Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Rosemary - Igual a ti não há ninguém (LP 1964)

Rosemary, aos 18 anos, gravou o primeiro LP pela gravadora RCA Victor
Rosemary, que sempre omite seu passado de cantora da juventude, ignorando o iê iê iê e a Jovem Guarda, comparece no blog com o seu primeiro LP, lançado em 1964 pela RCA Victor. O disco, produzido durante a fase dourada da música italiana no Brasil, se destaca pelas versões de sucessos originais da Rita Pavone, principal ídolo feminino internacional no País em meados dos anos 1960. A música que dá título ao álbum, “Come te non c'e'nessuno”, é uma delas, assim como “La partita di pallone”, “Che  m'importa del mondo”, “Il ballo del mattone” e “Cuore”. Um dos destaques é “Poema de ternura”, outra versão da italiana “Non ho l'eta per amarti”, do repertório da Gigliola Cinquetti. A curiosidade é a desconhecida “O sonho de todas as moças”, composta pelo novato Erasmo Carlos em início de carreira solo. O texto, na contracapa do disco, informa que Rosemary começou a carreira aos oito anos, e tornou-se profissional aos 14, quando gravou o primeiro disco, um 78 rpm, mas foi aos 18 que lançou este seu primeiro LP. Confira:

01 - Igual a ti não há ninguém (Come te non c'e'nessuno)
(Migliacci - Vassalo - vs: Hélio Justo)
02 - Lágrimas de tristeza
(Hélio Justo - Dayse Justo)
03 - Como sinfonia (Come sinfonia)
(Pino Donaggio - vs: Romeu Nunes)
04 - Sempre aos domingos (La partita di pallone)
(Rossi - Vianello - vs: J. Nagib)
05 - O sonho de todas as moças
(Erasmo Carlos)
06 - Vinte e quatro mil beijos (24 mila baci)
(Fulci - Viovarelli - Celentano - vs: Hélio Justo)
07 - Que me importa o mundo (Che  m'importa del mondo)
(Migliacci - Enriquez - vs: Carlos Moraes)
08 - A dança dos brotos (Il ballo del mattone)
(Verde - Canfora - vs: Hélio Justo)
09 - Ninguém como você
(Hélio Justo - Dayse Justo)
10 - O doutor do amor, menino
(José Messias)
11 - Meu coração (Cuore)
(Rossi - Mann - Weil - vs: Hélio Justo)
12 - Poema de ternura (Non ho l'eta per amarti)
(Nisa - M. Panzeri - vs: Paulo Rogério)



quinta-feira, 10 de abril de 2014

Dave MacLean - Me and you (EP 1973)

Dave MacLean obteve muito sucesso no Brasil e no exterior nos anos 1970
Este EP, lançado em 1973 pela Top Tape, marca a época em que nós, brasileiros, comprávamos gato por lebre. Ou seja, adquiríamos e ouvíamos discos de "artistas internacionais" que, na verdade, eram brasileiros com nomes de gringos. Um  dos destaques dessa safra é o cantor e compositor Dave MacLean, ex-integrante do grupo The Buttons. Por volta de 1973, ainda atuando na banda, Dave começou a gravar em inglês após receber da Rede Globo uma proposta para gravar temas de novelas. O primeiro sucesso, “Me and you”, está incluído neste compacto duplo, e fez parte da trilha da novela “Ossos do barão”. Outro grande sucesso foi “We said goodbye”, faixa do seu segundo LP solo, lançado em 1974 e já postado (aqui) no blog. Confira o post:

01 - Me and you
(John Burn’s – Joe – D. MacLean)
02 - Fool in the storm
(John Burn’s – Joe)
03 – Priscilla
(John Burn’s – Joe)
04 - It's for you
(Joe)



quarta-feira, 9 de abril de 2014

Vários artistas - O fino das paradas - Vol.4 (LP 1969)

Disco produzido em 1969 inclui artistas do cast da gravadora Chantecler
Mais uma coletânea que, com certeza, agradará muita gente. Trata-se do quarto volume da série "O Fino Das Paradas", um projeto fonográfico da Chantecler. É o único volume que disponho. O álbum traz hits de artistas como Joelma,  Demônios da Garôa, Nalva Aguiar, Giane, Reginaldo Rossi, Claudio Roberto, Rosa Miyake, José Augusto, Poly e Claudio Roberto.  Eles interpretam grandes sucessos de 1969, como “Aqueles tempos”, “Rosa Gigante”, “Você passa e eu acho graça”, “Murmura o mar”, “Sayonara, sayonara” e outros. Confira:

01 - Joelma - Aqueles tempos (Those were the days)
(Gene Reskin - vs: Fred Jorge)
02 - José Augusto - Murmura o mar (Les bruit des vagues)
(Romuald - Pascal Sevran - Serge Lebrall - vs: Flávia de Queiroz Telles)
03 - Nalva Aguiar - Morunga, morunguê
(Luiz Wanderley)
04 - Miltinho Rodrigues - Roda gigante
(Miltinho Rodrigues - Marcos Antonio)
05 - Rosa Miyake - Sayonara, sayonara
(Mike Mark - Hichidai Nakamura - vs: Os Incríveis)
06 - Giane - Não esqueço jamais (On N'Oublie Jamais)
(J.C.Massoulier - A. Popp - vs: Salatiel Coelho)
07 - Claudio Roberto - Meu coração que te amava tanto (Avevo un cuore che ti amava tanto)
(A. Salermo - Franco - Mino Reitano - vs: Antionio Marcos)
08 - Rosa Miyake - Sabiá
(Chico Buarque - Tom Jobim)
09 - Demônios da Garoa - Vila Esperança
(Adoniran  Barbosa - Marcos Cesar)
10 - Poly - Say shallom
(Martin)
11 - Reginaldo Rossi - Por um só dos seus carinhos
(Reginaldo Rossi)
12 - Demônios da Garoa - Você passa e eu acho graça
(Carlos Imperial - Ataulfo Alves)

FICHA TÉCNICA

Direção artística - Braz Baccarin
Técnico de som - Alberto Calçada


segunda-feira, 7 de abril de 2014

Carmem Silva - Samba com iê iê iê (EP 1977)

EP da Continental traz as primeiras gravações da cantora nos anos 1960
Não se deixe enganar pelo ano do lançamento deste EP em 1977 pela Continental. Trata-se, na verdade, de relançamento com os primeiros registros da Carmem Silva, ainda nos anos 1960, quando sofria pressão por parte da indústria fonográfica para gravar sambas, ritmo com o qual não se identificava e nem queria ser estigmatizada, pois preferia interpretar canções românticas. O destaque do EP é a música “Samba com iê iê iê", extraída do compacto simples de 1967, com “Tudo isso e mais” na outra face do disco. A letra defende a fusão do samba com o iê iê iê: “A mocidade está com a situação/ Ninguém derruba a Jovem Guarda não/ Tem que entrar na onda quem quiser se arrumar/ Que o samba é brasa, mora/ Tem que ser agora/ Parece que vai acontecer/ O samba namorar o iê iê iê”. E, de fato, desse namoro surgiu o samba rock.

Carmem Silva é natural de Veríssimo, no Triângulo Mineiro. Antes do sucesso artístico, foi babá e empregada doméstica. Iniciou sua carreira ainda muito jovem. Participou de vários programas de calouros. Venceu o concurso "Um Cantor por um Milhão, um Milhão por uma Canção", da Rede Record, e recebeu apoio do Silvio Santos, que chegou gravar um single com a cantora. O grande sucesso viria em 1971 com “Adeus solidão”, e a partir daí emplacou hits como "Fofurinha", "Sapequinha", "Espinho na Cama", "Fotografia", "Amor com Amor se Paga" e "Ser tua namorada", entre outras. Hoje, a cantora é evangélica e se dedica desde 2001 a música gospel, integrando o cast da gravadora Graça Music, da Igreja da Graça, do missionário R.R.Soares. Confira o EP:

01 - A parede (La pared)
(Roberto Angleró – vs: Alexandre Cirus)
02 - Beija-flor
(Nelson Cavaquinho – Noel Silva – Augusto Tomas)
03 - Samba com iê iê iê
(Jair Gonçalves)
04 - Tudo isso e mais
(José Di)


sábado, 5 de abril de 2014

Vários intérpretes - Sucesso total (LP 1986)

Coletânea privilegia gravações de artistas do cast da gravadora Copacabana
Recebi e agradeço ao amigo Werner, visitante do blog, que gentilmente me enviou por e-mail a capa e a contracapa originais do compacto simples da Marília Pêra e Rodrigo Santiago, postado no último 31 de março por ocasião dos 50 anos do golpe militar de 1964. O disco traz duas músicas da Roda Viva, peça teatral do Chico Buarque que virou símbolo da resistência contra a ditadura militar. O meu disco, comprado em sebo, está sem a capa, e logo mais vou atualizar o post com as ilustrações fornecidas pelo Werner. Valeu!!!

A postagem deste sábado é muito legal. O disco “Sucesso total”, lançado em 1986 pela Copacabana, é uma coletânea com artistas conhecidos, como Ovelha, Ângelo Máximo, Bianca, Perla, Adriano, Brazilian Genghis Khan e até o radialista Eli Correa. No entanto,  o que se destaca no disco são os desconhecidos Lay Out, Patrícia, Rosana Patsy e XKW. É muito bom, por exemplo, ouvir a releitura da Rosana Patsy para “Deixa isso pra lá”, clássico do Jair Rodrigues, e se divertir com a irreverência do grupo XKW em “Sou virgem” e da Patrícia em “Fogo no rabo”. Confira:

01 - Ovelha - Você vai voltar (Lover why)
(J.Milford - J. Stuart - J. Weysley - vs: Gambier)
02 - Lay Out - Beijo na boca
(Luiz Gonzaga Valente Ribeiro - José Fernandes Neto)
03 - Angelo Máximo - Ainda te amo (Nikita)
(Elton John - Bernie Taupin - vs: Gambier)
04 - Neil Bernardes - Lembra eu te amo (Remember I love you)
(Jim Diamond - Graham Lyle - vs: J. Oliveira)
05 - Bianca - Alguma coisa (Tempo pra sonhar)
(C. Borba Gato)
06 - Eli Correa - Despedida
(Música de José Paulo Soares - texto de Eli Correa)
07 - XKW - Sou virgem
(Frank Gal - Nepô)
08 - Patricia - Fogo no rabo
(Afonso Felicori)
09 - Rosana Patsy - Deixa isso pra lá
(Alberto Paz - Edson Menezes)
10 - Perla - Te amo demais (Still loving you)
(Rudolf Schenker - Klaus Meine - vs: Papi e Katia)
11 - Adriano - Onde está você
(Adriano)
12 - Brazilian Genghis Khan - Marco Polo (In for a Penny)
(John Moering - Jean Frankfurter - vs: Vivian C. Manso)


sexta-feira, 4 de abril de 2014

Os Eles - Às vezes se perguntam (1987)

Disco mix lançado pela Polydor traz a mesma música em ambas as faces
Depois da dupla Eles, incluída no segundo volume da coletânea “Duplas em compacto”, postada no último dia 23 de março, nada como conhecer o som da banda homônima por meio deste disco mix, lançado pela Polydor em 1987. Não sei o que você pensa sobre o disco mix, mas pra mim representa o produto de maior desperdício de matéria-prima da indústria fonográfica. Um exemplo é este disco, de 12 polegadas, que consome o mesmo volume de vinil e de papel na produção do LP, mas traz apenas uma música em ambas as faces. É ou não é desperdício de material? No caso, a música em questão é “Às vezes se perguntam”, um rock bem  típico dos anos 1980. A banda, segundo consta, surgiu em 1984 no Rio Grande do Sul, e esteve em atividade durante quatro anos, lançando dois discos. A formação original contava com Leo Henkin, Leandro Branchtein, Darwin Gerzson e os irmãos Régis e Dannie Dubin. Confira:

01 - Às vezes se perguntam
(Leandro – Dannie – Alceu)


quinta-feira, 3 de abril de 2014

Erwin Wiener - Os grandes sucessos do ano

Grandes sucessos de 1967 e 1968 são executados por Erwin Wiener e conjunto
Post reúne músicas de dois EPs comemorativos aos 70 anos da Duas Âncoras
Parquetina, Cito, Pox, Duas Âncoras, Sacy, Anco-Raz, Alvolina e Goma Camelo. Essas marcas, nos anos 1960, são do portfólio da Cia. Química Duas Âncoras, indústria de produtos de limpeza fundada em 1898. Em 1967, quando se preparava para as comemorações do 70º aniversário, a empresa patrocinou o EP “Os grandes sucessos do ano”, executados pelo pianista Erwin Wiener. A dose, durante o festejo, foi repetida no ano seguinte com mais um compacto duplo, provavelmente distribuído em promoção que desconheço detalhes. As oito músicas do primeiro EP foram incluídas em quatro faixas no formato de pout-pourri. O segundo, por sua vez, tem oito faixas, incluindo o mesmo jingle instrumental da marca Parquetina, que abre o lado A e encerra o B.

Achei interessante reunir os dois discos nesta coletânea. As faixas do pout-pourri foram separadas, de forma que o post, sem repetir o jingle, passa a ter 15 faixas. São sucessos nacionais e internacionais executados  pelo músico de origem tcheca radicado no Brasil. Não encontrei referências pessoais do artista, mas constatei na rede que possui ampla discografia, iniciada em 1948, com cerca de 50 discos gravados de todos os formatos até o início dos anos 1980. Com seu piano, Erwin não só gravou temas nacionais e internacionais para o mercado comercial, mas também para fins promocionais de outras empresas, como L’Oreal de Paris, Cibramar, Ray-o-vac, Isopor  e outras. Confira:

01 - A praça
(Carlos Imperial)
02 - A banda
(Chico Buarque)
03 - Un homme et une femme
(Francis Lai – Pierre Barouh)
04 - Glass bottom boat
(Joe Rubin)
05 - Pulga espanhola
(Julius Wechter)
06 - Tijuana taxi
(Bud Coleman)
07 - The shadow of your smile
(J. Mendel – Paul F. Webster)
08 – Esqueça (Forget him)
(Mark Anthony)
09 - Quando m'innamoro
(D. Pace – M. Panzeri – R. Livraghi)
10 - Soy loco por ti, America
(Gilberto Gil – Torquato Neto – Capinan)
11 - Canzone per te
(Sérgio Endrigo – Bardotti)
12 - La tramontana
(D. Pace – M.Panzeri)
13 - Alegria, alegria
(Caetano Veloso)
14 - Washington square
(Bob Goldstein – David Shire)
15 - Jingle Parquetina



quarta-feira, 2 de abril de 2014

Vanusa - Mudanças (ao vivo no Inverno & Verão)

LP foi gravado em março de 1986 durante temporada da cantora na casa noturna
O Inverno & Verão, badalada casa noturna que operou no bairro de Moema, em São Paulo, nos anos 1980, foi o palco para a gravação ao vivo deste álbum da Vanusa em março de 1986. O disco foi adquirido no próprio estabelecimento durante a temporada da cantora no local. Posteriormente, em escala comercial, foi lançado pela RGE dentro da série “A arte do espetáculo ao vivo”, mas sem o título “Mudanças”. Trata-se do único LP ao vivo da Vanusa, e se destaca pela inclusão de grandes sucessos da cantora, como “Paralelas” e “Mudanças”, e de terceiros, como “Aprendendo a jogar” (Elis Regina) e “Bilhete” (Fafá de Belém), por exemplo. Um dos destaques é o pout-pourri com três músicas dos Beatles: “Yesterday”, “Eleonor Rigbi” e “Day tripper”. Confira:

01 - Mensagem
(Aldo Cabral - Cicero Nunes)
 Manhãs de setembro
(Vanusa - Mário Campanha)
 Paralelas
(Belchior)
02 - Aprendendo a jogar
(Guilherme Arantes)
03 - Um dia de domingo
(Michael Sullivan - Paulo Massadas)
04 - Yesterday
(Lennon - McCartney)
 Eleonor Rigbi 
(Lennon - McCartney)
 Day tripper
(Lennon - McCartney)
05 - Mudanças
(Sérgio Sá - Vanusa)
06 - Bilhete
(Ivan Lins - Victor Martins)
07 - Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rollings Stones
(Migliacci - Lusini - vs: Os Incríveis)
08 - Felicidade
(Lupicinio Rodrigues)
09 - Súplica cearense
(Gordurinha)

FICHA TÉCNICA

Produtor fonográfico – Inverno & Verão
Coordenação de produção – W. Rodrigues Poso
Equipe técnica – Móbile Gravações ao Vivo
Equipamento – Egídio Conde
Engenheiro de som e mixagem – Élcio Alvares P. Filho
Assistentes – Waltinho e Dalton
Músicos:
Guitarra e vocal – Mauro Seal
Teclados – Homero Lotito
Bateria – Carlos Belem
Baixo e vocal – Amador Bueno
Arranjo – Suplica Cearense (Mauro Seal)
Bilhete (Antonio Adolfo)
Foto – Wallace/Foto Capital
Gravado ao vivo no Inverno & Verão em março de 1986 



terça-feira, 1 de abril de 2014

Os Carbonos - 12 Super Sucessos (LP 1971)

Álbum d'Os Carbonos, lançado pela Beverly, se destaca por ser instrumental
Este álbum d’Os Carbonos não é novidade na rede, pois já o vi disponível em outros blogs, mas achei que poderia postá-lo porque o meu exemplar está em bom estado e a qualidade do áudio é ótima. Lançado pela Beverly em 1971, o disco é praticamente instrumental, com uma ou outra intervenção vocal, mostrando o enorme talento dos músicos envolvidos. O repertório é constituído de sucessos nacionais e internacionais da época, como “O Cafona” (da novela do mesmo nome), “Você também é responsável” (hit do Dom e Ravel), “Have you ever seen the rain” (do Creedence Clearwater Revival), “Menina da Ladeira” (do João Só) e outras. Confira:

01 - I Play And Sing 
(I. Levine - L. Russell Brown)
02 - Me And You And a Dog Named Boo 
 (K. Lavoie)
03 - O Cafona 
 (Marcos Valle - Paulo Sergio Valle)
04 - My Little One 
 (Campbell - McAleese)
05 - Dream Baby (How Long Must I Dream) 
 (Cindy Walker)
06 - Scaba Badi Bidu (Regay) 
 (Donald - Alex McCluskey - Monsegur)
07 - Menina da Ladeira
 (João Só)
08 - Funny Funny 
 (Chinn - Chapman)
09 - Have You Ever Seen The Rain 
 (John Fogerty)
10 - Você Também É Responsável 
 (Dom - Ravel)
11 - What Is Life 
 (George Harrison)
12 - Arrebita 
 (Adpt. Roberto Leal)



segunda-feira, 31 de março de 2014

Marília Pêra e Rodrigo Santiago - Sem fantasia (1968)

Marília Pêra e Rodrigo Santiago interpretam músicas da peça Roda Viva

Hoje, 31 de março de 2014, completa 50 anos do golpe militar que culminou com a ditadura no Brasil. O Ato Institucional nº 5, o AI-5, baixado em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do general Costa e Silva, foi a expressão mais acabada da ditadura militar brasileira (1964-1985). Vigorou até dezembro de 1978 e produziu um elenco de ações arbitrárias de efeitos duradouros. Definiu o momento mais duro do regime, dando poder de exceção aos governantes para punir arbitrariamente os que fossem inimigos do regime ou como tal considerados. Pra lembrar a data, vou postar este compacto simples da RCA Victor com Marília Pêra e Rodrigo Santiago interpretando duas músicas da peça Roda Viva, escrita por Chico Buarque no final de 1967. A peça estreou no Rio de Janeiro no início de 1968 sob a direção de José Celso Martinez Corrêa. Foi a primeira incursão de Chico Buarque na área da dramaturgia.

Na estreia, fizeram parte do elenco Marieta Severo, Heleno Prestes e Antônio Pedro, nos papéis principais, e a temporada foi considerada um sucesso. Durante a segunda temporada, com Marília Pêra, André Valli e Rodrigo Santiago substituindo o elenco original, a obra virou um símbolo da resistência contra a ditadura militar depois que um grupo, de dezenas de pessoas do Comando de Caça aos Comunistas (CCC), invadiu em julho de 1968 o Teatro Ruth Escobar, em São Paulo. Artistas foram espancados e o cenário acabou depredado. Em setembro do mesmo ano a peça foi pro Rio Grande do Sul, mas a violência se repetiu e o espetáculo foi proibido pela censura. O espetáculo conta a história de um cantor que decide mudar de nome para agradar ao público, mas o que marcou a peça foi a sua agressividade proposital com o intuito de chocar o público para os problemas que cercavam o país na época. Confira o disco:

01 - Sem fantasia
(Chico Buarque)
02 - Monólogo da roda viva
(Chico Buarque)

Observação: Agradecimento ao R. Werner pelo fornecimento das ilustrações da capa e contracapa do disco

sexta-feira, 28 de março de 2014

Duas vozes... quatro sonhos (EP s/d)

Otavio Luiz canta no lado A, e Ireno Hansen no B deste compacto duplo
Este é mais um daqueles compactos sobre os quais não tenho informações, salvo pelos dados que se encontram disponíveis no disco. Pra começar, o EP é do desconhecido selo Disc-Joia-Disc, e não informa o ano do lançamento,  mas destaca no texto da contracapa que “este compacto é um lançamento que visa proporcionar ao público discófilo a revelação de novos valores e melodias inéditas. Assim é que nesta gravação aparecem, de um lado, Otavio Luiz interpretando duas músicas de sua autoria: "Encontrei o amor" (samba) e “Um amor para os braços meus” (alegre canção). No verso, duas interpretações de Ireno Hansen: “Triste aventura” (bolero mambo), de José Prestes da Silveira, e “Solidão” (bolero), de José Prestes da Silveira e W. Prestes Miramontes. Os arranjos e acompanhamentos estão a cargo de Osmar Milani e sua orquestra”. Confira:

01 - Otávio Luiz - Encontrei o amor
(Otávio Luiz)
02 - Otávio Luiz - Um amor para os braços meus
(Otávio Luiz)
03 - Ireno Hansen - Triste aventura
(José Prestes da Silveira)
04 - Ireno Hansen – Solidão
(José Prestes da Silveira - W. Prestes Miramontes)



quinta-feira, 27 de março de 2014

Ronnie Aldrich and his two pianos - Love story

Ronniel Aldrich e seus dois pianos em grandes sucessos do início dos anos 1970
Um bom disco instrumental é este do Ronnie Aldrich e seus dois pianos. O álbum, lançado no Brasil em 1971 pela London (EMI-Odeon), inclui sucessos da época, como “My sweet lord”, “Rose garden”, “It's impossible”, “Theme from Love Story” e outros. Infelizmente, o meu exemplar não está muito bem conservado, e alguns chiados são perceptíveis no áudio, apesar da edição. Mesmo assim, é prazeroso ouvi-lo. Segundo o Wikipedia, o músico nasceu em 15 de fevereiro de 1916 em Erith, no condado de Kent, na Inglaterra, e faleceu em 30 de setembro de 1993, na ilha de Man. Foi pianista de jazz, regente, compositor e fez arranjos musicais. Começou a tocar piano aos três anos, e ensinou violino em Guildhall School.

Antes da Segunda Guerra Mundial, Aldrich foi para a Índia tocar jazz e ganhou fama nos anos 1940 como líder do The Squadronaires, até que foi dissolvido em 1964. Ronald Frank Aldrich, seu nome de batismo, foi notável ao desenvolver estas gravações tocando dois pianos pra série Decca Phase 4 Stereo. Ele gravou para a Decca Record Company, nos anos 1960 e 1970, mudando para Seaward Ltd (sua própria companhia) licenciada para a EMI nos anos 1980. Ele possui amplo currículo que inclui o cargo de diretor musical da Thames Television. Por isso, ficou conhecido também como o diretor musical do programa de televisão The Benny Hill Show. Ele morreu de câncer de próstata aos 77 anos. Confira o disco:

01 - It's impossible
(Manzanero)
02 - Rose garden
(Joe South)
03 - My sweet lord
(George Harrison)
04 - Mr. Bojangles
(Jerry Jeff Walker)
05 – Woodstock
(Mitchell)
06 - I think I love you/
(Tony Romero)
07 - Amazing Grace
(Trad. Arr. De Aldrich)
08 - What is life
(George Harrison)
09 - Theme from Love Story
(Francis Lai – Carl Sigman)
10 – Candida
(T.Wine – I.Levine)
11 - El condor pasa
(Daniel A. Rables – arr. De Milchberg)
12 – Togetherness
(Aldrich)


quarta-feira, 26 de março de 2014

Doris & Marlene - As jovens de Blumenau (EP 1973)

Doris & Marlene representaram Santa Catarina no programa do Chacrinha
O que escrever sobre este EP de 1973? Pra responder, vou reproduzir o texto, assinado por Eurico J. Harbs, na contracapa do disco: “Doris & Marlene, as jovens de Blumenau, apresentam neste compacto músicas com uma interpretação característica que as tornou famosas no sul do País. Apresentam-se desde sua infância em programas de rádio, televisão, festas e restaurantes típicos. Já representaram com sucesso o estado catarinense no programa do Chacrinha na TV Globo. Suas belas músicas são apresentadas em dois idiomas: português e alemão. Seu dueto vocal é de rara perfeição e as torna dignas de figurar em qualquer discoteca selecionada”. As faixas em português são o clássico "Carinhoso" e a curiosa “Matando aos poucos com sua canção”, versão de “Killing me sofly with his song”, sucesso original da Roberta Flack. Confira:

01 – Carinhoso
(João de Barro – Pixinguinha)
02 - Der junge mit der mundharmonika
(Arbex – Orloff)
03 - Ich hab die liebe gesehn
(Theodorakis – Arnie)
04 - Matando aos poucos com sua canção (Killing me sofly with his song)
(Norman Gimbel – Charles Fox – vs: Nazareno de Brito)

FICHA TÉCNICA

Arranjos musicais – Werner Arnold
Gaita de boca – Mario Giese
Piano – Rubens Giese
Guitarra-base – Nacasio dos Santos
Bateria – Aristides Silva
Violão – Pedro Bove
Diretor de produção – Diogo Ávila
Colaboração – Egon Gropp de Blumenau e Lions Clube de Pomerode
Gravação – Arthur H. Krämer


terça-feira, 25 de março de 2014

Elliot - Louco amor (LP Fermata 1988)

Elliot - o Dino, da dupla com Deny - gravou este LP em 1988 pela Fermata
Os fãs da Jovem Guarda devem conhecer o Elliot. Ele é o terceiro “Dino”, da dupla Deny & Dino, substituindo Décio Scarpelli e Gilberto Gonçalves Pereira, falecidos em 1994 e 1996, respectivamente. Elio de Souza Reis, o Elliot, nasceu em 2 de outubro de 1951 em Presidente Prudente (SP), e assumiu parceria com Deny em 1996. Fizeram várias apresentações, inclusive nas comemorações dos 40 anos da Jovem Guarda, mas gravaram juntos apenas uma música, “Asa delta”, incluída no CD "Rockomodo". Em 2012, a dupla chegou definitivamente ao fim, e cada um segue carreira solo. Pra Elliot, que tem na discografia um CD com sucessos da Jovem Guarda, não é novidade porque antes de se unir a Deny, tinha a própria carreira, como comprova este “Louco amor”, dirigido pelo Jessé e lançado em 1988 pela Fermata. Confira:

01 - Louco amor
(Lula Barbosa)
02 – Caminhada
(Moreira Azevedo)
03 - Só Deus
(Nivaldo D’Avila – Elliot)
04 - Selva de sonhos
(Nivaldo D’Avila – Elliot)
05 - Sinto muito
(Nivaldo D’Avila – Elliot)
06 - Ama-me
(Nivaldo D’Avila – Elliot)
07 – Reencontro
(Jessé)
08 - Romance encantado
(Fábio Sima – Elliot)
09 - Alguém na multidão
(Nivaldo D’Avila – Elliot)
10 - Eu pensei
(Robson Sá)

FICHA TÉCNICA

Produtor – Fermata Indústria Fonográfica Ltda
Direção artística, produção e arranjos – Jessé
Produção executiva – Giovane
Gravado e mixado no Estúdio Federal – SP
Mixagem – Jessé
Fotos – Archanjo
Figurino - Dirlene



segunda-feira, 24 de março de 2014

Ana Paula - As batidas do meu coração

Postagem reúne músicas de três singles gravados pela Ana Paula na RGE
A presente postagem traz músicas de três compactos simples gravados pela Ana Paula na RGE entre 1971 e 1973. Não tenho o que escrever sobre a cantora  porque nada encontrei na rede e nem posso informar se tem outros discos gravados. O fato é que o single com “ As batidas do meu coração”, uma versão de “Knock three times”, teve razoável repercussão em São Paulo, e a motivou a gravar os outros compactos. O interessante é que a artista, influenciada pela Jovem Guarda, lembra a Martinha nas músicas românticas e recorda a Elizabeth no samba rock “A saudade vai chegar”. Confira:

01 - As batidas do meu coração (Knock three times) - 1971
(Levine - Brown - vs: Bob McKay)
02 - Um mar de rosas (Rose garden) - 1971
(J. Santa - vs: Bob McKay)
03 - A saudade vai chegar - 1972
(Plinio Ricardo - Ana Paula - John King)
04 - O que restou de mim - 1972
(Plinio Ricardo - Ana Paula - John King)
05 - Aconteceu - 1973
(Plinio Ricardo - Ana Paula - John King)
06 - Entre as ilusões - 1973
(Ana Paula - Marcelo Duran - John King)