiro samba gravado no Brasil. O cantor, nasceu no bairro de Lins de Vasconcelos, no Rio de Janeiro, em 15 de abril de 1915. O primeiro grande êxito da carreira junto ao público discófilo foi a música "Tra La La", lançada em 1940. Depois veio em 1941 "Uma Grande Dor Não Se Esquece", "Sonhos de Outono"; em 1942, "Algum dia te direi", "Gavião Caçudo" e "Pombo Correio", músicas de grande efeito e enorme vendagem de discos. Faleceu em 4 de abril de 1992 em Jacareí, no interior de São Paulo. Confira o disco:

01 - O Rio é mais Rio
(Paulo Rogério)
02 - Sandália de prata
(Castro Perret – Genival Melo)
03 - Pelo telefone
(Donga – Mauro de Almeida)
04 - Minha cabrocha
(Lamartine Babo)


domingo, 5 de outubro de 2014

Menina de Lourdes - Terceira noite (2014)

 Músicas de um EP e um single estão reunidas nesta seleção da Menina de Lourdes
Um compacto duplo de 1964, gravado no tempo em que o bolero ainda vendia discos, e um simples de 1966, na carona da Jovem Guarda, estão reunidos nesta coletânea da Menina de Lourdes. A seleção é mais uma colaboração do nosso amigo Aderaldo, a quem agradeço novamente. Ele informa que o EP é do seu acervo, sendo que o single e a faixa bônus foram baixados na Net.  Felizmente, eu tenho o compacto com “Receita pra ser feliz”, versão de “Treat Her Right”, também gravada pelo Erasmo Carlos como “Cuide dela direitinho”, mas o meu exemplar está desgastado pelo tempo.

Menina de Lourdes Britto nasceu em setembro 1941, na cidade de Gália Paulista-SP, na região de Marília. Quando criança queria ser cantora, e foi realizando seu sonho, primeiro cantando com o conjunto Três Américas, logo em seguida foi crooner de Pedrinho & sua Orquestra, e depois do grande Enrico Simonetti. Ainda não tinha gravado, e alguém sugeriu que procurasse a Continental. Lá, acompanhada por Poly, fez teste cantando “Amendoim torradinho”, e foi aprovada. Em 1962 gravou o bolero ‘Benzinho bonitinho'. No início de 1964, Menina gravou ‘Terceira noite’, versão do sucesso italiano de Neil Sedaka ‘La terza luna’, que acabou sendo seu maior sucesso, e está nesta seleção. Confira:

01 - Terceira noite (La terza luna)
(Migliacci - Enriquez - vs: Paulo Augusto)
02 - Coração de pedra
(Francisco Di Pietro)
03 - Por que?
(Paulo Augusto - Milton José)
04 - Eternos namorados
(Orlando Domingues)
05 - Receita pra ser feliz (Treat Her Right)
(R. Head - vs: Milton Rodrigues)
06 - Carta de amor
(Rossini Pinto)
07 - Pinguinho de carinho (Muñequito
(Yara Flores - Vs: Palmeira)

COLABORAÇÃO: Aderaldo

sábado, 4 de outubro de 2014

Grandes sucessos da música - Jovem Guarda (CD)

 CD com sucessos da Jovem Guarda foi produzido pela Sony para a Hermes
Esta coletânea da Jovem Guarda é mais um projeto especial desenvolvido pelo Departamento de Marketing da Sony para a iniciativa privada. A ideia, desenvolvida por todas as gravadoras para não depender apenas das vendas ao consumidor, é disponibilizar seu acervo para produção de CDs exclusivos ao mercado corporativo, que podem usá-los para promoções e ações mercadológicas. O presente CD, por exemplo, é exclusivo da Hermes, e não foi distribuído ao mercado comercial, tornando-se objeto de desejo de colecionadores. Não sei exatamente quando e como foi a distribuição deste “Grandes sucessos da música - Jovem Guarda”, originalmente disponibilizado em invólucro envelopado, daí a produção de uma contracapa para CD que se encontra na pasta. O disco traz gravações do Sérgio Murilo, Wanderléa, Erasmo Carlos, Golden Boys, e duas ao vivo – do show comemorativo aos 35 anos da Jovem Guarda – com Os Vips, Waldirene, Wanderley Cardoso, Dori Edson, Leno & Lilian, Marcos Roberto e Jerry Adriani. Confira:

01 – Sérgio Murilo - Oh! Carol
(Howard Greenfileld – Neil Sedaka)
02 – Wanderléa – Prova de fogo
(Erasmo Carlos)
03 – Wanderléa – Pare o casamento (Stop the wedding)
(Resnick – Young – Luiz Keller)
04 – Os Vips, Waldirene, Wanderley Cardoso, Dori Edson, Leno & Lilian, Marcos Roberto e Jerry Adriani  - Pout-pourri:
O ritmo da chuva (Rhythm of the rain)
(J. Gummoe – vs: Demétrius)
Biquini de bolinha amarelinha tão pequenininho
(Itsy bitsy teenie yelow polkadot bikini)
(Paul J. Vance – Lee Pocriss – vs: Hervê Cordovil)
Diana (Diana)
(Paul Anka – vs: Fred Jorge)
Estúpido cupido (Stupid cupid)
(Neil Sedaka – Howard Freenfield – vs: Fred Jorge)
Banho de lua (Tintarella di luna)
(B. dse Filipi – F. Migliacci – vs: Fred Jorge)
Broto legal (I’m in Love)
(H.Eamhart – vs: Renato Corte Real)
Marcianita (Marcianita)
(José J. Marcone – G.V.Alderete – vs: Fernando César)
Rua Augusta
(Hervê Cordovil)
05 – Erasmo Carlos – Vem quente que estou fervendo
(Carlos Imperial – Eduardo Araújo)
06 - Os Vips, Waldirene, Wanderley Cardoso, Dori Edson, Leno & Lilian, Marcos Roberto e Jerry Adriani  - Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones
(Lusini – Migliacci – vs: Brancatto Jr.)
07 – Golden Boys – Pout-pourri:
Na rua, na chuva, na fazenda 
(Hyldon)
Casaco marrom (By by Cecy)
(Renato Correa – Danilo Caymmi – Guttemberg Guarabyra)
Andança
(Edmundo Souto – Danilo Caymmi – Paulinho Tapajós)