Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Vários artistas - Jovem Guarda Instrumental - Vol. IV

Repertório apresenta 25 bandas em gravações originais dos anos 1960
Quer reviver o som que rolava no bailinho de garagem dos anos 1960? Se esse é o seu objetivo, a dica é baixar este quarto volume da série Jovem Guarda Instrumental. É seleção pra mandar aumentar o som. O repertório reúne 25 bandas dos anos 1960, em suas gravações originais da época, com muito twist, surf music, rock e som pra ninguém ficar parado na pista. A seleção tem bandas famosas, como Jordans, Jet Blaks, Incríveis, Renato e seus Blue Caps e outras que dispensam apresentação, mas as menos conhecidas ajudam a manter o ritmo aquecido, como Os Megatons, Luizinho e seus Dinamites, Peruzzi e sua Banda Jovem, e outras que transformam o baile n'uma brasa, mora!', Confira:


01 - The  Jordans - Peter Gunn
02 - The Pop's - Hit hop
03 - The Rebels - Let's go
04 - Os Megatons - Torture
05 - Os Incríveis - Candy dancer
06 - The Angels - 36-24-36
07 - Luizinho e seus Dinamites - Bongo blues
08 - The Jet Blacks - Fire ball mail
09 - Nin and Your Boys - The twist
10 - Brazilian Boys - Home of range
11 - Jacildo E Seus Rapazes - My black cat
12 - Peruzzi e Sua Banda Jovem - Mister Z
13 - Renato e seus Blue Caps - Fruit cake
14 - Corisco - Sgt. Peppers lonely
15 - The Flyers - Le Ciliege
16 - Os Tigres - I was kaiser Bill's Batman
17 - Brasa 6 - Swing safari
18 - The Jones - Secret agent man
19 - Nicholas E Seu Conjunto - O pica-pau
20 - Os AAAlucinantes - Erva venenosa
21 - The Bells - The park hood twist
22 - Os Espaciais - Walk don't run '64
23 - The Black Boys - Walkin's
24 - Os Terríveis - Tijolinho
25 - Os Balanceiros - História de um homem mau


domingo, 24 de julho de 2016

Los Increibles - Os Incríveis na Argentina (LP 1965)

Sob pseudônimo, banda lança álbum na Argentina pela gravadora CBS
 
Sei que este disco do grupo Los Increibles, pseudônimo usado pelo conjunto The Clevers /Os Incríveis em temporada na Argentina em meados dos anos 1960, não é novidade na rede, mas vou postar mesmo assim. Pode ser novidade para alguns visitantes. O meu exemplar é de CD genérico, comprado em feira de vinil, e fiz o possível para oferecer arte gráfica com melhor qualidade, apesar da baixa resolução das peças originais. Com base nelas, do LP, montei as imagens para CD que estão na pasta com o áudio desse disco argentino.

O álbum é interessante na história do grupo porque marca o fim da primeira fase na carreira, conduzida pelo radialista e empresário Antonio Aguillar, detentor da marca The Clevers na época, com quem rompeu relações profissionais em 1965, quando a banda adotou o nome definitivo após retorno ao Brasil. Comentava-se, na época, que a banda permaneceria na Argentina, onde fazia sucesso, com agenda concorrida, e esse foi um dos motivos que levou Aguillar a criar um novo grupo, The Flyers. Na Argentina, por usar pseudônimo em mercado neutro, entendo que a banda teve a liberdade de gravar este LP na CBS/Sony em 1965, ano em que ainda pertencia no Brasil ao cast da Continental, logo trocada pela RCA Victor, onde consolidou a segunda fase de sua trajetória, marcada pelo fim da primeira formação da banda The Clevers, e a adoção da nova identidade: Os Incríveis. Por tudo isso, aliado ao talento dos músicos, o disco argentino é dica pra conhecer. Ao ouvi-lo, considere que foi produzido para os nossos "hermanos" em 1965, ano da exibição do primeiro programa Jovem Guarda, comandado por Roberto Carlos na TV Record de São Paulo. Confira:

01 - Oleoducto (Pipeline
02 - Kiddy Kiddy Besame 
03 -  Risueño (Tic Ti Tic)
04 - En la Ciudad (Downtown
05 - Peter Gunn
06 - Te Estas Poniendo Negra (Sei Diventata Nera)
07 - Tierra Maravillosa (Wonderful Land
08 - Es Inutil (E Inutile
09 - Veneno
10 - Donde Fue Nuestro Amor
11 - Cabalgata (Cavalgada) 
12 - Macaca Foo


sábado, 23 de julho de 2016

Eduardo Araújo - Coletânea Especial (2016)

 Eduardo Araújo é um dos pioneiros do rock e da soul music no Brasil 
O cantor e compositor Eduardo Araújo comemora hoje 74 anos. É o momento em que festeja também 55 anos de estrada profissional, se computarmos 1961 na contagem como o pontapé inicial em que a pavimenta. Foi quando gravou o primeiro disco, um 78 RPM, pela Philips. Em homenagem, mais que justa, vou postar esta coletânea especial, preparada com esmero pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. O repertório inclui grandes sucessos e gravações de outras fases da carreira, pautada especialmente pelo rock, soul e country music. A seleção ainda traz curiosidades, como “Segura que este touro é bom”, versão de “Proudy Mary”, sucesso do Creedence Clearwater Revival com participação no vocal do norte-americano Gene Fireball, e “A minha vez de negar”, versão de “A whiter shade of pale”, hit da banda britânica Procol Harum. O destaque é a faixa “Nem sim, nem não”, de um obscuro compacto simples de 1968, na qual conta com a especial participação, em sua estreia no disco, do Lenny Gordin, que logo se consagraria como um dos melhores guitarristas do Brasil.

Eduardo Oliveira Araújo, seu nome de batismo, nasceu na cidade mineira de Joaíma em 23 de julho de 1942. Filho de fazendeiro, começou a carreira no final dos anos 1950 e participou da banda "The Playboys". Em 1960, se mudou para o Rio de Janeiro, e passou a participar do programa de televisão "Hoje É Dia de Rock", apresentado por Jair Taumaturgo, e também no "Clube do Rock", comandado por Carlos Imperial. “Diana me deixou” e “Deixa o rock” são suas primeiras gravações no disco de 1961, ainda na fase pioneira do rock doméstico. O sucesso nacional veio em 1967, quando lançou “O bom” e “Vem quente que estou fervendo”, gravada também pelo Erasmo Carlos. Pelo sucesso, comandou programa na TV Excelsior, e o ano de 1969 é marcado por dois fatos: o casamento com a cantora Sylvinha e o lançamento do LP de soul music "A Onda é Boogaloo". Curiosidade, no disco, é a faixa "Você" , música "mela-cueca" preterida por Roberto Carlos, que optou por gravar "Não vou ficar" na hora de selecionar o repertório do seu LP naquele ano. Esse disco do Eduardo foi produzido pelo autor da canção, Tim Maia, que inventou a expressão "música mela-cueca" e popularizou "Você" a partir de 1971, quando a incluiu em seu segundo LP, lançado pela Polydor.

Com o fim da Jovem Guarda, Eduardo gravou discos influenciados pela psicodelia e o rock progressivo, época em que recriou canções de compositores como Ary Barroso, Pixinguinha e Luiz Gonzaga, entre outros, e fez sucesso com “Ave Maria no morro”, de Herivelto Martins. A partir dos anos 1980, passou a gravar com influências da música country e do country rock, mantendo o estilo nos anos 1990, período em que apresentou dois programas de TV, "Pé na na estrada" (exibido pelo SBT) e "Brasil Rural" (pela TV Bandeirantes). Nos anos 2000, passou a dedicar-se a gravadora Number One, fundada por ele e Sylvinha. Às vésperas de comemorar Bodas de Rubi/Esmeralda (completaria 40 anos de união em 2009) o casal lança DVD revival da Jovem Guarda, mas a divulgação foi interrompida pela morte da parceira em 25 de junho de 2008, vítima de câncer de mama. Em 2014, lançou DVD com participações de Sérgio Reis, Renato Teixeira e Victor & Leo. Gravou vários discos em sua carreira, e continua na ativa. Eduardo Araújo está na minha lista de artistas que merecem melhor atenção do público. A presente coletânea é apenas um aperitivo pra conhecer sua obra. Quem ouve compreende porque até hoje é conhecido como "O Bom". Sei que vai gostar. Confira:

01 - Ave Maria no morro
02 - Primeiro lugar
03 - Com muito amor e carinho
04 - Ao raiar de um novo dia
05 - Deixa de banca (Les Cornichons)
06 - Segura que este touro é bom (Proud Mary)
(com Gene Fireball no vocal)
07 - Viva o divórcio
08 - A minha vez de negar (A Whiter Shade Of Pale)
09 - Pense na verdade
10 - Goiabão
11 - Você
12 - Lucilla (Lucille)
13 - Se eu gosto de você, e você gosta de mim
14 - Dez Anastácias
15 - Mona Lisa (Mona Lisa)
16 - Golpe do baú
17 - Boi Barnabé
18 - Coisa linda
19 - Amor escuro
20 - Me dê um beijo meu bem
21 - Pra nunca mais chorar
22 - Adeus amor, adeus
23 - Pra saber
24 -  Pot-pourri:
Chuá, chuá - De papo pro ar - Maringá
25 - Nem sim, nem não
(com Lanny Gordin na guitarra)
26 - Cantor de iê-iê-iê


COLABORAÇÃO: Aderaldo


sexta-feira, 22 de julho de 2016

The Flyers - Twist And Shout (LP 1965)

 Único LP da banda, criada por Antonio Aguillar, foi gravado na RCA Victor
Depois de receber do amigo Laércio o LP “Reino da Juventude”, postado ontem, lembrei-me deste álbum do grupo The Flyers, presente na coletânea produzida pelo radialista Antonio Aguillar. Tenho o áudio do disco e constatei, após pesquisa na rede, que foi baixado do extinto blog do João Pimentel, sendo que as ilustrações são do blog da Lúcia Zanetti, especializado em Jovem Guarda. Achei interessante apresentá-lo aqui, pois trata-se de disco raro, que revela o talento dos músicos e interessará aos colecionadores. O álbum, único gravado pelo grupo, foi lançado em 1965 pela RCA Victor, onde a banda chegou a fazer o acompanhamento em gravações de discos de artistas do cast, como o compacto simples do Ronnie Cord, produzido em 1964, com as músicas “Boliche legal” e “Hippy hippy shake”.

O grupo, que aparece na foto ao lado, em apresentação do Carlos Gonzaga, foi criado por Aguillar para ser o sucessor da banda The Clevers (depois Os Incríveis), que estava na Argentina, onde gravou um LP, e havia o boato de que não voltaria ao Brasil. Era formado por Riverte de Oliveira Santos (Lumumba) ao saxofone, Walfrido Costa Filho (Pulinho) na bateria, Vicente Ferrer Juan (Fafá) no contrabaixo, Guilherme Dotta (Tico) na guitarra-base, e João Fernandes da Silva Borges de Miranda (Patinho) na guitarra-solo. Após este LP, o grupo encerrou as atividades, sendo que o guitarrista Tico (ex-Os Rebeldes, do qual Jerry Adriani fez parte) se transferiu para o The Jet Blacks e o saxofonista Lumumba integrou a banda do Roberto Carlos. Segundo consta, os dois músicos já faleceram, assim como Fafá e Pulinho. O solista Patinho tem paradeiro desconhecido. Confira o disco:

01 – Happy Birthday To You
02 – Le Ciliege
03 – ( Dance With The ) Guitar Man
04 – Werewolf
05 – Canção Do Amor Perdido
06 – La Spagnola
07 – Sul Cucuzzolo
08 – Honky Tonk Song
09 – Love Goodess Of Venus
10 – Twist And Shout
11 – Il Surf Delle Mattonelle
12 – Flyers Surf

ACERVO: João Pimentel


quinta-feira, 21 de julho de 2016

Vários intérpretes - Reino da juventude (LP 1964)

 
Reino da Juventude foi atração da TV Record, comandada por Antonio Aguillar
Este “Reino da Juventude”, LP lançado em 1964 pela Continental, é oriundo do programa homônimo de televisão, exibido aos sábados à tarde pela TV Record. A atração televisiva era apresentada por Antonio Aguillar, famoso radialista, fotógrafo, redator e empresário, responsável por lançar novos valores da música jovem, como os artistas presentes nesta coletânea. Agradeço ao amigo Laércio por enviar mais este raro disco, que traz as primeiras gravações de artistas como Os Vips (The Vips, na época), Sérgio Reis, Marcos Roberto, Dick Danello, Orlando Alvarado, Luiz Antonio (que mais tarde se destacou como Tony Bizarro, da dupla Tony & Frankie) e outros. As duas cantoras, Sidnéia e Marly, foram companheiras da Meire Pavão no extinto Conjunto Alvorada, e logo abandonaram a carreira. Confira:

01 - The Flyers - Reino da juventude (com locução de Antonio Aguillar)
(Aguillar - Mingo)
02 - Marcos Roberto - Canção do amor perdido
(Aladim)
03 - Marly - Eu sei
(Udell - N.Aquaviva - vs: Fred Jorge)
04 - Orlando Alvarado - Todo és amor
(Palito Ortega - Dino Ramos)
05 - Renê Dantas - Soninha
(Marcos Roberto)
06 - Sérgio Reis - Ó mio signore
(Mogol - Vianello)
07 - Túlio e os Hitch-Hikers - I got a woman
(Ray Charles)
08 - Dick Danello - Solo due righe
(Scarpone - Conci - Falella)
09 - Sidnéia - Estamos tristes
(Palito Ortega - Dino Ramos)
10 - Tony Dilson - Pobre milionário
(Adles - Ross - vs: Fred Jorge)
11 - The Vips - Tonight
(Antonucci)
12 - Luiz Antonio - Primeira estrela
(E. Pomusi - Mort Shuman - vs: Fred Jorge)


COLABORAÇÃO: Laércio



quarta-feira, 20 de julho de 2016

Grande Parada Brasil - Outubro de 1971 (EP)

 EP produzido pela Continental traz duas raras gravações do The Jet Blacks
 
No início dos anos 1970, a gravadora Continental lançou a série de compactos duplos “Grande Parada Brasil”, com os quatro principais sucessos do mês, interpretados por artistas do cast. Na falta dos registros originais, de outras gravadoras, a solução foi apelar para os covers. Um exemplo foi este EP, de outubro de 1971, com Dimas Camargo, intérprete de “Mas que doidice” (sucesso na voz da Maria Creusa) e Noite Ilustrada, cantando “Independência ou morte”, hit do Zé Di. O destaque é o grupo The Jet Blacks, com duas músicas do VI Festival Internacional da Canção (FIC): “Kyrie”, primeira colocada, defendida originalmente pelo Trio Ternura, e “Desacato”, terceira colocada, gravada pela dupla Antonio Carlos e Jocafi.

As duas músicas do festival, realizado no Rio de Janeiro, também foram lançadas em raro compacto simples com erro de impressão na capa (veja na foto ao lado), dando a “Desacato” o segundo prêmio, conquistado na verdade por “Karany Karanue”, da dupla José de Assis e Diana Camargo. Segundo o blog Jatos Negros, o grupo The Jet Blacks nesse disco é formado por Oscar (contrabaixo), Mário Lúcio (guitarra base), Florindo (teclados), Ary (ex-The Bells, bateria e vocal) e Marco “Porquinho” Aurélio (ex-The Jordans, guitarra solo e vocal). Foram as últimas gravações da banda, que só retornou ao disco 11 anos depois, em julho de 1982, quando lançou o LP da série Gala Super, pela Som Livre. Confira o EP:

01 - The Jet Blacks - Desacato
(Antonio Carlos - Jocafi)
02 - Dimas Camargo - Mas que doidice
(Antonio Carlos - Jocafi)
03 - Noite Ilustrada - Independência ou morte
(José Di)
04 - The Jet Blacks - Kyrie
(Paulinho Soares - Marcelo Silva)

domingo, 17 de julho de 2016

Célio - Caderninho & Sentir saudade (CS 1967)

 Compacto simples do Célio foi lançado pela pernambucana AU/Rozenblit
Aqui está mais um obscuro compacto simples oriundo do tempo da Jovem Guarda, gentilmente enviado pelo Aderaldo, a quem agradeço. Trata-se do disco gravado pelo desconhecido Célio na AU – Artistas Unidos/Rozenblit, de Recife. O vinil não informa o ano do lançamento, mas provavelmente é de 1967, considerando a numeração do disco, tendo como referência os primeiros singles da Martinha, da mesma gravadora. Não tenho informação sobre o cantor, mas seu nome completo deve ser Célio Borges Pereira, autor das duas músicas do disco. Confira:

01 – Caderninho
(Célio Borges Pereira)
02 – Sentir saudade
(Célio Borges Pereira)


COLABORAÇÃO: Aderaldo




sábado, 16 de julho de 2016

Dick Danello - Coletânea Especial (2016)

Coletânea reúne gravações feitas durante os primeiros 10 anos de carreira
 
 Seleção traz 5 composições do artista executadas por The Magnetic Sounds
Esta coletânea especial do Dick Danello atende ao pedido do Samuel. A seleção, distribuída em dois volumes, cobre os 10 primeiros anos de sua carreira, iniciada em 1964, quando gravou “Solo due righe” no LP Reino da Juventude, coletânea lançada pelo apresentador Antônio Aguilar e que contou com as participações de Sérgio Reis, Os Vips, Marcos Roberto e outros artistas emergentes. São 40 músicas no total, sendo 35 interpretadas pelo cantor e mais cinco faixas bônus, composições de sua autoria executadas pelo grupo The Magnetic Sounds (Os Carbonos, sob pseudônimo), temas de “Uma verdadeira história de amor” e “Sinal Vermelho – As fêmeas”. Boa parte das faixas foi extraída do canal de Giancarlo Danello no Youtube, que disponibiliza farto material de sua discografia, incluindo as músicas do mais recente CD “Rock italiano” (muito bom!), lançado em 2013 pela Central Park Records.

Filippo D'Anello, seu nome de batismo, nasceu em 01 de janeiro de 1943 em Belvedere Marittimo, na Itália. Começou cantando ainda criança no Convento dei Cappuccini, antes de imigrar para o Brasil, em 1955. O primeiro sucesso foi “Quando Vedrai La Mia Ragazza”, de 1965, e a partir daí passou a participar do Jovem Guarda, comandado por Roberto Carlos, que o chamava de “O Italianíssimo” nas apresentações. No início dos anos 70, já como artista consagrado, passou a atuar em filmes e a participar de musicais como ator e cantor. Segundo o site do artista, com muitas informações sobre a carreira, compôs trilhas sonoras para mais de 30 filmes e novelas, entre elas a música “Passion Love Theme”, que fez parte da novela “Fogo sobre terra”, da Rede Globo, e foi regravada por vários artistas.

Ainda nos anos 70 fundou a gravadora Central Park Records, responsável pelo lançamento de cantores regionais e do movimento dos “falsos ingleses”, que viria marcar a indústria fonográfica brasileira da época, como Dave Maclean e Edward Cliff. Em 1982 começou com o programa de rádio Parlando D'Amore, que passou a divulgar a popular música italiana. Nos anos 90 prossegue com o programa de rádio e é contratado pela companhia italiana de cruzeiros marítimos Costa Cruzeiros para elaborar cruzeiros temáticos italianos na costa brasileira e sul-americana. Fez a pesquisa musical para diversos projetos da Rede Globo, entre eles para a novela "Terra Nostra". Em plena atividade, com vários discos gravados, Dick Danello recebeu em 2014 o prêmio da Ordem dos Músicos do Brasil em homenagem aos seus 50 anos de carreira, e ainda apresenta aos sábados seu programa na rádio Trianon AM 740 KHZ, das 9h00 às10h00. Confira a coletânea:

VOLUME 1

01 - 1964 - Solo Due Righe
02 - 1964 - Quando Vedrai La Mia Ragazza
03 - 1964 - Bussicabombaio
04 - 1965 - Ogni Mattina
05 - 1965 - Non Aspetto Nessuno
06 - 1965 - Due Ombre
07 - 1965 - Eva cha cha cha
08 - 1965 - Lettera ad una Inglesina
09 - 1965 - Penzanno a Te
10 - 1965 - Per te amore
11 - 1966 - Nessuno Mi Può Giudicare
12 - 1966 - Parlami di Te
13 - 1967 - Bisogna Sapere Perdere
14 - 1967 - Il mondo non è per me
15 - 1968 - Poesia
16 - 1968 - Da Bambino
17 - 1969 - Leylan
18 - 1969 - Lontano Dagli Occhi
19 - 1969 - Já Não Existe Mais
20 - 1969 - Sentado à beira do caminho

VOLUME 2

01 - 1969 - Seduto al Lembo di una Strada
02 - 1969 - Zingara
03 - 1969 - Santo Natale
04 - 1970 - Chi Non Lavora Non Fa L'Amore
05 - 1970 - La Prima Cosa Bella
06 - 1971 - Il Cuore È Uno Zingaro
07 - 1971 - Poetica nº 1
08 - 1971 - Sole Spento
09 - 1971 - Vedrai, Vedrai
10 - 1971 - Você Chegou Aqui
11 - 1973 - Badibada
12 - 1974 - Parlando D'Amore
13 - 1974 - Pensiero
14 - 1974 - Roberta
15 - 1974 - Tu Nella Mia Vita

BÔNUS (Composições de Dick Danello)

16 - 1971 - The Magnetic Sounds - Erótica nº 3 *
17 - 1972 - The Magnetic Sounds - Angela's Love Theme **
18 - 1972 - The Magnetic Sounds - Red Signal **
19 - 1972 - The Magnetic Sounds - Sweet Woman **
20 - 1972 - The Magnetic Sounds - Blue Flag **

* Tema de "Uma Verdadeira História de Amor"
** Temas de "Sinal Vermelho - As Fêmeas"

FONTE: Youtube - Canal de Giancarlo Danello



quinta-feira, 14 de julho de 2016

Marcos e os sucessos (Compacto duplo - 1968)

 EP traz hits do Dori Edson, Marcos Roberto, Os Caçulas e Mauro Sérgio
Quem curte Jovem Guarda deve conhecer as quatro músicas deste compacto duplo, lançado em 1968 pela Epic/CBS. O que provavelmente não conhece é o intérprete Marcos. Ele gravou quatro sucessos do período: “Seu adeus” (lançado originalmente pelo Dori Edson), “Vai ser triste” (Os Caçulas), “Não tenho você” (Marcos Roberto) e “Ele só faz você sofrer” (Mauro Sérgio). Agradeço ao amigo Aderaldo por enviar mais este raro disco. Infelizmente não tenho informações sobre o cantor. Acredito que foi contratado pela CBS para gravar covers, seguindo a mesma estratégia mercadológica adotada na época para o cantor José Roberto, outro artista da empresa. Confira:

01 – Seu adeus
(Dori Edson - Marcos Roberto)
02 – Vai ser triste
(Antonio Marcos - Mario Marcos)
03 – Não tenho você
(Marcos Roberto - Dori Edson)
04 – Ele só faz você sofrer
(Osvaldo Bettio - José Antonio)


COLABORAÇÃO: Aderaldo




quarta-feira, 13 de julho de 2016

The Shocking Blue Greatest Hits (LP 1975)

 Seleção com grandes sucessos da banda foi lançada no Japão em 1975
Grupo formado no final dos anos 1960 encerrou as atividades em 1974
Uma banda de muito sucesso entre o final dos anos 1960 e meados dos 1970 foi Shocking Blue, idealizada na Holanda pelo guitarrista Robby van Leeuwen, autor de boa parte do repertório. O grupo começou em 1967 com o baterista Cor van der Beek, o baixista Klaassje van der Wal e o cantor Fred de Wilde, mas o sucesso viria a partir do ingresso da vocalista Mariska Veres em 1969. Com a nova formação gravou o single “Venus”, sucesso em toda parte do mundo, inclusive no Brasil. A voz rouca, forte, a maquiagem e as roupas de Mariska confundiam muita gente, que se perguntava se a cantora era homem ou mulher. A música rendeu à banda popularidade e dinheiro, com mais de 5 milhões de cópias vendidas no mundo.

O Shocking Blue seguiu lançando excelentes singles, que fizeram enorme sucesso na Holanda, no resto da Europa e Japão, como “Mighty Joe”, “Never Marry a Railroad Man” (outro hit no Brasil), “Shocking You”, “Long and Lonesome Road”, “Send Me a Postcard” e outros. Esses sucessos estão reunidos neste álbum, lançado em 1975 no Japão, onde a banda se apresentou em 1972 e lançou um disco gravado ao vivo. A possibilidade de postá-lo deve-se ao amigo Laércio, a quem agradeço por enviar mais esta valiosa colaboração. Segundo a Wikipedia, a banda tinha vendido 13,5 milhões de discos até 1973, mas encerrou as atividades em 1974. A vocalista seguiu carreira solo e fez relativo sucesso. Mariska morreu em 2 de dezembro de 2006, aos 59 anos, vitima de câncer. Confira:

01 - Venus
(Robby van Leeuwen)
02 - Mighty Joe
(Robby van Leeuwen)
03 - Long And Lonesome Road
(Robby van Leeuwen)
04 - Send Me a Postcard
(Robby van Leeuwen)
05 -  Sally Was a Good Old Girl
(Harlan - Howard)
06 - Alaska Country
(Robby van Leeuwen)
07 - Shocking You
(Robby van Leeuwen)
08 - Never Marry A Railroad Man
(Robby van Leeuwen)
09 - Blossom Lady
(Robby van Leeuwen)
10 - I'll Follow The Sun
(Robby van Leeuwen)
11 - Out Of Sight Out Of Mind
(Robby van Leeuwen)
12 - Dream on dreamer
(Robby van Leeuwen)
13 - This America
(M.v.Wijk)
14 - Eve And The Apple
(Robby van Leeuwen)


COLABORAÇÃO: Laércio



terça-feira, 12 de julho de 2016

Mércy & Mercy - Compactos Simples (1968/1969)

 Dupla da Jovem Guarda lançou discos pelos selos Musidisc e Caravelle
Recebi e agradeço ao amigo Aderaldo por me enviar mais dois raros compactos simples. Desta vez, os vinis são da dupla Mércy e Mercy, que atuou no período da Jovem Guarda e nada sei a respeito das cantoras. O primeiro disco foi gravado na Musidisc, e provavelmente é de 1968, se considerarmos a numeração do single e a presença da música “Thank you, por gostar de mim”, versão de “Thank You For Loving Me”, sucesso naquele ano da dupla Jackie Trent & Tony Hatch. O segundo, de 1969, é o single gravado na Caravelle, com produção do Rossini Pinto. Confira:

COMPACTO SIMPLES – MUSIDISC – 1968

01 -  Thank you, por gostar de mim (Thank You For Loving Me)
(T. Hatch – J. Trent – vs: Nilo Sérgio)
02 - Não preciso de conselho
(Jerry Adriani – A.Bourget)

COMPACTO SIMPLES – CARAVELLE - 1969

01 - Adeus querido
(Rossini Pinto – Moacyr Corrêa)
02 - De que vale eu chorar (Tompkins Square)
(B. Ross – S. Devorine – vs: Rossini Pinto)


COLABORAÇÃO: Aderaldo


domingo, 10 de julho de 2016

Miriam Batucada - Diabo no corpo (CS 1972)

 Compacto simples da Miriam Batucada foi produzido pelo Raul Seixas
A série Programa de Rádio, projeto da CBS/Sony que estou postando gradativamente, como o apresentado ontem com o Jerry Adriani, me trouxe grata surpresa: duas músicas do raríssimo compacto simples da Miriam Batucada, lançado em 1972, e que não tenho em minha coleção. Salvo engano, foi um dos últimos discos – senão o último – produzido pelo Raul Seixas na gravadora antes de se transferir para a Philips, e fazer sucesso como cantor. O single traz as músicas “Diabo no corpo”, do Sérgio Sampaio, no lado A, e “Gente”, do Aloísio Machado, no B.  As duas gravações foram extraídas, respectivamente, dos programas apresentados pelo Rossini Pinto e Renato Barros, e que ainda serão postados no blog. A foto da capa acima não é a original do disco. Foi montada apenas para ilustrar a postagem. Ambas as faixas trazem como diferencial as falas dos apresentadores/locutores. Confira:

01 – Diabo no corpo (com apresentação do Rossini Pinto)
(Sérgio Sampaio)
02 – Gente (com apresentação do Renato Barros)
(Aloísio Machado)
03 – BÔNUS – Diabo no corpo




sábado, 9 de julho de 2016

Programa de rádio - 03 - Jerry Adriani (LP 1972)

 Programa apresentado pelo Jerry Adriani traz lançamentos da gravadora CBS
Quem acompanha as postagens do blog já conhece o projeto “Programa”, elaborado pelo Departamento de Marketing da CBS/Sony para as emissoras de rádio. A gravadora, entre 1972 e 1973, criou um programa musical de rádio, apresentado pelos principais artistas do cast. Cada volume apresenta oito recentes lançamentos da gravadora, funcionando como um catálogo musical, distribuído para principais emissoras do País, que tinham a liberdade de incluí-lo na programação. Desconheço detalhes do projeto, como número de programas, artistas participantes e emissoras envolvidas, mas imagino que deve chegar a pelo menos 100 volumes, raros de encontrar.

A gravação no LP é corrida, sem intervalo entre as faixas, e todos os discos foram distribuídos numa capa branca, sem letreiros. Ou seja, não tinha capa de identificação, e nem havia essa necessidade porque é material de divulgação, sem fins comerciais, e o invólucro branco já cumpria o papel de proteger o disco. Tenho uns exemplares da série, e vou postá-los gradativamente. Este apresentado pelo Jerry Adriani é, originalmente, o quinto programa gravado pelo cantor, mas aqui fica sendo o terceiro da série, sendo que o primeiro foi com o Rossini Pinto e o segundo com o Carlos José. Confira este:

01 - Gilbert Montagné - My lord
(Gilbert Montagné)
02 - Renato e seus Blue Caps - Sheila
(Mauro Motta - Raulzito)
03 - Reginaldo Rossi - Mon amour, meu bem, ma femme
(Cleide)
04 - Fábio e Lucinha - Eu preciso de você (All I ever is you)
(Reeves - Holiday - vs: Pedro Paulo)
05 - José Roberto - Margarita
(Pedro Paulo)
06 - Lafayette - Flor de manacá
(Chico Feitosa - Paulinho Soares)
07 - Jerry Adriani - Vai caindo uma lágrima (Va cayendo una lágrima)
(E. Franco - C. Valdez - Momy - Vs: Sebastião F. Silva)
08 - Os Super Quentes - A garota que me faz sonhar (Esa chica que me saba amar)
(Jorge Carlos - Iglesias - Abramzon - vs: Ernesto Escudero)




quinta-feira, 7 de julho de 2016

Ringo Starr - Scouse the mouse (LP 1977)

  Álbum do musical "Scouse the mouse" foi lançado apenas na Inglaterra
Ringo Starr canta em oito das quinze faixas do vinil produzido em 1977
Ringo Starr dispensa apresentação. Hoje, 7 de julho, é dia em que completa 76 anos, e por isso, como faz desde 2005, o eterno baterista dos Beatles convoca os fãs para que, na data do seu aniversário, se unam em sua chamada de paz e amor, conforme vídeo postado na página de abertura do seu site (aqui). Ringo pede em cada 7 de julho que os usuários de redes sociais como Instagram, Facebook e Twitter postem a mensagem ao meio-dia de seus correspondentes fusos horários. O ex-beatle, para dar exemplo, publica na rede uma foto sua com a hasghtag #PeaceandLove na qual aparece com os braços para o alto e fazendo com os dedos das mãos o sinal da vitória, uma imagem já icônica.

Para celebrar a data, que também vale como divulgação de sua mensagem de paz e amor no blog, vou postar este raro “Scouse the mouse”, disco do musical com o mesmo nome, lançado exclusivamente na Inglaterra em 1977, segundo informa o amigo Osvaldo, a quem agradeço por enviar mais esta valiosa colaboração. O álbum, lançado originalmente pela Polydor, tem as faixas interligadas e deve ser gravado sem intervalo entre as 15 músicas, oito das quais interpretadas por Ringo Starr. Um encarte, com desenho do ratinho, acompanha o disco para a criançada pintar. A reedição em CD, sem o ano do lançamento, traz “Just a dream”, lado B de um single, também de 1977, como faixa bônus, inédita em LP ou CD solo do músico. Confira:

01 - Ringo Starr - Living in a pet shop
(Roger Brown)
02 - Barbara Dickson - Sing a song for the tragopan
(Roger Brown - Donald Pleasence)
03 - Ringo Starr - Scouse's dream
(Roger Brown)
04 - Ben Chatterly - Snow up your nose for Christmas
(Meira Pleasence - Donald Pleasence)
05 - Ringo Starr - Running free
(Roger Brown)
06 - Adam Faith - America (A mouse's dream)
(Roger Brown)
07 - Lucy Pleasence - Scousey
(Roger Brown)
08 - Ringo Starr - Boat ride
(Roger Brown)
09 - Ringo Starr - Scouse the mouse
(Roger Brown)
10 - Barbara Dickson - Passenger pigeon
(Roger Brown - Donald Pleasence)
11 - Polly Pleasence and Ringo Starr - I know a place
(Roger Brown - Ruan O'Lochiainn - Donald Pleasence)
12 - Instrumental - Caterwaul
(Jim Parker)
13 - Ringo Starr - S.O.S.
(Roger Brown)
14 - Rick Jones - Ask Louey
(Roger Brown- Donald Pleasence)
15 - Ringo Starr - A mouse like me
(Ruan O'Lochiainn)
16 - Ringo Starr - Just a dream (BÔNUS)
(Starkey - Poncia)

COLABORAÇÃO: Osvaldo


quarta-feira, 6 de julho de 2016

Al Hirt - Cotton Candy & Walkin' (CS 1964)

 Single lançado nos Estados Unidos traz um dos maiores hits do trompetista
Ao ouvir “Cotton Candy”  - música deste compacto simples enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço - me lembrei dos tempos em que o disco era muito executado nas rádios e fazia sucesso nos bailinhos caseiros. Faz tempo que não a ouvia, e certamente a coloco entre as minhas instrumentais preferidas. É executada pelo Al Hirt, renomado trompetista norte-americano que gravou vários discos, incluindo um álbum com a cantora e atriz Ann-Margret. Entre os sucessos da carreira destaca-se “Java”, do álbum “Honey in the horn”, de 1963.  Alois Maxwell Hirt, seu nome de batismo, nasceu em 7 de novembro de 1922 em Nova Orleans, Lousiana, e lá morreu em 27 de abril de 1999. Este single de 45 RPM, lançado em 1964 pela RCA norte-americana, é pra ouvir e dançar. Confira:

01 - Cotton Candy
(Russ Damon)
02 - Walkin'
(Jerry Reed)


COLABORAÇÃO: Laércio


terça-feira, 5 de julho de 2016

Década Explosiva Internacional - vol.2 - Hot Machine

Segundo volume da Década Explosiva Internacional foi lançado em 1976
Aqui está mais um álbum da Década Explosiva, banda de estúdio da gravadora Imperial-EMI-Odeon, criada para gravar covers de grandes sucessos, como o LP “Máquina Quente”, postado aqui. Vale destacar que a Década Explosiva é mais um dos pseudônimos usados pelo grupo The Fevers. Desta vez, o disco produzido em 1976 é dedicado a hits internacionais, aproveitando o sucesso do primeiro volume, lançado no ano anterior. O repertório deste segundo volume é, em sua maioria, constituído de sucessos dos anos 1960 e início dos 1970, como “Rose garden” (hit da Lynn Anderson), “I am so happy” (Trio Galleta), “Listen to the music” (The Dobbie Brothers), "Proud Mary" (Creedence Clearwater Revival) e hits do Elvis Presley e Beatles, entre outros. Confira:

01 – Rose garden
(Joe South)
02 – Tutti frutti - Long tall Sally
(R. Penniman - Joe Lubin - D. La Bostrie) - (Johnson - Penniman)
03 – I am so happy
(Carlos Iturbide - Anibal Conte)
04 – Perfidia  - La bamba
(Alberto Dominguez) - (Tradicional)
05 – Time
(Waters - Mason - Gilmour - Wright)
06 – Na na hey hey, kiss him goodbye
(P. Leka - D. Frashuer - G. De Carlo)
07 – Evil ways
(J. Zack)
08 – Get me some help
(Daniel Vangarde - Nelly Byl)
09 – Ready Teddy
(Marascalco - Blackweel)
10 – Ob-la-di, ob-la-da - The ballad of John and Yoko
(Lennon - McCartney) - (Lennon - McCartney)
11 – Listen to the music
(Tom Johnston)
12 – Gimme gimme good lovin’
(J. Levine - R. Cordell)
13 – Proud Mary
(J. Fogerty)
14 – Wild thing
(Chip Taylor)


COLABORAÇÃO: Aderaldo


domingo, 3 de julho de 2016

Marta Coração - Sol e lua (tema da novela A Leoa)

Single de 1981 traz a versão de "Bette Davis Eyes",  hit da Kim Carnes
“Sol e lua”, lado B deste compacto simples, foi tema da novela “A Leoa”, exibida pelo SBT entre 9 de agosto e 26 de outubro de 1982, segundo dados da Wikipedia. A intérprete é a Marta Coração, que também gravou “Olhos de mulher” - curiosa versão de “Bette Davis Eyes”, hit da Kim Carnes - no lado A do disco, lançado em 1981 pelo selo Mickael. Procurei informações sobre a cantora, e descobri apenas que a artista é da cidade de Botucatu, no interior de São Paulo. A telenovela é baseada no original de Marisa Garrido, e foi escrita por Crayton Sarzy e Raimundo Lopes, com direção de Waldemar de Moraes, Renato Petrauskas e David Grimberg. No elenco, atores como Geraldo Del Rey, Suzy Camacho, Carlos Koppa, Guy Loup, Paulo Castelli e outros. Confira o single:

01 – Olhos de mulher (Bette Davis Eyes)
(D. Weiss - J. de Shannon – vs: Wally)
02 – Sol e lua 
(Marta Coração – Zilton)



sexta-feira, 1 de julho de 2016

Vários intérpretes - Juventude em desfile 1 (LP s/d)

 Inéditas da Jovem Guarda compõem a coletânea Juventude em Desfile
Já postei o terceiro volume da série Juventude em Desfile (aqui), produzido pelo desconhecido selo Bandeirante, e agora é a vez do primeiro, graças a colaboração do amigo Aderaldo, a quem agradeço por enviar este raro álbum. Infelizmente não tenho o segundo volume, e ficarei agradecido se alguém tiver e fornecer para postagem. O LP, sem o ano do lançamento, mas provavelmente produzido na segunda metade dos anos 1960, traz nomes desconhecidos do grande público, com exceção do grupo The Jordans, que participa do acompanhamento do cantor Francisco Carioca, que interpreta canções do Tim Maia (“Não quero nem saber”) e do Eduardo Araújo e Carlos Imperial (“Chora meu bem”). Os registros, feitos por gravadora com limitações técnicas, são de garagem, mas certamente farão a festa dos colecionadores. Confira:

01 - The Five Kings - Não consigo acreditar 
(Wagner - Peetter)
02 - The Five Kings - Nunca mais eu vou sofrer
(Wagner)
03 - Odair Silva - Um poema para meu benzinho (Com Conjunto San Remo)
 (Dylton Silva)
04 - Odair Silva - Tentando esquecer (Com Conjunto San Remo
(Didi)
05 - Walter Amaral - Se eu fosse (com Conjunto San Remo
(Mario Faissal)
06 - Walter Amaral - Só hoje vim saber (Com Conjunto San Remo
(Paulo Pires)
07 - Péricles - Não precisa chorar (com Os Ratos
(Paulo Wilson - Wanderley)
08 - Péricles - Há muito tempo sofro por te amar (Com Os Ratos
(Wanderley - Mario Faissal)
09 - Marcos Silvestre - Tudo terminou, mas eu não te esqueci (Com Os Ratos
(Antonio Marcos - Mario Marcos)
10 - Marcos Silvestre - O primeiro beijo (Com Os Ratos
(Walkyria - Mario Faissal)
11 - Francisco Carioca - Não quero nem saber (Com The Jordans)
(Tim Maia)
12 - Francisco Carioca - Chora meu bem (Com The Jordans)
(Eduardo Araujo - Carlos Imperial) 

 
COLABORAÇÃO: Aderaldo




quinta-feira, 30 de junho de 2016

Mariane - Aprendendo a viver (LP 1991)

Mariane fez sucesso como apresentadora de programas infantis na TV
Mariane foi, nos anos 1980 e 1990, a queridinha das crianças, ao lado de Xuxa, Angélica, Eliana e Mara Maravilha.  Assim como elas, Mariane também gravou discos, e teve relativo sucesso no mercado fonográfico. Este disco, lançado em 1991 pela RCA, é o terceiro LP da carreira que soma sete álbuns, sendo o primeiro de 1998 e o mais recente de 2004. O vinil, com 13 canções, traz músicas de autores como Ed Wilson, Chico Roque, Carlos Colla, Paulo César Valle e Marcos Valle, entre outros. Os destaques são “Chorinho brasileiro” e a releitura de “Uni-duni-tê”, de Michael Sullivan e Paulo Massadas, sucesso original do Trem da Alegria.

A cantora, locutora e apresentadora Mariane Ribeiro Dombrova, seu nome de batismo, nasceu em São Paulo em 7 de setembro de 1972. Começou a carreira no final dos anos 1980 no Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), substituindo a também cantora e apresentadora Simony, no comando do programa "Dó-Ré-Mi-Fá-Sol-Lá-Si". A atração, em pouco tempo, ganha o nome da artista, e ficou no ar até a data do seu aniversário em setembro de 1991, quando foi demitida da emissora. O motivo? Cortou o cabelo, estilo "Joãozinho", como aparece na capa deste LP, sem autorização do SBT, que a contratou com as madeixas longas. A partir daí, Mariane comandou outros programas e passou por emissoras como CNT/Gazeta, Rede Record, CNT/Gazeta, UNITV, Rede Mundial e éTV. Em fevereiro último, participou do Programa Silvio Santos (veja na foto ao lado), e contou ao apresentador o que tem feito: "Hoje, apresento eventos, faço locuções, componho". Confira a cantora:

01 - Ploc-ploc (Manchinha de batom)
(Ed Wilson - Carlos Pedro)
02 - Quero um beijinho
(Chico Roque - Carlos Colla)
03 - Olha o sol
(Cesar Augusto - César Rossini)
04 - Vida
(Ed Wilson - Cury)
05 - Passeio atrevido
(Ed Wilson - Carlos Pedro)
06 - Zum zum zum
(Márcio Motta - Daniela Colla)
07 - Aprendendo a viver
(Augusto Céar - Paulo César Valle)
08 - Uni-duni-te
(Michael Sullivan - Paulo Massadas)
09 - A galinha magricela (La gallina papanatas)
(A.J.V. Cernuda - C.M.Lacosta - vs: E.B.Poças)
10 - Chorinho brasileiro
(Chico Roque - Aylson Shalon)
11 - Quero namorar
(Chico Roque - Carlos Colla)
12 - A dança do Ali Baba
(Chico Roque - Ed Wilson - Carlos Colla)
13 - Espertinho
(Marcos Valle - Carlos Colla)