Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Banda 1E99 - Tributo ao centenário Carmen Miranda

 Banda 1E99 revive clássicos da Carmen Miranda em versões eletrônicas
Em 9 de fevereiro de 2009 foi comemorado o centenário de nascimento da Maria do Carmo Miranda da Cunha, mais conhecida como Carmen Miranda, e a data não passou despercebida. Entre os vários tributos feitos a Pequena Notável está este CD da Banda 1E99, lançado na ocasião pela CID. O disco é muito legal e mostra, principalmente para as novas gerações, os inúmeros clássicos gravados pela estrela ao longo da carreira iniciada em 1930, quando lançou “Ta-hi”, o primeiro grande sucesso. Carmen morreu em 5 de agosto de 1955 em Beverly Hills, na Califórnia, nos Estados Unidos.

A Banda 1E99 é carioca, experimenta novas sonoridades para a MPB, e ficou conhecida pelo hit ‘I’m Cool’, ao lado da Gretchen, que estourou na Internet com mais de 1 milhão de acessos no YouTube. É formada por Rody (vocal), André Braga (bateria), Alberto Neto (DJ/Mc) e Jaguarito (guitarra) De acordo com dados colhidos na rede, seu som passa por samba, groove, soul, funk, ragga, rio, afrobeat, freestyle, rock, dubstep, tribal e tudo mais que se puder experimentar em termos de música. Mais do que uma banda pop, 1E99 tem a aberta intenção de fazer a música brasileira respirar novos ares, olhar no passado, o futuro, como demonstra este CD. Confira:

01 - Ta-hi (Pra você gostar de mim)
(Joubert de Carvalho)
02 - E o mundo não se acabou
(Assis Valente)
03 - O que é que a baiana tem
(Dorival Caymmi)
04 - Camisa listada
(Assis Valente)
05 - Na Baixa do Sapateiro
(Ary Barroso)
06 - Tic-tac do meu coração
(Walfrido Filho)
07 – Coração
(Sinval Silva)
08 - Chica Chica Boom Chic
(Mack Gordon – Harry Warren)
09 - Mamãe eu quero 
(Vicente Paiva – Jararaca) 
Marchinha do grande galo
(Paulo Barbosa – Lamartine Babo)
10 - Disseram que voltei americanizada
(Vicente Paiva – Luiz Peixoto)
11 - Touradas em Madrid
(João de Barro – Alberto Ribeiro)
12 - Tico-tico no fubá
(Zequinha de Abreu – Aloysio de Oliveira) 
13 – Balancê
(Alberto Ribeiro – João de Barro)


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

George Freedman em compacto (EP 1962)

 EP gravado na RGE inclui "Good Luck Charm", sucesso original do Elvis Presley
George Freedman, com seu jeito de galã, é um dos pioneiros do rock brasileiro, e lançou este compacto duplo em 1962 pela RGE, após passagem pelos selos Califórnia e Continental. O disco, intitulado “George Freedman em compacto”, antecedeu o LP “Multiplication”, lançado no mesmo ano, e no qual foram incluídas as quatro músicas deste EP. O destaque é a faixa “Good Luck Charm”, sucesso original do Elvis Presley, principal influência do cantor de origem alemã. Freedman nasceu em 7 de agosto de 1940 em Berlim, e ainda pequeno veio com a família para o Brasil.

Iniciou a carreira no final dos anos 1950 cantando rocks, na sua maioria versões de hits estrangeiros. Em 1959 gravou na Califórnia seu primeiro disco interpretando de sua autoria o rock balada "Leninha", e de Steve Rowlands, em versão de Fred Jorge, o rock calipso "Hey, little baby". Nessa época fez apresentações constantes na TV Tupi de São Paulo, e começou a figurar entre os ídolos da juventude brasileira. Obteve seu primeiro sucesso em 1960 com "Olhos cor do céu", versão de "Pretty blue eyes", também gravada pelo Sérgio Murilo.

Participou em 1961 do filme “Zé do Piriquito”, do Mazzaropi, interpretando “Gostoso mesmo é namorar”, ao lado dos irmãos Celly & Tony Campello, Augusto César Vanucci, e outros. Nesse mesmo ano gravou pela Continental os rocks "Advinhão" e "Inveja", de Baby Santiago, e se transferiu para a RGE. O grande sucesso viria em 1967, com "Coisinha estúpida", versão de "Something stupid", hit da Nancy e Frank Sinatra, o que o credenciou a gravar seu segundo e último LP. Após alguns compactos, incluindo dois em dueto com a cantora Waldirene, abandona a carreira em 1972 para trabalhar no ramo imobiliário. Confira o EP:

01 - O jato (The Jet)
(Kal Mann – vs: Juvenal Fernandes)
02 - Canção do casamento (Hawaiian Wedding)
(King – Hoffman – Manning – vs: Fred Jorge)
03 - Good Luck Charm
(Aaron Schroeder – Welly Gold)
04 - Um beijinho só (One last Kiss)
(L.Adams – C.Strouse – vs: Roberta Corte Real)


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Márcio Greyck - Você veio (LP 1983)

 Márcio Greyck mantém o romantismo que o consagrou no LP gravado na RCA
Vou aproveitar o post anterior e oferecer mais um disco do Márcio Greyck. Desta vez, ele comparece com o primeiro – e único – LP gravado na RCA Victor, após bem-sucedida passagem pela CBS/Sony, entre 1970 e 1982, período em que gravou seus principais sucessos. O álbum, lançado em 1983 e também gravado em espanhol, destaca-se pelo romantismo, seguindo o exemplo dos discos anteriores. Eduardo Lages, que trabalha com Roberto Carlos desde 1977, é o responsável pelos arranjos e regências do disco. Confira:

01 - Você veio
(Nenéo - Ivan Reis)
02 - Espaço vazio
(Cury - Fatha)
03 - Fio de esperança
(Nenéo - Márcio Greyck)
04 - Mágoas
(Rossini Pinto - João de Deus)
05 - Cama vazia
(Eduardo Lages - Paulo Sérgio Valle)
06 - Reprises
(Rodrigues - Daysi)
07 - Reencontro
(Nenéo - Ivan Reis)
08 - Meus defeitos
(Márcio Greyck - Carlos colla)
09 - Pássaro cativo
(Márcio Greyck - Suraya Maia)
10 - Eu te agradeço
(Carlos Colla - Mauricio Duboc)


FICHA TÉCNICA

Direção - Hélcio do Carmo
Coordenação artística - Lúcio Varela
Produção - Eduardo Lages
Co-produção - Márcio Greyck
Técnico de gravaçãO E Mixagem - Flávio Sena
Seleção de repertório - Márcio Greyck e Eduardo Lages
Arranjos e regências - Eduardo Lages
Fotos - Milton Montenegro
Capa - Arthur Fróes
Arte final - Valério do Carmo
Agradecimentos especiais - Fernando Adour e Fernando Miguel Filho (Alemão)



sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Márcio Greyck - Passaraio (CS 1968)

 "Passaraio", de Carlos Imperial, só foi incluída neste compacto simples de 1968
“Passaraio”, uma marcha rancho do Carlos Imperial, gravada em 1968 pelo Márcio Greyck, é o destaque deste raro compacto fornecido pelo nosso amigo e colaborador Aderaldo, a quem renovo agradecimento. Trata-se do terceiro disco do cantor, lançado após um single e um LP, produzidos no ano anterior. A música só foi lançada neste disco, e não consta em coletâneas do cantor. O lado B, “Mundo vazio”, outra composição do Carlos Imperial, desta vez em parceria com Jorge Roberto, foi incluído no LP lançado naquele ano pelo cantor. Confira:

01 – Passaraio
(Carlos Imperial)
02 – Mundo vazio
(Carlos Imperial – Jorge Roberto)

Colaboração: Aderaldo

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Vanusa - Um abraço pro Chico (EP 1977)

 "Um abraço pro Chico" é uma homenagem da cantora para o Chico Xavier
Um amigo do blog, ao ver a postagem anterior, me consultou – e já estou postando - se eu teria a música “Um abraço pro Chico”, originalmente lançada pela Vanusa num compacto simples. Na sequência, foi adicionada neste EP, de 1977, aproveitando o sucesso de “Paralelas”, música do Belchior incluída na trilha sonora original da novela “Duas Vidas”, da Rede Globo. “Um abraço pro Chico” é uma homenagem da cantora ao Chico Xavier, e é uma composição da Vanusa em parceria com Mario Campanha, o mesmo de “Manhãs de setembro”. O disco ainda resgata “Mensagem”, gravada no final dos anos 1960, e traz “Congênito”, do Luiz Melodia. Pra completar, o disco ainda oferece “Mil beijos” no autógrafo dado pela cantora na capa. Confira:

01 – Paralelas
(Belchior)
02 – Congênito
(Luiz Melodia)
03 - Um abraço pro Chico
(Vanusa – Mário Campanha)
04 – Mensagem
(Cicero Nunes – Aldo Cabral)



segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Vanusa - Voz da mulher (Flex disc 1986)

 Flex disc foi distribuído durante a campanha eleitoral da Vanusa em 1986
Mea culpa: no Sanduíche Musical, postei a série “Desfile de raridades”, na qual inclui no terceiro volume a então inédita “Uma voz mulher”, interpretada pela Vanusa. Recentemente descobri que o título correto é “Voz da mulher”, e não da forma como disseminei. Meu pedido de desculpas a todos. A contracapa do Flex Disc, de onde ripei o áudio, tem o título e a letra impressa, conforme mostram as ilustrações acima. O disco foi distribuído pelo comitê eleitoral da cantora durante as eleições gerais em 1986. Vanusa disputou vaga de deputada federal. Recebeu apoio do candidato Paulo Maluf ao governo do Estado de São Paulo. Com o slogan “A voz da mulher na Constituinte”, Vanusa pretendia participar da elaboração da Carta Magna de 1988. Agora, com título correto, áudio de 320 kbps e arte gráfica do flex disc, faço novo post. O disco, é claro, não oferece a mesma qualidade do vinil, mas vale a pena baixar porque a música não consta em discos oficiais da cantora. Confira:

Voz da mulher
(Vanusa - Mauro Seal)



sábado, 15 de novembro de 2014

Coral de escolas da Guanabara - Hinos do Brasil

 Coral misto tem o acompanhamento da Banda do Corpo de Fuzileiros Navais
Alguém lembra da Enciclopédia Bloch? Foi uma revista mensal publicada pela extinta "Bloch Editores", de 1967 a 1972, e era muito útil para os estudantes, embora não tivesse especificamente esse objetivo. Trazia matérias sobre assuntos gerais variados, cultura e temas que abrangiam, como outras do gênero, o currículo escolar. Autodenominava-se "revista mensal de cultura". A editora, em ação mercadológica pra alavancar vendas, ofereceu este EP num dos seus exemplares. O brinde veio em 1970, em pleno ufanismo, no clima do “Eu te amo meu Brasil, eu te amo”. O “Hinos do Brasil” foi gravado pelo Coral Misto de Escolas da Guanabara com acompanhamento da Banda do Corpo de Fuzileiros Navais. Nada como postá-lo neste feriado nacional de 15 de novembro. Confira:

01 - Hino Nacional Brasileiro
(Letra de Osório Duque Estrada – Música de Francisco Manoel da Silva)
02 - Hino da Independência
(Letra de Evaristo da Veiga – Música de D.Pedro I)
03 - Hino da Proclamação da República
(Letra de Medeiros e Albuquerque – Música de Leopoldo Miguez)
04 - Hino a Bandeira
(Letra de Olavo Bilac – Música de Francisco Braga)

FICHA TÉCNICA

Coral Misto de Escolas da Guanabara
Regente: Maestro José Vieira Brandão
Banda do Corpo de Fuzileiros Navais
Regentes: Maestro Oswaldo Passos Cabral
e 1º Tenente Adroaldo Batista da Silva

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Supla - A beira do abismo (CD 1991)

 "Encoleirado", com participação do Roger, é um dos destaques do álbum
 Supla surpreende em "Break the ice" e regrava "Você não entende nada"
Assim como boa parte dos brasileiros, tenho o hábito de zapear, e conferir a programação na TV, especialmente na hora do comercial. Ontem a noite, ao ver na tela da Band as primeiras imagens do Rafinha Bastos, no comando do “Agora é tarde”, ouvi o discurso sobre o inferno astral da família Suplicy. O senador não foi reeleito, apesar de honesto, como alardeou na campanha. Marta Suplicy, famosa pela frase “Relaxa e goza” frente aos problemas nos aeroportos, acaba de deixa a equipe comandada pela presidente Dilma. “Logo mais estará na fila do Bolsa Família”, brincou Bastos. No bem humorado discurso, o apresentador lançou o TeleSupla, um 0900 pra ajudar os “Brothers of Brazil” (Supla e João Suplicy). Em sintonia com a campanha, vou postar este CD como canal de contribuição. Quem baixar, deve ligar pro Telesupla (09007001), como divulgado na TV, e pedir aos amigos pra fazer o mesmo antes que seja tarde. O disco é legal, com Supla em fotos sensuais, e performance surpreendente em faixas como “Break the ice” e, ironicamente, “A beira do abismo”. Confira:

01 - Encoleirado (Part. esp. Roger)
02 - Sai pra lá vudu
03 - Break the ice
04 - 25 horas
05 - Só pensa na fama
06 - Menina de família (Safadinha)
07 - Você não entende nada
08 - Zap out
09 - A beira do abismo
10 - Figa de marfim
11 - Nem Deus brincaria
12 - American boy



quarta-feira, 12 de novembro de 2014

The Jet Rockers - Rock espetacular! (LP 1961)

 Grupo instrumental The Jet Rockers executa sucessos dos primórdios do rock
A banda The Jet Rockers é mais um daqueles grupos sobre o qual nada sei, e provavelmente nem saberei, salvo se contar com a colaboração de alguém que possa contar algo nos comentários. Acredito que se trata de mais um grupo de músicos brasileiros que gravaram sob pseudônimo, prática comum no mercado fonográfico, sugerindo origem estrangeira. Este álbum, produzido em 1961, foi lançado pela Imperial Discos, projeto independente de André Midani, um dos mais conceituados executivos do mercado fonográfico, com trabalho realizado a frente de empresas como Odeon (hoje EMI), Phillips/PolyGram (hoje Universal) e WEA (Warner). A estratégia de vendas da Imperial era pelo sistema porta à porta, nas cidades do Rio e de São Paulo.

Este “Rock Espetacular”, 100% instrumental, reúne grandes clássicos do gênero. E, melhor, executados com competência. O disco, infelizmente, informa erroneamente a última faixa como "Train of love", conforme apontou o internauta Paulo Castelo Branco, a quem agradeço. O correto é "Have lips, will kiss in the tunnel of love", popularmente conhecida como "Tunnel of love". Não notei este erro na hora da postagem. Quem baixar, deve fazer o acerto e, se desejar, pode copiar a ilustração acima, da contracapa do CD, que está com o título da música correto, e substitui-la pela que se encontra na pasta. Confira:

01 - See you later, alligator
(Robert Guldry)
 Rock around the clock
(Max Freedman - Jimmy De Knight)
 Shake tatles and roll
(Charles E. Calhoun)
02 - Little darling
(Maurice Williams)
03 - Hey mama
(Paul Anka)
04 - Only you
(Ande Rand - Buck Ram)
05 - Bat Masterson
(Bart Corwin - Havens Wray)
06 - My prayer
(Georges Boulanger)
07 - Little devil
(Sedaka - Greenfield)
 Pink show laces 
(Mickie Grant)
 Stupid cupid 
(Sedaka - Greenfield)
08 - You are my destiny
(Paul Anka)
Greenfields
(Terry Gilkyson - Richard Deher - Frank Miller)
Love me tender
(Vera Matson - Elvis Presley)
09 - Tutti frutti
(Richard Penniman - Joe Lubin - Dorothy La Bostrie)
10 - Itsy bitsy teenie weenie yellow polkadot bikini
(Pockriss - Vance)
11 - Look for a star
(Michael Anthony)
12 - Have lips, will kiss in the tunnel of love
(Patty Fischer - Bob Roberts)


segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Fábio Stella - Meu jovem amigo (CD 2007)

 "Meu jovem amigo", título do disco, é uma homenagem ao amigo Tim Maia
Li recentemente que o cantor Fabio Stella está retornando ao meio artístico com lançamento de um novo disco. A retomada se deve a visibilidade que está obtendo por meio do filme “Tim Maia”, de quem foi grande amigo, conforme o livro “Até parece que foi sonho”, de sua autoria. A obra relata a amizade entre ambos, e foi uma das fontes para o roteiro do longa, dirigido por Mauro Lima. No filme, Fábio - que mais recentemente adotou o sobrenome "Stella", título do seu maior hit - é interpretado por Cauã Reymond. O ator deixou o cabelo crescer durante seis meses e, em cenas passadas nas décadas de 1960 e 1970, ainda usou aplique pra deixar os fios mais compridos e de acordo com a moda da época. O personagem, na verdade, aparece em cena como uma síntese de vários amigos reais de Tim.

Por conta disso, lembrei-me deste CD independente, produzido em 2007, e que passou despercebido do grande público. Acredito que, com o sucesso do filme, muita gente terá curiosidade em conhecê-lo, daí a decisão de postá-lo. O CD se destaca pelo repertório que inclui a faixa título “Meu jovem amigo”, inspirada no Tim. Outra homenagem é para mais um amigo, o cantor e compositor Cassiano, na balanceada “Preciso urgentemente falar com Cassiano”. O álbum, com 14 faixas, ainda inclui as regravações de “Stella”, “As aventuras de um certo capitão Blue” e “Socorro nosso amor está morrendo” (música de sua autoria, gravada originalmente pelo Wanderley Cardoso), entre outras. Pra completar, adicionei a faixa bônus “Fullana”, extraída de vídeo postado pelo próprio artista no Youtube. Confira:

01 - Meu jovem amigo
02 - Preciso urgentemente falar com Cassiano
03 - Inovildable
04 - Stella
05 - Reggae man
06 - Antes que eu vá
07 - As aventuras de um certo capitão Blue
08 - Nossos corações
09 - Cavaleiros andantes
10 - A menina e o mar
11 - Tentando ser feliz
12 - Socorro nosso amor está morrendo
13 - Rio Sampa Salvador
14 - Risos
15 - Fullana (Bônus)


quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Ana Maria - Ritmo do amor (LP 1995)

 Boa parte do repertório deste LP de 1995 é assinada por Ana Maria Vilela Martins
É bom nem me perguntar algo sobre a cantora Ana Maria, pois nada sei a seu respeito. Imagino que seu nome de batismo seja Ana Maria Vilela Martins, a compositora que assina boa parte do repertório. Alguém, ainda na época do Sanduíche Musical, meu blog anterior, me pediu uma música - que nem me lembro o título – de uma cantora com esse nome. O fato é que, ao encontrar este disco, lembrei-me do pedido, e acabei comprando por curiosidade, sem saber se a referida Ana Maria é a mesma solicitada pelo internauta. O álbum é de estilo sertanejo, e foi produzido em 1995, período em que os CDs substituíam os vinis nas prateleiras. Confira:

01 - Teu desprezo
(Ana Maria Vilela Martins)
02 - Saudade de Mato Grosso
(Marcilio Vilela Ogel – Claudio Gonsalves)
03 - Solidão da noite
(Ana Maria Vilela Martins)
04 - Momentos felizes
(Ana Maria Vilela Martins)
05 - Corpo e alma
(Ana Maria Vilela Martins)
06 - Ritmo do amor
(João Gonsalves)
07 - Vem para os meus braços
(Ana Maria Vilela Martins – Claudio Gonsalves)
08 - Amor sem esperança
(Ana Maria Vilela Martins)
09 - O vaqueiro
(João de Paulo)
10 - Noite de amor 
(Ana Maria Vilela Martins – Ramoncito Gomes)

FICHA TÉCNICA

Estúdio – Master Som – SP
Técnico – Rudi e Martins
Engenheiro de som – Miltom Pedro Gomes
Assistente de produção – Martins
Produção e execução – Rudi
Maestro – Adeildo Lopes



segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Músicas originais do programa Chico City (CS 1973)

 Programa Chico City, da Rede Globo de Televisão, foi exibido entre 1973 e 1980
Djalma Dias e Quarteto Uai estão neste compacto simples, lançado em 1973 pela RCA Victor, como músicas originais do Programa Chico City, humorístico produzido semanalmente pela Rede Globo, tendo como figura principal o saudoso humorista Chico Anysio (Maranguape, 12 de abril de 1931 — Rio de Janeiro, 23 de março de 2012). São canções usadas na primeira temporada do programa, considerando que o mesmo foi exibido entre 1973 e 1980. Todos os quadros da atração global se passavam numa cidade do interior do Nordeste, a tal Chico City, aproveitando o sucesso da novela O bem amado, que fazia graça com personagens e sotaque daquela região do Brasil. Depois do fim do programa, Chico teria na Rede Globo outras atrações, como Chico Total (duas versões. Uma mensal no inicio dos anos 80 e outra semanal em 95), Estados Anysios de Chico City, O Belo e as Feras, Escolinha do Professor Raymundo e o antológico Chico Anysio Show. Confira o single:

01 - Djalma Dias - Maria Bahia
(Arnauld Rodrigues – Chico Anysio)
02 - Quarteto Uai - Terra milagreira 
(Arnauld Rodrigues – Chico Anysio)

FICHA TÉCNICA

Coordenador artístico – Eustáquio Sena
Arranjador – Waltel Branco


quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Golden Boys - Nas “planices” muitas luas de paz

 Single produzido entre 1975/1976 é um dos últimos gravados pelo grupo na Odeon
O grupo vocal Golden Boys, um dos mais afinados da MPB e que se encontra na ativa desde o final dos anos 1950, comparece mais uma vez no blog por meio deste compacto simples produzido pela EMI-Odeon.  Trata-se de um dos últimos registros na gravadora, onde gravou os principais sucessos, pois na sequência partiu para a Polydor (Philips). O problema é saber o ano do seu lançamento, pois o selo no lado A consta o ano de 1976, e no B o de 1975. O grupo, que já tem sinopse da carreira divulgada no blog, começou como quarteto e atingiu o ápice do sucesso no período da Jovem Guarda. Confira:

01 - Os homens não devem chorar (Nova flor)
(Mário Zan – Palmeira – Pepe Ávila)
02 - Nas “planices” muitas luas de paz (Cara pálida) 
(Luis Vágner)



terça-feira, 28 de outubro de 2014

Nilton César - Quero voltar pra Bahia (LP 1970)

 Álbum do Nilton César foi gravado no período de enorme popularidade do cantor
Este álbum do Nilton César não é nenhuma raridade, e já foi postado em outros blogs, mas vou apresentá-lo mesmo assim, com áudio de melhor qualidade. O disco, lançado em 1970 pela RCA Victor, é do período em que o cantor desfrutava enorme popularidade, principalmente pelo sucesso de canções como “Professor apaixonado”, “Férias na Índia”, “Espere um pouco, um pouquinho mais”, e outras que também conseguiram êxito além das fronteiras do Brasil. Este LP destaca-se, especialmente, pela faixa “Eu sou eu”, que obteve relativo sucesso e possui arranjo que me lembra as boas músicas de festivais da canção, populares na época. Além disso, o disco traz duas curiosidades: as regravações de “Quero voltar pra Bahia”, hit do Paulo Diniz, e “Batuque na minha janela”, samba da Martinha, que também a gravou.

Nilton César é mineiro de Ituiutaba, onde nasceu em 27 de junho de 1939. Saiu de sua terra natal aos 17 anos para estudar e tentar a carreira artística no Rio de Janeiro, onde participava de programas de calouro. Em 1961, a convite de um amigo, veio para São Paulo, iniciando assim sua carreira profissional. Realizou o seu primeiro trabalho pela gravadora RGE. O sucesso viria na Continental, com canções como “Lilian”, “Cama vazia” e “Professor apaixonado”. Ainda gravou na RCA Victor, Copacabana, Diz music Canadá e Atração. Segundo consta, ainda se mantém na ativa, e teria gravado mais de 30 álbuns, incluindo os lançados em espanhol na América Latina. Confira este:

01 - Eu Sou Eu
(Fernando Lona)
02 - Teu Nome
(Osmar Navarro – Ribamar)
03 - Por Incrível Que Pareça
(Renato Jr.)
04 - Te Quero Tanto (Come hai fatto
Com declamação de Osmar Navarro
(Modugno – vs. W.Santos)
05 - Quero Voltar Pra Bahia
(Paulo Diniz – Odibar)
06 – Chiquilina
(C.Valdez – E.Franco – vs. Osmar Navarro)
07 - Briguei Com Ela
(Osmar Navarro – Dimas Prieto)
08 - Eu Te Sigo
(Mario Faissal)
09 - Batuque Na Minha janela
(Martinha)
10 - Uma Rosa Branca Em Seus Cabelos Brancos
(Osmar Navarro)
11 - Não Tenho Coração
(Sérgio Reis)
12 - As Marias Que Eu Amei
(René Bittencourt – F.Xavier)



segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Gang 90 & Absurdettes - Nosso louco amor (CS 1983)

Gang 90 & Absurdettes alcançaram o sucesso na primeira metade dos anos 1980
Uma banda muito boa dos anos 1980 foi a Gang 90 & Absurdettes. O grupo comparece com este compacto simples, lançado em 1983 pela RCA Victor, contendo o seu maior sucesso, a música “Nosso louco amor“. O destaque é o lado B, "Dia e noite", mais conhecida pela gravação do Lobão. A banda, segundo o Wikipedia, foi fundada pelo disc jockey e jornalista Júlio Barroso, e participou em 1981 do Festival MPB Shell com a música “Perdidos na Selva", o que tornou o grupo conhecido.

Nesta época, a banda chamava-se simplesmente "Absurdetes". A música foi lançada originalmente em compacto pelo selo HOT, tendo a faixa "Lilik Lamê" no lado B, cantada por Alice Pink Pank, uma das cantoras-musas da banda, ao lado de May East e Lonita Renaux. O sucesso viria em 1983 com o álbum "Essa tal de Gang 90 & As Absurdettes", que continha os sucessos anteriores da banda e que emplacou a música deste single, incluída na telenovela "Louco Amor", de Gilberto Braga. No mesmo ano, também participou do especial "Plunct, Plact, Zuuum", da Rede Globo, com a música "Será que o King Kong é Macaca"?

Júlio Barroso faleceu prematuramente em 1984 ao cair da janela de seu apartamento em São Paulo. Após esse fato trágico, a tecladista Taciana Barros assumiu a liderança do grupo e tentou insistir em sua continuidade, lançando um álbum "Rosas e Tigres", que tinha em seu repertório uma série de canções inéditas de Julio Barroso. O trabalho acabou tendo muito pouca repercussão comercial. Uma ultima tentativa, em 1987, foi o álbum "Pedra 90" já sem praticamente nenhum integrante original do grupo. Confira o single:

01 - Nosso Louco Amor
(Herman Torres – Julio Barroso)
02 - Noite e Dia
(Lobão – Julio Barroso)


sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Vários artistas - Sucesso fantástico vol. 4 (LP 1978)

 Sucessos nacionais e internacionais compõem o repertório deste álbum de 1978
Quem gosta de coletânea, com hits populares, pode baixar este Sucesso Fantástico, produzido em 1978 pela Continental. O álbum é o quarto volume da série, e inclui gravações de artistas nacionais e internacionais. Entre os nacionais, estão Francisco Petrônio, Rosemary, Nenéo, Quinteto Ternura, César Costa Filho, Moacyr Franco, Cornelius,Agepê, Fred Rovella e Luiz Fabiano. Confira:

01 - Francisco Petrônio - Verde vinho (Griechischer wein)
(U.Jurgens - Michael Kunze - vs: Paulo Alexandre)
02 - Rosemary - Sem saber eu fui feliz
(Mauro Motta - Eduardo Ribeiro)
03 - Sally Big Emotion - Singin' in the rain
(N.H.Brown - A.Freed)
04 - Nenéo - Ponta de faca
(Nenéo)
05 - Houston - Baby come back
(Lambert - Potter)
06 - Quinteto Ternura - Linda manhã
(Lincoln Olivetti - Ronaldo)
07 - César Costa Filho - Seu preço
(César Costa Filho)
08 - Moacyr Franco - Apaixonada (Innamorata)
(E. Riccardi - L.Albertelli  - Vs: Fred Jorge)
09 - Cornélius - Eu perdi seu amor
(Paulinho Camargo)
10 - Donna Stevens - Emotions
(B.R. Gibb)
11 - Agepê - Operário pedrão
(Agepê - Canário)
12 - Fred Rovella - Menina do orfanato
(Paulinho - Tony X)
13 - Jane MacClington - La vie en Rose
(E.Piaf - Lovigny)
14 - Luiz Fabiano - Você já não gosta mais de mim
(Luiz Fabiano)


quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Marília Pêra - Brincando em cima daquilo (EP 1984)

 Disco de 1984 apresenta cinco canções da peça "Brincando em cima daquilo"
Marília Pêra, uma das mais notáveis atrizes da atualidade, volta a marcar ponto no blog por meio deste EP, lançado em 1984 pela Kenya Records (Polygram).  O compacto duplo, intitulado “Brincando em cima daquilo”, traz cinco canções assinadas pelo Oswaldo Montenegro, que tem participação especial na faixa “Lua e flor”. As músicas são da peça de mesmo nome do disco, encenada em 1984, com textos de Dario Fo e Franca Rame. O resultado foi a conquista, pela atriz, do seu terceiro Molière. Confira:

01 - Brincando em cima daquilo
(Oswaldo Montenegro – José Alexandre – Mongol)
02 - Temos todos a mesma história
(Oswaldo Montenegro)
03 – Cigana
(Oswaldo Montenegro)
04 - Lua e flor (part. esp. Oswaldo Montenegro)
(Oswaldo Montenegro)
05 - Fogueira na contramão
(Oswaldo Montenegro)

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Vários artistas - As marcas registradas na MPB (1998)

 Coletânea de 1998 reúne canções que mencionam uma ou mais marcas comerciais
A presente coletânea, exclusiva ao mercado corporativo, é resultado de uma pesquisa divulgada em 1998 pela agência de publicidade Publicis.Norton, em São Paulo. As letras das 12 faixas possuem característica em comum: todas mencionam uma ou mais marcas comerciais. O estudo, desenvolvido ao longo de três anos, identificou mais de 180 canções brasileiras com essa mesma característica – menção espontânea a marcas comerciais a retratar uma situação, exprimir um sentimento, localizar uma época, descrever um indivíduo ou um grupo ou um estilo de vida. O estudo indica que algumas marcas – independentemente do seu valor financeiro e do seu significado mercadológico – ao se inserirem na cultura, transformam-se em formas de expressão, ganhando uma nova dimensão. As marcas citadas nas músicas incluídas neste CD são: Brastel, Bonzão, Canecão, Casas Bahia, Chiclets, Coca-Cola, Corcel, Ducal, Fantástico, Formiplac, Fusca, Hotel Marina, JB, Lee, RFFSA e Varig. Além dessas, o estudo contabilizou cerca de 200 outras marcas. Confira:

01 - Caetano Veloso - Alegria, alegria
(Caetano Veloso)
02 - Chico Buarque - Bye bye, Brasil
(Roberto Menescal – Chico Buarque)
03 - Raul Seixas - Ouro de tolo
(Raul Seixas)
04 - Gilberto Gil - Geleia geral
(Gilberto Gil – Torquato Neto)
05 - Chico César - Mama África
(Chico César)
06 - Kleiton e Kledir - Maria-Fumaça
(Kleiton – Kledir Ramil)
07 - Marina Lima – Virgem
(Marina Lima – Antonio Cícero)
08 - Elis Regina – Comunicação
(Edson Alencar – Hélio Matheus)
09 - Cássia Eller – Brasil
(Cazuza – George Israel – Nilo Romero)
10 - Rita Lee - Hulla-hulla
(Rita Lee – Élcio Decário)
11 - Gal Costa – Joia
(Caetano Veloso)
12 - Leila Pinheiro - Podres poderes
(Caetano Veloso)



terça-feira, 21 de outubro de 2014

Djalma Pires - Canção pra ninar gente triste (EP 1980)


Comprei este EP do Djalma Pires, um sambista de primeira grandeza, com a clara intenção de postá-lo. Seria o único disco dele no blog, e também serviria como oportunidade pra divulgar uma resenha de sua carreira. Pra minha surpresa e decepção, nada encontrei a seu respeito na rede, a não ser fotos de vários discos que gravou, vendidos em sites como o Mercado Livre. Lembro-me dele em vários programas de TV, e é lamentável que tenha caído no ostracismo. Este compacto duplo, produzido em 1980 pela Continental, traz quatro canções do LP que lançou na época. Confira:

01 - Cartão amarelo
(Bráulio de Castreo – Paulo Elias)
02 - Trama
(Beto Cruz – Haroldo Maria – Carlos Jair)
03 - Canção pra ninar gente triste
(Mita – Carlos Barbosa)
04 - Margarida (Que idade tem você)
(Moacyr Alfredo Guimarães)


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Protons - Reza ao Padre Cícero (CS 1972)

 Banda nacional de pop rock esteve em atividade na primeira metade dos anos 1970
Quem gosta das bandas brasileiras dos anos 1970 provavelmente vai curtir o grupo Protons, de pop rock, que esteve em atividade na primeira metade da década, gravando na RCA Victor. Eu só conhecia o grupo pelo nome por ter acompanhado o Eduardo Araújo em um dos seus discos na gravadora. Este single – mais uma colaboração especial do amigo Aderaldo, a quem agradeço – traz as músicas “Reza ao Padre Cícero” e “Copacabana Zero Hora”, ambas do Luiz Wanderley, gravadas em 1972. O grupo, segundo constatei na web, ainda gravou no ano seguinte outro single, composto por duas canções em inglês: “My Song For You” e “Performance”. Infelizmente não encontrei referências sobre a banda e seus quatro integrantes. Se você souber, escreva nos comentários. Enquanto isso, confira o single:

01 - Reza ao Padre Cícero
(Luiz Wanderley)
02 - Copacabana Zero Hora
(Luiz Wanderley)

COLABORAÇÃO: Aderaldo