Pesquisar este blog

sábado, 18 de agosto de 2018

Eduardo Araújo - O bom - Vol. 2 - Alta tensão (LP 1967)

 Segundo álbum do Eduardo Araújo foi produzido pela Odeon em 1967
Este é o segundo álbum da carreira do cantor e compositor Eduardo Araújo, um dos pioneiros do rock no Brasil. O disco, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, é uma sequência do primeiro LP, “O bom”, daí o título de segundo volume, com o acréscimo do subtítulo “Alta tensão”, nome da música que abre o álbum. Ainda no apogeu da Jovem Guarda, período em que comandou um programa para jovens na extinta TV Excelsior, o cantor já demonstra sua inquietação por novos rumos musicais, especialmente pela faixa “Com caipira não se brinca”, na qual mistura rock com xaxado. Sem a mesma repercussão que o primeiro álbum, que trouxe sucessos como “Vem quente que estou fervendo”, “Goiabão”, “Viva o divórcio”, “Faz só um mês” e, é claro, “O bom”, além da romântica “O mundo a teus pés”, este disco também merece ser curtido. Confira:

01 - Alta tensão 
(Chil Deberto - Eduardo Araújo)
02 - Me dê um beijo meu bem 
(Chil Deberto)
03 - Com caipira não se brinca 
(Chil Deberto - Eduardo Araújo)
04 - Combustão lenta 
(Chil Deberto - Eduardo Araújo)
05 - O marionete 
(Chil Deberto - Eduardo Araújo)
06 - A velhinha transviada 
(Eduardo Araújo)
07 - Quem é que passa 
(Carlos Cruz - Fernando César)
08 - Teimosa 
(Chil Deberto - Eduardo Araújo)
09 - Vem comigo 
(Miranda Mayo)
10 - Seu olhar 
(Chil Deberto)
11 - A minha vez de negar (A whiter shade of pale) 
(Reld - Brooker)
12 - Se eu gosto de você, e você gosta de mim 
(Chil Deberto)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Sal Mineo - Down By The Riverside (LP 1958)

Ator do filme "Juventude transviada" também obteve sucesso no disco
Depois do enorme sucesso com o filme “Juventude transviada” (“Rebel without a cause”), estrelado em 1955 por James Dean, no qual interpretou Plato, um dos primeiros adolescentes gays do cinema, que lhe rendeu uma indicação ao Oscar como melhor ator coadjuvante, Sal Mineo fez uma breve incursão na música pop, gravando vários discos, com destaque para este LP. O disco, lançado em 1958, foi enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração. A passagem do ator pelo vinil foi bem sucedida, e um dos seus singles, "Start Movin'", alcançou a nona posição na Billboard's pop. Segundo a Wikipedia, ele vendeu mais de um milhão de cópias, e foi premiado com um disco de ouro.

Salvatore “Sal” Mineo Jr. nasceu no Bronx, filho de imigrantes italianos, em 10 de janeiro de 1939, nos Estados Unidos. Desde criança estudava dança e teatro. Em 1951 apareceu pela primeira vez nos palcos em “The Rose Tattoo”, na Broadway, baseado na obra de Tennessee Williams. Também trabalhou ao lado do ator Yul Brynner como o jovem príncipe do musical “O Rei e Eu”. A partir de 1951, começou a aparecer também na televisão, antes de fazer sua estreia no cinema em 1955, no filme “Pevney Joseph Six Bridges to Cross”, onde derrotou Clint Eastwood para ficar com o papel. Seu primeiro grande sucesso veio no mesmo ano em "Juventude Transviada". Até o final dos anos 1950 o ator era uma celebridade, por vezes referido como o "Switchblade Kid", um apelido que ganhou de seu papel como um criminoso no filme “Crime nas Ruas” ("Crime in the streets"), produzido em 1956.

Outro papel importante em sua carreira foi como o baterista Gene Krupa, no filme “The Gene Krupa Story” (foto ao lado), produzido em 1959, sendo que em 1960 estrelou "Exodus", como um imigrante judeu, pelo qual ganhou um Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante, e recebeu pela segunda vez uma indicação ao Oscar como melhor ator coadjuvante. A carreira, que inclui direção em peças no teatro, começou a declinar após revelar sua bissexualidade no início dos anos 1960. Foi um dos primeiros atores a assumir o fato publicamente, e sua última aparição no cinema foi no filme “Fuga do planeta dos macacos”, o terceiro da série, em 1971, no papel de Milo. O artista morreu aos 37 anos de forma trágica, assassinado com uma facada no peito, em 12 de fevereiro de 1976, quando chegava em casa em West Hollywood, Califórnia, após um ensaio, vitima de assalto, e será sempre lembrado pela sua atuação no cinema. Confira o cantor:

01 - Too young
(Dee - Lippman)
02 - My bride
(Ackerman - H. Stevens)
03 - Not tomorrow but tonight
(Singer - Baderak)
04 - The words that I whisper
(G. Rich)
05 - Blue-eyed baby
(Shayne)
06 - Tattoo
(Rotfeld)
07 - Now and for always
(R. Alfred)
08 - Down by the riverside
(D. Jordan)
09 - Secret doorway (From "Rebel without a cause")
(Discant - Rosenman)
10 - Oh Marie
(Barlow)
11 - Deep devotion
(N. Sherman - H. Miller - Berger)
12 - Baby face
(B. Davis - Akst)

COLABORAÇÃO: Laércio



quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Aretha Franklin - Respect (CS 1967)

Cantora ganhou dois prêmios Grammy com o disco que a projetou no exterior
Quis o destino que justamente hoje, quando completa 41 anos da morte do rei do rock, Elvis Presley, fosse também o dia de nos despedirmos da rainha do soul, Aretha Franklin, aos 76 anos. Enferma desde 2010, a cantora faleceu devido ao "câncer de pâncreas em estágio avançado", segundo comunicado divulgado para a imprensa, citando o médico de Aretha. Ela deixa quatro filhos. Apesar da enfermidade, a artista se apresentou em novembro de 2017 em um evento da Fundação Elton John contra a Aids em Nova York, nos Estados Unidos. Segundo consta, seu último show solo aconteceu na Filadélfia, em agosto de 2017.

Aretha Louise Franklin nasceu em Memphis, no estado americano do Tennessee, em 25 de março de 1942. Ela gravou seus primeiros discos aos 14 anos na igreja de seu pai, Clarence LaVaughn Franklin, um pastor batista. Começou a carreira como estrela gospel, mas em menos de uma década se tornou grande nome do R&B americano. Só parou de produzir quando sua saúde a obrigou. Ao todo, foram 42 álbuns de estúdio, 6 discos ao vivo, 45 coletâneas e 131 singles, com destaque para este compacto simples, lançado em 1967 pelo selo Atlantic.

O disco, postado em sua homenagem, traz a música “Respect”, uma dinâmica releitura da canção de Otis Redding, que Aretha transformou num hino político e feminista. Na versão original, um homem exige o respeito de sua esposa, por ser ele quem sustenta a família. Mas a cantora, em sua releitura gravada no dia de São Valentim de 1967, elimina esse esquema tradicional, colocando as palavras na boca de uma mulher forte e dinâmica. Com este grande sucesso, ganhou os dois primeiros de seus 18 prêmios Grammy, dando-lhe projeção internacional. A revista Rolling Stone coroou “Respect” como a quinta melhor canção "de todos os tempos" em uma lista de sucessos publicada em 2004, na qual a cantora aparecia atrás apenas de Bob Dylan, Rolling Stones, John Lennon e Marvin Gaye. Confira:

01 - Respect
(Otis Redding)
02 - Do Right Woman - Do Right Man
(Penn - Moman)



Elvis Presley Sings The Blues (CD 1984)

 Álbum lançado na Alemanha resgata principais blues interpretados por Elvis
Há exatos 41 anos, mais precisamente em 16 de agosto de 1977, o rock ficou de luto com a morte do Elvis Presley, aos 42 anos. Em sua homenagem, apresento este “Elvis sings the blues”, álbum com capa envelhecida lançado em 1984 na Alemanha, no qual mostra que, além do rock, o cantor era também um excelente intérprete de blues. A lembrança de sua morte coincide com a estreia nesta quinta-feira do documentário original da HBO “Elvis Presley: The Searcher", abrindo a Temporada de Documentários 2018. São dois episódios que mergulham na vida do rei do rock por meio de depoimentos inéditos de pessoas que o conheceram bem e foram profundamente influenciadas por ele. Confira o disco:

01 - When It Rains It Really Pours
(William Robert Emerson)
02 - New Orleans
(Sid Tepper - Roy C. Bennett)
03 - It Feels So Right
(Fred Wise - Ben Weisman)
04 - A Mess Of Blues
(Doc Pomis - Mort Shuman)
05 - Like A Baby
(Jesse Stone)
06 - Reconsider Baby
(Lowell Fulson)
07 - I Feel So Bad
(Chuck Willis)
08 - Give Me The Right
(Fred Wise - Norman Blagman)
09 - Beach Boy Blues
(Sid Tepper - Roy C. Bennett)
10 - Big Boss Man
(Smith - Dixon)
11 - Stranger In My Own Home Town
(P. Maufield)
12 - Power Of My Love
(Giant - Baum - Kaye)
13 - My Babe
(W. Dixon)
14 - Got My Mojo Working
(Preston - Foster)
15 - Steamroller Blues
(James Taylor)



quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Vários artistas - 14 sucessos de ouro - vol. 4 (LP 1963)

 Grandes sucessos da época estão reunidos neste LP produzido pela RGE
No início dos anos 1960, quando a CBS/Columbia lançou a famosa série “As 14 Mais”, coletânea com os principais lançamentos da marca, as demais gravadoras encontraram a oportunidade de investir nesse mesmo filão, com destaque para a popular “14 Maiorais”, da Copacabana. Essas compilações agradavam o discófilo porque, além de oferecer canções em evidência, também se destacavam porque traziam duas faixas a mais em relação aos LPs tradicionais, com 12 músicas. A RGE explorou esse segmento com sua série “14 Sucessos de Ouro”, hoje muito rara no mercado, tanto que eu só tenho o oitavo volume, lançado em 1967 e postado aqui. Este é o quarto da série, de 1963, que eu nem conhecia, e agradeço ao amigo Geraldo por enviá-lo. Confira:

01 - Miltinho - Distância
(Raul Sampaio - Benil Santos)
02 - The Andrews Sisters - Sukiyaki
(Ei Rohusuke - Nakamura Hachidai)
03 - Paulinho Nogueira - Garota De Ipanema
(Tom Jobim - Vinicius de Moraes)
04 - Oslain Galvão - Sabe Deus (Sabra Dios)
(Alvaro Carrillo - vs: Nely B. Pinto)
05 - Lawrence Welk e Sua Orquestra - Blame It On The Bossa Nova 
(Ensinando Bossa Nova)
(Cynthia Weil - Barry Mann)
06 - Rosana Toledo - Tudo de Mim
(Evaldo Gouveia - Jair Amorim)
07 - George Freedman - Eu Hei de Seguir (I'll follow him-Chariot)
(J.W. Stole - Del Roma - vs: Fred Jorge)
08 - Alda Perdigão - Doce Amargura (Ti Guardero Nel Cuore)
(Ortolani - Nino Oliviero - vs: Nazareno de Brito)
09 - Bienvenido Granda - Soñar Contigo (Sonhar Contigo)
(Adilson Ramos - Armelindo Leandro - vs: Johnny Quiros)
10 - Billy Vaughn - Bonanza
(Jay Livingston - Ray Evans)
11 - Miguel Angelo - Prova De Amor
(Raul Sampaio - Benil Santos)
12 - The Bells - Apache
(Jerry Lordan)
13 - Raul Sampaio - O Tempo Te Dirá
(Irmãos Orlando - Guido Magalhães)
14 - Ubirajara e Orquestra Metais Dourados - El Relicario
(J. Padilla - Oliveros e Castelvi)


COLABORAÇÃO: Geraldo



terça-feira, 14 de agosto de 2018

Trilha sonora original do filme Gabriela (CD 1990)

 Trilha sonora do filme de 1983 traz repertório assinado por Tom Jobim
Quem gosta de cinema e de trilha sonora de filmes vai se deliciar com esta do filme “Gabriela”, dirigido por Bruno Barreto e baseado no livro “Gabriela, Cravo e Canela”, de Jorge Amado. O repertório é inteiramente assinado pelo mestre Tom Jobim, que também participa da trilha ao lado da Gal Costa. A possibilidade de postá-la se deve ao amigo Roberto de Brito, a quem agradeço pela colaboração. O cenário do filme é a Bahia e se destaca pelo elenco capitaneado pela Sonia Braga e Marcello Mastroianni nos principais papéis.

Em 1925, uma retirante chamada Gabriela (Sônia Braga) chega a Ilhéus, fugindo de uma das maiores secas da história do Nordeste. Com sua beleza e sensualidade, ela conquista a todos os homens da cidade, especialmente Nacib (Marcello Mastroianni), o proprietário do bar mais popular da região. Gabriela vai trabalhar para Nacib e os dois iniciam um relacionamento que fica tão intenso que eles acabam por se casar. Porém, tudo muda quando Gabriela o trai com Tonico Bastos (Antônio Cantafora), o maior mulherengo e conquistador da cidade. Paralelamente, um "coronel" vai ser julgado por ter matado sua mulher com o amante. Os outros "coronéis" acham que ele tem de ser inocentado, pois houve um forte motivo para o crime, mas os tempos mudaram e determinados conceitos do passado acabam por cair. O filme, lançado em 1983, foi gravado em Paraty, no Rio de Janeiro, e em Garopaba, em Santa Catarina, sendo que a reedição da trilha em CD pela RCA Victor é de 1990. Confira:

01 - Chegada Dos Retirantes
02 - Gal Costa e Tom Jobim - Tema de Amor de Gabriela
03 - Pulando Carniça
04 - Pensando Na Vida
05 - Tom Jobim e Gal Costa - Casorio
06 - Gal Costa - Origens
07 - Ataque Dos Jagunços
08 - Tom Jobim - Caminho Da Mata
09 - Ilheus
10 - Gal Costa e Tom Jobim - Tema de Amor de Gabriela (Versão Completa)

Todas as músicas são de Tom Jobim

COLABORAÇÃO: Roberto de Brito


segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Ângelo Antonio & As Menininhas - Um novo sol

 Álbum do cantor, compositor e ator foi lançado em 1970 pela gravadora CID
Hoje temos mais um raro álbum do Ângelo Antonio, desta vez acompanhado com As Menininhas, com quem fez sucesso com a música “Ovo de codorna”, famosa também pela interpretação do Luiz Gonzaga. O LP, lançado em 1970 pela CID, foi enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. O cantor e compositor, já falecido, também fez sucesso como ator, e participou de vários filmes e telenovelas, com destaque para “O primeiro amor”, de Walter Negrão, exibida em 1972 pela Rede Globo. Confira:

01 - Pot-pourri:
Deixa andar
(Jujuba)
Maracangalha
(Dorival Caymmi)
Jarro da saudade
(D. Barbosa – Mirabeau – G. Blota)
Uma vida
(D. Salvador – A. Medeiros)
02 - Tiririca
(Edson – Aluisio)
03 - Um conto e um canudo
(A. Nunes – C. Diniz)
04 - Um novo sol
(A. Antonio – C. Imperial)
05 - Boko moko
(D. Ferreira – A. Antonio)
06 - Antiga namorada
(A. Antonio)
07 - Mariazinha
(Edson – Aluisio)
08 - Severino Jequié
(Chico Anisio – A. Rodrigues)
09 - Namoradinha
(A. Antonio – J. Américo)
10 - Por causa dela (Part. especial de Dila)
(A. Antonio – N. Motta) 
11 - Cantiga de roda
(A. Antonio – D. Ferreira)
12 - Ah! Se eu pudesse
(Roberto Carlos – Erasmo Carlos)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


domingo, 12 de agosto de 2018

Mano a Mano - Pedindo amor (LP 1992)

Primeiro LP dos irmãos Mauro e Maurício Gasperini foi produzido pela WEA
Este é o primeiro álbum da dupla Mano a Mano, formada pelos irmãos Mauro Gasperini e Maurício Gasperini, ex-integrantes da banda Rádio Táxi. O disco, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, foi lançado em 1992 pela WEA, teve boa receptividade, e ganhou até uma edição em espanhol. Os irmãos iniciaram a carreira desde pequenos, cantando e tocando em casa junto com sua família, e depois participaram separados num concurso musical de escola. Fizeram parte da banda da Rita Lee, e chegaram a acompanhá-la em shows na Europa. Maurício, inclusive, gravou um álbum solo, lançado em 1981 pela CBS/Sony e postado aqui. A dupla gravou mais de 7 discos, com destaque para o tema de abertura da novela “Bela, a feia”, da Rede Record, com a participação do Roger, da banda Ultraje a Rigor. Confira este:

01 - Pedindo Amor  
(Mauro - Maurício Gasperini)
02 - Continua A Chover  
(Mauro - Maurício Gasperini)
03 - É De Manhã  
(Mauro - Maurício Gasperini)
04 - Água De Rio  
(Maurício Gasperini - César Versiane)
05 - Prisão  
(Mauro - Maurício Gasperini)
06 - Teu Colibri  
(Paulo Debétio - Paulinho Resende)
07 - Butterfly  
(Paulo Debétio - Paulinho Resende)
08 - Errado Ou Certo  
(Mauro - Maurício Gasperin)
09 - Brilhar  
(Mauro - Maurício Gasperini)
10 - Te Amo Demais  
(Mauro - Maurício Gasperini - Lee Marcucci)
11 - Dentro De Nós  
(Mauro - Maurício Gasperini)


COLABORAÇÃO: Laércio


sábado, 11 de agosto de 2018

Almir Bezerra - Ritmo do coração - Volume II (LP 1987)

 Segundo volume da série de três resgata clássicos da MPB em forma de pot-pourri
Depois do primeiro volume, postado aqui, o ex-vocalista do grupo The Fevers, Almir Bezerra, entrou novamente no estúdio em 1987 para gravar este segundo. A ideia do projeto "Ritmo do coração" é resgatar clássicos da nossa música e apresentá-los em releituras pop rock, mais comercial, sem o romantismo e a dramaticidade das interpretações originais. O projeto deu tão certo que no ano seguinte ainda lançou o terceiro e último volume da série. Neste disco, com 10 faixas, todas no formato de pot-pourri, Almir escolheu canções como “Ouça” e “Meu mundo caiu” (sucesso da Maysa), “Marina” e “Nem eu” (Dorival Caymmi) e até duas do Vicente Celestino, “O ébrio” e “Coração materno”, entre outras. Confira:

01 - Esta noite eu queria que o mundo acabasse
(Silvio Lima)
Quem é
(Silvio Lima - Maurício Lopes)
02 - Balada triste
(Dalton Vogeler - Esdras Silva)
Manhã de carnaval
(Luis Bonfá - Antonio Maria)
03 - Molambo
(Jayme Florencio - Augusto Mesquita)
Fim de noite
(Chico Feitosa - Ronaldo Boscoli)
Devaneio
(Djalma Ferreira - Luis Antonio)
04 - Ternura antiga
(J. Ribamar - Dolores Duran)
Poema
(Fernando Dias)
05 - Segredo
(Herivelto Martins - Marino Pinto)
Tudo acabado
(J. Piedade - Oswaldo de Oliveira Martins)
06 - Noite cheia de estrelas
(Candido das Neves)
Coração materno
(Vicente Celestino)
O ébrio
(Vicente Celestino)
07 - Ouça
(Maysa)
Meu mundo caiu
(Maysa)
08 - Marina
(Dorival Caymmi)
Nem eu
(Dorival Caymmi)
09 - Mágoas de caboclo
(Leonel Azevedo - J. Cascata)
Sertaneja 
(René Bittencourt)
Amigo leal
(Benedito Lacerda - Aldo Cabral)
10 - Nono mandamento
(René Bittencourt - Raul Sampaio)
Lama
(Aylce Chaves - Paulo Marques)



sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Trilha sonora do filme Pretty Baby (LP 1978)

Trilha de Pretty Baby, primeiro filme de Louis Malle nos EUA, foi indicada ao Oscar 
Ao ver o pedido do internauta Marcelo Francisco pelo álbum com a trilha sonora do filme “Pretty Baby” ("Menina Bonita", no Brasil), o nosso amigo Roberto de Brito, a quem agradeço, me enviou o disco para postagem. Dirigido por Louis Malle e baseado em história do próprio diretor e de Polly Platt, o filme de 1978 causou polêmica ao ser a primeira obra em Hollywood a mostrar uma adolescente nua (Brooke Shields). A trilha recebeu uma indicação ao Oscar em 1979. O drama se passa a partir de 1917, na cidade de New Orleans (EUA), onde a filha de uma prostituta é criada em um bordel, onde cuida do seu irmão e se prepara para seguir os passos da mãe. Com 12 anos, ela tem sua virgindade leiloada, a mãe se casa e a abandona, e a menina casa com um fotógrafo bem mais velho do que ela. Além de Brooke Shields, o elenco é formado por Susan Sarandon, Keith Carradine, Frances Faye e Antonio Fargas, entre outros. Confira:

01 - The Honey Swat Blues
(PD)
02 - Elite Syncopations
(Scott Joplin)
03 - Heliotrope Bouquet (Piano Version)
(Scott Joplin - Louis Chauvin)
04 - Pretty Baby
(Egbert Van Alstyne - Gus Kahn - Tony Jackson)
05 - King Porter Stomp
(Jelly Roll Morton)
06 - Tiger Rag
(The original Dixieland Jazz Band)
07 - Swipesy
(Scott Joplin - Arthur Marshall)
08 - Moonlight Bay
(Percy Wenrich - Edward Madden)
09 - Heliotrope Bouquet (Orchestra Version)
(Scott Joplin - Louis Chauvin)
10 - Creole Belles
(George Sidney - J. Bodewalt Lampe)
11 - Shreveport Stomps
(Jelly Roll Morton)
12 - Winin' Boy Blues
(Jelly Roll Morton)
13 - After The Ball
(Charles K. Harris)
14 - Where Is My Wandering Boy Tonight
(Robert Lowry)
15 - Big Lip Blues
(Jelly Roll Morton)
16 - The Ragtime Dance
(Scott Joplin)
17 - At A Georgia Camp Meeting
(Kerry Mills)
18 - Buddy Bolden's Blues
(Jelly Roll Morton)
19 - Mamie's Blues
(Mamie Desmond)

COLABORAÇÃO: Roberto de Brito


quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Ronnie Von - Estrada da Vida (CD 1997)

 
 Último álbum do cantor e apresentador foi gravado na Paradoxx Music
Com este CD, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, Ronnie Von deu por encerrada a sua carreira de cantor, e passou a se dedicar ao trabalho de apresentador. A partir deste disco, lançado em 1996 pela Paradoxx Music, o artista só participou de projetos especiais, como no CD beneficente “Deus abençoe as crianças” (2000) e no álbum “Natal em família” (2012), da Bibi Ferreira, com quem faz dueto em “Ave Maria”, de Franz Schubert, entre outros, além do recente DVD “One Night Only", único da carreira, que ainda não vi à venda, e foi doado para duas instituições de caridade (Associação Cruz Verde e GRAACC). Neste disco, Ronnie deixa de lado o pop rock que o consagrou, e investe mais no romantismo e na interpretação das melodias, como na faixa A vida num instante” em belo dueto com a saudosa Sylvinha Araújo. Confira:

01 – Estrada da vida (Strada Facendo)
(Claudio Baglioni – Adaptação: Ronnie Von)
02 – Um pai, um filho
(Antonello Venditi – Adaptação: Ronnie Von)
03 – Você e eu
(Claudio Baglioni – Adaptação: Ronnie Von)
04 – Pra ser só minha mulher
(Ronnie Von - Tony Osanah)
05 – Amigos, não
(Antonello Venditi – Adaptação: Ronnie Von)
06 - Silêncio
(Michael Sullivan - Carlos Colla)
07 - Cotidiano
(Bianchi - Ronnie Von)
08 – Pra que mais
(Marco Camargo)
09 – Não faz sentido
(Marco Camargo)
10 – Só há nós dois no mundo
(Altay Veloso)
11 – Se eu fosse um anjo
(Marco Camargo - Mário Maranhão)
12 – A vida num instante (Part. Especial: Sylvinha Araújo)
(Marco Camargo)

COLABORAÇÃO: Aderaldo




quarta-feira, 8 de agosto de 2018

The Magnetic Sounds - Seleção de Ouro (LP 1981)

 LP da Copacabana apresenta 12 gravações lançadas em discos pelo selo Beverly
Eis uma coletânea pra fãs do grupo The Magnetic Sounds (Os Carbonos, sob pseudônimo) curtirem. O disco “Seleção de Ouro”, da série idealizada pela Copacabana com seus principais artistas do cast, reúne gravações da banda lançadas originalmente pela Beverly, selo da própria gravadora. O LP, com 12 faixas, foi lançado em 1981, e traz canções como “Airport love theme”, “Aquarela do Brasil”, “Red roses for a blue lady”, “Somewhere in love” e outras. Confira:

01 - Somewhere in love
(Gambier - J. Ness)
02 - Notre theme d'amour
(M. Denin)
03 - Sunflower (Loss Of Love)
(B. Merrill - H. Mancini)
04 - Red roses for a blue lady
(S. Tepper - R. Brodsky)
05 - Lara's theme from Dr. Jivago
(M. Jarré)
06 - Devotion
(O. Cesana)
07 - Bless the beasts and children
(B. de Vorzon - P. Botkin - Jr.)
08 - Passion love theme
(D. Danello)
09 - Airport love theme (Tema de Amor do Aeroporto)
(Webster - Newman)
10 - Aquarela do Brasil
(Ary Barroso)
11 - Raind and tears
(E. Papathanassiou - B. Bergman)
12 - Mirrors
(Sally Oldfield)



terça-feira, 7 de agosto de 2018

Luiz Américo - Sonho de malandro (LP S/D)

 Álbum sem data, lançado pela Polydisc, navega pelo samba romântico
Aqui está mais um bom disco do cantor e compositor Luiz Américo. O LP, enviado pelo amigo Laércio, a quem sou grato, foi produzido pelo selo Polydisc, mas não informa o ano do lançamento. De acordo com a discografia disponível pela Wikipedia, trata-se do álbum de 1976, após deixar a Chantecler, mas não garanto que seja o correto, pois desconfio que seja de meados dos anos 1980, quando lançou outro LP pela mesma gravadora. Com apenas nove faixas, este “Sonho de malandro” passeia pelo samba romântico e traz dois pot-pourris, um dos quais resgata “Camisa 10”, um dos principais hits do artista. Confira:

01 - Cama errada 
(Luiz Américo)
02 - Mal me quer, bem me quer 
(Luiz Américo - Braguinha)
03 - Coisas do coração 
(Luiz Américo)
04 - O trem não pode esperar 
(Luiz Américo - Braguinha)
05 - Pot-pourri:
Camisa 10 
(L. Mateus - Luiz Wagner)
Feliz da vida 
(Luiz Américo - Carvalho)
Levaram a nêga dele 
(Luiz Américo - Miloca)
06 - Pot-pourri:
Êta dor de cotovelo 
(Lúcio Cardin - L. Felipe)
Ela disse-me assim 
(Lupiscinio Rodrigues)
Matriz e filial 
(Lúcio Cardin)
Canção de amor 
(Chocolate - Elano de Paula)
07 - Vem comigo, vem sonhar 
(Luiz Américo - Braguinha)
08 - Sonho de malandro 
(Luiz Américo - Braguinha)
09 - Onde anda você que eu não sei 
(Luiz Américo - Braguinha)

COLABORAÇÃO: Laércio


segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Terezinha de Jesus no Projeto Seis e Meia (1996)

 Postagem resgata show gravado no Teatro Alberto Maranhão em Natal
Fãs da Terezinha de Jesus vão curtir esta postagem. Trata-se do show de abertura da cantora para a apresentação do Belchior no Projeto Seis e Meia em 1996, no Teatro Alberto Maranhão, em Natal, onde mora a artista, no Rio Grande do Norte. O material raro, não lançado em disco, foi enviado pelo amigo Roberto de Brito, a quem agradeço pela colaboração. Terezinha interpreta nove canções do seu repertório, lançadas em álbuns produzidos pela CBS/Sony. A exceção é a faixa “Canção pro seu sorriso”, que a cantora tinha acabado de gravar como convidada para o CD “A música de Nelson Freire”. Confira:

01 - Abertura
02 - Vento Nordeste
(Sueli Costa - Abel Silva)
03 - Diálogo - Agradecimento
04 - Caso de Amor
(Wilson Cachaça - Ronaldo Santos)
05 - Diálogo - Apresentação da banda
06 - Canção pro seu sorriso
(Nelson Freire)
07 - Diálogo - Sobre "Canção pro seu sorriso"
08 - Mar Azul
(Terezinha de Jesus - Chico Guedes - Babal)
09 - Dialogo - Sobre "Mar Azul"
10 - Na Asa do Vento
(João do Vale)
11 - Que Nem Jiló
(Luiz Gonzaga - Humberto Teixeira)
12 - Diálogo - Cantar juntos
13 - Pra Incendiar Seu Coração
(Moraes Moreira - Patinhas)
14 - Diálogo - Agradecimento
15 - Fulô da Fuloresta
(João Silva - Geraldo Nunes)
16 - Diálogo - Sobre "Flor do Xaxado"
17 - Flor do Xaxado
(Mirabô - Capinam)

COLABORAÇÃO: Roberto de Brito




domingo, 5 de agosto de 2018

Ravel - Humanidade (CD S/Data)

 Produzido pela Rede Brasil, CD traz inéditas e releituras de antigos sucessos
Para apresentar este CD, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, vou reproduzir o texto do encarte: “Ravel, cantor, compositor e produtor artístico. Ex-integrante da famosa dupla Dom e Ravel. Volta a gravar em carreira solo, músicas inéditas e também os grandes sucessos da dupla que tanto marcaram época. Neste novo trabalho lançado pela gravadora RB Music, e produzido por ele mesmo, vem mostrar ser o dono de uma voz e interpretação inimitável, marcada pela beleza e garra que transmite em suas mensagens musicais. A linguagem de cada interpretação é simples e direta, motivo pelo qual atinge com certeza seu objetivo principal: o amor fraternal entre os homens, sensibilizando de forma pacífica os corações dos mais favorecidos pela sorte, no que se refere aos sofrimentos dos mais humildes. Como vem mostrar na nova canção “Humanidade”, em ritmo de rap, onde você vai ouvir, meditar e sonhar com um mundo melhor para todos”. Confira:

01 - Você também é responsável
(Dom - Ravel)
02 - Animais irracionais (Somos Todos Meio)
(Dom - Ravel)
03 - Humanidade
(Ravel)
04 - O caminhante
(Dom)
05 - Obrigado ao homem do campo
(Dom - Ravel)
06 - Só o amor constrói
(Dom - Domingos Leoni)
07 - Canção da fraternidade
(Dom - Ravel)
08 - Eu te amo meu Brasil
(Dom)
09 - Marcas do que se foi
(Zurana)
10 - Pagode de Ravel
(Ravel)
11 - Bole bole, denga denga
(Dito - Jorge Zarath)
12 - Pot-pourri:
Carimbó do prego 
(Dom)
Dona Maria chegou
(Ravel)
Carimbó da mulher alheia
(Dom)

 COLABORAÇÃO: Aderaldo


sábado, 4 de agosto de 2018

Jovem Guarda: Versões em alemão e português - vol.4

 Ídolos como Wanderléa, Jerry Adriani e Eduardo Araújo estão nesta coletânea
Com este quarto volume, dou por encerrada a postagem da série “Jovem Guarda – Versões em alemão e português”, que privilegiou as releituras feitas no Brasil e Alemanha de grandes hits internacionais, boa parte gravada originalmente por artistas dos Estados Unidos e Inglaterra. Há exceções, é claro, como “Love me, please love me”, do francês Michel Polnareff, ou mesmo “Mamy blue”, do também francês Rick Shayne, que morou durante muitos anos na Alemanha, e fez a releitura do seu sucesso para o mercado local. Outra exceção é “Ave Maria no morro”, do brasileiro Herivelto Martins, na interpretação da Manuela, única alemã do repertório que fez sucesso no Brasil, e que já tem discos postados aqui. Confira:

01 - 1966 - Tony Marshall - Love me, please love me 
(Love Me, Please Love Me)
02 - 1967 - Jerry Adriani - Ama-me, por favor 
(Love Me, Please Love Me)
03 - 1966 - Peter Haupt - Monday, Monday, was bringst Du mir 
(Monday, Monday)
04 - 1967 - Os Cords - Dia lindo (Monday, Monday)
05 - 1971 - Ricky Shayne & Die Cornehlsen Singers - Mamy Blue
06 - 1972 - Os Impossíveis San-Papas  - Mamy Blue
07 - 1961 - Gitte - I'm sorry
08 - 1965 - Wanderléa - É pena (I'm Sorry)
09 - 1972 - Marius Müller Westernhagen - Wenn ich mal alt bin 
(When I'm Sixty Four)
10 - 1967 - Márcio Greyck - Sempre vou te amar 
(When I'm Sixty Four)
11 - 1963 - Manuela - Ave Maria no morro
12 - 1971 - Eduardo Araujo - Ave Maria no morro
13 - 1964 - Gerd Böttcher & Detlef Engel - Eine Welt ohne Liebe 
(A World Without Love)
14 - 1965 - The Jet Blacks - Meu sol é você 
(A World Without Love)
15 - 1964 - Modern Sounds - My boy lollipop
16 - 1964 - Trio Esperança - Meu bem lollipop (My Boy Lollipop)
17 - 1968 - Gus Backus - Doktor Simon sagt (Simon Says)
18 - 1968 - The Fevers - Como o sábio diz (Simon Says)
19 - 1965 - The Bonnies - Ich bin dein Fan (I Call Your Name)
20 - 1965 - Renato e seus Blue Caps - Garota Malvada 
(I Call Your Name)
21 - 1972 - Henner Hoier - Beautiful sunday
22 - 1972 - Angelo Máximo - Domingo feliz (Beatiful Sunday)
23 - 1964 - Wolfgang Frey - Do wah diddy diddy 
(Do Wah Diddy Diddy)
24 - 1965 - Wanderléa - Do wah diddy diddy
25 - 1971 - Marianne Rosenberg - Guantanamera
26 - 1985 - Carlos Gonzaga - Guantanamera
27 - 1963 - Lil Babs - So sind all Männer (It's My Party)
28 - 1987 - Patrício Bisso e Os Bokomokos - Bela festa 
(It's My Party)



sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Jovem Guarda: Versões em alemão e português - vol.3

 Versões de sucessos internacionais compõem o repertório da coletânea
Se você gostou dos dois primeiros volumes da série de versões em alemão e português de músicas que fizeram sucesso na época da Jovem Guarda, certamente vai curtir este terceiro, que mantém o mesmo padrão dos anteriores. A maioria das gravações originais é de origem norte-americana e inglesa, e boa parte obteve boa repercussão por aqui, como “Satisfaction” (Rollings Stones), “Mr. Tambourine Man” (The Byrds), “Yellow River” (Christie), “Eleanor Rigby” (Beatles) e outras. A curiosidade fica por conta de “My boy lollipop”, hit da jamaicana Millie Small, que a interpreta em versão para o mercado alemão. O grupo Os Infernais, incluído no repertório, é de Brasília, e não deve ser confundido com a banda carioca, cujo LP foi postado no blog no dia 23 de julho último. Confira:

01 - 1965 - Die Dorados - Keine Klasse (Satisfaction)
02 - 1991 - Serguei - Não tem jeito (Satisfaction)
03 - 1965 - The Magics - Mr. Tambourine Man
04 - 1981 - Renato e seus Blue Caps & Zé Ramalho - Mr. Tambourine man 
05 - 1966 - Cornflakes - Kein Weg ist zu weit 
(River Deep, Mountain High)
06 - 1967 - Wanderléa - Gostaria de saber (River Deep, Mountain High)
07 - 1966 - Loving Hearts - Manchmal wenn ich träume
 (Things We Said Today)
08 - 1965 - Os Vips - Coisas que acontecem (Things We Said Today)
09 - 1967 - Die Five Tops - Heute ist heut (Piangi Con Me)
10 - 1967 - Os Brasas - Vivo a sofrer (Piangi Con Me)
11 - 1978 - Marion Maerz & Bernd Clüver - Schau mal herein 
(Stumblin' In) 
12 - 1979 - Celly Campello & Tony Campello - Estamos a fim
 (Stumblin' In)
13 - 1969 - Michael Holm - Mendocino
14 - 1969 - Waldirene - Meu benzinho (Mendocino)
15 - 1970 - Bernd Spier - Fremde augen (Yellow River)
16 - 1970 - Os Carbonos - Rio Amarelo (Yellow River)
17 - 1964 - Millie Small - My boy lollipop
18 - 1983 - Magazine - Meu bem lollipop (My Boy Lollipop)
19 - 1966 - Kathi Raschke - Eleanor Rigby (Eleanor Rigby)
20 - 1967 - Márcio Greyck - Minha menina (Eleanor Rigby)
21 - 1963 - Manuela - Diana
22 - 1983 - Reginaldo Rossi - Diana 
23 - 1966 - Four Kings - Brötchen und milch (No Milk Today)
24 - 1967 - Os Infernais - Estou na solidão (No Milk Today)
25 - 1966 - Peggy March & Benny Thomas - Die Antwort weiss
 ganz allein der Wind (Blowin' In The Wind)
26 - 1965 - Trio Melodia - Escuta a voz do vento
  (Blowin' In The Wind)
27 - 1967 - Ingo Blankenburg - Träume sind golden (Silence Is Golden)
28 - 1968 - Trio Esperança - Silencio é ouro (Silence Is Golden)



quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Jovem Guarda: Versões em alemão e português - vol.2

Grandes sucessos dos anos 1960 estão no repertório desta compilação 
Em prosseguimento a postagem de ontem, segue o segundo volume da coletânea com gravações em alemão e em português de músicas que fizeram muito sucesso no período da Jovem Guarda. A possibilidade de montá-la deve-se ao blog Old Melodies, de onde baixei boa parte dos registros em alemão, desconhecidos entre nós, pois a maioria é versão feita a partir das originais norte-americanas e inglesas. São canções conhecidas, e ganham sabor especial porque permite conhecer um pouco sobre a produção do pop rock alemão. Confira:

01 - 1966 - Die Five Tops - Dein Herz ist kalt wie Eis 
(California Dreaming)
02 - 1966 - Renato e seus Blue Caps - Não te esquecerei 
(California Dreaming)
03 - 1967 - Buddy Caine - Traenen im Gesicht 
(White Shade Of Pale)
04 - 1967 - Eduardo Araújo - A minha vez de negar
 (A Whiter Shade Of Pale)
05 - 1972 - Bill Ramsey - Und die Sonne wird uns scheinen 
(He Ain't Heavy, He's My Brother)
06 - 1989 - Renê & Ronaldo - O que me leva é o amor 
(He Ain't Heavy, He's My Brother)
07 - 1966 - Tony Marshall - Aline
08 - 1966 - Agnaldo Timóteo - Aline
09 - 1965 - Anita Traversi - Es ist so schön verliebt zu sein  
(As Tears Go By)
10 - 1966 - Deny e Dino - Meu pranto a deslizar 
(As Tears Go By)
11 - 1968 - Mary Roos - An jenem Tag mein Freund
 (Those Were The Days)
12 - 1968 - Joelma - Aqueles tempos (Those Were The Days)
13 - 1964 - Boris Brown - Es steht ein Haus im Westen
 (The House Of The Rising Sun)
14 - 1965 - Teddy Milton - A casa do sol nascente 
(The House Of The Rising Sun)
15 - 1966 - Tony London - Ein ganzes Leben lang (Walk Away Renee)
16 - 1967 - Ronnie Von - Se alguém chorou (Walk Away Renée)
17 - 1971 - Vicky Leandros Singers - Wo ist Er (My Sweet Lord)
18 - 1970 - Trio Esperança - Meu bom Deus (My Sweet Lord)
19 - 1967 - Uwe Beyer - Tagaus, tagein, so happy together 
(Happy Together)
20 - 1967 - The Fevers - Felizes de novo (Happy Together)
21 - 1964 - Manuela Schwimmen lernt man im see 
(Just So Bobby Can See)
22 - 1967 - Wanderléa - Meu bem só gosta de mim 
(Just So Bobby Can See)
23 - 1970 - Crickets Five - Wenn der Sommer kommt
 (In The Summertime)
24 - 1970 - Os Carbonos  – No verão (In The Summertime)
25 - 1970 - Mary Roos - Für uns beide (And I Love Her)
26 - 1984 - Roberto Carlos - Eu te amo (And I Love Her)



quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Jovem Guarda: Versões em alemão e português - vol.1

 Coletânea apresenta versões feitas a partir de originais americanas e inglesas
Aqui está uma coletânea que apreciadores da Jovem Guarda vão curtir. São gravações em alemão e em português de músicas que fizeram muito sucesso por ídolos do movimento no Brasil. Vale informar que as versões em alemão, desconhecidas entre nós, foram baixadas do excelente blog Old Melodies. A compilação se torna interessante porque podemos comparar as duas versões, a maioria feita a partir das originais norte-americanas e inglesas. Algumas gravações alemãs são melhores do que as brasileiras, mas a recíproca também é verdadeira, e o julgamento final fica a critério do ouvinte. Confira:

01 - 1965 - Uwe Spier - Hab doch endlich den Mut (Treat Her Right)
02 - 1966 - Erasmo Carlos - Cuide dela direitinho (Treat Her Right)
03 - 1964 - Bernd Spier - Memphis Tennessee (Memphis)
04 - 1964 - Wanderléa - Sem endereço (Memphis)
05 - 1965 - Boy Berger - Wulle Wulle (Wooly bully)
06 - 1966 - The Supersonics - Wooly Bully
07 - 1964 - Gus Backus Papa Oh Momo (Papa-oom-mow-mow)
08 - 1991 - João Penca e seus miquinhos amestrados - Papa uma 
(Papa-oom-mow-mow)
09 - 1966 - The Blackberries - Ich seh black (Black Is Black)
10 - 1967 - Jerry Adriani - Quem não quer (Black Is Black)
11 - 1966 - Monique & The Lions - Er sah mich im Regen (Bus Stop)
12 - 1967 - Golden Boys - Pensando nela (Bus Stop)
13 - 1966 - Gela & die Gentries - Die Schande unserer familie 
(Shame And Scandal In The Family)
14 - 1965 - Renato e seus blue caps - O escândalo 
(Shame And Scandal In The Family)
15 - 1967 - Jack White - Mit all deiner liebe (I'm A Believer)
16 - 1967 - Tony Campello - Não acredito (I'm A Believer)
17 - 1961 - John Dattelbaum - Maedchenschreck (Runaway)
18 - 1961 - Demétrius - O amor que perdi (Runaway)
19 - 1965 - Jürgen Wenger - Dir fehlt ein boy (The Game Of Love)
20 - 1967 - Leno & Lilian - O jogo do amor (The Game Of Love)
21 - 1969 - Howard Carpendale - Ob-la-di, ob-la-da
22 - 1969 - Ed Carlos - Obladi, obladá (Ob-la-di, ob-la,da)
23 - 1967 - Bernd Spier - Flowertime in San Francisco 
(San Francisco Be Sure To Wear)
24 - 1967 - Carlos Gonzaga - São Francisco 
(San Francisco Be Sure To Wear)
25 - 1966 - Ricky West - Tränen (Sorrow)
26 - 1966 - Ed Wilson - Sandra (Sorrow)
27 - 1963 - Manuela - Schuld war nur der bossa nova
 (Blame It On The Bossa Nova)
28 - 1963 - Trio Esperança - Ensinando a bossa nova 
(Blame It On The Bossa Nova)
29 - 1966 - Bill Ramsey - Yellow Submarine (Yellow Submarine)
30 - 1966 - Os Vips - Submarino amarelo (Yellow Submarine)


terça-feira, 31 de julho de 2018

Canecão apresenta Maysa (CD 1992)

 Disco gravado ao vivo no Canecão foi reeditado em CD pela Movieplay
Álbum foi originalmente lançado em 1969 pela gravadora Copacabana
Este álbum da Maysa, gravado ao vivo no Canecão, foi originalmente lançado em 1969 pela Copacabana. A postagem aqui apresentada é a reedição em CD, produzida em 1992 pela Movieplay, e foi enviada pelo amigo Roberto de Brito, a quem agradeço pela colaboração. O LP, quando lançado, foi muito elogiado, e traz alguns clássicos da nossa música, como “Chão de estrelas”, “Se todos fossem iguais a você”, “Eu e a brisa” e sucessos da própria intérprete em pot-pourri, como “Meu mundo caiu”, “Ouça” e “Tarde triste”. Destaque para a releitura de "Light my fire", sucesso do grupo The Doors. Confira:

01 - Pot-pourri:
Demais 
(Tom Jobim - Aloysio de Oliveira) 
Meu Mundo Caiu 
(Maysa) 
Preciso Aprender a Ser Só 
(Marcos Valle - Paulo Sergio Valle)
02 - Pra Quem Não Quiser Ouvir Meu Canto 
(César Roldão Vieira)
03 - Pot-pourri:
Por Causa de Você 
(Tom Jobim - Dolores Duran) 
Dindi 
(Tom Jobim - Aloysio de Oliveira)
04 - Se Você Pensa 
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
05 -  Ne Me Quitte Pas 
(J. Brel)
06 - Light My Fire 
(Morrison - Manzarek - Krieger - Densmore)
07 - Pot-pourri:
Chão de Estrelas 
(Orestes Barbosa - Silvio Caldas)
08 - Pot-pourri:
Tarde Triste 
(Maysa) 
Meu Mundo Caiu 
(Maysa) 
Ouça 
(Maysa)
09 - Eu e a Brisa 
(Johnny Alf)
10 - Dia de Vitória 
(Marcos Valle - Paulo Sergio Valle)
11 - Dia das Rosas 
(Luis Bonfá - Maria Helena Toledo)
12 - Se Todos Fossem Iguais a Você 
(Tom Jobim - Vinicius de Moraes)

COLABORAÇÃO: Roberto de Brito